logo

Telefone: (11) 3024-9500

7 motivos para conhecer e se encantar com Sabará | Qual Viagem Logo

Foto via flikcr pratiproy

7 motivos para conhecer e se encantar com Sabará

9 de dezembro de 2015

Bem coladinho a Belo Horizonte, a cidade de Sabará é uma das poucas capaz de apresentar aos visitantes as três fases do barroco, que podem ser observadas nas principais igrejas da cidade. Na suntuosa Matriz de Nossa Senhora da Conceição chama a atenção a profusão dos detalhes dourados. Já na singela Nossa Senhora do Ó, o destaque fica por conta das influências orientais.

Fique atento também aos trabalhos de Aleijadinho na igreja do Carmo e aos detalhes do Museu do Ouro e do Teatro Municipal. O centro histórico da cidade apresenta ladeiras íngremes, ruas de pedras e construções interessantes para serem fotografadas, Confira sete motivos pra visitar Sabará.

Igreja de Nossa Senhora do Ó

Foto por Márcia Calixto via Commons Wikimedia

Foto por Márcia Calixto via Commons Wikimedia

Do lado de fora, as linhas rudes da arquitetura remetem a uma singela capela. Lá dentro, a riqueza de elementos barrocos dá status de catedral à pequena igreja. Há apenas um altar, mas os detalhes surpreendem como os arcos concêntricos e as colunas torcidas ornamentadas por cabeças de dragão no lugar dos tradicionais anjos.

Matriz de Nossa Senhora Conceição

Foto por Ricardo André Frantz via Commons Wikimedia

Foto por Ricardo André Frantz via Commons Wikimedia

As três fases do barroco – do estilo nacional português ao rococó – estão presentes na igreja, uma das mais suntuosas do país, com talhas douradas nos altares, nas colunas e nos arcos. Traços orientais também aparecem no retábulo vermelho e dourado da Capela do Santíssimo.

Igreja de Nossa Senhora do Carmo

Foto por Ricardo André Frantz via Commons Wikimedia

Foto por Ricardo André Frantz via Commons Wikimedia

Boa parte das obras da igreja leva a assinatura do mestre Aleijadinho, como as imagens de São João da Cruz e de São Simão Stock, a balaustrada de jacarandá, o frontispício de pedra sabão, os púlpitos e o conjunto do coro. Os altares rococós são de autoria de Francisco Vieira Servas.

Igreja Nossa Senhora do Rosário

Foto via feriasbrasil.com.br

Foto via feriasbrasil.com.br

Quem vê as ruínas da igreja não imagina o que há escondido por trás das grandes paredes de pedra sem reboco, a céu aberto. A obra, iniciada em 1768, foi abandonada com a abolição da escravatura, em 1888. A muralha, porém, protege uma antiga capela de taipa, de 1713. Na sacristia funciona o Museu.

Museu do Ouro

Foto por Ministério da Cultura via Commons Wikimedia

Foto por Ministério da Cultura via Commons Wikimedia

Antiga Casa de Intendência e Fundição, datada de 1730, exibe centenas de objetos relacionados ao Ciclo do Ouro, como bateias, balanças e moldes de jóias, além de amostras de minérios e maquetes de garimpos. A riqueza da elite da época aparece representada na mobília e prataria dos séculos 18 e 19.

Teatro Municipal

Foto por Ricardo André Frantz via Commons Wikimedia

Foto por Ricardo André Frantz via Commons Wikimedia

Inaugurada no século 19, a elegante e delicada casa em estilo italiano recebe espetáculos até hoje. O espaço abriga 47 camarotes, três níveis de galerias e 214 cadeiras, todas de palhinha. Entre os visitantes ilustres constam os nomes de D. Pedro I e D. Pedro II

Solar do Padre Correa

Foto por Bernardo Gouvêa  via Wikipedia

Foto por Bernardo Gouvêa via Wikipedia

A vistosa construção colonial abriga o prédio da Prefeitura. Funcionários, moradores e turistas circulam por belos espaços como o pátio interno e uma capela rococó com altar totalmente folheado a ouro.

Chafariz do Kaquende

Foto via feriasbrasil.com.br

Foto via feriasbrasil.com.br

O chafariz é o único de Sabará com água potável. Reza a lenda que quem bebe suas águas volta sempre à cidade.

Texto por: Cláudio Lacerda Oliva

Foto via Flikcr pratiproy

Comentários