logo

Telefone: (11) 3024-9500

Em Cusco, celebração do Inti Raymi resgata tradições incas | Qual Viagem Logo

025518_300_foto-heinz-plenge-pardo_

Em Cusco, celebração do Inti Raymi resgata tradições incas

20 de junho de 2017

A região de Cusco, no Peru, é um dos destinos turísticos mais emblemáticos do mundo e se transforma durante o mês de junho, com diferentes festejos. Um dos mais importantes da programação atual, o Inti Raymi é considerado a celebração mais notável do calendário Inca e que, antigamente, se prolongava por nove dias. Segundo conta a tradição, trata-se de uma cerimônia na qual os sacerdotes e os povos faziam homenagens ao Inti, Deus Sol. Atualmente, a Festa do Sol, como também é conhecida, é realizada no dia 24 de junho, na cidade de Cusco e no sítio arqueológico Sacsayhuamán (a cerca de 2 km de Cusco).

Foto por Divulgação / Gihan Tubbeh

Foto por Divulgação / Gihan Tubbeh

No início, a Festa do Sol era realizada anualmente, entre o final do período de colheita e o início do solstício de inverno dos Andes. Para os incas, o Inti Raymi era equivalente ao que para nós hoje é a festa de Ano Novo. A celebração era uma festa na qual se encerrava o ano agrícola e se iniciava o próximo. Foram várias as razões que impulsionaram a civilização Inca a realizar os sacrifícios e oferendas ao astro rei Sol. Um deles era que os Incas, como a nobreza cusquenha, eram considerados filhos naturais do Sol; a ele obedeciam em sua existência e deviam corresponder-lhe com sacrifícios e oferendas. Por outro lado, se a colheita de milho tinha sido boa, deveriam agradece-lhe; e se havia sido ruim, deveriam pedir-lhe para que o próximo ano fosse compensado com uma boa produção.

Foto por Divulgação / Heinz Plenge Pardo

Foto por Divulgação / Heinz Plenge Pardo

Em junho, o Sol ia embora e o frio aumentava, então tinham que pedir ao Sol que voltasse, que ao raiar os crepúsculos matutinos não se movimentassem para o norte. Finalmente, tinham que homenagear ao Deus Inti, a eternidade e a total entrega de seus filhos, com submissão e respeito. Faz mais de seis séculos que o Inca Pachacutec instituiu a Festa ao Deus Sol, mas sua versão contemporânea se realiza desde 24 de junho de 1944, quando foram instituídas as festividades na cidade em memória de sua origem milenar e berço da grande civilização Inca.

Foto por Divulgação / PROMPERU

Foto por Divulgação / PROMPERU

Os lugares de encenação

No dia 24 de junho, a festa em honra ao Deus Sol é realizada na presença do Inca, o Willaq Uma ou Sumo Sacerdote, o Tarpuntay, o Wirapirikuq e o Kallparikuy, tal qual os nobres e representantes das gerações Incas, para o qual utilizam três impressionantes cenários históricos e naturais:

Foto por Divulgação / PROMPERU

Foto por Divulgação / PROMPERU

– Qorikancha (Templo do Sol), 9h: O Inca Pachacuteq dá a ordem para iniciar a grande cerimônia de oferenda à Pachamama (Mãe Terra) e ao Sol. O Willaq Uma, em meio a orações e hinos de oferendas em quechua (idioma Inca), oferece ao Sol o “mullu”, composto por réplicas de pequenas esculturas, belas obras de arte folheadas em ouro, prata, bronze, pedra e conchas marinhas. Em seguida o Inca Pachacuteq ordena a transferência de sua comitiva para a Plaza de Armas.

Foto por Divulgação / PROMPERU

Foto por Divulgação / PROMPERU

– Plaza de Armas (antigo Huacaypata ou Plaza del Guerrero), 10h: Durante o período Inca se desenvolvia a cerimônia do Inti Raymi no grande palco ou plataforma cerimonial, localizado no meio da atual Plaza de Armas. Na versão atual se realiza o “Rito da Coca” e o “Encontro dos Tempos”, entre o Inca e o prefeito da cidade. A chegada do Tawantinsuyo e toda sua comitiva de quase mil personagens, assim como sua saída majestosa ao término da cerimônia, são cumprimentadas pelos aplausos da população local e milhares de visitantes que participam cheios de emoção em homenagem ao Deus Inti.

Foto por Divulgação / Heinz Plenge Pardo

Foto por Divulgação / Heinz Plenge Pardo

– Sacsayhuamán (palavra quechua que em espanhol se traduz como “lugar onde se sacia o falcão”), 13h30: No Chukipampa, a esplanada deste impressionante sítio arqueológico construído a 3.555 metros acima do nível do mar, acontece a cerimônia contemporânea do Inti Raymi. 

Como assistir ao Inti Raymi

Foto por Divulgação / PROMPERU

Foto por Divulgação / PROMPERU

Os atos do Inti Raymi no Qorikancha e na Plaza de Armas são de livre aceso para o público em geral. Recomenda-se ir cedo para conseguir lugar com uma melhor vista. Já a entrada nas arquibancadas instaladas na esplanada de Sacsayhuamán é mediante aquisição ou reserva prévia de bilhetes numerados (entre US$ 100,00 e US$ 150,00 para turistas), o que pode ser feito através do site: intiraymi.org.pe.

Foto por Divulgação /

Foto por Divulgação / Heinz Plenge Pardo

O Inti Raymi é uma parte inseparável da vida de Cusco. Não é apenas o principal evento do mês na cidade, mas sua fama transcende as fronteiras do Peru e também significa um exemplo característico para outros festivais da identidade nacional.

Mais informações em: emufec.gob.pe e peru.travel

Texto por: Agência com edição de Patrícia Chemin

Foto destaque por: Divulgação / Heinz Plenge Pardo

Comentários