logo

Telefone: (11) 3024-9500

Miami e São Francisco: quando os opostos se atraem | Qual Viagem Logo

Looking down South Beach in Miami. Full view of the beach on the left and the city on the right. Beautiful blue sky on a clear day.

Miami e São Francisco: quando os opostos se atraem

29 de novembro de 2019

Quase 5 mil quilômetros separam Miami de São Francisco. Nada que pouco mais de 5 horas de voo não resolva. As cidades da Flórida e da Califórnia têm propostas bem diferentes, mas podem perfeitamente compor um rico roteiro de viagem Miami é a porta de entrada para os brasileiros nos Estados Unidos, além de ser uma velha conhecida quando o assunto é compras. Mas ela tem muito mais a oferecer. Após se reinventar, continuam em constante expansão. Suas famosas praias ensolaradas continuem em alta e hoje complementam roteiros culturais e gastronômicos. A cidade esbanja charme, é vibrante e proporciona muitas oportunidades a serem exploradas.

Já São Francisco, na Costa Oeste, é uma das metrópoles que mais recebem turistas no mundo. Erguida em meio a colinas, apresenta inúmeros atrativos e paisagens que impressionam. É conhecida internacionalmente pela vistosa ponte Golden Gate e pelos famosos e charmosos bondinhos, os Cable Cars, subindo e descendo as vertiginosas ladeiras. Mas ela também tem muito mais a oferecer. Há muita diversidade e opções para todos os tipos de visitantes – de artes e cultura, gastronomia e vinhos até possibilidades de experiências únicas de compras e passeios em parques e bairros com energias diferentes.

Difícil não se apaixonar por essas duas cidades de propostas bem diferentes, mas igualmente belas e interessantes.

Miami, um mix de experiências

A cidade não para de se reinventar e segue em expansão e com novos atrativos. As famosas praias continuam atraindo turistas, mas há um novo cenário cultural, roteiros gastronômicos, vida noturna e, claro, as vantajosas possibilidades de compras.

O tempo passa, mas Miami continua sendo a principal porta de entrada da Flórida. As famosas praias ensolaradas de Miami Beach seguem atraindo muitos visitantes. Mas o destino tem muito mais a oferecer. Nos últimos anos, um amplo processo de revitalização trouxe novos atrativos. Quem esteve por lá há cinco anos vai se surpreender. Apenas um aspecto continua intacto, o charme cativante da cidade.

Foto via iStock por Adam Goldberg Photography

Foto via iStock por Adam Goldberg Photography

Diversos bairros sofreram intervenções. A região central (Downtown Miami) ganhou modernos empreendimentos. Chefs estrelados abriram restaurantes com o melhor da gastronomia mundial em locais alternativos. A cena cultural ganhou novos espaços e museus, atraindo uma legião de artistas. E, claro, as possibilidades de compras continuam ótimas nos malls, outlets, shopping centers e lojas de grifes. Seja qual for o motivo da viagem, Miami está preparada para atender as necessidades e gostos. Vibrante como nunca, oferece um leque de possibilidades a serem exploradas. Novos points surgiram e há atrações espalhadas pelos bairros e arredores (Greater Miami). O roteiro de visitas deve incluir a renovada Downtown Miami, South Beach, Wynwood, Little Havana, Coconut Grove, Art Déco District, Bal Har­bour, Key Biscayne e Coral Gables.

Arte e cultura

Um dos símbolos da transformação artística de Mia­mi, o Wynwood Arts District era um bairro degra­dado, abandonado e perigoso. Hoje transpira arte e atrai muitos visitantes. As paredes pichadas dos ve­lhos armazéns deram lugar a obras de artistas urba­nos de diversas partes do mundo, inclusive dos brasi­leiros Kobra, Sipros e Os Gêmeos. Além das paredes grafitadas, está repleto de galerias, museus, ateliês e teatros. A principal atração é o Whynwood Walls, onde todos os segundos sábados de cada mês acon­tece o Art & Design Walk, evento com arte, música, performances e food trucks.

Foto via iStock por felixmizioznikov

Foto via iStock por felixmizioznikov

Downtown Miami também ganhou novos atrativos. Programa interessante por lá é visitar o Arsht Center for the Performing Arts, um centro cultural moderno que recebe espetáculos da Broadway e shows.

Atualmente, o Museu de Ciência Phillip e Patricia Frost é considerado um dos mais sofisticados e tec­nológicos dos Estados Unidos. Tem 23 mil m2 onde estão um aquário de três andares e um planetário de última geração. Outras interessantes opções são o Pérez Art Museum Miami (PAMM), que é dedicado à arte internacional dos séculos 20 e 21; o Museu e Jardins de Vizcaya, com 50 hectares de área e ex­posições de arte contemporânea; o Instituto de Arte Contemporânea (ICA Miami), no Design District; e o Arte Moderna (MOCA), em South Beach.

Gastronomia

A transformação de Miami trouxe muitos restau­rantes comandados por jovens chefs que promovem verdadeiras experiências culinárias. A mistura étnica da cidade mescla sabores regionais e tropicais com os típicos pratos americanos. A maior influência é a cubana, principalmente em Little Havana.

Foto via iStock por romrodinka

Foto via iStock por romrodinka

A viagem gastronômica fica evidenciada nos cardá­pios dos restaurantes. Eles mostram a diversidade de culturas através de pratos da culinária internacional e, principalmente, latino-americana.

Compras

Miami tem desde lojas-conceito e boutiques de luxo até os megashoppings, malls e outlets. Oferece opções para todos os bolsos. Um dos mais antigos points é o Bayside Marketplace, localizado em frente à Baía Bis­cayne. Tem mais de 150 lojas e pequenos quiosques que vendem camisetas, artesanato, souvenirs e bijute­rias. Também abriga um Hard Rock Café e restaurantes de frutos do mar, carnes e de cozinha latina.

Em South Beach, a Lincoln Road é um dos pontos mais concorridos. Ao longo da luxuosa avenida estão lojas de varejo nacionais e boutiques alternativas de estilistas locais. Já na região Sul de Miami a rua mais famosa é a Ocean Drive, parada obrigatória no rotei­ro de compras na cidade. Mas se o foco for roupas e acessórios de grife, o lugar é o Collins Avenue Fashion District e suas lojas de prestigiadas marcas.

Foto via iStock por felixmizioznikov

Foto via iStock por felixmizioznikov

Nos bairros e nas cidades vizinhas também estão bons locais para as compras, entre eles, o Mary Bric­kell Village (Downtown Miami), CocoWalk (Coconut Grove), Shops at Sunset Place (South Miami) e o Villa­ge of Merrick Park (Coral Gables). Outras boas possi­bilidades de compras são o Miami International Mall, o Dadeland Mall, o Bal Harbour Shops e o Dolphin Mall, onde estão outlets como Calvin Klein Factory Outlet, Last Call by Neiman Marcus, Saks Fifth Avenue Off 5th, Tommy Hilfiger.

Aventura Mall

Ponto de referência em Miami e parte da diversida­de de estilos e culturas da cidade. Mais que um shopping center, o Aventura Mall proporciona experiên­cias singulares para quem busca atrações culturais e gosta de lançar tendências.

Com arquitetura vanguardista, oferece, além das inú­meras possibilidades de compras, opções gastronômi­cas ecléticas, 24 salas de cinema, playground interativo Rainbow Valley e até uma coleção de arte moderna de excelência. Uma nova e dinâmica ala de três andares proporciona vistas panorâmicas excepcionais.

Foto via iStock por felixmizioznikov

Foto via iStock por felixmizioznikov

O Aventura Mall conta com lojas de renomadas mar­cas internacionais como Gucci, Louis Vuitton, Cartier, Fendi, Givenchy, Burberry, Tiffany & Co. e Rolex. É an­corado por lojas de departamento como Nordstrom, Bloomingdale’s e Macy’s. Tem, ainda, outras 300 lojas, incluindo Adidas, Anthropologie, H&M, Micro­soft, Sephora e uma Zara de dois andares.

Ainda em 2019, receberá novas lojas das marcas Madewell, Farm Rio, Messika, M Missoni, Free People e uma expansão da boutique Carolina Herrera. Além disso, queridinhas da internet como Good American, Warby Parker e Fabletics sairão do mundo digital e terão boutiques físicas.

Apple Store – A recém transferida loja de dois an­dares da Apple criou um amplo espaço verde e dis­plays com o que há de mais moderno em tecnologia. O teto abobadado e ondulado oferece um toque de sustentabilidade, captando a água das chuvas. No Arvoredo dos Gênios os visitantes se divertem com gadgets em um tranquilo jardim. Também podem aprender uma nova habilidade no imponente anfi­teatro e aprimorar-se nos eventos gratuitos.

Foto via iStock por felixmizioznikov

Foto via iStock por felixmizioznikov

Gastronomia – Com mais de 50 restaurantes e lan­chonetes, os visitantes podem deleitar-se com a co­zinha de várias partes do mundo. Lá estão CVI.CHE 105, Pubbelly Sushi, Genuine Pizza, Tap 42 Craft Kitchen + Bar, Serafina Miami, Le Pain Quotidien, The Cheesecake Factory, Grande Lux Cafe, Ample Hills Creamery e International Smoke. O Treats Food Hall, no terceiro andar da ala ampliada, abriga Shake Shack, Chicken Guy! by Guy Fieri, Figs Pizza + Pasta Bar by Todd English (o primeiro de Miami), Chipot­le, Zuuk Mediterranean Kitchen, Luke’s Lobster, Poké 305 e outros.

O Aventura Mall abre de segunda à sábado, das 10h às 21h30, e aos domingos, das 12h às 20h.

Informações: aventuramall.com

Hospedagem

Destino cosmopolita, a cidade atrai visitantes do mundo inteiro. Sofisticados e modernos hotéis foram inaugurados nos últimos anos. Miami e Miami Beach oferecem desde hotéis boutique até resorts de luxo. Entre as boas opções de hospedagem destacamos dois empreendimentos com a bandeira Hard Rock administrados pela RCD Hotels: o Eden Roc e o Nobu.

Hard Rock Eden Roc Miami Beach Resort – Contemporâneo e inovador, é uma representação fiel de tudo o que é Miami Beach, mas com uma pitada de espontaneidade. Combina o glamour tropical de Miami e décadas de estilo incomparável. Localizado na Collins Avenue, possui 415 apartamentos e suítes espaçosas com grandes varandas com vistas privile­giadas para o mar ou para o horizonte da cidade.

Seus espaços interiores foram projetados para privile­giar o relaxamento dos hóspedes. Oferece um ambien­te moderno e confortável com design contemporâneo. Tem três piscinas, cabanas à beira-mar, SPA com tra­tamentos e serviços diferenciados, um bar icônico no lobby e mais de 6,5 mil m² de espaço para eventos. Nos seus restaurantes premiados a cozinha está sob o comando da chef Helene Henderson, que oferece o frescor da fazenda à mesa. Já o chef executivo Thomas Buckley criou um menu de serviço de quarto baseado em sabores locais e disponível 24 horas por dia.

Informações: edenrochotelmiami.com

Hard Rock Nobu Miami Beach – Ao lado do Eden Roc, oferece o equilíbrio perfeito entre luxo, diversão, artesanato e teatro. Com 206 quartos e suítes, mescla a arquitetura moderna de Miami com uma interpre­tação intuitiva do estilo de assinatura do chef Nobu. David Rockwell inspirou-se na arquitetura oriental e na localização à beira-mar do hotel para evocar uma casa de praia japonesa contemporânea.

A nova culinária oriental conhecida em todo o mun­do está presente. O dia começa com um café da ma­nhã na cama. No almoço, desfrute das especialida­des orgânicas da fazenda. Antes de jantar no famoso Nobu Miami, tome um coquetel artesanal no bar.

O bem-estar holístico é a chave para a experiência do Hard Rock Nobu Hotel Miami Beach. O SPA e a academia inspiram uma renovação personalizada. As aulas diárias de fitness são gratuitas. Se preferir, exer­cite-se na privacidade do quarto com um tapete de ioga disponível em todas as suítes.

Informações: nobuhotelmiamibeach.com

São Francisco: decifre e devore

Tremenda metrópole, a cidade foi palco de furacões culturais e comportamentais. No norte da Califórnia, emoldurada pela ponte Gol­den Gate e dentro de uma baía voltada para o Ocea­no Pacífico, São Francisco é uma das metrópoles mais cênicas e visitadas nos Estados Unidos.

Ultracosmopolita de passado vitoriano, a cidade foi, ao longo de sua história, epicentro de um turbilhão de acontecimentos, berço da literatura “beatnik”, do movimento hippie e segue uma referência mundial para viajantes de todo o mundo.

Na sua área próxima ao mar, antigos píeres remode­lados pela arquitetura contemporânea abrigam uma imensa variedade de atrações turísticas.

Foto via iStock por batuhanozdel

Foto via iStock por batuhanozdel

Já na parte alta e assentada sobre colinas, a Union Square, praça que marca seu aceso centro comercial, estão lojas de marcas sofisticadas e os antigos bairros populares repletos de restaurantes étnicos, caso de Chinatown e Little Italy.

Entre ambas, bondinhos puxados a cabo, os Cable Cars, passam zunindo e tilintando.

Descubra nesta matéria os principais marcos desta cidade que tem pouco mais de 800 mil habitantes e recebe 18 milhões de visitantes anualmente.

A metrópole do “Golden State”

São Francisco nasceu Yerba Buena, uma pacata vila fundada por espanhóis, em 1776. Em 1845, lá viviam cerca de 800 pessoas. Mas, com a Corrida do Ouro, a partir de 1848, a cidade se transformou num im­portante ponto de apoio às multidões de caçadores de fortuna. Nessa época, o Estado da Califórnia passa a ser chamado de “Golden State” e São Francisco viu seu perfil urbano se transformar.

Foto via iStock por ventdusud

Foto via iStock por ventdusud

Sacudida por um terremoto e por um grande incên­dio, em 1906, a então já vibrante metrópole foi to­talmente remodelada em 1915, quando hospedou a Expo Panamá-Pacífico, que recebeu 20 milhões de visitantes. Muitas de suas casas, prédios históricos e dos píeres são dessa época e, por volta de 1920, São Francisco já era um importante centro financeiro e de mídia norte-americano.

Cable Car e Píer 39

Para trafegar entre a região dos píeres e a parte alta da cidade, o bondinho Cable Car segue como a gran­de pedida. Concebido pelo engenheiro Alexander Halliday nos idos de 1873 para evitar que os cavalos sofressem maus-tratos, esse transporte pitoresco é operado das 6h30 da manhã até a meia-noite e com­preende duas linhas principais: a Powell-Hyde, cujo ponto final é a praça Union Square; e a Powell-Ma­son, que parte da colina Nob Hill e faz a volta Fisher­man’s Wharf, o antigo píer de pescadores hoje trans­formado numa divertida sala de visitas da cidade.

Foto via iStock por AndreyKrav

Foto via iStock por AndreyKrav

A pé, a dica é começar visitando o Píer 39, lar de sonolentos leões-marinhos e sede de diversos restau­rantes populares que servem coquetéis, sopas e san­duíches de caranguejo “dungeness” e de camarão. Por lá, a padaria Boudin, cujo pão “sourdough”, de casca grosso e saboroso, foi criado na época da Cor­rida do Ouro por um padeiro francês.

Ainda em Fisherman’s Wharf, o shopping Ghirar­delli, antiga fábrica de chocolates aberta em 1852, é outro convite ao pecado da gula.

Para explorar a baía de barco, o píer 43 e 1/2 oferece passeios narrados que chegam próximos de atrações como a ponte Golden Gate, inaugurada em 1937, e a antiga ilha-prisão de Alcatraz, que teve o gângster Al Capone entre seus “hóspedes” ilustres.

Mais adiante, o imponente píer da Ferry Building, em Embarcadero, cuja torre do relógio data de 1903. Ferry Building é ponto de partida de barcos que visi­tam Oakland e sede de restaurantes elegantes e de mercadinhos que vendem frutas, cogumelos, geleias, azeites, vinhos, queijos e ainda ostras, crustáceos e frutos do mar.

Union Square e Chinatown

Praça mais importante de São Francisco, a Union Square é rodeada por megalojas da Apple e da joalhe­ria Tiffany’s e por grandes lojas como Bloomingdales, Macy’s, Nordstrom e Saks Fifth Avenue, onde são ven­didos produtos de marcas como Armani, Prada, Gucci, Burberry, Adidas, Levi’s, Marc Jacobs e Ralph Lauren.

No centro da praça, o monumento Dewey, uma co­luna encimada por uma deusa da Vitória, foi inaugu­rado pelo presidente Roosevelt em 1903 e resistiu a um turbilhão de terremotos reais e comportamentais.

Ao redor da praça, hotéis elegantes das principais redes norte-americanas e internacionais se misturam a bares e restaurantes populares.

Entre Union Square e o Distrito Financeiro, a livraria e editora City Lights, em 261 Columbus Ave., remete à cultura pop. Ela foi inaugurada em 1953 pelo poe­ta Lawrence Ferlinghetti e deu origem ao movimento literário Beat, formado por escritores como Jack Ke­rouac e Allen Ginsberg.

Foto via iStock por heyengel

Foto via iStock por heyengel

Na região, avista-se a moderna torre comercial Tran­samerica Pyramid, projeto do arquiteto norte-ameri­cano William Pereira que, com 48 andares e 260 me­tros de altura, foi um dos maiores arranha-céus do mundo ao ser inaugurado em 1972.

Ao lado, o bairro Chinatown é lar de 15 mil sino-americanos e, marcada por grafittis, tem comércio ultravariado, por mercadinhos de produtos exóticos chineses e restaurantes típicos.

Grandes museus

Para quem tem fome de arte, o SFMOMA, sigla em inglês do Museu de Arte Moderna de São Francisco, cujo prédio principal, em 151 3rd St., foi projetado pelo suíço Mario Botta, em 1995, no Yerba Buena Gardens, encerra uma enorme coleção de pinturas de artistas como Frida Khalo e Diego Rivera, esculturas de Jeff Koons e mostras de fotografias contemporâneas.

Foto via iStock por ben-bryant

Foto via iStock por ben-bryant

Outro grande centro contemporâneo de cultura e conhecimento, a California Accademy of Sciences, concebida pelo arquiteto italiano Renzo Piano em meio ao luxuriante parque Golden Gate, organiza mostras interativas em seu aquário e tem até uma estufa com plantas, pássaros, peixes e borboletas que recria o ambiente da selva Amazônica.

Texto por Tino Simões e Silvio Cioffi

Imagem Destacada via iStock por ULora

Comentários