logo

Telefone: (11) 3024-9500

Escócia: entre cores e tradições | Qual Viagem Logo

Foto por Istock/ alice-photo

Escócia: entre cores e tradições

10 de março de 2017

Escócia tem área de 78.772 km² e sua única fronteira terrestre é com a Inglaterra. No mais, o país está localizado entre o Oceano Atlântico, a oeste, e o Mar do Norte, a leste, onde estão as maiores reservas de petróleo da União Europeia. Pertencente ao Reino Unido – união formada por Inglaterra, Irlanda do Norte e País de Gales, Escócia teve sua manutenção no bloco ameaçada por um referendo em 2014, mas a separação foi rejeitada com 55% dos votos. Curiosamente, a Escócia se distingue dos demais membros do Reino Unido graças às suas instituições jurídicas, educacionais e religiosas, que garantem a manutenção da própria cultura desde a união do bloco, em 1707.

FOTO: ISTOCK.COM / KIT_LEONG

FOTO: ISTOCK.COM / KIT_LEONG

O país possui traços culturais bem característicos, como o kilt – vestimenta masculina de flanela em forma de saiote com vários tipos de quadriculados que identificam cada clã ou família. Embora não seja comum usar o kilt todo dia, em Edimburgo é sempre possível encontrar alguém fazendo uso da vestimenta e tocando gaita de fole, um dos símbolos da Escócia. O instrumento, associado às batalhas na Idade Média, era usado para motivar os guerreiros escoceses. Há muitas dessas apresentações em estações de trem, ou próximas a pontos turísticos da cidade: ruas ao redor da bela Catedral de St Giles na esquina da Princess Street com a Waverley Station e até bandas inteiras na The Mound – local da Royal Scottish Academy e da National Gallery of Scotland. Também é comum assistir as apresentações em períodos de festivais, em geral, nos meses de agosto e dezembro, na Grassmarket e na Rose Street. Outro aspecto curioso desse país é sua gigante malha ferroviária: mais de 300 trens circulam por boa parte da Escócia e levam a lugares deslumbrantes, cheios de natureza, lagos enevoados e castelos seculares. Deixe-se conduzir nessa aventura por imponentes áreas montanhosas, navegar por rios e lagos, caminhar à beira das praias e viver histórias contadas em castelos medievais.

Conheça algumas dessas características em duas grandes cidades escocesas: Edimburgo e Glasgow.

Edimburgo – festival de opções 

A capital escocesa, Edimburgo, é o principal centro financeiro da Europa. Além do setor de serviços agrícolas e têxtil, a cidade se destaca na produção de uísque, entre outras bebidas. Há muito que se fazer. No verão, por exemplo, o Festival de Edimburgo – um dos mais importantes do planeta, recebe visitantes do mundo inteiro. Há apresentações de teatro, dança, cinema, música, literatura e até de bandas militares. São mais de 2,5 mil eventos. Também chamada de “A Atenas do Norte“, Edimburgo é reconhecida por ter sido o centro do Iluminismo Escocês do século 18, período que tornou a Escócia numa das potências comerciais, intelectuais e industriais da Europa. A arquitetura neoclássica da New Town (cidade nova) se contrasta com a medieval Old Town (cidade velha). A cidade oferece uma série de atrações e pontos deslumbrantes. De parques e monumentos a edifícios históricos, Edimburgo proporciona visitas a incríveis castelos medievais e palácios imponentes, além de museus pra lá de interessantes. Algumas boas dicas:

FOTO: ISTOCK.COM / LEONID ANDRONOV

FOTO: ISTOCK.COM / LEONID ANDRONOV

Castelo de Edimburgo 

Há diversos castelos na Escócia, mas o de Edimburgo é um dos pontos mais simbólicos do país. O edifício real foi erguido sobre a Castle Rock – rocha de origem vulcânica localizada bem no alto da cidade. Não há precisão de data, porém, acredita se que o ponto turístico mais importante da capital do país tenha se iniciado em 1093. Cerca de 50 anos depois o castelo se tornou a fortaleza no reinado de David I (1142-53). Houve muitas reformas ao longo do tempo, mesmo assim, o Castelo de Edimburgo é o local mais visitado por turistas: cerca de um milhão de visitas anuais. Há diversos edifícios e salas diferentes, como o National War Museum, The Regimental Museum, St Margeret’s Chapel, The Royal Palace, The Great Hall, The Scottish National War Memorial e Military Prision, além de uma incrível coleção de joias da coroa escocesa, a espada e o Cetro mais antigos da Europa, além da chamada Pedra do Destino – assento de coroação dos reis da Escócia.

Military Tattoo 

Todos os anos, durante três semanas no mês de agosto, o surpreendente Edinburgh Military Tattoo ocorre na esplanada, praça localizada em frente ao Portão de Armas do castelo de Edimburgo. A grande parada militar existe há 56 anos e utiliza gaitas e tambores dos regimentos escoceses. Embora o evento seja de cunho militar, o complexo formato do Tattoo é desenvolvido também por artistas convidados de todo o mundo e atinge seu ápice durante a noite, quando a gaita executa um pibroch em memória aos soldados mortos. Em média, cerca de 217.000 pessoas acompanham pelo mundo o military Tattoo. Um espetáculo à parte.

Calton Hill

O Calton Hill é, na verdade, um morro na área central de Edimburgo. Nele foram construidos edifícios imponentes, de onde se pode avistar um lindo pôr do sol. Ali estão belíssimos monumentos históricos, a inacabada acrópole (Monumento Nacional da Escócia), o Nelson Monument, o Dulgald Stewart Monument e o observatório da cidade.

Do alto do morro se avista a costa e as contrastantes arquiteturas da “cidade nova” e da “cidade antiga”.

National Museum of Scotland 

No National Museum of Scotland (Museu Nacional da Escócia), em Edimburgo, as exposições, em geral, tratam de temas como ciência, tecnologia, biologia e história. Um dos mais importantes museus do Reino Unido, o amplo local, com vários andares, garante horas de descontração para adultos e crianças.

Além da ovelha Dolly, mamífero clonado a partir de células de um animal adulto, há diversas exposições permanentes, como as da história da Escócia; arte e design, cultura, a descoberta do Novo Mundo, além de salas do Antigo Egito, Animal World e a Grand Gallery.

Royal Botanic Garden 

O Royal Botanic Garden (Jardim Botânico Real) de Edimburgo foi fundado no século 17. Um dos mais populares pontos turísticos de Edimburgo, o local é destinado a pesquisas e também de apreciação de diversas espécies de plantas, árvores e flores, jardins. Há também pássaros e esquilos, enfim, a área é ideal para passeios (um dos mais belos da cidade). O Rock Garden, o Chine Hillside e as belas “glasshouses” recriam ambientes de diversas partes do mundo e agrupam várias espécies de plantas.

FOTO: ©ISTOCK.COM / ALBERTPEGO

FOTO: ©ISTOCK.COM / ALBERTPEGO

George Street

Paralela à Princes Street, uma das principais ruas de compras da cidade, a George Street, em New Town, tem a marcante presença de sua arquitetura neoclássica. É também ótimo ponto de compras, onde se encontram marcas de sucesso no Reino Unido e no mundo.

O Scott Monument 

Sir Walter Scott, escritor escocês, tem um monumento de cerca de 60m de altura erguido em sua homenagem na Princes Street, uma das principais ruas de compra de Edimburgo. Para alcançar o topo da torre gótica é preciso subir cerca de quase 300 degraus. Do alto, se tem a incrível vista panorâmica da cidade e paisagens de tirar o fôlego.

Glasgow – vibrante e moderna 

Glasgow é a maior e uma das cidades mais industrializadas da Escócia. É cheia de atrativos turísticos: diversas opções de pubs, restaurantes e inusitados locais de passeio

FOTO: ISTOCK.COM / MARTIN MCCARTHY

FOTO: ISTOCK.COM / MARTIN MCCARTHY

Glasgow mistura museus e galerias internacionalmente aclamados, bela arquitetura, vibrante vida noturna e lojas fantásticas. Há muito que se ver nessa linda cidade. A começar pela riqueza de seu patrimônio cultural, belos parques e jardins, impressionantes edifícios históricos, lindos rios e canais por onde navegam navios altos e elegantes, modernos centros de ciência e um diversificado leque de restaurantes e bares.

A elegante Glasgow é universalmente reconhecida como um dos melhores e mais amigáveis destinos do Reino Unido. Sua excelente estrutura viária e pontos interessantes como o George Square, a Catedral, a Galeria de Arte Moderna e as pontes ao longo do Rio Clyde energizam a cidade durante todo o ano. Produções artísticas de ponta atraem eventos de alto padrão. Glasgow foi coroada em 1990 como Capital Europeia da Cultura e cidade de Arquitetura e Design do Reino Unido. A região central abriga inúmeras estruturas de estilo vitoriano, além de obras-primas de um dos filhos mais famosos da cidade, o lendário arquiteto e designer Charles Rennie Mackintosh.

George Square 

A estação central histórica mais movimentada de Glasgow tem ao seu entorno uma sucessão de ruas que levam ao George Square, no centro da cidade. Ao longo do caminho, lojas exclusivas, restaurantes e estabelecimentos de bebidas, edifícios lindamente ornamentados, museus, galerias de arte e estátuas. Um lugar maravilhoso para explorar e desfrutar.

A partir do centro da cidade, uma boa caminhada de 2,5 quilômetros poderá levar o turista a conhecer algumas áreas tranquilas, cheia de patrimônios históricos e de vários restaurantes no Mercado do Comerciante. Na George Square há uma torre solitária, um jardim medieval, um surpreendente cemitério vitoriano e uma inspiradora catedral do século 12.

Coleção de arte moderna de Glasgow 

A GoMA, a galeria de arte de arte moderna mais visitada da Escócia, está localizada no coração de Glasgow, na Royal Exchange Square. Ao longo do ano, o espaço abriga uma série de exposições. A GoMA coleta e empresta obras que destacam os interesses, influências e métodos de trabalho compartilhados por artistas internacionais. É também o centro de coleção de arte moderna de Glasgow. A biblioteca de GoMA tem extensa coleção de livros de design, próprio para passar as horas, bem como café e acesso à Internet.

FOTO: ISTOCK.COM / STEPHBROWN08

FOTO: ISTOCK.COM / STEPHBROWN08

Cruzeiro no Clyde

O mundialmente famoso Rio Clyde pode render um dia intenso de recordação em Glasgow. Os passeios fluviais levam o turista a explorar o rio e conhecer algumas das principais atrações do centro da cidade. O bilhete de um dia de City Cruise permite embarque e desembarque para visitas no Glasgow Science Centre, no Museu Riverside e no Centro Comercial Braehead. No convés ou em cabines confortáveis, o turista ouvirá durante o relaxante passeio a história da relação de Glasgow com o Rio Clyde. Um maneira interessante de se obter uma nova perspectiva a cidade.

Glasgow Science Centre 

O Glasgow Science Centre abriga centenas de exposições interativas. O planetário local reproduz a orientação das estrelas num dos maiores telões da Escócia. Há também teatro, loja e um grande café. O Glasgow Science Centre foi elaborado para surpreender o visitante e oferecer um dia de muitas diversões.

Uísque – o verdadeiro espírito da Escócia 

FOTO: ISTOCK.COM / CHRISTIAN MUELLER

FOTO: ISTOCK.COM / CHRISTIAN MUELLER

A Malt Whisky Trail é uma trilha de condução única aos maltes mundialmente famosos, destilarias distintas e uma tanoaria privilegiada entre os bosques e vales da Escócia 

Um bom uísque escocês depende desde a qualidade da fonte da água ao uso de diversos componentes que influenciam seu sabor. A Rota do Uísque Escocês leva o turista a desfrutar de marcas famosas e compartilhar de segredos bem guardados em suas destilarias. Em cada região há sempre bares bem abastecidos e simpáticos pubs. Toda destilaria escocesa segue suas próprias tradições, lendas e receitas, desde a maltagem à cevada. As características únicas de cada uísque resultam em sabores deliciosos. Os visitantes recebem amostras do produto acabado e alguns lugares incluem informativos e degustação, além do aprendizado sobre a complexa arte de misturar uísque e malte. A Escócia possui cinco regiões produtoras da bebida maltada. Campbeltown, Highland, Islay, Planície e Speyside. Nelas, centenas de destilarias compõem a Rota do Uísque. Conheça as características de cada uma dessas cinco. E quando for para lá, não se esqueça de ter um motorista à disposição.

Campbeltown 

Em seu auge, a pequena cidade portuária de Kintyre tinha mais de 30 destilarias e o apelido de “capital mundial do uísque”. Em 1800, Campbeltown prosperava, em grande parte, graças ao movimentado porto. Mas a enorme demanda pôs fim à qualidade da bebida. Embora a cidade seja a menor produtora de uísque da Escócia, com apenas três destilarias, a singularidade de seus maltes remanescentes fideliza os mais devotos apreciadores da bebida.

Speyside

Metade de todas as destilarias escocesas fica em Speyside. A maior região produtora de uísque escocês chama a atenção pela qualidade de seus maltes, em geral, elegantes e complexos, frequentemente frutados, variando de peras maduras para sultanas.

FOTO: ISTOCK.COM / MOONMEISTER

FOTO: ISTOCK.COM / MOONMEISTER

Speyside, nome originado do rio Spey, é o lar de algumas das mais belas e exuberantes paisagens da Escócia e o centro da Rota do Uísque. Localizado nas montanhas mágicas, a leste de Inverness, a região possui cerca de 50 destilarias, algumas com histórias distintas, estilos e gosto. Os visitantes podem ter uma visão real sobre a ciência e a arte das destilarias, cujas habilidades permaneceram quase inalteradas por centenas de anos.

Terras Altas 

A região de Highland, a maior área geográfica de uísque na Escócia, possui 41 destilarias. Os uísques produzidos ali não são fáceis de categorizar, mas, em geral, são tidos como robustos e encorpados. Os produzidos em Dalwhinnie são surpreendentemente delicados. A água que corre por entre as rochas da montanha vulcânica das Highlands é uma das mais puras da Escócia.

Planície 

Milhas e milhas de terras agrícolas e florestas. A Lowlands é uma das regiões mais charmosas e acessíveis de uísque na Escócia. Abrangendo Edimburgo, Glasgow e Fife, o clima ameno e a terra plana se tornam ideal para o cultivo de cevada. Os uísques unpeated são conhecidos por suas notas gramíneas doces e estilo suave.

As excelentes ligações de transportes nas terras baixas facilitam o deslocamento para quem deseja aprender sobre a criação de single malts em uma destilaria artesanal, ou mesmo para visitas em destilarias já estabelecidas há muito tempo.

Islay 

Mesmo com apenas 25 milhas de comprimento, Islay, na costa oeste da Escócia, tem sido coroada como a “terra do uísque” escocês. Suas baías rochosas e enseadas abrigam oito destilarias, a maioria do século 17. Segundo a lenda, os monges foram os primeiros a trazer a arte de uísque destilado da Irlanda e teriam considerado Islay como a região ideal para destilar uísque graças à abundância de turfa, água nascente e cevada.

A turfa distingue os maltes de Islay das demais regiões: são pungentes, poderosos e característicos. Os single malts de Islay são famosos por seu smokiness com notas fracas de ar marítimo e algas marinhas.

FOTO: ISTOCK.COM / JAIMEPHARR

FOTO: ISTOCK.COM / JAIMEPHARR

O lendário Lago Ness 

Existem inúmeros lagos pela Escócia de vistas deslumbrantes, onde são feitos passeios de barco e de pedalinhos. Mas nenhum deles ganhou fama comparável ao folclórico Lago Ness. Seus 37 quilômetros de comprimento, situado nas montanhas Highland, ao norte da Escócia, guardam histórias de supostas aparições do terrível monstro chamado de “Nesse”. No entanto, o imenso lago atrai mais pelo folclore do que pela constatação da existência do tal monstro. O passeio de barco começa no charmoso vilarejo de Fort Augustus e dura, em média, 40 minutos. Caso o monstro não resolva aparecer, o turista pode ainda aproveitar o passeio e conhecer outro vilarejo na proximidade, o Drumnadrochit, onde ocorrem ocasionalmente apresentações teatrais das obras de Willian Shakespeare, ou vários campos de golfe, o castelo medieval de Uquhart e o de Eilean Donam, onde foi filmada a cena inicial do filme “Highlander”.

Como chegar

Várias empresas aéreas têm voos diretos do Brasil para Londres (Royal Air Maroc, Air Europa, Ethiopian, Aeromexico, entre outras). A LATAM tem conexão com a British Airlines até Edimburgo. Há também opções de viagem de trem de Londres até Edimburgo (a cada 21 minutos). A duração, em média, é de cinco horas.

Informações: raileurope.com.brgoeuro.pt / raileurope.com.br 

Onde ficar

GLASGOW

Dakota Deluxe Glasgow

Hampton by Hilton Glasgow Central

ibis styles Glasgow Centre George Square

EDIMBURGO

The Chester Residence

The Raeburn

Premier Inn Edinburgh City Centre (York Place)

Onde comer

GLASGOW

Chaakoo Bombay Cafe

Singl-end Cafe and Bakehouse

Dakota Bar & Grill

EDIMBURGO
The Table

Forage & Chatter

The Walnut

Texto por: Pedro Teixeira

Foto destaque por Istock/ alice-photo

Comentários