logo

Telefone: (11) 3024-9500

O que fazer na Suíça | Qual Viagem Logo

o-que-fazer-na-suica-em-4-dias

O que fazer na Suíça

3 de setembro de 2018

Hoje Vamos falar sobre um capitulo de nossa viagem recente pela Europa e o que fazer na Suíça em 4 dias no inverno, pelo menos contar o que nós fizemos e o que foi possível nesse tempo em que estivemos por lá!

Desde que saímos do Brasil pela primeira vez em 2009 rumo a Irlanda, sempre tive o sonho de conhecer a Suíça, principalmente Zurique (não sei ao certo porque, mas sempre vinha esse nome na cabeça), mas nos dois anos que moramos em Dublin, sempre optávamos por conhecer outros lugares, até pelo fato conhecido de que a Suíça é um país caro, e sempre adiávamos.

Até que pintou a oportunidade de fazer essa roadtrip onde seria possível passar por lá, e quer saber? 4 dias foi muito pouco e por esse motivo já adiantamos que queremos voltar acreditando que para curtir razoavelmente é necessário entre 10 a 15 dias, acho eu! risos…

ALUGUEL DO CARRO

Alugamos o carro alguns meses antes da viagem para garantir o melhor preço, pois pelo que acompanhamos, quanto mais próximo da data, mais os valores aumentavam (não que essa seja uma regra).

Fizemos tudo como sempre! Acessamos o site da RentalCars, escolhemos a categoria que melhor nos atenderia e pronto! Tudo muito simples e pratico! Sem falar que caso tenha algum problema, a RentalCars possui um call center com atendimento em português, atendimento esse que já utilizamos em algumas oportunidades para tirar duvidas!

Falando em duvida, aqui vai uma dica! Tirem todas que forem possíveis para não haverem surpresas no meio do caminho, e falamos isso, pois foi exatamente o que aconteceu quando fomos retirar o carro no aeroporto.

A companhia escolhida foi a Budget/AVIS, e claro que cada empresa possui sua política! Bom, o que aconteceu é que durante o período do nosso aluguel(13/11 a 17/12/17) e devido aos lugares que passaríamos, era obrigatório o uso de pneus de neve. (algo que não havíamos contratado no momento da locação, por falta de conhecimento e de informação) Por isso repito, tirem todas as suas duvidas!

Lá no balcão de atendimento fomos pegos de surpresa, não só pela obrigatoriedade, mas pelo valor que era maior do que havíamos pago pelo aluguel do carro. Isso mesmo! E depois de muito tempo de conversa e chororô, conseguimos que o valor fosse diminuído pela metade, o que naquela altura do campeonato era um bom negocio. Depois verifiquei no site da ReantalCars e de fato conseguimos um valor bem abaixo do que se já tivéssemos incluído os pneus quando alugamos o carro meses antes, porem, fomos obrigados a pegar um carro de categoria inferior da qual reservamos, pois não haviam carros da nossa categoria com pneus de neve disponíveis!

Resumindo… por esse motivo não teve tanto desconto assim no final das contas, e a verdade é que para não haver aborrecimentos e surpresas, o melhor é que tudo esteja correto e você esteja ciente de tudo!

Multas: Ande no limite e não faça como nós que tomamos duas multas de excesso de velocidade! Para começar, a locadora te cobra (no caso da Budget) 42 euros de taxa administrativa por multa para indicar ao órgão emissor quem era o condutor e depois vem a multa, que foi mais 102 euros cada! Veja que a brincadeira pode sair bem salgada né! Fica a dica!

ROTEIRO

Entramos na Suíça pela Basileia vindos de Colmar com destino a Zurique e até a divisa entre a França e a Suíça o tempo foi em torno de 1 hora, e na fronteira você passa em um posto fiscal onde ali é necessário comprar o pedágio (obrigatório para rodar no país) ao custo de 40 francos e valido por 90 dias!

O pedágio é um adesivo que deve ser colado no para-brisas do carro! Mas cuidado! Pare e converse com o oficial solicitando o pedágio, pois pelo que notamos, eles não ficam abordando, ou seja, muita gente passou reto. É óbvio que muitos já deveriam ter, mas se você estiver desavisado, vai passar sem e ficara vulnerável a levar multas!

A caminho de Zurique

Dica: abasteça o carro na França antes de entrar na Suiça, pois a gasolina é mais barata!

Dia – 01

Depois que entramos na Suíça pela Basileia, levamos em torno de mais uma hora até chegar em Zurique e fomos diretamente para o centro da cidade para conhecer!

Deixamos o carro estacionado bem ao lado do Rio, o que facilitou para rodar a região, mas acho que levamos sorte, pois rodamos um pouquinho até encontrar esta vaga, porem como já era de se esperar, o valor da hora para deixar o carro é pouco cara, mas quem esta na chuva é para se molhar, não é?

O centrinho é uma graça e iniciamos o nosso pequeno tour pela simpática igreja Grossmunster, um dos cartões postais da cidade, e claro, aproveitamos para agradecer! Sempre é bom né?

Igreja Grossmunster – Centro

Igreja Grossmunster

Depois descemos uma pequena ruazinha cheia de lojinhas sentido o lago de Zurique, mas antes aproveitamos para almoçar, adivinha aonde? Mac Donalds! Risos… Gente e mesmo assim é MUITO caro!

Ruazinha de descemos da Igreja até o lago

Ruazinhas no centro da cidade

Após comer o lanche mais caro da vida, fomos até a beira do lago, e ali mesmo com todo o frio que fazia existia muito calor humano e muita alegria! Vimos isso no sorriso das pessoas que circulavam pelo calçadão assim como os demais que circulavam entre uma barraquinha e outra da feirinha de natal! Nós amamos aquela vibe!

Feirinha de Natal

Calçadão

O Victor vibrava com as gaivotas que sobrevoavam e cantavam, soando como uma linda trilha sonora em nossos ouvidos! Foi mágico! Até que começamos a não sentir mais os dedos das mãos! Risos, era nosso corpo nos lembrando da realidade, e nessa altura já era hora de voltarmos para o carro, pois nosso ticket de estacionamento já estava por vencer!

Lago de Zurique

Lago de Zurique

Lago de Zurique

A verdade é que queríamos ter mais tempo para desbravar a cidade, e talvez um dia voltaremos em uma época com clima mais favorável para fazer isso!

Nossa próxima parada foi para conhecer nosso hotel, que por sua vez é uma atração a parte na cidade e que tenho certeza, poucos conhecerem! Primeiro, por sua incrível Wine Library e segundo por sua piscina aquecida que fica no topo do hotel e lhe proporciona uma das vistas mais bonitas da cidade!

Wine Library – B2 Boutique Hotel

Rooftop Pool – B2 Boutique Hotel

Veja o review que fizemos do B2 Boutique Hotel, onde ficamos curtindo o restante do nosso dia no SPA!

DIA – 02

Nosso segundo dia começou bem cedinho, pois o destino escolhido era a pequenina cidade Wasserauen, onde esta situado o famosíssimo Berggasthaus Ebenalp Hotel (motivo da viagem até lá).

Berggasthaus Ebenalp Hotel – Foto da Internet

De Zurique até Wasserauen leva-se em torno de 2 horas, mas antes passamos na cidade de Vaduz, capital do principado de Liechtenstein, ‘país’ que faz divida com a Suíça!

O tempo estava muito, mas muito chuvoso o que nos fez pensar que não seria possível conhecer o famoso hotel encravado nas pedras, e em Vaduz, aproveitamos para conhecer o Castelo de Vaduz, que para a nossa tristeza, não é aberto ao publico, pois o castelo serve como moradia da família real. De qualquer maneira foi um passeio legal, sem falar no lugar que é muito bonito!

Liechtenstein – Castelo de Vaduz

Castelo de Vaduz

Depois fomos até o centrinho da cidade que fica aos pés do castelo para comprar algumas lembrancinhas e procurar um lugar para comer, porem sem muito sucesso! As lembrancinhas conseguimos comprar, mas para almoçar tivemos que recorremos ao google!

Vaduz – Rua com lojinhas

Dica: a moeda aceita mesmo sendo outro país é o franco suíço!

Importante mencionar aqui que a Easysim4u nos salvou em diversos momentos nesses 47 dias que viajamos pela Europa, pois em todos os lugares que fomos, nunca ficamos sem internet, e por esse motivo aconselhamos contratar o plano, uma vez que é simples e descomplicado! Você desce do avião conectado!

Vaduz é uma cidade pequena sem muito o que fazer, e por esse motivo aconselhamos não perder mais do que algumas horas para conhecer!

Depois de almoçar, partimos então para o nosso destino, e nessa altura já estávamos mais animados pois em alguns pontos o azul do céu já se fazia presente!

O caminho que leva até Wasserauen é realmente espetacular e por si só já vale o tempo, e depois de quase uma hora chegamos até o teleférico Ebenalp que leva até o alto da montanha, onde é ponto de partida para uma caminhada de uns 15 minutos até o famoso hotel!

A caminho de Wasserauen

A caminho de Wasserauen

Mas foi ai que tivemos uma triste surpresa! O teleférico estava fechado! É de chorar né?

Logo, mais a frente paramos no Hotel Alpenrose, onde também funciona um bar e restaurante, o que acabou sendo nossa salvação, e ali pudemos tomar um café e tirar nossas duvidas em relação ao teleférico!

Hotel e Restaurante Alpenrose

Aquecendo o corpo e a alma

Tomar café com essa vista feia não é legal ne? :)

Nos disseram que normalmente em novembro ele fecha para manutenção! Nós até pensamos que poderia ser por causa da chuva, mas não! Enfim, foi uma falha nossa não ter corrido atrás dessa informação! Então antes de sair igual louco, feliz da vida, é bom checar no site do Ebenalp. Fica então a dica!

Nos falaram também que é possível chegar até o hotel fazendo uma trilha que dura em torno de 2 horas e que de quebra passa por um lago muito bonito, mas que devido a neve, a trilha estava fechada! No nosso caso, mesmo que estivesse aberta não faríamos, pois estávamos com o Victor, estava muito frio e nosso tempo era curto, ou seja, acredito que só no verão é possível fazer esse percurso! Acho eu!

Nosso pacotinho curtindo a neve

Wasserauen

Wasserauen

Agora só nos resta voltar um dia, né? 😉

De lá voltamos para Zurique, para se hospedar dessa vez no Ibis Zurique Adliswil, escolhido pois ele fica na saída para Lucerna, para onde iríamos no dia seguinte, por ser um dos hotéis mais baratos da cidade e por que nele há um restaurante e tudo isso facilitou muito nossa logística!

DIA – 03

Partimos cedinho para conhecer um dos lagos mais famosos da Suíça, que fica próximo da região de Interlaken, chamado de lago Blausee. O trajeto todo deveria ser de 2 horas, mas como a Suíça é repleta de lugares incríveis, fizemos diversas paradas pelo caminho, entre elas no mirante de Willkommen.

Vista da cidade de Willkommen

Mirante

Foi nesse momento que presenciamos a neve pela primeira vez na viagem, e foi quando paramos nesse mirante que a neve começou a cair, para a nossa alegria né! Ta certo, foi uma neve bem fininha, mas deu para matar a saudade dela! :)

Willkommen

Chegando no Lago Blausse, estacionamos o carro bem em frente a entrada e desci para conferir se era fácil o acesso com o carrinho de bebe e a moça me tranquilizou dizendo que sim! Não fiquei tão surpreso pois a acessibilidade na Europa é muito boa, mas claro, sempre é bom conferir!

Entrada do Lago Blausee

Pagamos se não me engano 12 francos por pessoa, e o Victor, claro, foi gratuito! Em alguns posts que havia buscado informação li a menção de que o estacionamento era pago, porem, não sei afirmar o porque, mas não pagamos nada! Talvez por causa da época do ano!

Chegando no Lago Blausee

Lago Blausee e seu verde esmeralda

Surreal a cor dessa agua

Curtir em família é mais legal

O parque é realmente surreal e ficamos encantados! A neve deixou tudo ainda mais mágico e ali ficamos admirando tudo aquilo! Demos uma volta no lago e depois fomos almoçar no restaurante que tem ali mesmo, bem em frente! Os preços? Um pouco mais caro do que se comêssemos em um restaurante fora dali, mas a fome era tanta que não pensamos duas vezes!

Restaurante em frente ao lago

Depois de almoçarmos, partimos para Grindelwald, outra cidadezinha encantadora e muito famosa pela proximidade que esta dos Alps e claro por sua beleza.

Foram mais uma hora até lá e quando estávamos chegando a neve começou a cair novamente, foi lindo! Ahhh e foi nesse momento que eu acho que o pneu de neve fez sentido quando alugamos o carro lá no inicio da viagem! risos…

Chegando em Grindelwald

Grindelwald

Grindelwald

No centrinho de Grindelwald

É óbvio que é o ideal seria ficar no mínimo uns 2 dias na cidade para sentir mesmo o clima que a cidade oferece, acordar, tomar um belo café da manha com vista, sair esquiar, visitar as lojinhas locais e tudo mais, porem como não tínhamos tempo para isso, não foi possível, mas valeu a pena mesmo assim!

Neve começando a cair

Vila de Grindelwald

Depois que voltamos de viagem é que lembramos da cidade vizinha Lauterbrunnen que é imperdível, e que não fomos, e olha que no ultimo dia ficamos sem rumo, por motivos que já vamos contar! Então fica a dica! Não percam a oportunidade!

Lauterbrunnen – Imagem da internet

De Grindelwald voltamos para Lucerna, onde ficamos no Ibis Budget Hotel. Gostamos muito, pois ao lado havia um supermercado, em frente dois restaurantes e ele ficava a 5 minutos de carro do centrinho da cidade onde fomos jantar.

O restaurante escolhido ficava em frente ao cartão postal mais famoso da cidade, a Kapellbrücke, e assim aproveitamos para conhece-la durante a noite! O Rossini é um belo restaurante italiano que serve pratos saborosíssimos no qual fez com que voltássemos para jantar novamente na noite seguinte.

 

Kapellbrücke

Ristorante Rossini

Essa Carbonara estava uma delicia

DIA – 04

Nosso ultimo dia na Suíça iniciou um pouco mais tarde (dormimos de mais! Risos…) e fomos conhecer o centrinho de Lucerna e arredores. É nessa região também que se encontra a ponte Kapellbrücke.

 

Rios Reuss que corta Lucerna

Lucerna e os Alpes

Detalhes dessa cidade linda

Mesmo com o solzinho dando o ar da graça, estava muito frio e não ficamos muito tempo ali! São nesses momentos que pensamos sobre qual a melhor época para visitar a região, na primavera ou no verão talvez pareça ser melhor, ainda mais para quem esta com bebes!

Kapellbrücke

Kapellbrücke

Kapellbrücke

Kapellbrücke

Olha carinha de feliz :)

Kapellbrücke

Partimos então para conhecer outro ponto turístico que tínhamos muita vontade. Aare Gorge! As fotos a seguir desse lugar espetacular não são nossas, e sabe porque? NÃO estava aberto também! Que raiva! Mais uma atração fechada! Então querem um conselho? Não viaje para a Suíça no mês de novembro, porque pelo que notamos, muitas coisas fecham para manutenção!

 

Aare Gorge – Foto: FlamingoTravel

Aare Gorge – Foto: FlamingoTravel

Aare Gorge – Foto: FlamingoTravel

Só não falo que foi uma hora perdida para chegar até lá porque o caminho em si é uma grande atração! Enfim, se tivéssemos lembrado de Lauterbrunnen, teríamos indo até lá. Cogitamos então de voltar em Grindelwand, mas no final como esse dia estava muito frio, resolvemos voltar para o hotel e descansar para encarar no outro dia as 6 horas de viagem até Veneza!

A dica é que vocês se programem melhor do que nós, para não terem imprevistos como estes e se tiverem, tenham em mãos já desenhado o plano B. Mesmo assim acho que alguma coisa errada sempre da! Enfim, acho que dessa forma vocês poderão maximizar melhor o tempo aproveitando muito mais a viagem! Não que não tenhamos aproveitado! Problemas acontecem em toda viagem, ainda mais em uma trip de quase dois meses! É impossível dar tudo certo não é? E cá entre nós, são esses detalhes que fazem uma viagem ser inesquecível!



ORGANIZE SUA VIAGEM

Organizando sua viagem através de nossas parcerias abaixo, você garante as melhores condições e nos ajuda a manter o blog.


 

 

Elisandro Dias e Juliane Maia
Últimos posts por Elisandro Dias e Juliane Maia (exibir todos)

Comentários