logo

Telefone: (11) 3024-9500

Descubra um roteiro pelos históricos cafés de Roma | Qual Viagem Logo

istock-501574356

Descubra um roteiro pelos históricos cafés de Roma

18 de outubro de 2018

Roma, no seu esplêndido centro histórico, está repleta de cafés antigos. Cada um desses lugares tem sua própria história e conta algo mais sobre a cidade eterna e sobre quem, passando pela capital, ficou fascinado por ela. Entre os cafés mais famosos está o Antico Caffè Greco, localizado na elegante Via Condotti. É o segundo mais antigo da Itália depois de Florian em Veneza.

Foto por iStock / robyvannucci

Foto por iStock / robyvannucci

Fundada em 1760, deve seu nome à origem grega de seu fundador Nicola della Maddalena. Ponto de encontro de artistas e intelectuais italianos e estrangeiros desde o século XIX, tem sido frequentemente retratado em esboços e pinturas e também contou com a presença de figuras ilustres, como Schopenhauer, Franz Liszt, Stendhal, Wagner e Orson Welles.

Além de desfrutar de um bom café, nos salões deste lugar encantador, você pode admirar mais de 300 obras que fazem do Antico Caffè Greco uma das maiores galerias de arte privadas abertas ao público no mundo.

Localizado na famosa Via del Babuino, você encontra o Caffè Museo Atelier Canova Tadolini, um antigo estúdio que pertenceu ao grande escultor Antonio Canova e foi deixado por seu aluno favorito Adamo Tadolini. O estúdio de hoje não é apenas um café, mas foi transformado em uma sala particular que também abriga um museu com uma coleção excepcional de esculturas.

Foto por Divulgação

Foto por Divulgação

Seguindo para a Piazza Navona, encontra-se o Antico Caffè della Pace. Em estilo art nouveau, o restaurante do final do século XIX está localizado na Via della Pace, perto do Chiostro de Bramante, e é caracterizado por móveis antigos de madeira e uma fachada coberta com videira canadense. Um lugar da moda ainda frequentado por intelectuais e estrelas italianas e internacionais.

Foto por Divulgação

Foto por Divulgação

Localizado a poucos passos da Piazza Navona e do Pantheon e em frente ao Senado da República Italiana, há o Caffè Sant’Eustachio. A antiga torrefação de madeira, nascida nos anos 30, ainda hoje possui o mesmo mobiliário e o mesmo piso da época. Seu emblema é o cervo, um símbolo de Sant’Eustachio.

Foto por Divulgação

Foto por Divulgação

Já a Sala da tè Babington não é um café, mas um salão de chá. Fundada em 1893 pelas inglesas Isabel Cargill e Anna Maria Babington, esta sala de chá e leitura foi criada para os muitos anglo-saxões de Roma que podiam beber a sua bebida preferida, na época vendida apenas em farmácias. Ainda hoje, os amantes do chá podem encontrar ali todas as essências, além de uma atmosfera tranquila e reservada.

O mobiliário essencial no estilo do final do século XIX, as mesas de madeira com canudos coloniais, os exclusivos bules e porcelanas fazem da Sala da tè Babington, com vista para a Piazza di Spagna, um lugar ainda mais mágico.

Para os apreciadores da história, uma pequena memória para o que tem sido há muitos anos um lugar de agregação: o Caffè Notegen. Fundada no século XIX pelo suíço Jon Notegen, como uma mercearia com torrefação de café, na década de 1930 tornou-se o ponto de encontro de artistas italianos e estrangeiros que o frequentaram até a década de 1980. Agora não existe mais, mas se você for à Via del Babuino no número 159, vale lembrar as histórias deste café.

Texto por: Agência com edição de Patrícia Chemin

Foto destaque por: iStock / Manuel-F-O

Comentários