logo

Telefone: (11) 3024-9500

Natureza plena nos safaris de Botsuana | Qual Viagem Logo

3217797426_d158a28f4d_b

Natureza plena nos safaris de Botsuana

15 de janeiro de 2016

O Delta do Okavango, em Botsuana, é o único lugar para vivenciar a mais rica e diversificada vida selvagem do planeta. É um roteiro comovente, misterioso, surpreendente, inesquecível e selvagem. Conhecido também como o Pântano do Okavang, este é o maior sistema de águas interiores do mundo. O Delta é formado pelo rio Okavango, que se esvazia no grande Deserto de Kalahari, onde outrora existira um antigo lago, formando um oásis selvagem em uma paisagem agreste.

Foto por Ian Restall via Commons Wikimedia

Foto por Ian Restall via Commons Wikimedia

Botsuana é exuberante e verde, mas os desertos que estão em sua volta não o são. O coração do rio começa em Angola, onde flui através da Namíbia, um país semidesértico, onde finalmente entra na Botsuana e se torna o Delta do Okavango, que é um labirinto de lagoas, lagos e ilhas ocultas, a maioria das quais desaparecem ou frequentemente mudam de forma todos os anos por causa das enchentes anuais.

A água do Delta é surpreendentemente limpa, mesmo cristalina em determinados lugares onde os animais não pastam. Cobrindo uma área de 17.000 quilômetros quadrados, a vida selvagem é atraída para as águas como se estas fossem um ímã. Espere ver grandes manadas de elefantes brincando na água para escapar do calor do sol e hipopótamos descansando nas ilhotas verdes.

Os crocodilos se escondem nas margens do rio e em águas rasas para esperar a sua próxima refeição. Os leões preferem caçar antes das horas mais quentes do dia, seguidos de perto por hienas, enquanto que os tímidos leopardos esperam pelo chegar da noite.

Enormes manadas de zebras, gnus e búfalos percorrem as planícies de forma totalmente livre. Mais de 400 espécies de aves podem ser observadas no delta, inclusive a águia-pescadora.

A melhor época para ver animais selvagens é entre maio e outubro, quando se concentram mais ao longo das áreas alagadas, uma vez que a vegetação começa a secar no inverno. Já para os observadores de aves devem fazer a sua visita na estação chuvosa, de novembro a abril, quando as aves migratórias regressam aos seus lares.

As atividades e excursões de safári são, como é óbvio, a especialidade principal do Delta. Os tipicamente tradicionais veículos de todo o terreno (4×4) são utilizados em terra firme, sendo os passeios na reserva natural os favoritos. Os safáris a pé podem ser reservados com um guia altamente treinado e experiente. Esta é provavelmente a forma mais emocionante de conhecer a vida selvagem, através do exercício de perseguição e rastreamento.

Foto via Flickr Mazzali

Foto via Flickr Mazzali

As viagens através de Mokoro também proporcionam uma experiência única; Elas são uma espécie de canoa de madeira que flutua um pouco acima do nível da água. Dependendo da habilidade do piloto é possível ver de bem perto, hipopótamos e crocodilos.

O Delta do Okavango é o lar de muitos campos de safári e lodges de luxo. No entanto, a maioria destes não pode ser alcançada por via rodoviária, mas através de um voo fretado com saídas regulares de Maun. A Air Botswana é a única transportadora que proporciona voos para Maun, que, por sua vez, é o único meio de acesso ao Delta, e as tarifas são bem caras. O Delta continua sendo um paraíso de uma indescritível beleza, ainda intocado pelo contato humano.

Como chegar

A melhor maneira de chegar até o destino é sair do Brasil fazendo o trajeto São Paulo-Johannesburg-Maun com a South African Airways.

Onde ficar

Belmond Savute Elephant Lodge – belmondsafaris.com/web/safaris/savute_elephant_lodge

Belmond Eagle Island Camp – belmondsafaris.com

Texto por: Agência com edição de Cláudio Lacerda Oliva

Foto destaque via Flickr Tim Copeland

Comentários