logo

Telefone: (11) 3024-9500

Serro: a Terra do Queijo guarda relíquias coloniais em Minas Gerais | Qual Viagem Logo

Foto por Istock/ FelipeGoifman

Serro: a Terra do Queijo guarda relíquias coloniais em Minas Gerais

28 de março de 2019

Localizado cerca de 250 quilômetros de Belo Horizonte, bem no centro da Serra do Espinhaço, Serro é um destino cheio de história. A cidade foi uma das primeiras comarcas da Capitania de Minas Gerais, além de ter sido o primeiro município tombado pelo IPHAN graças ao seu patrimônio histórico-cultural.

Sua arquitetura tipicamente colonial tem casarões, igrejas e museus que fazem parte da história do país, portanto, mesmo que o turismo ali ainda seja tímido em relação às outras cidades mineiras como Ouro Preto e Tiradentes, o lugar merece uma visita com calma.

Foto por IStock/ casadaphoto

Foto por IStock/ casadaphoto

Seu principal cartão-postal é a Igreja de Santa Rita. A construção do século 18 sofreu algumas reformas no século seguinte que caracterizaram sua atual fachada. Em seu interior, é impossível não se encantar com os ornamentos marmorizados e o altar de São Sebastião. A igreja fica no alto de uma escadaria de mais de 50 degraus e oferece a melhor vista para o centro histórico e o Pico do Itambé, com mais de dois mil metros de altitude.

Serro conta ainda com outros templos importantes como: Matriz de Nossa Senhora da Conceição, Igreja de Nossa Senhora do Carmo, a de Bom Jesus de Matozinhos e a de Nossa Senhora do Carmo.

Foto por Istock/ casadaphoto

Foto por Istock/ casadaphoto

E para continuar esse roteiro cultural-religioso pelo destino, o Museu Regional é parada obrigatória. O lugar abriga obras sacras e móveis dos séculos 18 e 19.

Outro passeio imperdível é aos casarões. Imponentes, as construções dão uma atmosfera única à cidade. É como se o tempo tivesse parado por ali. Não deixe de visitar o do Barão de Diamantina e do General Carneiro.

Foto por IStock/ casadaphoto

Foto por IStock/ casadaphoto

Com uma paisagem bucólica que envolve morros, serras e cachoeiras, a região de Serro também é indicada para roteiros de ecoturismo. Seus distritos possuem belezas naturais de sobra para desbravar em uma rota de trekking ou caminhada. O Milho Verde, por exemplo, é um vilarejo pitoresco que oferece bons momentos de relax. Ali, vale a pena conhecer a Capela do Rosário, que já foi capa do disco de Milton Nascimento.

Já os distritos de Capivari e São Gonçalo do Rio das Pedras contam com cachoeiras como a do Moinho, do Carijó e do Tempo Perdido, além de uma queda d’água subterrânea.

Terra do Queijo

Como não poderia ser diferente em solo mineiro, Serro também é um destino muito conhecido por sua produção de queijo. O Queijo do Serro é Patrimônio Imaterial do Brasil desde 2008 e, inclusive, rendeu o apelido da cidade de “Terra do Queijo”. Além de encontrar a delícia nas lojinhas do centro, o visitante pode fazer um roteiro pelas antigas fazendas produtoras.

Foto por reprodução serro.mg.gov.br

Foto por reprodução serro.mg.gov.br

Ao redor do queijo foi se formando também uma lista de outras iguarias que combinam com ele, como a marmelada, a goiabada, o vinho e a cachaça. E ainda há outras variedades de derivados do leite produzidos na cidade: meia cura, requeijão preto (moreno), manteiga, doce de leite, ricota, muçarela, queijo prato, e muito mais.

Texto por: Eliria Buso

Foto destaque por Istock/ FelipeGoifman

Comentários