logo

Telefone: (11) 3024-9500

Contos de fada, vikings e castelos – conheça a Dinamarca | Qual Viagem Logo

Copenhangen, Denmark aerial view of the skyline.

Contos de fada, vikings e castelos – conheça a Dinamarca

21 de março de 2018

Conhecida como o Pequeno Reino da Escandinávia, a Dinamarca é um país saído diretamente de um conto de fadas. Não é à toa que Hans Christian Andersen tenha se inspirado em seu país para escrever contos como A Pequena Sereia e O Soldadinho de Chumbo. Antiga terra dos vikings, rodeada pelo mar e cheia de encantos, a Dinamarca vai fazer você viajar por um mundo de fantasias.

Mesmo sendo um país pequeno, o destino possui enormes atrações turísticas, desde castelos, florestas, parques de diversão a praias com água cor de esmeralda. Conheça alguns pontos turísticos do país aqui:

Copenhague

Situada no norte europeu, Copenhague é conhecida por ser uma cidade sustentável e a primeira capital do mundo a ter carbono neutro. É muito estudada por urbanistas e arquitetos devido a suas vias de ciclismo e seu sistema de aquecimento urbano, e um de seus pontos fortes em questão ambiental de Copenhague são suas zonas portuárias, onde é possível nadar, bem no centro da capital, graças ao seu sistema de águas residuais.

Visitado até mesmo por Walter Disney, o Tivoli Gardens é um jardim gigante a céu aberto e um parque de diversões. Um verdadeiro cenário de um filme de princesa, o jardim possui construções históricas, arquiteturas de tirar o fôlego e uma das sete montanhas-russas que tem freio de mão em seus carrinhos.

Foto via iStock/ gameover2012

Foto via iStock/ gameover2012

Esculturas de pedra e mármore marcam o caminho pelo extenso jardim do Palácio de Fredensborg. Conhecido como o Palácio da Paz, tem essa nomenclatura pois foi construído após a Grande Guerra do Norte, em 1722. Hoje é ele aberto para visitas, e serve de espaço para eventos privados da família real dinamarquesa.

Construída por Christian IV, no século 17, a Torre Redonda é o maior observatório do país e o que funciona a mais tempo. Por dentro do local é possível conhecer a biblioteca onde H.C. Andersen ia para estudar e escrever seus livros, e ver pelos corredores exibições de cultura, arte, história e ciência.

Foto via iStock/Zastavkin

Foto via iStock/Zastavkin

Com uma arquitetura esplêndida e única, o Museu Marítimo da Dinamarca, começa a encantar já do lado de fora. Sua estrutura lembra uma doca em um local seco, e por dentro é possível encontrar objetos que contam a história do país, e exibições que possibilitam a interação com o mundo marítimo

Com 104 anos de construção, a escultura da Pequena Sereia em cima das pedras no Langelinje Píer, é de tirar o fôlego. Mesmo tendo uma feição solitária e um tanto triste, a sereia é uma das principais atrações da cidade, e foi inspirada na bailarina Ellen Price, a dançarina principal da peça “A Pequena Sereia”, apresentada em 1909 no Royal Theatre. No entanto, a modelo que posou nua para o escultor Edvard Eriksen foi sua esposa, Eline Eriksen.

Foto via iStock/ Remus Kotsell

Foto via iStock/ Remus Kotsell

Bornholm

Conhecido por estar próxima ao mar báltico, cheia de praias de areia branca, vilas de pescadores e igrejas com arquiteturas históricas, a ilha de Bornholm é um dos cartões-postais mais lindos do mundo.

Quatro das sete igrejas redondas da Dinamarca ficam em Bornholm. Antigamente, além de ser um local de cultuação, elas eram fortalezas para proteger a ilha e serviam como reservas de armazenamento para os navios que iam e vinham. Segundo rumores que circulam Bornholm, as igrejas poderiam estar associadas aos Cavaleiros Templários.

Falésias, rochas e mar. As ilhas de Christiansø e Frederiksø, são destinos de deixar qualquer um de queixo caído. Possuem santuários de pedras e falésias, com mais de 20 metros de altura, cavernas, campos e florestas. Além, é claro, da praia de areia fofa, a Dueodde. A areia é tão macia e fina, que é posta dentro de ampulhetas. É possível praticar esportes como surfe ou simplesmente aproveitar a água cristalina.

Foto via iStock/ BlackAperture

Foto via iStock/ BlackAperture

O verdadeiro chame da ilha são as vilas de pescadores. As seis vilas ao redor de Bornholm, possuem características e gastronomia únicas. Vale a pena visitar todas e tirar proveito de cada pedacinho delas.

Não deixe de experimentar o “Sun over Gudhjem”, um famoso prato com arenque defumado em pão de centeio, com cebolinha e gema de ovo cru.

Foto via iStock/ ezoom

Foto via iStock/ ezoom

Fyn – Fiônia

Situada entre a ilha da Zelândia e a Dinamarca central, Fyn é a segunda maior ilha da Dinamarca. Conhecida como Ilha de Jardins, não é difícil descobrir o motivo por detrás da nomenclatura. Cheia de colinas, casas de palha, enxaimel e pomares, a ilha possui muitas áreas de vegetação que são ricas para os animais do local.

Odense, que fica situada na ilha, é a terceira maior cidade da Dinamarca, e ficou mais conhecida por ser a cidade natal de Hans Christian Andersen e Carl Nielsen. Existe um tour guiado para conhecer a casa de infância do escritor, uma caminhada através da parte mais antiga da cidade, onde é possível aprender sobre a vida do escritor e de Odense. O tour passa pela Catedral e pelo Museu Hans Christian Andersen.

Foto via iStock/ frankix

Foto via iStock/ frankix

O Castelo de Egeskov é uma construção da era renascentista e possui um dos mais belos jardins do mundo. Foi nomeado como Melhor Jardim Histórico da Europa, e um dos 12 jardins mais fabuloso do mundo pela CNN Travel.

Existem diversas exibições em museus e coleções por Egeskov, entre elas, o Falck Museum, a Grocer’s Shop, Bicicletas através dos Anos e o Gate House, que mostra vestidos, revistas e outros trajes das épocas passadas.

Foto via iStock/ RnDmS

Foto via iStock/ RnDmS

Dentro do castelo, existe uma diversa variedade de exibições para serem vistas. No térreo, há o Hunting Room, que serviu de sala de ginástica para o conde Gregers Bille, que tinha um grande amor pela África. A sala contém troféus que foram trazidos da África Ocidental Britânica e do Congo, Tanzânia, Uganda e Quênia. Muitas cabeças de animais estão empaladas pelas paredes, e diversos objetos que foram usados para a caça.

No primeiro andar fica a Sala de Banquete, a Sala de Música, o quarto da Torre – onde é possível ter uma bela visão dos terrenos, e ver a colcha de retalhos feita pela condessa Nonni Ahlefeldt – e o quarto do Almirante, onde fica toda a coleção de porcelana antiga da família, a mobília holandesa e os vasos japoneses.

No Quarto Vitoriano, o visitante vai encontrar mobília antiga, pinturas, adornos, fotografias, cortinas e carpetes que são herança de família. O quarto também retrata o período que foi conhecido como uma confusão de estilos.

O Palácio de Titânia, é uma pequena versão de um castelo dentro de Egeskov, e fica no Rigborg Room. É uma casa de bonecas, que foi construída para a filha de Sir Nevile Wilkison. Levou cerca de 15 anos para ser finalizada e possui mais de três mil itens, muitos deles de coleções conquistadas ao redor do mundo.

Texto por: Carolina Berlato

Imagem Destacada via iStock/ SeanPavonePhoto

Comentários