logo

Telefone: (11) 3024-9500

Cresce a obrigatoriedade de seguro viagem para turismo internacional | Qual Viagem Logo

istock-639318992

Cresce a obrigatoriedade de seguro viagem para turismo internacional

11 de junho de 2018

Após a exigência ser estabelecida por países europeus, além de Cuba e Venezuela, agora é a vez do Equador passar a demandar o seguro viagem para os turistas que desejarem transitar pelo seu território. Essa obrigatoriedade está se tornando uma tendência mundial, uma vez que a preocupação com o aumento dos gastos com despesas médicas que os turistas possam ter está cada vez mais despertando a atenção dos governantes. A fim de auxiliar os viajantes a não terem surpresas desagradáveis ao chegar a um novo país, Alexandre Camargo, Country Manager para o Brasil da ASSIST CARD, líder mundial dedicada ao oferecimento de assistência integral ao viajante, destaca algumas dicas.

“É preciso muita atenção antes de embarcar. Cada país possui uma exigência e por isso é fundamental manter-se atualizado para não ser surpreendido ou até mesmo não conseguir completar a sua viagem. Além disso, também vale fazer uma busca sobre o preço de despesas hospitalares, que são muito altas em alguns países. Independentemente da obrigatoriedade, um seguro viagem pode ser essencial para que você tenha assistência caso um imprevisto aconteça”, destaca o executivo.

Países que exigem o seguro viagem obrigatório

O mais recente país a exigir o seguro viagem é o Equador. A obrigatoriedade foi estabelecida em fevereiro de 2018, de acordo com a Lei Orgânica da Mobilidade Humana, que estabelece que qualquer pessoa que entre no país tenha um seguro de saúde público ou privado durante a estadia. Os demais destinos que exigem o seguro são: Cuba, Dubai, Rússia, Argélia, Irã e os países que fazem parte do Tratado de Schengen – um acordo assinado por alguns membros da Comunidade Europeia que estabelece a livre circulação dos visitantes, de modo que a apresentação do passaporte nas fronteiras dos países não seja obrigatória. Porém, não basta apenas a contratação do seguro, já que alguns países exigem uma quantia mínima de cobertura. Nos países do Tratado de Schengen, por exemplo, é necessária uma cobertura de, no mínimo, 30 mil euros.

“Percebemos que a consciência sobre a importância do seguro está crescendo. Os nossos passageiros estão cada vez mais preocupados não apenas com o aumento das exigências, como também com os elevados custos que podem vir a ter caso algo inesperado aconteça”, revela Camargo. Essa preocupação também está impactando diretamente o aumento da contratação dos seguros anuais – que prometem ser uma tendência dos próximos anos. Esse produto é valido para o mundo inteiro, durantes os 365 dias do ano, o que facilita a organização de quem viaja, já que não precisará ter preocupação com a contratação ao longo do ano. A ASSIST CARD apresentou um crescimento de 122% na compra desse produto em janeiro desse ano, em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Documentações exigidas

Além do seguro viagem, também existem outros pontos que devem ser analisados antes do embarque. Muitos destinos da América do Sul não exigem a apresentação de passaporte, porém ele é o documento oficial para, praticamente, todos os lugares do mundo. É fundamental não se esquecer de colocar este item em sua bagagem. Não se esqueça também de verificar o seu prazo de validade, visto que deve estar ativo até, no mínimo, o retorno do passageiro ao país de origem. Outro ponto que é preciso ficar atento é em relação à exigência do visto para a entrada no país, mesmo se for apenas para uma escala. Em conexões nos EUA, por exemplo, a apresentação do visto americano é obrigatória.

Vacinas

Alguns países também exigem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), que comprova a vacinação contra diversas doenças, entre elas a febre amarela. O documento é exigido em mais de 130 países e por isso é importante manter-se atento.

Medicamentos

Se você faz uso de medicamentos regulares é extremamente importante a prescrição médica traduzida, pois pode acontecer uma fiscalização sanitária. Também é importante lembrar que eles devem ser levados na bagagem de mão e dentro das caixas originais.

“Nota-se como o planejamento para uma viagem internacional é essencial, não apenas pelas exigências e segurança, mas também para a garantia de que a viagem será realmente aproveitada. Assim, comece a programação com antecedência para não correr riscos e planejar com cuidado todos os destinos e passeios”, completa.

Texto por: Agência com edição de Patrícia Chemin

Foto destaque por: iStock / anyaberkut

Comentários