logo

Telefone: (11) 3024-9500

Pesquisa revela as tendências da hotelaria | Qual Viagem Logo

Modern luxury hotel reception counter desk with bell

Pesquisa revela as tendências da hotelaria

12 de abril de 2016

Em pesquisa sobre o futuro da hotelaria, a consultoria Mapie e o blog de tendências Disque9 identificou as tendências do setor e seus desafios. Enquanto os meios de hospedagem tradicionais perdem força, os espaços coletivos e integrados ganham espaço. A pesquisa mostra que, para os hóspedes de hoje, o que mais importa é o serviço de qualidade e a entrega impecável do básico, como cama, Wi-fi, ducha e café da manhã. A consequência é o crescimento dos serviços de aluguel de temporada, que, apesar de existirem há muito tempo, têm caído cada vez mais no gosto das pessoas.

A economia compartilhada ou colaborativa tem trazido consequências ao setor do turismo. O Airbnb é o maior exemplo de seu sucesso. Em nove anos de existência, o site de alugueis de temporada tornou-se a maior rede de hospedagem do mundo e a terceira startup mais valiosa do planeta. Dos entrevistados pela pesquisa da Mapie, 31,45% afirmaram utilizar o serviço como opção de hospedagem em viagens a lazer. Já 12,66% disseram utilizar para viagens a trabalho. No final de 2015, o Airbnb lançou uma plataforma corporativa e está priorizando este segmento na sua estratégia atual.

Opened door of hotel room with key in the lock

Foto por iStock / DragonImages

De acordo com a pesquisa, fatos que levam esses viajantes a escolherem um serviço de aluguel de residências para temporada em detrimento de um hotel incluem melhor relação custo-benefício, melhor preço, facilidades domésticas, indisponibilidade em hotéis tradicionais, liberdade e facilidade para acomodar a família. Mas quem ainda prefere se hospedar em hotéis, cita as razões. Preferência por meios de hospedagens tradicionais, segurança, desconhecimento sobre modelo dos alugueis de apartamentos para temporada, preferência por meios de hospedagem mais conhecidos e falta de oportunidade foram os mais mencionados.

Mais modesta e realista, a geração atual faz parte da classe dos novos hóspedes que desejam um básico bem feito, com sustentabilidade, generosidade e o uso inteligente dos recursos disponíveis. Com tantas mudanças, inovações e concorrência, a hotelaria tradicional tem um grande desafio daqui para frente. É preciso garantir hospitalidade básica, mas de forma consistente, além de manter estrutura física impecável e a segurança física e virtual de seus hóspedes. Outro fator importante é a transformação de produtos voltados para família como suítes amplas e amenidades de cozinha.

Os resultados da pesquisa mostram que os hotéis confortáveis são a primeira opção para a maioria das viagens, seja ela a trabalho ou a lazer. A justificativa é que esse tipo de hospedagem atende às necessidades e aos desejos de uma forma mais completa, sem exageros. Ainda para os viajantes, a localização é fator determinante. A segurança, a qualidade do serviço, a facilidade na reserva/compra e experiências positivas anteriores aparecem logo depois como importantes para se fechar o negócio.

Em relação à estrutura, design moderno e atraente e ser ambientalmente sustentável são os fatores mais importantes. Já no que diz respeito aos serviços, estão no topo da lista internet Wi-fi de alta qualidade e gratuita e café da manhã incluído na diária e de qualidade. Sobre os itens mais importantes no apartamento, cama grande e confortável é o principal, seguido por apartamento silencioso, ducha de alta pressão, abundância de tomadas e enxoval de alta qualidade.

O estudo da Mapie foi realizado de setembro de 2015 a janeiro de 2016 com 880 respondentes de todas as regiões do país, com alto nível educacional, faixa etária de 26 a 60 anos, perfis e gerações diferentes, que viajam com frequência e concentrados nas classes A e B.

Mais informações em: mapie.com.br e disque9.com.br

Texto por: Agência com edição de Patrícia Chemin

Foto destaque por: iStock / kadmy

Comentários