logo

Telefone: (11) 3024-9500

5 cidades para conhecer na Turíngia, na Alemanha | Qual Viagem Logo

Foto por IStock/ bbsferrari

5 cidades para conhecer na região da Turíngia, na Alemanha

3 de março de 2020

Situada na região central da Alemanha, a Turíngia é um estado importante para a cultura e história alemãs. Berço de Martinho Lutero e Sebastian Bach, e morada de Goethe e Schiller, o estado abriga cidades pequenas, em comparação aos grandes centros, mas ricas em atrativos arquitetônicos, intelectuais e até gastronômicos.

A seguir, listamos cinco cidades para conhecer nessa região alemã – a cerca de 250 quilômetros de Berlim – ainda pouco explorada pelos turistas brasileiros, mas com grande potencial.

Erfurt

Foto por Istock/ Borisb17

Foto por Istock/ Borisb17

A capital da Turíngia, Erfurt, destaca-se por suas 25 igrejas, 15 mosteiros e 142 pontes que se dispõem no percurso do rio Gera. A cidade, que integra o charme medieval aos centros de inovações, teve passado importante por estar geograficamente localizada no cruzamento de rotas comerciais.

Entre seus atrativos mais famosos estão: a Catedral de Mariendom, a Igreja Severikische e o Mosteiro Agostiniano, que tiveram grande relevância na história de Lutero com a cidade; a Fortaleza de Petersberg, um dos exemplos mais preservados da arquitetura medieval; a sinagoga, uma das mais antigas conservadas na Europa, que hoje abriga o museu judaico; e a ponte Krämerbrücke, a mais extensa habitada da Europa, que conta lojas, cafés e restaurantes.

Weimar

Foto por Istock/ coramueller Turíngia

Foto por Istock/ coramueller

Joia da histórica intelectual alemã e europeia, a cidade de Weimar é um dos berços da cultura clássica alemã, que vive até hoje nas casas e locais de trabalho dos antigos pensadores, como Goethe e Schiller. Por consequência disso, e de sua importância como centro intelectual entre os séculos 18 e 19, é Patrimônio Mundial da UNESCO.

O local reúne dezenas de museus, alguns dedicados aos seus personagens mais famosos, além dos castelos de Belvedere, Ettersburg e Tiefurt, que abrigavam, em seus jardins, os nomes proeminentes deste período cultural.

Além disso, Weimar foi onde começou o movimento da Bauhaus, uma das mais expressivas manifestações da arquitetura e design mundial no século 20. Com 100 anos recém-completados, a escola que se tornou expressão artístico-cultural dispõe de um museu na cidade, com mais de mil objetos dispostos em um espaço de 2,2 mil metros quadrados.

Eisenach

Foto por IStock/ maylat Turíngia

Foto por IStock/ maylat

Apesar de não ser sua terra de nascimento, Eisenach é uma das cidades da Turíngia mais ligadas ao pai do protestantismo, Martinho Lutero. Isso porque é lá que está o Castelo de Wartburg, Patrimônio da UNESCO desde 1999. Foi lá que o reformador se refugiou e traduziu o Novo Testamento para o alemão. Com bela vista, do alto da cidade, é o cartão-postal local. E, juntamente da casa de Lutero, que hoje abriga um museu dedicado à sua vida, completam um roteiro dedicado ao ícone da religião alemã.

Ainda na cidade, outro nome surge com grande relevância, mas dessa vez nas artes: Johann Sebastian Bach. O compositor clássico nasceu em Eisenach e também conta com uma casa-museu, que reúne mais de 250 objetos originais de sua história, além de concertos e obras interativas.

Jena

Foto por Istock/ BeckArt Turíngia

Foto por Istock/ BeckArt

Reconhecida por sua relevância na indústria, cultura e pesquisa, Jena está situada no Vale do Saale. Sendo considerada, no passado, uma das principais cidades industriais da Alemanha, é berço de diversas grandes empresas.

No campo cultural, abriga museus como o Do Vidro e Da Ótica, assim como o Planetário Zeiss, a Torre de Bismark e a JenTower, a construção mais alta da cidade. Outras paradas obrigatórias por lá são o relógio astronômico e o Draco, monumento de 1600 que representa um dragão de sete cabeças.

Saalfeld

Foto por Istock/ Hullu_Saksalainen_Photography Turíngia

Foto por Istock/ Hullu_Saksalainen_Photography

Situada bem próxima da Floresta da Turíngia, a cidade possui, além de todo o charme das outras já citadas acima, um clima de natureza mais presente. Não à toa, sua atração mais famosa é a Gruta das Fadas, onde há cavernas com formações minerais.

O local entrou para o livro dos recordes por ter as cavernas mais coloridas do mundo. Resultado de mineração realizada na Idade Média, o espaço conta, ainda, com o museu interativo Grottoneum, que retrata a história de 440 milhões de anos das estalactites e formações rochosas de forma lúdica e atrativa.

Texto por: Eliria Buso

Foto destaque por IStock/ bbsferrari

Comentários