logo

Telefone: (11) 3024-9500

Natal na República Tcheca | Qual Viagem Logo

Foto por IStock/ Jag_cz

Natal na República Tcheca

13 de dezembro de 2016

A República Tcheca, assim como vários países da Europa, é famosa pelos mercados e feiras que abriga no período do Natal, quando as cidades se cobrem de neve e de absoluta magia. Se você vai viajar no fim do ano para lá, não pode deixar de conhecer um deles. Antes de embaraçar, porém, fique por dentro de algumas dicas que podem ser úteis em sua viagem.

Foto por Istock/mikeinlondon

Foto por Istock/mikeinlondon

A maioria dos mercados de Natal que se celebram em Praga e em outras cidades do país, como em Olomouc e Český Krumlov, abre suas portas na última semana de novembro e permanece aberta até, pelo menos, o dia 1º de janeiro. Como charme a mais, exibem luzes coloridas e belíssima decoração natalina, além de oferecer música e ricos aromas. Por isso, é bom “ligar” os seus cinco sentidos para não perder nenhum detalhe.

Se o seu destino é a pulsante Praga, aproveite que está na cidade favorita de Mozart e não deixe de assistir os concertos e as apresentações de balé e de dança, espetáculo que também se multiplicam nas demais cidades do país. Além das casas de shows e dos teatros, você tem ainda a chance de desfrutar gratuitamente de excelentes apresentações feitas por músicos de diferentes estilos em uma simples caminhada pelas ruas centrais e nos principais pontos turísticos.

Programe-se e vá visitar os presépios que adornam diversas igrejas. Por ironia, o país onde 70% da população é composta de ateus, as igrejas e as sinagogas são uma atração à parte, quer pela beleza, quer pela importância histórica. Em Praga, muitas igrejas podem ser visitadas sem custo algum. Caso das de São Nicolau e de Nossa Senhora de Tyn.

Também não é preciso desembolsar um único centavo para conhecer a Igreja de Nossa Senhora da Glória. É lá que fica a imagem do Menino Jesus de Praga. Ela se encontra no altar lateral direito e divide o espaço com uma réplica de Nossa Senhora Aparecida, um presente do ex-presidente do Brasil, Fernando Henrique Cardoso, em uma visita ao país.

Foto por Istock/ mskorpion

Foto por Istock/ mskorpion

Construída em meados do século 13, a Sinagoga Velha Nova também merece a sua atenção. Em estilo neogótico, chamava-se originalmente “Nova” ou “Grande” Sinagoga, em oposição ao velho templo, que não foi conservado. Na mesma área fica o Velho Cemitério Judaico, com mais de 12 mil lápides que correspondem a cerca de 100 mil pessoas que ali foram sepultadas desde o século 13 até o final do século 18.

NA HORA DE COMER, as feiras de Natal são uma boa opção. Muitas delas contam com postos de comida, oferecendo tentações que vão dos deliciosos doces com mel e nozes até as receitas típicas da cozinha tcheca, baseada em molhos, batatas ou knedlíky (bolinhos de farinha de vários tipos com vários ingredientes) e carne de porco, com bastante gordura e calorias para sobreviver ao rigoroso frio do Inverno. O “Svicková na Smetaně”, por exemplo, é um dos mais tradicionais da gastronomia do país.

O prato é composto por fatias de carne assada acompanhadas por molho smetaně (muitas pessoas traduzem como creme de leite, mas é algo bem diferente, típico em muitos países eslavos). É servido com uma porção de geleia de amora e acompanhado de pão especial, o houskové kinedly. Para combater o frio, há ainda os caldos e as sopas, cujo principal ingrediente pode ser a carne ou os legumes. Entre as receitas típicas, destaque para as sopas de batata e de goulash, que é servida dentro de um pão redondo.

Foto por IStock/ PeteerS

Foto por IStock/ PeteerS

Quanto às bebidas, é impossível visitar a República Tcheca e não experimentar a cerveja. Orgulho nacional e a bebida preferida dos seus habitantes, o país conta com inúmeras cervejarias que produzem a sua própria marca, como a U Fleku, que produz a cerveja escura desde 1499, e a U Pinkasú, antiga e popular desde 1843.

Presente nas prateleiras dos barzinhos, dos restaurantes, das casas noturnas e das cervejarias (em Praga existem muitas delas), a bebida também não pode faltar em qualquer mercado de Natal que se preze. Saiba que a cerveja theca é boa e custa bem mais barato que a água. É degustada a toda hora, tanto de dia como de noite.

SE VOCÊ  É UM DOS AMANTES da bebida e puder dar uma esticada, visite a cidade de Plzen que é internacionalmente conhecida por sua cerveja vermelha, a Pilsner Urquell. Situada a menos de 100 quilômetros de Praga, Plzen se orgulha de ter produzido a primeira cerveja tipo pilsen do mundo, nos idos de 1842. Sua fábrica ainda está lá, em plena produção. É lá que é feita a Pilsner Urquell e também a Plznské Pivo.

Na República Tcheca também não deixe de experimentar o vinho quente, o grog (água quente com rum e açúcar) e o rum de mel. Além de te aquecerem do frio, essas bebidas vão deixar em seu paladar um agradável sabor de canela e especiarias que vão permanecer em sua memória para sempre. Inclua ainda em seu cardápio um cafezinho, que pode ser degustado nas feiras de Natal e nos inúmeros cafés que se espalham pelo país.

Foto por Istock/ klug-photo

Foto por Istock/ klug-photo

Nem só de cores e sabores vive a República Tcheca. O país também é mundialmente conhecido pelos delicados cristais e porcelanas que produz. Se você pretende comprar um presente, os mercados tchecos são o endereço certo. Comercializam estes e muitos outros produtos, incluindo adornos artesanais natalinos, como enfeites para a árvore de Natal elaborados em cristal, palha ou madeira.

Aliás, as opções são muitas e acho que será muito difícil você resistir e deixar de comprar um ou mais itens. Entre as tentações oferecidas pelos mercados e feiras de fim de ano, você vai “enlouquecer” ao se deparar com os caprichados presépios, toalhas de mesa com motivos natalinos, velas feitas com cera de abelha, sinos e ferraduras fabricadas no local por autênticos ferreiros da República Tcheca. E este são apenas alguns exemplos.

Feliz Natal!

Texto por: Fabíola Musarra

Foto destaque por IStock/ Jag_cz

Comentários