logo

Telefone: (11) 3024-9500

Aeroporto de Salvador é primeiro do Brasil com 100% de aproveitamento de resíduos | Qual Viagem Logo

sustentabilidade_salvador-bahia-airport_foto-will-recarey-2

Aeroporto de Salvador é primeiro do Brasil com 100% de aproveitamento de resíduos

19 de maio de 2020

O pioneirismo em sustentabilidade do Salvador Bahia Airport rendeu ao local a conquista como o primeiro Aeroporto Zero Aterro do Brasil. Isso significa que 100% dos resíduos gerados pelo equipamento são reutilizados como matéria prima em processos produtivos, conforme o conceito da economia circular. A marca de Zero Aterro foi conquistada dois anos antes do previsto e integra as metas do AirPact, estratégia ambiental global da VINCI Airports, rede do qual o aeroporto da capital baiana faz parte.

Um aeroporto Zero Aterro 

A construção da nova Central de Resíduos Sólidos foi uma das ações que permitiu ao Salvador Bahia Airport atingir o objetivo de ser Zero Aterro. “Integrada ao fluxo operacional de resíduos e planejada para otimizar a recuperação dos itens recicláveis, a Central de Resíduos opera de forma que todos os resíduos gerados sejam segregados e possam ser incorporados em processos produtivos, eliminando assim o descarte em aterros sanitários”, explica o gerente de Meio Ambiente do Salvador Bahia Airport, Rodrigo Tavares.

Antes do início da operação da VINCI Airports em janeiro de 2018, o Aeroporto recuperava apenas 1% dos seus resíduos, destinando 99% para aterro sanitário. No final do mesmo ano, o índice de reaproveitamento era de 34% e, em dezembro de 2019, chegou a 69%. A meta da Concessionária era alcançar 100% até 2022, mas o feito foi conquistado ainda em janeiro de 2020. Para ter uma noção da dimensão da conquista, somente no referido mês foram geradas 112,14 toneladas de resíduos – peso equivalente ao de 125 carros populares.

Programa Zero Plástico 

Entre as medidas implementadas para a destinação correta de resíduos estão a implementação de novas lixeiras para coleta seletiva no terminal de passageiros, separação dos resíduos por toda a comunidade aeroportuária no momento da geração e o co-processamento dos  materiais orgânicos e dos não recicláveis, transformando os resíduos em energia e matéria prima para cimento.

“Ainda mais importante que gerenciar corretamente os resíduos é evitar a sua geração. Por isso, seguimos algumas recomendações como evitar desperdícios durante o preparo dos alimentos, comprar insumos a granel ao invés de utilizar embalagens descartáveis, preferir fornecedores que realizem logística reversa para as embalagens dos seus produtos e estimular os clientes a evitarem desperdício de alimentos em seus pratos”, explica o gerente de Meio Ambiente.

Para diminuir a quantidade de resíduos sólidos gerados, o Salvador Bahia Airport está implementando o Programa “Plastic Free”. O objetivo é envolver toda a comunidade aeroportuária, especialmente o segmento de alimentação e bebidas, para reduzir o consumo de plástico, o que inclui sacolas, talheres, pratos, canudos, tigelas e guardanapos. Em relação ao uso de canudos, a ideia é a utilização apenas de reutilizáveis, comes tíveis ou produzidos de materiais alternativos como papeis.

Os investimentos integram o compromisso da VINCI Airports com a sustentabilidade e está em consonância com outras iniciativas conquistadas desde que o Salvador foi integrado à rede VINCI Airports, a exemplo da certificação ACA (Airport Carbon Accreditation) , concedida pela organização Airport Council In ternational (ACI). A certificação avalia e reconhece, em quatro etapas, os esforços de redução de gases de efeito estufa gerados pelos aeroportos. O aeroporto de Salvador foi o primeiro das regiões Norte/Nordeste e o segundo do Brasil a obter a conquista, recebendo a Certificação Nível 1 já no primeiro ano de operação e a Nível 2, por reduzir 6,12% da sua Pegada de Carbono, em dezembro de 2019.

Texto por: Agência com edição Eliria Buso

Foto: Will Recarey

Comentários