logo

Telefone: (11) 3024-9500

Estrasburgo, a capital dos "winstubs" alsacianos | Qual Viagem Logo

unnamed-1

Estrasburgo, a capital dos “winstubs” alsacianos

9 de março de 2018

Falassem as pedras, muito teriam a contar aquelas utilizadas nos idos de 1260, para a construção da fantástica Catedral Gótica de Estrasburgo – cidade alsaciana localizada às margens do Reno, na divisa com a Alemanha, que mesmo sendo francesa, é impossível não se fazer lembrar de alguns traços alemães. Ancestrais de pousadas e bares de vinho, os acolhedores “winstubs” refletem a tradição gastronômica e de hospitalidade alsacianas, desde sempre presentes em Estrasburgo.

Nos dias atuais, aqueles que visitarem a bela Estrasburgo poderão vivenciar a experiência das consagradas comemorações alsacianas, em especial, no bairro La Petite France, famoso ponto turístico com casas em estilo enxaimel – antiga técnica de construção –, debruçadas sobre as águas dos inúmeros canais que atravessam este recanto singular.  Além dos winstubsbons restaurantes e brasseries serão encontrados.

Em Estrasburgo, os winstubs alsacianos – ancestrais de pousadas e bares de vinho datam do início da construção da Catedral Gótica, em 1262. Hoje, são restaurantes nos quais o acolhimento é a atmosfera que prevalece. Geralmente, o pé direito da construção é baixo – o que contribui para a sensação de intimidade. A decoração é rústica, composta por objetos que fazem parte do cotidiano alsaciano; as mesas de madeira, no geral, são cobertas por toalhas de tecido em xadrez vermelho; e os preços, razoáveis.

Um winstub alsaciano serve especialidades regionais que se destaca pela gastronomia nessa parte da França. Alguns exemplos: sauerkraut (repolho fermentado, com diferentes complementos); baeckeoffe (mistura de carne bovina, de ovelha e de porco, marinada em vinho branco, levemente cozida juntamente com batatas e cebolas); bretzel (ou pretzel, tipo de pão em formato de nó, doce ou salgado); tarte flambée (fina massa coberta com bacon, creme de nata e cebola, cozida ao forno de lenha, semelhante à pizza). Outra iguaria servida nos winstubs é o kougelhopf, bolo que pode ser doce – com passas ao rum, para saborear na sobremesa; ou salgado – com bacon e nozes, para aperitivo.

“Winstub” alsaciano

A Alsácia é considerada uma das regiões vinícolas francesas da maior excelência, principalmente na produção de vinhos brancos originados das variedades de uvas Riesling, Sylvaner e Gewürztraminer. Contudo, ali também são produzidos tintos famosos, como os originados da Pinot Noir, considerada a uva de cultivo mais difícil, fonte de origem dos vinhos tidos como os mais elegantes do mundo, e também do champanhe. Além do que a região alsaciana é responsável pela maior produção de cervejas francesas.

unnamed

Foto por Divulgação

Além da gastronomia

Estrasburgo também encanta pelas ruas, canais, centros históricos e igrejas. O passeio pode começar pela Notre Dame de Estrasburgo, a Catedral de uma torre só. Com uma subida de 332 degraus, encontra-se uma vista panorâmica da cidade, que é de tirar o folêgo. Próximo a igreja, fica o Palácio de Rohan, onde está abrigado três museus: o arqueológico, o de belas artes e o de artes decorativas.

A cidade é cortada por diversas pontes, rios e canais, e é possível sentar nos banquinhos próximos e admirar as belas paisagens, tão como as casinhas de madeira.  A aposta ideal é caminhar e curtir a paisagem diversa da cidade de Estrasburgo.

Como chegar

As companhias aéreas internacionais – Air France, KLM, Latam, Lufthansa, Swiss Air e outras operam voos a partir das cidades de São Paulo, Porto Alegre, Recife, Brasília e outras principais capitais brasileiras. Trata-se de voos com uma e até três conexões. Na média, a duração da viagem aérea desde o Brasil até Estrasburgo é de 25 horas, terminando no Aeroporto Internacional da cidade, distante 10 km do centro urbano.

Outra forma é voar até Paris (a duração do voo é de 11 horas, na média), e a partir da Gare de l’Este (conectada com o Aeroporto Charles de Gaulle) embarcar no Trem de Alta Velocidade (TGV). Nas saídas diretas, a duração da viagem por trem de alta velocidade até Estrasburgo é de 2h20min. Uma terceira opção é voar até Zurique, Suíça (duração média de 11h20min), a partir de onde inicia o pacote para um cruzeiro fluvial da navegadora Avalon Waterways pelo Rio Reno, com parada e passeio em Estrasburgo – incluída no preço do pacote, como os demais passeios (Lucerna, Breisach/Floresta Negra, Heidelberg, Mainz, Rüdesheim, Garganta do Reno, Koblenz, Colônia e, ao final, Amsterdã). Inclui ainda todas as refeições a bordo, vinhos e cervejas no almoço e jantar.

Cruzeiro fluvial

O pacote do cruzeiro fluvial da Avalon inicia com chegada a Zurique, traslado imediato para Lucerna e aqui, dois pernoites em hotel; traslado para a Basileia, aonde ocorre o embarque no navio – na verdade, um hotel flutuante que proporciona o conforto de viajar por cidades de vários países com a bagagem acomodada sempre na mesma suíte. A saída a 27 de julho é customizada, exclusiva para brasileiros, com atendimento totalmente em português (desde Zurique, a bordo do navio e durante os passeios em nove cidades ao longo do Reno). Para esta saída customizada da Avalon Waterways, a XQ Viagens Especiais tem um pacote a partir de US$ 4.310,00, que inclui acompanhante brasileiro desde a saída do Brasil, bilhete aéreo, seguro de viagem e de cancelamento; e permite parcelamento.

Mais informações em: xq.tur.br

Texto por: Agência com edição de Carolina Berlato

Foto destaque por: Divulgação

Comentários