logo

Telefone: (11) 3024-9500

Porto de Galinhas: uma viagem ao paraíso | Qual Viagem Logo

piscinas-naturais-21-vinicius-lubambo_porto-de-galinhas-convention-visitors-bureau

Porto de Galinhas: uma viagem ao paraíso

14 de novembro de 2018

Não é exagero dizer que Porto de Galinhas é um dos lugares mais paradisíacos do Brasil. Ao se deparar com aquele mar cristalino, as praias deslumbrantes, as piscinas naturais a perder de vista e outras tantas belezas, você simplesmente não vai mais querer voltar para casa. Para deixar tudo ainda mais perfeito, o destino reúne uma saborosa gastronomia com farta oferta de frutos do mar, uma vila animada, passeios bem organizados, opções de hospedagem para todos os bolsos e clima de verão o ano inteiro.

Foto por @THIAGOCAVALCANTIFOTOGRAFIA

Foto por @THIAGOCAVALCANTIFOTOGRAFIA

Antes uma pacata vila de pescadores, Porto de Galinhas começou a ganhar popularidade nacional e internacional há cerca de 30 anos. Suas paisagens naturais de tirar o fôlego encantam todos aqueles que decidem visitar esse pedacinho do Nordeste. Com um nome mais conhecido do que o do próprio município do qual faz parte, Porto de Galinhas fica em Ipojuca, litoral sul de Pernambuco, a apenas 50 minutos de carro de Recife.

Foto por iStock / gustavofrazao

Foto por iStock / gustavofrazao

Apesar de ter ficado tão famoso em tão pouco tempo, o destino conseguiu manter sua essência. Não é dominado por grandes redes de hotéis ou de restaurantes. Os empreendimentos são muito autênticos e cheios de personalidade. Dos passeios às lojas da vila, quase tudo é tocado pelos próprios residentes – pessoas que decidiram abraçar o destino e se esforçam para mantê-lo em ótimas condições para os turistas.

Foto por Carlos Henrique Pacheco

Foto por Carlos Henrique Pacheco

Porto de Galinhas vai além das praias e chama a atenção por ser um local muito seguro, limpo e organizado. Outra vantagem é a oferta hoteleira: são quase 20 hotéis de três a cinco estrelas, alguns dos melhores resorts do país e mais de 200 pousadas. Há ainda hostels, para quem não quer gastar muito com hospedagem.

Quanto aos passeios, não faltam opções em Porto de Galinhas. Um roteiro completo pela região pode ser feito em torno de uma semana. A alta temporada vai de dezembro a março. Porém, com sol e calor o ano inteiro, dá para visitar o destino em qualquer época.

Jangadas e piscinas naturais

De ponta a ponta, Porto de Galinhas compreende 18 km de praias de areia branquinha, mas cada uma tem um perfil diferente. A Praia da Vila de Porto de Galinhas, que é a das piscinas naturais, sem dúvida é a mais famosa. Nenhum lugar do país tem um cenário semelhante tão perto da orla.

Foto por BRUNO SILVA / ANDORINHA IMAGENS AÉREAS

Foto por BRUNO SILVA / ANDORINHA IMAGENS AÉREAS

O mar cristalino varia entre os tons de azul turquesa e esverdeado e ganha ainda um colorido a mais com as velas de dezenas de jangadas. A água é sempre bem morna, em torno dos 26°C. Entre os recifes de corais, que se estendem por mais de 1 km, formam-se inúmeras piscinas de todos os tamanhos. Das maiores, onde é possível nadar, até pequenas poças. Mesmo nessas menores, a vida marinha é abundante: aparecem peixes de todas as cores, caranguejos, ouriços e até moreias. De novembro a abril, as águas ficam ainda mais cristalinas, mas o cenário é incrível mesmo nos outros períodos do ano.

De jangada, leva menos de cinco minutos para chegar às piscinas naturais. O passeio é organizado pela Associação dos Jangadeiros de Porto de Galinhas, que vende os tickets na praça em frente à praia pelo valor de R$ 25 por pessoa. Dura cerca de 45 minutos e acontece durante o ano todo, mas apenas na maré baixa – e quanto mais baixa, melhor o visual. Para saber o horário exato em que ela vai ocorrer, não deixe de checar antes a tábua da maré.

Foto por iStock / filipefrazao

Foto por iStock / filipefrazao

Ao sair da jangada, você caminha sobre os corais, em áreas bem delimitadas. Use chinelos para não machucar os pés. O trecho é comprido e a cada passo você é surpreendido pela natureza à sua volta. Já o final do passeio reserva a experiência incrível de nadar entre os peixes. Quem quiser pode levar seu próprio snorkel, e os jangadeiros costumam fornecer óculos de mergulho.

Quando sair do mar, vale tirar o sal do corpo com uma chuveirada de água doce. Há chuveiros pagos em frente à praia, perto do famoso letreiro de Porto de Galinhas – cenário imperdível para fotos.

Além das piscinas naturais, há a opção de mergulho com cilindro entre peixes, corais e até navios naufragados – atividade oferecida por várias operadoras na Vila de Porto. Com ótima visibilidade, o mar ali é perfeito para quem é iniciante.

Voar em Maracaípe

Ao lado da praia das piscinas naturais, a praia de Maracaípe é bem mais tranquila, ladeada por uma profusão de coqueiros. Sem corais para formar uma barreira, ali as ondas são mais fortes – podem chegar a 2,5 metros de altura. Por isso, não é recomendada para banho, mas virou reduto de surfistas.

Foto por @THIAGO.LOPEZ

Foto por @THIAGO.LOPEZ

Ainda assim, vale curtir a praia para apreciar a beleza do mar azul turquesa. Quer ter uma experiência ainda mais inesquecível? Ali acontecem voos de paramotor, que é um parapente equipado com um motor para propulsão. Junto com o instrutor no voo duplo, você sobrevoa Maracaípe e os coqueirais e pode até ver as piscinas naturais lá do alto. Bem seguro em uma espécie de cadeirinha, você fica com os braços e pernas soltos, em uma sensação indescritível de voar livremente.

Tanto o pouso quanto a decolagem são surpreendentemente tranquilos, ambos feitos na areia da praia, e o motor possibilita várias subidas e descidas ao longo do passeio. Quem lidera os voos é o Sérgio Voador, experiente instrutor de paramotor e voo livre. É preciso agendar o passeio pelo menos um dia antes, pelo WhatsApp (81) 99481-3949 ou pelo Instagram @sergiovoador. O voo custa R$ 250 por pessoa e dura de 10 a 15 minutos.

Cavalos-marinhos no Pontal de Maracaípe

Deslizar sobre a água com jangadas é uma experiência que também pode ser feita no Rio Maracaípe. Em seu trecho final, o rio é cercado por manguezais, considerados verdadeiros berçários da vida marinha. Entre as raízes do mangue, vivem cavalos-marinhos, ostras, caranguejos, guaiamuns e aratus.

Foto por Vinicius Lubambo / Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau

Foto por Vinicius Lubambo / Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau

Para ver de perto toda essa rica biodiversidade, o passeio de jangada organizado pela Associação dos Jangadeiros do Pontal de Maracaípe leva os visitantes pelo rio até seu encontro com o mar. A água é tão cristalina que dá para ver o fundo. O nível muda de acordo com a maré, mas, geralmente, há trechos bem rasinhos, onde você pode até sair da jangada e caminhar pelo leito do rio, com a água abaixo dos joelhos.

A jangada segue até um ponto próximo à praia do Pontal de Maracaípe, onde bancos de areia fofinha mudam com o vento e a água é morna – local tranquilo e perfeito para um mergulho. Também há recifes de coral e piscinas naturais. Por ali costumam vender picolés e bebidas geladas, como água de coco. Esse passeio de jangada dura de 40 a 45 minutos e acontece das 8h às 17h. Os ingressos custam R$ 25 por pessoa e são vendidos no mesmo local onde os barcos saem.

Pontal do Cupe e trilhas de buggy

Na Praia do Cupe estão localizados muitos dos hotéis de Porto de Galinhas, a maioria pé na areia, além de várias pousadas. Mas é o Pontal do Cupe, um pouco mais ao norte, que guarda as maiores belezas: recifes que, na maré baixa, também formam piscinas naturais, sempre repletas de peixes.

A barreira de corais é bem menor do que a da Praia de Porto de Galinhas, mas está a poucos metros da areia. Tanto que dá para chegar até as piscinas naturais do Pontal do Cupe andando, sem precisar de uma jangada para ver esse espetáculo. Por ali, é possível alugar vários equipamentos e andar de caiaque com fundo transparente, fazer stand-up paddle, nadar com snorkel, entre outras atividades.

De frente para o mar, o Bar da Praia Pontal do Cupe é imperdível. Além de um cardápio recheado com delícias locais e frutos do mar bem temperados, como caldinho de camarão, moqueca, arroz de camarão, iscas de peixe e outros petiscos típicos de praia, o restaurante tem mesas ao ar livre com guarda-sóis, chuveiros e lojinhas. O local é inclusive ponto de apoio para buggys.

Foto por @THIAGO.LOPEZ

Foto por @THIAGO.LOPEZ

Para chegar às várias praias de Porto de Galinhas, uma ótima opção é ir de buggy, ao longo de trilhas exclusivas de areia fofa. O passeio mais comum é o “ponta a ponta”, que leva os passageiros às praias de Maracaípe, Pontal de Maracaípe, Pontal do Cupe e Muro Alto. Há centenas de bugueiros em Porto de Galinhas, que podem ser contratados diretamente ou por intermédio dos próprios hotéis.

Opte pelos buggys credenciados pela prefeitura, que têm placas vermelhas e adesivos que os identificam. O passeio é pago por veículo e cada buggy tem capacidade para até quatro pessoas. De três a quatro horas de duração, custa R$ 200; de cinco a seis horas, R$ 250.

Tranquilidade em Muro Alto

Mais afastada da Vila de Porto de Galinhas, a Praia de Muro Alto é conhecida por ser uma das mais tranquilas da região. Não à toa, ali estão instalados vários condomínios de alto padrão e resorts, como o Summerville Beach Resort, muito procurado por famílias, e o Nannai Resort & Spa, um dos mais luxuosos do Brasil.

Foto por Vinicius Lubambo / Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau

Foto por Vinicius Lubambo / Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau

Mesmo sendo mais reservada, a praia é aberta ao público em geral. E vale muito a pena visitá-la. Um paredão formado por pedras e corais a cerca de 150 metros da faixa de areia branquinha barra as ondas do mar. O resultado é uma enorme piscina natural de quase 3 km de extensão, com águas calmas. O mar ali é bem raso e com temperaturas muito agradáveis. Muro Alto é uma praia perfeita para nadar, sendo segura até mesmo para crianças.

Agito na Vila de Porto de Galinhas

Com um clima de muita descontração, a Vila de Porto de Galinhas, junto à praia das piscinas naturais, reúne vários restaurantes e lojas que vendem artesanato, souvenirs, roupas e até bolos de rolo. Bem compacta, é ótima para um passeio a pé. Dá para andar por ali sem preocupação a qualquer hora, já que a vila impressiona pela segurança.

Foto por Carlos Henrique Pacheco

Foto por Carlos Henrique Pacheco

O maior agito, inclusive, acontece à noite, quando as ruas ficam cheias de famílias, casais e grupos de turistas em geral. As lojas e os restaurantes costumam ficar abertos até às 22h. Para a facilidade dos visitantes, a vila também possui lojinhas de conveniência, farmácias e caixas eletrônicos.

Foto por Vinicius Lubambo / Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau

Foto por Vinicius Lubambo / Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau

Entre a Rua Esperança e a Rua Piscinas Naturais, há um calçadão para pedestres. Esta última é conhecida por sempre estar enfeitada, seja com bandeirinhas ou com sombrinhas de frevo e com as famosas esculturas de galinhas assinadas pelo artista plástico Gilberto Carcará, que as esculpe em troncos de coqueiros caídos. Aliás, vale visitar o ateliê do Carcará, perto da Praia do Cupe, para conhecer o trabalho que ele faz com sustentabilidade e comprar peças autênticas.

Foto por Patrícia Chemin

Foto por Patrícia Chemin

Já a Rua Beijupira abriga a feira Artur Maroja, com artesanato local e comidinhas, que acontece das 16h às 22h todos os dias, exceto às terças. Na mesma rua há um polo de artesanato com várias barraquinhas fixas. Nem precisa dizer que as galinhas são o grande tema de todo o tipo de produto, de souvenirs a peças decorativas.

Sabores da culinária local

Em Porto de Galinhas, a gastronomia vai muito além dos petiscos de praia. Na vila, há uma boa variedade de restaurantes, especializados em culinárias diversas, com pizzas, churrasco e até crepes. Mas o grande destaque vai para os cardápios baseados em suculentos camarões, lagostas, peixes, lulas e mexilhões, que fazem de Porto de Galinhas um imperdível destino gastronômico.

Foto por Vinicius Lubambo / Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau

Foto por Vinicius Lubambo / Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau

Além dos frutos do mar, há um grande uso de ingredientes locais, como coco, macaxeira, tapioca e banana. Frutas tropicais, como abacaxi, manga e caju, aparecem mesmo em pratos salgados, trazendo um sabor todo especial em molhos e acompanhamentos. De sobremesa, há clássicos como o bolo de rolo, típico de Pernambuco, e a cartola, um doce feito com banana frita coberta com queijo-manteiga, canela e açúcar. A cartola não falta no cardápio dos restaurantes e pode aparecer acompanhada de sorvete ou farofa doce de castanhas.

Para se deleitar com os sabores e o cenário de Porto de Galinhas, o restaurante Peixe na Telha fica em frente à praia das piscinas naturais. Fundado em 1991, é um dos mais antigos da vila. Há vários pratos com peixes e camarões, sendo que os servidos na telha são especialidade da casa, com caldos e molhos muito saborosos.

Foto por Patrícia Chemin

Foto por Patrícia Chemin

Na Rua Beijupira, você vai encontrar dois restaurantes bem tradicionais. Com um ambiente romântico, o Domingos mescla muito bem a gastronomia francesa com a culinária de Porto de Galinhas – uma combinação inusitada e deliciosa. No menu, há magret de pato, vieiras, lagostas e até escargot. O outro restaurante na mesma rua é o Beijupirá, que se destaca pela decoração colorida da casa e pelas receitas que combinam peixes e camarões com frutas típicas locais, criando uma explosão de sabores.

Todos os anos, a Associação de Restaurantes de Porto de Galinhas organiza o Porto Gastrô, festival que mostra o melhor da gastronomia da cidade, sempre com um ingrediente específico como tema. Acontece entre o final de novembro e o começo de dezembro e conta com a participação dos principais restaurantes e bares de Porto.

Conservação da natureza e turismo acessível

Louváveis iniciativas sem fins lucrativos atuam em Porto de Galinhas. No trabalho de preservação das tartarugas marinhas, a EcoAssociados faz monitoramento de ninhos, soltura de filhotes, reabilitação de animais debilitados e educação ambiental. A ONG tem um pequeno museu sobre o tema aberto à visitação e uma loja de produtos temáticos.

Foto por Vinicius Lubambo / Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau

Foto por Vinicius Lubambo / Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau

Pioneiro no país, o Projeto Hippocampus atua no resgate e recuperação dos cavalos-marinhos que habitam a região. Na sede, é possível ver de perto esses incríveis animais, além de peixes, lagostas e moreias. Já a Associação Rodas da Liberdade ajuda pessoas com deficiência através de projetos como o Praia sem Barreiras, que promove o acesso delas às atividades balneárias de Porto de Galinhas com cadeiras de rodas anfíbias, esteiras e monitores.

Passeios no litoral sul de Pernambuco

Com localização estratégica e vasta oferta hoteleira, vale usar Porto de Galinhas como base para explorar outras praias do estado. A 30 km ao sul estão as praias quase desertas de Tamandaré. Com um visual encantador, a Praia dos Carneiros tem areia clara, mar azul esverdeado que se mistura com as águas do estuário e coqueiros a perder de vista, junto à igrejinha de São Benedito.

É protegida por uma barreira de corais, o que significa que o mar é muito calmo, quase sem ondas. Muitas agências em Porto de Galinhas oferecem passeios de catamarã na Praia dos Carneiros, com paradas para banho de lama rejuvenescedora, nos bancos de areia e nas piscinas naturais nos recifes.

Foto por BRUNO SILVA / ANDORINHA IMAGENS AÉREAS

Foto por BRUNO SILVA / ANDORINHA IMAGENS AÉREAS

Pertinho do Pontal de Maracaípe, Serrambi, que também faz parte do município de Ipojuca, possui duas enseadas. De um lado, as águas são tranquilas, com a praia resguardada por recifes. Já do outro, as ondas são fortes e boas para o surfe. A área é mais residencial, com muitos condomínios e casas de veraneio.

Ao norte de Porto de Galinhas, a cerca de 20 km de distância, está Cabo de Santo Agostinho. Entre as praias mais famosas da cidade está Calhetas, uma pequena baía de águas calmas e cristalinas. Além das belezas naturais, a praia chama a atenção por ter uma tirolesa sobre o mar.

Como chegar

O Aeroporto Internacional de Recife fica a apenas 50 km da Vila de Porto de Galinhas e recebe voos diretos de várias cidades do Brasil, operados pelas principais companhias aéreas do país. Para chegar até o destino final, alugue um carro ou contrate os serviços de uma agência de turismo receptivo, como a Martur.

Onde ficar

Kembali Hotel

Nannai Resort & Spa

Summerville Beach Resort

Village Porto de Galinhas

Onde comer

Bar da Praia Pontal do Cupe

Beijupirá

Domingos Restaurante – Rua Beijupira, 128 / (81) 3552-2806

Peixe na Telha

Mais informações em: portodegalinhas.org.br

Texto por: Patrícia Chemin. A jornalista viajou com o apoio da Associação dos Hotéis de Porto de Galinhas e do Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau.

Foto destaque por: Vinicius Lubambo / Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau

Comentários