logo

Telefone: (11) 3024-9500

Deserto do Atacama: Experiência que transforma Logo

Foto por Istock/Skouatroulio

Deserto do Atacama: Experiência que transforma

14 de junho de 2016

A pacata cidade de San Pedro de Atacama, na região de Antofagasta, tem pouco mais de 3 mil habitantes e vive praticamente do artesanato e do turismo. É o ponto de partida e chegada dos passeios pelo deserto. 


Se você é do tipo que adora luxo e acha que viajar é sinônimo de compras, melhor escolher outro destino. Mas, se gosta de aventura e estar em sintonia com a natureza, o lugar certo é o incrível Deserto do Atacama, no Chile. Não à toa é um dos lugares mais visitados do mundo.

Foto por Istock/ filipefrazao

Foto por Istock/ filipefrazao

E não é exagero afirmar que ele é diferente de tudo o que existe em outras partes do planeta. Seus cenários únicos e exóticos hipnotizam e atraem viajantes de todas as partes e idades. É comum ver jovens mochileiros misturados com senhores de cabelos grisalhos.

Em comum a mesma motivação. E a inspiração para a viagem são as mais diversas: fotografia, astronomia, pesquisa ou apenas a oportunidade de estar em contato com um lugar diferente e transformador. Você deve estar se perguntando, mas o que tem por lá de tão incomum e impressionante?

A resposta: vulcões, dunas, lagos, montanhas – algumas nevadas-, penhascos, rios, salares, gêiseres, formações rochosas deslumbrantes e um céu incrivelmente estrelado como você nunca viu igual. Tudo isso em uma área com cerca de mil quilômetros de extensão localizada entre o norte do Chile até a fronteira com o Peru. É o deserto mais alto – 2,4 mil metros de altitude – e mais árido do mundo, pois chove muito pouco na região.

Mas para curtir tantas belezas naturais o turista antes tem que enfrentar a sorache, o temido mal da altitude. Os sintomas variam de pessoa para pessoa e os mais comuns são dor de cabeça, náusea, tontura, ânsia de vomito, cansaço e falta de ar. Até pequenas caminhadas provocam sensações desagradáveis. Uma dica importante é deixar as atividades que exijam maior esforço físico e visitas a lugares com altitudes mais elevadas para o final da viagem, quando o organismo já estará aclimatado ao ambiente. O clima absurdamente seco também pede muita água. Ande sempre com uma garrafinha na mochila.

E o oásis desse intrigante deserto atende pelo nome de San Pedro de Atacama, a principal cidade e base para a legião de visitantes que anualmente passa pela região de Antofagasta, que tem pouco mais de 3 mil habitantes. Simples, mas charmosa, tem casas construídas com adobe, uma mistura de barro, palha e outras fibras naturais muito eficiente para manter o interior sempre fresco. Por suas pequenas ruas de terra por onde passam poucos veículos, circulam viajantes falando inúmeros idiomas, motociclistas com jaquetas empoeiradas, fotógrafos carregando equipamentos sofisticados, cientistas, pesquisadores, astrônomos e pessoas em busca de aventura. Além dos bares, restaurantes, pequenas lojinhas e agências vendendo passeios pela região, a cidade não tem muitas atrações.

Foto por Istock/ Roger De Marfà

Foto por Istock/ Roger De Marfà

Na verdade tem duas, o Museu Arqueológico Gustavo Le Paige e a igreja San Pedro. O museu mostra a história dos moradores do deserto através de um acervo que reúne objetos de cerâmica, tecidos e outros artefatos. Há visitas guiadas em espanhol, inglês e francês. A pequena igreja colonial, construída no século 16, com paredes de adobe, está bem no centro da cidade. A entrada é gratuita. San Pedro de Atacama é o ponto inicial e de chegada dos vários passeios turísticos pelo deserto.

Onde ficar

São Pedro conta com as melhores opções de hospedagem do Atacama.Além de concentrar os hotéis, pousadas e albergues, é de lá que em geral partem os passeios das agências para as atrações turísticas do deserto. As opções incluem hospedagem de alto nível, mas o mais comum por lá são os lugares mais simples.

Hotel Terrantai

terrantai.com

Altiplánico

altiplanico.cl

Texto por: Toni Simões

Foto destaque por Isotkc/ Skouatroulio

Comentários