logo

Telefone: (11) 3024-9500

Joanesburgo - a cidade que nasceu do ouro | Qual Viagem Logo

Foto por IStock/ Thissatan

Joanesburgo – a cidade que nasceu do ouro

11 de novembro de 2016

Quando um incrível filão de ouro foi encontrado na fazenda Vogelstruisfontein, milhares de pessoas se deslocaram rapidamente até a área. Era preciso criar nome para o lugar. Como Johann e Johannes eram nomes comuns entre os holandeses daquela época, há suspeitas de que Christian Johannes Joubert e Johann Rissik, envolvidos na busca pela melhor localização da cidade, tenham batizado a atual Sede do Tribunal Constitucional da África do Sul. No entanto, Johannes Meyer, o primeiro oficial do governo na área, corre por fora. Os registros precisos sobre a escolha da denominação “Johannesburg”, aportuguesado para Joanesburgo, foi perdido.

Foto por Istock/ Bank215

Foto por Istock/ Bank215

Enfim, Joanesburgo nasceu em 1886 e não precisou de muito tempo para crescer. Dez anos mais tarde, a cidade já chegava a cem mil habitantes.

A principal fonte de renda ainda vem do comércio de ouro e de diamantes. O crescimento foi impulsionado ao final dos anos 60 e início de 70, quando blocos de torre do Carlton Centre – arranha-céu de 50 andares e o Southern Life Centre, de 138 metros de altura, incrementaram o horizonte do distrito empresarial central. Uma década depois, essa mesma área passou entrou em declínio, devido à elevada taxa de criminalidade. De 73 a 79 foram inaugurados o Sandton City, o Rosebank Mall e o Eastgate. Em 2010, a cidade sediou a Copa do Mundo da FIFA. Joanesburgo é a maior cidade da África do Sul e uma das 50 maiores aglomerações do mundo: em 2011, tinha quase quatro milhões quinhentos mil habitantes. Sua região metropolitana chega a cerca de 8 milhões.

Conhecida como Highveld, Joanesburgo está a uma altitude de 1.753 metros na área do planalto oriental da África do Sul. Uma das características da cidade são as pedras brilhantes sobre os cumes, por onde correm filetes de água – a Witwatersrand, ou, “Crista das águas brancas”. A rocha de quartzito dos montes adquire brilho especial após a chuva.

Principal porta de entrada para a África, Joanesburgo possui diversos atrativos – de sua recente história política de resistência ao regime do Apartheid, nos anos 50 e início dos anos 60, à origem de nossos primitivos ancestrais. Há parques nacionais, museus e belos locais para se visitar. Johanesburgo guarda mais que ouro em seu solo.

Mandela Square 

Liberdade de escolha Soweto, área residencial para os negros mineradores desautorizados a viver na cidade tem uma casa muito famosa e hoje bastante procurada pelos turistas: a casa onde cresceu o grande líder político mundial Nelson Mandela, símbolo da luta contra o apartheid – regime de segregação racial imposto ao país pelo Partido Nacional da África do Sul, entre 1948 e 1994.

A história política da cidade é muito associada ao país, talvez por isso mesmo o Mandela Square, em Sandton, atraia tantos turistas. A área, repleta de lojas e restaurantes é, além, de ótimo lugar de hospedagem, boa referência de compras e gastronomia. Na parte central da região, a imponente estátua em homenagem ao ex-presidente sul-africano Nelson Mandela complementa a importância desse grande líder popular para a região.

Foto por Istock/ Nmelander

Foto por Istock/ Nmelander

Museu do Apartheid 

Nélson Mandela é tão importante para a África quanto foi para o mundo. O Museu do Apartheid, em Joanesburgo, convida a reflexão do impacto causado pelo regime racista na sociedade local.

A experiência pode causar choque logo de imediato: o ingresso distingue a porta a ser tomada pelo visitante do museu: “entrada para brancos” ou “entrada para não-brancos”. A indicação é feita para que o visitante sinta na pele (literalmente) o impacto da discriminação vivida pelos negros durante o Apartheid. Além de posicionar o turista diante da história do pais, o museu busca promover a conscientização desse período obscuro da história. Os textos estão em inglês.

Cradle of Humankind 

FOTO MAROPENG.CO.ZA

FOTO MAROPENG.CO.ZA

Berço da Humanidade Joanesburgo não é só o eldorado da África. Há achados tão preciosos para a história da humanidade quanto é o ouro para a região. No Cradle of Humankind (Berço da Humanidade) – parque de grandes dimensões e com sítios arqueológicos incríveis, o visitante fará contato com a evolução do homem. Apenas para se ter ideia da importância do local, os vestígios da presença humana nessa área datam de 3,3 milhões de anos. Que diga o esqueleto mais completo de hominídeo encontrado nas cavernas de Sterkfontein ou as 700 espécimes de Australopithecus africanus, dentre eles Mrs Ples – de 2,8 a 2,3 milhões de anos de idade. 100 mil anos atrás, na Idade do Ferro, a região de Joanesburgo era habitada por nômades.

Lion Park

O Lion Park é um dos principais pontos turísticos de Joanesburgo. Embora o nome esteja associado ao rei da floresta, o parque também possui girafas, hienas, zebras, leopardos etc. O passeio pode ser realizado tanto de carro quanto a pé. Dentro do carro o visitante irá tirar fotos bem próximas aos animais de maior porte como os leões- -brancos, um dos mais belos mamíferos do lugar. As regras de segurança, em especial, a de manter as janelas do carro completamente fechadas, precisam ser seguidas a rigor. O parque possui cerca de 70 leões. Os campos cercados buscam reproduzir o habitat natural desses animais.

Na área central, o turista pode alimentar girafas. A prática de acariciar filhotes de leão, até pouco tempo atrás permitida, foi erradicada recentemente por ser considerada estressante para os animais. Além de realizar o trabalho de preservação das espécies, o parque procura educar os visitantes a respeito dos animais africanos.

Pretória: Beleza e organização  

Foto por Istock/  vlbentley

Foto por Istock/ vlbentley

A trinta minutos de Joanesburgo, Pretória – cidade tranquila e muito arborizada. Fundada em 1855, a Capital Administrativa da África do Sul tem cerca de 1,6 milhão de habitantes e ganhou a fama de ser também a capital dos jacarandás: as 50 mil árvores foram trazidas do Rio de Janeiro no século 19 e se encontram espalhadas por todas as ruas da cidade.

A história da cidade se exibe em esculturas e estruturas históricas pelos gramados. A montanha de Magaliesburgo e inúmeros jardins oferecem características peculiares ao lugar. Dos cem parques da cidade, alguns com trilhas e lagos para pesca, o Jardim Botânico e a Wonderboom Nature Reserve são passeios imperdíveis. Há também mais de 30 museus em Pretória. O Natural History Museum, o Cultural Museum e o Melrose House, mostram a história e a arte da cidade e do país.

Jardim Zoológico 

O zoológico de Pretória é o maior da África do Sul e um dos melhores do mundo. Em seus 85 hectares, o visitante irá conhecer mais do que os principais animais africanos, leões, girafas e elefantes. O zoológico mantém uma das maiores coleções de antílopes do mundo, área de répteis, aviário e o maior aquário marinho da África do Sul, além de extensa coleção de árvores exóticas.

Inaugurado em 1899, é o único zoológico do país com status internacional. Há mais de 9 mil animais de cerca de 700 espécies diferentes. Muitas podem ser vistas de teleférico, instalado logo na entrada com destino ao topo da colina, no lado norte do parque.

Há vastos jardins e, a leste, a silhueta de Pretória. A pé, são aproximadamente seis quilômetros de trilhas, mas há carrinhos elétricos disponíveis para aluguel a pessoas com dificuldade de locomoção. À noite, um tour de duas horas levar turistas a ver os animais noturnos em atividade. Se desejar, o parque tem uma área de camping para ouvir o rugir dos leões.

Church Square 

FOTO: DONALD SEPENG /CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES/BY-SA/4.0)], VIA WIKIMEDIA COMMONS

FOTO: DONALD SEPENG /CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES/BY-SA/4.0)], VIA WIKIMEDIA COMMONS

Pretória tem rico acervo cultural. Dentre os lugares de maior referência está o centro histórico, onde se localiza a Church Square (Praça da Igreja). O local era chamado de Market Square e servia como mercado de agricultores. A construção da igreja trouxe a mudança do nome, mas, em 1882, ela pegou fogo. A Church Square é uma área aberta onde estão instalados restaurantes, cafés, prédios do governo, e o espetacular State Theatre, que ocupa o quarteirão inteiro. É também área de sol para os sul-africanos, aos domingos. Dentre os prédios históricos que a rodeiam, estão os da Prefeitura e o do Palácio da Justiça, onde Mandela foi julgado e condenado à prisão. Por outro lado, tem também o da Administração Provincial, base do governo da Província de Gauteng, onde Nelson Mandela tomou posse como presidente do país, em 1994, após o apartheid. Outra atração é o Union Buildings, edifício cercado por jardins, onde é comum fazer piquenique. No centro da praça se encontra a estátua em bronze do presidente da África do Sul, Paul “Uncle Paul” Kruger, líder da resistência contra os britânicos na Segunda Guerra dos Bôeres.

As quartas-feiras de manhã são marcadas pela marcha dos membros da Guarda Cerimonial Nacional e o hasteamento das bandeiras nacional e municipal.

Voortrekker 

O maior monumento da África do Sul mede 40 metros de altura e é dedicado aos colonizadores da região que deixaram a Colônia do Cabo entre 1835 e 1854: o Voortrekker. O prédio, localizado ao sul de Pretória, no topo de uma colina, foi todo construído de granito e lembra um mausoléu. Um dos locais mais visitados da cidade, o Voortrekker foi declarado Patrimônio Nacional da África do Sul.

O monumento projetado pelo arquiteto Gerard Moerdijk retrata em seu interior um grande salão comemorativo (Hall of Heroes), que remonta a difícil jornada dos Voortrekkers em carros de boi. Aos pés do monumento está a escultura bronze de Anton von Wouw – uma mulher Afrikaner e seus dois filhos -tributo aos Voortrekkers do sexo feminino por terem tornado possível a formação da comunidade. O monumento em si é rodeado por uma cerca de 64 carros de boi, o mesmo número usado na Batalha de Blood River.

Foto por Istock/Anton Kossmann

Foto por Istock/Anton Kossmann

O Cenotaph Hall abriga uma tapeçaria de mais de três milhões de pontos, uma coleção de bandeiras históricas e outros artefatos pertencentes às famílias Voortrekker. Em destaque, a enorme pintura de WH Coetzerem, que retrata a luta dos Voortrekkers em passagem pelas montanhas Drakensberg.

No lado externo, a The Wall of Remembrance homenageia os membros das Forças de Defesa Sul-Africana. Do monumento se avista a cidade de Pretória e seus arredores. No monumento Voortrekker são realizados grandes shows e eventos como mercados de antiguidades.

Como chegar

Há voos diretos do Aeroporto de Guarulhos a Joanesburgo.

Empresas aéreas:

Latam – latam.com

Royal Air Maroc – royalairmaroc.com

South African Airways – flysaa.com

Onde ficar

Joanesburgo

The Residence Boutique Hotel 

Monarch Hotel

The Peech Hotel 

54 on Bath

Pretória 

Morning Star Express Hotel

Menlyn Boutique Hotel

Court Classique Suite Hotel 

Illyria House

Onde comer

Joanesburgo 

Cube Tasting Kitchen

Cafe del Sol Classico 

Trumps Grillhouse and Butchery

Licorish Bistro 

Pretória 

Mosaic

Pacha’s Restaurant

Kream

Mo-Zam-Bik

Texto por: Pedro Teixeira

Foto destaque por IStock/ Thissatan

Comentários