logo

Telefone: (11) 3024-9500

Viagens pós-quarentena: 5 piscinas naturais para visitar no Brasil | Qual Viagem Logo

Foto por MONALISA GUIMARAES / @MONAGUIMARAESS

Viagens pós-quarentena: 5 piscinas naturais para visitar no Brasil

30 de março de 2021

Diferentemente do conceito tradicional de piscinas, com bordas de azulejo e água com cloro, algumas piscinas naturais pelo Brasil esbanjam beleza e cenários incrivelmente belos e improváveis. Confira algumas sugestões de piscinas naturais para visitar ao menos uma vez na vida quando tudo isso passar e for possível viajar novamente.

Piscinas naturais do Pratagy Beach, Maceió – Alagoas

Foto via Pratagy Beach por Divulgação

Foto via Pratagy Beach por Divulgação

Em Maceió, na exuberante Praia de Pratagy, uma das mais belas e tranquilas da região, as exclusivas e inexploradas piscinas naturais do Pratagy Beach All Inclusive Resort – Wyndham se destacam pela sua excepcional beleza. Pontuadas por peixinhos coloridos, a atração ganha forma nos arrecifes de corais nos períodos de baixa maré, que ocorrem em horários específicos e é perfeita para todas as idades. O intenso amarelado do sol, presente de janeiro a janeiro e a incrível tonalidade azul turquesa do mar de Pratagy completam o cenário dos sonhos para relaxar e curtir este imprescindível passeio de catamarã oferecido pelo hotel.

Piscina Natural do Cachadaço, Trindade – RJ

Foto via iStock por FelipeGoifman

Foto via iStock por FelipeGoifman

No eixo Rio-SP, a Piscina Natural do Cachadaço, na belíssima Trindade, Rio de Janeiro, é uma excelente opção para quem precisa recarregar as energias na calmaria da maré ou até mesmo repousar nas imensas rochas adjacentes após um refrescante mergulho. A tonalidade da água é quase cristalina e, com sorte, é possível apreciar uma série de peixinhos nadando por ali. Para chegar até a atração é necessário percorrer uma trilha de aproximadamente 30 minutos ou fretar um barco. A escolha é sua e de mais ninguém. Trindade está a aproximadamente 280 km de São Paulo e 270 km da capital fluminense.

Gruta do Lago Azul, Bonito – Mato Grosso do Sul

Foto via iStock por vbacarin

Foto via iStock por vbacarin

Cartão postal de Bonito, no Mato Grosso do Sul, a Gruta do Lago Azul faz jus à fama e é simplesmente deslumbrante. O lago, que tem cara de piscina, oferece águas incrivelmente azuladas e com profundidade estimada de 90 metros. Durante o passeio é possível contemplar as rochas e as formações geológicas datadas de milhares de anos, mas não é permitido mergulhar. O local é preservado para o estudo de paleontólogos, que investigam a existência de um crustáceo pré-histórico na gruta.

Piscinas Naturais do Monte Roraima

Foto por Alex Golding via iStock

Foto por Alex Golding via iStock

Em tempos de distanciamento social, no alto do Monte Roraima, um dos picos mais altos do país, é possível encontrar algumas das piscinas naturais mais gélidas, desafiadoras e isoladas do país. Formadas a partir da água da chuva, que se acumula nas crateras cobertas por quartzo, a atração é restrita aos corajosos e aventureiros, já que o acesso à montanha não é para qualquer um e a água, apesar de límpida e cristalina, é muito gelada. O Monte Roraima está situado no extremo norte do estado, na tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana.

Fervedouros do Jalapão – Tocantis

Foto por iStock / Cleber Macedo

Foto por iStock / Cleber Macedo

O estado do Tocantis esconde muitas belezas naturais, mas os fervedouros do Jalapão são, sem sobra de dúvidas, o maior atrativo da região. Para aqueles que não sabem, fervedouros são pequenas piscinas naturais/lagos de águas cristalinas que não permitem que você afunde dentro deles, apenas flutue. A experiência é muito parecida com aquela vivenciada no Mar Morto, onde a grande quantidade de sal promove tal fenômeno. Aqui a explicação está na pressão exercida pela água que jorra do lençol freático. Estima-se que existam cerca de 20 fervedouros na região, mas apenas 8 estão abertos à visitação.

Texto por Agência com edição de Carolina Berlato

Imagem Destacada por MONALISA GUIMARAES / @MONAGUIMARAESS

 

Comentários