logo

Telefone: (11) 3024-9500

Ilha Norte da Nova Zelândia: 7 lugares essenciais | Qual Viagem Logo

Leda De Luca em uma tribo maori na Ilha Norte d Nova Zelândia

Ilha Norte da Nova Zelândia: 7 lugares essenciais

20 de setembro de 2019

Vinte e duas horas de avião foi o tempo que eu levei para descobrir os encantos da Ilha Norte da Nova Zelândia – pequeno país da Oceania, separado em duas Ilhas (Norte e Sul). Entre paisagens exuberantes e uma população adepta às aventuras, vivenciei experiências únicas na minha vida. Afinal, não é em qualquer país que é possível visitar uma tribo Maori, conhecer o set de gravações da trilogia do Senhor dos Anéis, fazer passeios em cavernas fluorescentes, chegar perto de gêiseres e comprar a melhor lã do mundo.

+ As melhores atrações da Ilha Norte da Nova Zelândia

Leda De Luca em uma tribo maori

Aprendendo a espantar os inimigos com os maoris

Lugares essenciais da Ilha Norte da Nova Zelândia

Apesar da Ilha Sul da Nova Zelândia ser um dos destinos preferidos pelos praticantes de esportes radicais, é na Ilha Norte que se concentra a maior parte da população. Auckland, por exemplo, é a maior cidade do país (com quase 1,5 milhão de habitantes). Ela tem um visual bem urbano, com prédios altos, extensas avenidas e uma grande área comercial, mas também não esconde o estilo de vida diurno de seus habitantes, que se interessam por atividades ao ar livre.

Auckland também é conhecida como a “Cidade das Velas”, e as suas marinas são lotadas com as embarcações, pois os neozelandeses, realmente, apreciam esportes náuticos.

vista panorâmica de Auckland

Vista panorâmica de Auckland

Enquanto o horário biológico se ajusta ao da Nova Zelândia, as refeições poderão apresentar outra imersão cultural ao país: a paixão por kiwi. Assim como o chileno gosta de abacate, o neozelandês aprecia o kiwi. Experimentei a fruta em hambúrguer, biscoito e até em guloseimas vendidas em supermercados.

+ Conheça a história da Andreia, brasileira que mudou para a Nova Zelândia com filhos pequenos, sem conhecer o país

1) Prince´s Wharf e os vulcões nas proximidades

Assim, tomando um sorvete de kiwi, descobri o Prince´s Wharf, um cais comercial na orla de Auckland. Por lá, obtive a informação de que era possível pegar um ferry boat para conhecer ilhas próximas, como a Rangitoto, por exemplo, onde há um impressionante vulcão.

Vulcão ao fundo de uma praia

Vulcão ao fundo, durante um passeio pela praia

2) Sky Tower

Alguns destes detalhes de Auckland são até possíveis observar da Sky Tower, torre de comunicação com 328 metros de altura. Nela há um restaurante giratório no topo que, cuidadosamente, consegue mostrar diferentes pontos da cidade durante uma refeição mais demorada.

Tribo Maori, gêiseres e novas descobertas em Rotorua

Rotorua foi o meu primeiro ponto de parada após sair de Auckland. A quase 250 km de distância, notei, assim que entrei na cidade, uma fumaça saindo do fundo de várias casas e um aroma diferente no ar. O meu guia, então, me esclareceu que o gás era de enxofre e proveniente de piscinas naturais com água quente, devido às atividades dos gêiseres da região.

Como a cidade está localizada em um dos principais campos geotermais do mundo, a população pode usufruir de lamas para tratamentos de beleza e águas com propriedades medicinais até mesmo dentro de casa (se as condições dos terrenos permitirem).

3) Parque Termal de Te Puia

O que é hábito para a população, atrai muitos turistas do mundo todo porque, além dos spas com tratamentos exclusivos, há o parque termal de Te Puia (onde os visitantes podem ver os jatos de água quente sendo expelidos com força das rochas). Atrações realmente imperdíveis!

4) Tribo Maori

Outras particularidades da região também foram reveladas quando resolvi jantar em uma tribo Maori. Fui recebida com uma típica dança Haka (como boas-vindas e ao mesmo tempo para me intimidar), assim como fazem os jogadores da seleção neozelandesa de rúgbi, também conhecida como All Blacks, uma das mais importantes do mundo.

Nesta noite, descobri que as tatuagens tribais nos corpos dos homens revelam as suas histórias de vida e que, quanto mais tatuagens tiverem em seus rostos, maior as suas hierarquias no grupo. Foi muito prazeroso vê-los preparando os nossos alimentos. A comida estava deliciosa e a experiência foi culturalmente riquíssima.

5) As ovelhas e a melhor lã do mundo em Agrodome

Ao seguir a minha viagem para outros cantos da Ilha Norte da Nova Zelândia, ainda resolvi passar em Agrodome, uma fazenda de ovelhas lindíssima. Lá tive a oportunidade de alimentá-las, pegar os filhotes no colo e conhecer mais sobre o processo de produção da melhor lã do mundo – Romney e Merino. Saí de lá feliz pelo imenso cuidado que a equipe tem com os animais e também pelas boas compras que fiz.

Experiência com as ovelhas de Agrodome

Experiências com as ovelhas de Agrodome

Já fora de Roturua, me surpreendi com outros dois lugares fabulosos: Waitomo Caves (a caverna lotada de vagalumes) e Hobbinton Movie (set a céu aberto dos filmes Senhor dos Anéis e dos The Robbit).

6) Waitomo Caves

Waitomo é um dos principais pontos turísticos da Nova Zelândia e é considerado como “sagrado” para muitos. No local, há cavernas com mais de 30 milhões de anos, povoadas naturalmente por imensos grupos de vagalumes.

Como é raro encontrar um local com estas características, uma visita faz absoluto sentido para qualquer um que viaja pelo país. Nas cavernas, há vários tipos de atividades recreativas, inclusive rafting.

7) Hobbiton Movie, em Matamata

Hobbiton Movie Set (na região da pequena cidade de Matamata) foi o local onde importantes cenas das trilogias Senhor dos Anéis e The Hobbit foram gravadas.

+ Dicas para lidar com a mão inglesa e dirigir na Nova Zelândia

A história resumida mostra que o set deveria ter permanecido ativo apenas durante a gravação do Senhor dos Anéis, contudo, com o sucesso do primeiro filme, as pessoas passaram a se interessar mais pelas paisagens da Ilha Norte da Nova Zelândia. Então, a estrutura foi ganhando corpo ao longo dos anos e melhorada definitivamente com a chegada da trilogia The Robbit.

Durante a visita pelo set, há a opção de realizar o tour com ou sem guia. A primeira opção inclui uma pessoa que dá informações específicas sobre as gravações dos filmes.

Já a segunda, o visitante conhece todo o espaço por conta própria. Independente da escolha, vale a pena se perder pelos campos gramados, tirar belas fotos e até mesmo fazer um pic-nic em um dos espaços apropriados para refeições.

Set do Senho dos Anéis e The Robbit

Set do Senho dos Anéis e The Robbit

Dicas especiais para aproveitar ainda mais a viagem

  • O mel da Nova Zelândia tem propriedades medicinais e, segundo os nativos, aumenta a resistência das pessoas às doenças. Em suas embalagens, geralmente, tem um sinal de mais (+) na tampa, indicando o nível de propriedades medicinais. Quanto maior a presença dos sinais, mais medicinal é e, consequentemente, mais caro também.
  • Dá para fazer um tour de moto de um dia por toda a Ilha Norte da Nova Zelândia. O passeio garante paradas para hidratação e fotos, além da presença de guias.
  • Na Sky Tower de Auckland dá para vivenciar experiências radicais, como saltar da torre (Sky jump) ou andar na plataforma, por fora do vidro de proteção (Sky Walk).
  • A Nova Zelândia é famosa por seus vinhos de alta qualidade. Dentre as especialidades, estão: Chardonnay, Cabernet Sauvignon, Sauvignon Blanc e Pinot Noir.

Curiosidades sobre a Nova Zelândia

  • Kiwi também é um pássaro que não voa e tem hábitos noturnos. É um e símbolo nacional da Nova Zelândia.
  • Somente existem gêiseres em 5 lugares do mundo: Estados Unidos (que concentra a maior quantidade deles), Nova Zelândia, Islândia, Chile e Rússia.
  • Para dizer olá em Maori, diga “Kia ora”. Para dizer até logo, diga “Ka kite anō”. Ih, complicou… “Ka kite anō”!

Também vale a pena conferir pela Oceania

Guia de viagens gratuito em Sydney: melhores atrações, cangurus e compras

10 motivos para conhecer as Blue Mountains

As melhores experiências gastronômicas na Nova Zelândia

 

Ares do Mundo

Por Leda De Luca, fundadora e editora em Ares do Mundo
Ares do Mundo é um canal sobre turismo de luxo, cultura e lifestyle, fundado por Leda De Luca, premiada publicitária e colunista aqui na Revista Qual Viagem.

A editora, apaixonada pelas estrelas do céu e a de hotéis, morou em 4 países e teve a oportunidade de viajar, estudar e trabalhar em muitos outros.
Hoje, ela ajuda os seus leitores a fazerem viagens com mais conforto (sem necessariamente pagar mais por isso) e explorarem a essência de destinos diversos, sem passar por “perrengues”.

Em Ares do Mundo há guias completos e gratuitos de viagem para diversos destinos, além de dicas valiosas e cupons de desconto para diferentes tipos de serviço de viagens.

Há também matérias completas sobre onde fazer as melhores compras no Brasil e exterior, gastronomia internacional (para você aprender a fazer em casa os pratos que degusta em outros destinos) e depoimentos de celebridades viajantes.

Acesse aresdomundo.com e conheça mais sobre este universo especialmente desenhado para viajantes que desejam aproveitar ao máximo as suas viagens!

Como encontrar Ares do Mundo nas redes sociais:

> Facebook: https://www.facebook.com/aresdomundo/

> Instagram: https://www.instagram.com/aresdomundo/

> Pinterest: https://br.pinterest.com/aresdomundo/

> Trip Advisor: https://www.tripadvisor.com.br/Profile/aresdomundo
Ares do Mundo

Últimos posts por Ares do Mundo (exibir todos)

Comentários