logo

Telefone: (11) 3024-9500

Inverno nevado na América do Sul: Argentina e Chile | Qual Viagem Logo

Foto por Emprotur Bariloche

Inverno nevado na América do Sul: Argentina e Chile

14 de julho de 2017

É ao longo da Cordilheira dos Andes que Argen­tina e Chile guardam os principais destinos de inverno da América do Sul. Estações de esqui em belos picos nevados, vilarejos cheios de charme, águas termais e ótimos vinhos e gastronomia são só alguns dos tesouros encontrados nos cenários monta­nhosos desses dois países.

A proximidade com o Brasil e os preços bem mais atraentes do que a Europa ou os Estados Unidos fa­zem de destinos como a Patagônia e a Terra do Fogo ótimas opções para uma viagem de inverno. Com iní­cio entre meados de junho e o começo de julho, a alta temporada no sul da Argentina e do Chile promete lindas paisagens, diversão para todos os gostos e, é claro, muita neve.

Foto por Istock/ Eric_Schroeder

Foto por Istock/ Eric_Schroeder

Argentina

Da Cordilheira de Mendoza ao “fim do mundo”, a Ar­gentina tem ótimos destinos de inverno em seis provín­cias diferentes, oito centros de esqui e mais de dez par­ques de neve. Isso sem contar as cidades charmosas com clima de montanha, alguns dos picos mais altos da Amé­rica e lindas paisagens naturais com lagos e florestas.

Os esportes de inverno costumam ser os grandes des­taques da temporada, que vai geralmente do final de junho a setembro. Porém, para quem prefere não se aventurar na neve, há muito mais o que fazer por lá na estação mais fria do ano. Opções diversas de compras, gastronomia e ecoturismo não faltam no roteiro de inverno na Argentina.

Além da famosa Bariloche, o país guarda outros tan­tos destinos perfeitos para curtir o frio e todos os seus atrativos. Descubra aqui alguns dos melhores:

Bariloche e o noroeste da Patagônia

Não dá para falar de inverno na Argentina sem falar de Bariloche. Muito popular entre os brasileiros, essa cidade encravada entre lagos e montanhas oferece um pouco de tudo: atividades na neve, esportes radicais, compras, vida noturna e gastronomia. Não longe da área central de Bariloche fica o Cerro Catedral, um dos maiores centros de esqui da América do Sul, com 600 hectares de área esquiável e 120 km de pistas, além de uma estrutura completa. Aberto o ano todo, tem ainda 34 meios de elevação, como teleféricos e bondinhos, que levam os turistas a quase 2.000 metros de altitude. As vistas que se tem lá do alto já valem o passeio.

Foto por Emprotur Bariloche

Foto por Emprotur Bariloche

Já o teleférico que leva ao topo do Cerro Otto fica a apenas 5 km do centro de Bariloche. Lá, a 1.405 metros acima do nível do mar, você vai encontrar a famosa confeitaria giratória da cidade. Mas não é só isso: as encostas do Cerro Otto formam um verdadeiro complexo turístico. Há pistas de trenó, tirolesa, circuito de arvorismo e um centro de esqui nórdico.

É perto do Lago Nahuel Huapi onde está o agito de Bariloche. O coração da cidade fica em torno do Centro Cívico e da Rua Mitre, repleta de lojas, restaurantes, casas de chá, bares, hotéis e muito mais. As cervejarias artesanais e as chocolaterias estão entre os estabelecimentos mais tradicionais de Bariloche, que é conhecida como a capital argentina do chocolate.

Foto por Emprotur Bariloche

Foto por Emprotur Bariloche

Villa La Angostura e Bariloche ficam às margens do mesmo lago, porém em províncias diferentes. A gran­de diferença entre as duas cidades é que La Angostura é mais tranquila e exclusiva. É o lugar ideal para uma viagem romântica a dois, com restaurantes de alta gas­tronomia, pousadas charmosas e hotéis de luxo com vistas exuberantes. Também é ponto estratégico para conhecer as belezas naturais da região. A área do por­to, por exemplo, é porta de entrada para o belo Parque Nacional Los Arrayanes, caracterizado pelas árvores de troncos alaranjados.

Para quem quer praticar esportes na neve, o Cerro Bayo fica a menos de 10 km de Villa La Angostura. Assim como o vilarejo em que se encontra, esse cen­tro de esqui é sofisticado e bem menos movimentado. Sua infraestrutura é de primeira qualidade, com ser­viços personalizados, atividades para crianças e escola de esqui e snowboard. Há 25 pistas em 280 hectares de superfície esquiável, além de 16 meios de elevação.

Também localizada no noroeste da Patagônia argen­tina, a pequena San Martín de los Andes é um típico vilarejo de montanha, com simpáticas construções de madeira e pedra. Isso sem contar o cenário natural – a cidade é cercada por bosques, um parque nacional, o Lago Lácar (onde é possível fazer passeios de barco) e, é claro, imponentes montanhas.

Quem está em San Martín de los Andes também pode curtir o centro de esqui do Cerro Chapelco, que fica a cerca de 20 km do centro da cidade. Seguindo o mesmo clima charmoso de San Martín, oferece 28 pistas esquiáveis e todo o tipo de atividades na neve.

Neve garantida na Terra do Fogo

Foto por Istock/ MSPOLI

Foto por Istock/ MSPOLI

Cidade no fim do mundo, porta de entrada para a Antártida e dona da mais extensa temporada de neve da América do Sul. Esses são alguns dos títulos de Ushuaia, destino mais austral da Terra do Fogo, sul da Patagônia, e, portanto, de todo o continente ame­ricano. Nem precisa dizer que por lá a neve é garanti­da durante o inverno, mesmo em altitudes um pouco mais baixas.

O cume do Cerro Castor, centro de esqui a apenas 25 km de Ushuaia, fica a 1.000 metros acima do nível do mar. A estação oferece um “snowpark”, restaurantes e 31 pistas de esqui e snowboard. A mesma rodovia que leva ao Cerro Castor abriga quase uma dezena de outros parques de neve. Além do esqui, é possível fazer uma série de atividades de inverno em Ushuaia, como passeios de trenó e em motos de neve, ou até mesmo navegar pelo Canal Beagle, onde vivem lobos mari­nhos, pinguins e outros animais incríveis.

Ushuaia é cercada de paisagens naturais deslumbran­tes, mas o centro da cidade também reserva alguns atrativos. Não deixe de reservar um tempo para fazer compras, já que Ushuaia é zona livre de impostos.

Mendoza: frio e esqui na terra do vinho

Foto por Istock/ ribeirorocha

Foto por Istock/ ribeirorocha

Os destinos de inverno na Argentina não se resumem apenas à Patagônia. No centro-oeste do país, a provín­cia de Mendoza guarda duas importantes estações de esqui – Las Leñas e Penitentes –, ambas localizadas a mais de 2.000 metros de altitude.

A primeira é um verdadeiro complexo turístico, com vários hotéis, restaurantes de alta gastronomia, lojas, SPA, entretenimento noturno, 30 pistas de esqui e uma enorme área esquiável. Bem tradicional e reconhecida internacionalmente, Las Leñas fica a 370 km da cidade de Mendoza e próxima a Malargüe.

Já Penitentes está a 180 km da capital da província. Outro ponto de referência que não pode passar des­percebido é o Monte Aconcágua, o ponto mais alto da América, localizado a apenas 25 km do centro de es­qui. Uma viagem a qualquer uma dessas estações não está completa sem uma visita às vinícolas de Mendoza. São mais de mil delas para escolher.

Chile

Foto por Divulgação/ Corralco

Foto por Divulgação/ Corralco

Quando falamos em inverno na América do Sul, é impossível não pensar na paisagem nevada do Chile. Das famosas estações de esqui até o ambiente inóspito da Patagônia chilena, o país possui atrativos diversos para quem gosta de sentir frio de verdade.

O destino vem fazendo a cabeça dos brasileiros na temporada de inverno e não é à toa. A combinação de neve, bons vinhos e cenários deslumbrantes encanta os milhares de turistas que lotam os hotéis, estações de esqui e as principais cidades do país especialmente em julho. Se você é daqueles que preferem curtir o destino com mais calma, a dica é ir em agosto, quan­do as temperaturas ainda estão baixas e os atrativos ficam mais acessíveis.

Com temperaturas médias girando em torno dos 4°C nessa estação, o Chile é o lugar certo para apreciar o branco da neve contrastando com o azul do céu e ain­da encontrar diversas atrações para se divertir. Entre os destaques do inverno estão:

Esqui: aventura na neve

A paisagem gélida e branca é quase um convite para os turistas apreciarem uma das atrações mais famo­sas do país: o esqui. Tanto os iniciantes quanto os já acostumados a deslizarem no gelo encontram no Chile estações de esqui com estrutura completa e curvas de tirar o fôlego.

O mais conhecido, com certeza, é o Valle Nevado. Localizado a cerca de 60 km da capital Santiago, a par­tir do aeroporto, a estação possui mais de 40 pistas para esqui ou snowboard e 16 teleféricos em sua es­trutura. Além de restaurantes, pubs e bares que fazem a alegria do après-ski – ou seja, o que vem depois de um dia de esqui.

Foto por Divulgação/ Valle Nevado

Foto por Divulgação/ Valle Nevado

Cercado pela fascinante Cordilheira dos Andes, o lu­gar está a mais de 3.000 metros de altitude e é a mais alta das estações. A estação conta também com três hotéis: Tres Puntas, Puerta del Sol e Valle Nevado, res­pectivamente divididos em três, quatro e cinco estrelas.

Ao sul do Chile, dentro do Parque Nacional Malal­cahuello e em meio a um bosque de araucárias mile­nares, encontra-se o charmoso Corralco Resort de Montaña. Na base do Vulcão Lonquimay, o hotel é a mais nova e exclusiva opção para esquiar da região.

A neve, considerada a melhor do hemisfério sul, existe em abundância durante toda a temporada nas 29 pistas e fora delas para os amantes de “back country”. Com média de 9,6 metros de neve ao ano, Corralco dispõe da temporada mais longa do país, de junho a outubro.

Após um longo dia de diversão na montanha, o re­sort recebe os hóspedes com serviços como o Spa, um oásis com vista para o Vulcão Lonquimay, dispondo de academia equipada, piscina climatizada, sauna, jacuzzi e tratamentos revigorantes.

Em Chillán, na região de Bio Bio, no sul do Chile, é possível desfrutar de uma variedade de pistas (sem importar se você é esquiador novato ou experiente) como Las Tres Marías (13 km), a pista mais extensa da América do Sul, que inclui o teleférico mais comprido. Escolha entre múltiplas opções, como snowpark (tobo­gã de neve), circuitos para motos de neve, heli-esqui e terrenos fora de pista.

Foto por Divulgação/ Alto Nevados

Foto por Divulgação/ Alto Nevados

Considerado o mais importante centro de esqui do sul do Chile, Nevados de Chillán oferece a possiblidade de aproveitar toda a adrenalina do esqui em seus mais de 35 km de pistas e acessar facilmente muitas fontes termais. Com excelente qualidade de neve, conta com dois ski resorts (Nevados e Valle Hermoso), dois hotéis (Nevados e Alto Nevados), oito piscinas termais (sen­do uma coberta), três Spas para estética, relaxamento e saúde, além de cafeterias, bares, restaurantes e um completo programa de entretenimento que une aven­tura, esporte e natureza.

A pouco mais de duas horas de Santiago, a estação de esqui Portillo oferece uma estrutura de 34 pistas para todos os níveis de esquiadores e snowboarders, 14 meios de elevação e uma ampla área fora de pista. Para hospedagem, são três opções: o hotel Portillo e os lodges Octagon e Inca.

Ideal para as famílias, o lugar oferece programações para que crianças, jovens e adultos curtam juntos ou então separadamente, com atividades pensadas exclu­sivamente para cada idade.

Foto por IStock/ TIFONIMAGES

Foto por IStock/ TIFONIMAGES

Vinhos, uma delícia que esquenta

Agora, se os esportes de neve não te animam, talvez você prefira se aventurar no mundo do enoturismo. Não é novidade a qualidade dos vinhos chilenos e a beleza de suas principais vinícolas.

Os férteis vales situados entre a cordilheira e o mar são cenário ideal para o cultivo de uvas que dão vida a alguns dos melhores vinhos do mundo. Experimente novos sabo­res, aromas e cores com uma taça na mão e brinde con­templando desde o alto a grandeza das plantações que são parte da cultura e identidade do território chileno.

As principais vinícolas do país estão espalhadas princi­palmente pelas regiões de Maipo, Colchagua, Casablan­ca e Central, todas a menos de 200 km de Santiago.

Uma visita à Rota dos Vinhos não pode deixar de con­tar com passeios guiados pelas produções e incansá­veis degustações. Destaque para as vinícolas: Concha y Toro, Santa Cruz, Santa Carolina e Casa Marin.

Além disso, esse roteiro inclui passeios por museus e lugares que contam toda a rica história e as lendas do vinho chileno. Que tal passar um fim de tarde de inverno apreciando uma bela paisagem com uma taça de vinho na mão?

Relaxe nas águas termais

Foto por VISITCHILE.COM.BR

Foto por VISITCHILE.COM.BR

Outro atrativo que chama a atenção dos brasileiros que visitam o Chile nessa época de frio são as águas termais. Espalhadas nos quatro cantos do país, as mornas águas termais são perfeitas para um momento de relax durante sua viagem. Consideradas fontes instantâneas de juven­tude, elas dão benefícios tanto estéticos como físicos.

Se o que você procura é recarregar energias, termas pró­ximas a San Pedro de Atacama deixarão seu corpo total­mente relaxado graças a suas águas ricas em magnésio. Enquanto na zona central, os diversos centros termais são um verdadeiro paraíso onde, além disso, poderá de­leitar-se com uma oferta gastronômica de alta qualidade.

No sul do Chile, o Parque de Águas Termais é um centro termal e recreativo. Possui quatro piscinas ter­mais ao ar livre – águas provenientes diretamente da montanha e cada piscina oferece diferentes tamanhos e temperaturas que variam dos 27°C até os 65°C. Con­ta também com salas abertas para sauna a vapor em meio a uma paisagem singular.

Como chegar

Argentina

Há voos diretos para Buenos Aires, com saídas de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, via Gol (voegol.com.br), LATAM (latam.com) e Aerolíneas Ar­gentinas (aerolineas.com.ar). A partir da capital argentina, siga para seu destino final de avião com LATAM ou Aerolíneas Argentinas. Como novidade para a tem­porada de inverno 2017, a Azul (voea­zul.com.br) e a LATAM anunciaram voos diretos entre São Paulo e Bariloche.

Chile

A melhor forma de entrar no Chile para desbravar os roteiros de inverno é por Santiago, afinal, tanto as principais es­tações de esqui quanto as vinícolas estão próximas da capital. Gol (voegol.com.br) e LATAM (latam.com) são as principais companhias que fazem o trecho. Já no país, é importante tomar cuidado com a neve e as curvas da estrada, por­tanto, se o turista não tem experiência nesse tipo de direção, vale contratar um pacote com transporte.

Onde ficar

Argentina

BARILOCHE
PENINSULA PETIT HOTEL
LLAO LLAO HOTEL & RESORT

VILLA LA ANGOSTURA
DON EL FARO BOUTIQUE HOTEL & SPA
LA POSADA HOSTERÍA & SPA

SAN MARTÍN DE LOS ANDES
ROTUI APART HOTEL 
LA POSTA DEL CAZADOR

USHUAIA
ARAKUR USHUAIA RESORT & SPA
LOS CAUQUENES 

LAS LEÑAS
LAS LEÑAS

PENITENTES
PENITENTES

Chile

SANTIAGO
CASASUR CHARMING HOTEL
CARMENERE ECO HOTEL

VALLE NEVADO
VALLE NEVADO

CHILLÁN
NEVADOS DE CHILLÁN

PORTILLO
SKI PORTILLO

CORRALCO
VALLE CORRALCO HOTEL & SPA

Texto por: Eliria Buso e Patrícia Chemin

Foto destaque por Emprotur Bariloche

Confira a matéria na íntegra, com serviços de onde comer, pacotes turísticos e outras dicas na edição digital de julho 2017. Ou acesse pelo app gratuíto, que está disponível nas lojas do IOS ou Android.

Comentários