logo

Telefone: (11) 3024-9500

Suíça: segredos de viagem de um dos países mais ricos do mundo | Qual Viagem Logo

Foto por Istock/ extravagantni

Suíça: segredos de viagem de um dos países mais ricos do mundo

4 de janeiro de 2019

Entre os 195 países do mundo, poucos são tão ricos quanto a Suíça. Com PIB per capita (valor resultante do produto interno bruto do país dividido pela quantidade de habitantes) de US$ 61.360, o país dos alpes atrai o interesse de viajantes ao redor de todo o mundo.

Para fins de comparação, o PIB per capita do Brasil é de US$ 9.821, ou seja, 16% do país suíço, o que ajuda a entender o quão rico ele é. Porém, muito além de cifras, a Suíça reserva atrativos incríveis para quem decide visitá-la.

Foto por IStock/ ake1150sb

Foto por IStock/ ake1150sb

Aprenda tudo o que você precisa saber neste verdadeiro guia de viagem, com curiosidades, dicas e sugestões sobre o gelado país europeu!

Suíça: um país tão peculiar quanto curioso

Conheça a resposta de perguntas interessantes sobre o país suíço e dicas que podem ajudar muito durante a viagem!

Por que a Suíça é tão rica?

Há 150 anos, o país era pobre. Sem litoral (ou seja, cercado por terra), o território é repleto de colinas e montanhas e tem poucas terras propícias à plantação. Além disso, recursos primários, como minérios, também são escassos.

Este não é um conjunto tão positivo, mas ainda assim, a Suíça conseguiu se tornar um país tão rico, hoje à frente de nações como os Estados Unidos, Arábia Saudita e Hong Kong. Alguns dos motivos, bem curiosos, foram os seguintes:

Inexistência de guerras: a última guerra que houve na Suíça foi em 1847, entre cantões (pequenos distritos) católicos e protestantes, ou seja, há mais de 170 anos. O país não participou das guerras europeias, o que manteve sua infraestrutura quase intacta.

Estrutura federal: não existem estados na Suíça, como aqui no Brasil, mas sim cantões, estados soberanos com fronteiras e exércitos próprios. Com isso, decisões políticas importantes são tomadas próximo de onde essas pessoas vivem, o que causa um impacto mais direto e ajuda a criar um senso muito importante na comunidade.

Hábitos culturais: culturalmente, o povo suíço é bastante econômico, talvez um reflexo do passado. Isso significa que itens são usados até não poder mais, como brinquedos que são passados de pai para filho, por exemplo. Além disso, o povo é muito trabalhador e procura o bem comum, o que resulta em uma sociedade exemplar.

​Qual é a moeda oficial da Suíça?

É o franco suíço, cuja abreviação é CHF. Porém, há uma série de lugares que também aceitam o euro, como lojas, hotéis e parquímetros, mas por não ser a moeda oficial, cada estabelecimento tem uma cotação diferente e que geralmente os privilegia.

Por isso, o ideal é ter francos suíços para usar enquanto estiver na Suíça, mas se precisar passar apenas uma noite ali ou tiver apenas euros na carteira, ele também será aceito, embora o troco das compras seja dado na moeda local.

Foto por IStock/ RossHelen

Foto por IStock/ RossHelen

Qual é o idioma oficial da Suíça?

São quatro: alemão, francês, italiano e romanche (grisão, reto-romanche ou rético), esse último menos conhecido e utilizado.

Estima-se que o romanche seja falado por menos de 1% da população, inclusive tendo sido superado por outros idiomas não oficiais trazidos por imigrantes, como português e servo-croata.

É interessante ressaltar que cada cantão possui os seus idiomas oficiais, e o mais adotado é o alemão, presente em 21 dos 26 cantões, seguido do francês (8 cantões).

Quais são os mais famosos pontos de interesse da Suíça?

O país é muito bonito e agradável, além de chamar a atenção pelos alpes e o consequente fato de fazer bastante frio, novidade para boa parte dos turistas de lugares com clima tropical. Porém, alguns lugares se destacam entre os demais:

Matterhorn: está para a Suíça como o Cristo Redentor está para o Brasil. Uma das montanhas mais altas dos alpes, perto da fronteira com a Itália, tem 4.478 metros de altitude e quatro faces bem íngremes, que curiosamente batem com as direções de uma bússola. É essa a montanha que aparece na embalagem do famoso – e suíço – chocolate Toblerone.

Foto por IStock/ Serjio74

Foto por IStock/ Serjio74

Jungfraujoch: também conhecido como “Topo da Europa”, é um ponto que só pode ser acessado de trem (que para na estação em montanha mais alta da Europa, a 3.454 metros de altitude). Quem vai até lá pode estar acima das nuvens e ter uma vista privilegiada.

Lucerne: lago azul rodeado por montanhas, uma cidade antiga sem carros nas ruas, pontes cobertas e construções históricas. O local é famoso por seus concertos musicais, bem como pelo Löwendenkmal (Lion Monument, ou monumento do leão), escultura de um leão morrendo, feita para homenagear a morte heróica dos guardas suíços no ataque do Palácio das Tulherias, durante a Revolução Francesa.

Lake Geneva: lago no lado norte dos alpes, é um dos maiores da Europa Ocidental e abriga uma vista incrível, além de estar localizado entre a Suíça e a França.

St. Moritz: também conhecida como São Moritz ou São Maurício, é uma comuna suíça localizada no cantão Grisões, com pouco mais de 5.000 habitantes, mas que traz visitantes de todo o mundo, interessados em conhecer seus lagos congelados, florestas alpinas e restaurantes luxuosos.

Foto por Istock/ Carla Alonso Marasco

Foto por Istock/ Carla Alonso Marasco

​Conheça a Suíça e se surpreenda!

O país é simplesmente encantador, com paisagens capazes de deixar até mesmo os viajantes mais experientes de queixo caído, dos lagos azuis até as montanhas cobertas de neve.

Ainda que seja recomendado para pessoas de todo o mundo, quem vive em países de clima quente terá uma experiência especialmente memorável, já que a temperatura média no mês mais quente, julho, é de apenas 19º C, enquanto a do mês mais frio, janeiro, é de 0º C.

Não perca tempo: comece a comprar dolar ou euro a partir de hoje, faça uma reserva para poder trocar por francos suíços quando chegar ao país europeu e encante-se com um dos destinos mais maravilhosos que você poderá conhecer em sua vida!

Texto por: Agência com edição Eliria Buso

Foto por Istock/ extravagantni

Comentários