logo

Telefone: (11) 3024-9500

Serra da Mantiqueira: do romance à aventura | Qual Viagem Logo

Campos do Jordao, Brazil. Pedra do Bau view

Serra da Mantiqueira: do romance à aventura

2 de julho de 2021

Belas paisagens com um mar de montanhas, picos elevados e bosques de araucárias formam a Serra da Mantiqueira. Com uma atmosfera acolhedora e de puro romance, é destino certo para aproveitar o frio típico do inverno, muitas vezes com temperaturas negativas, junto ao aconchego de uma lareira. A Mantiqueira também oferece inúmeras atividades para os aventureiros em busca de contato com a natureza. Na divisa entre São Paulo e Minas Gerais, vamos apresentar seis cidades para esta temporada de inverno – e as estações seguintes também.

CAMPOS DO JORDÃO

Foto por iStock / Gilberto_Mesquita

Foto por iStock / Gilberto_Mesquita

Muitas vezes comparada à Suíça e a outros destinos europeus graças ao clima mais frio e às construções em estilo enxaimel, Campos do Jordão guarda uma variedade de atrações e, a cada temporada, apresenta novidades ao seu público fiel, proveniente principalmente da cidade de São Paulo, que fica a apenas 170 km de distância. A verdade é que Campos do Jordão conseguiu consolidar sua vocação turística como poucas cidades no Brasil.

A 1.628 metros de altitude, é o município mais elevado do país. A partir da década de 1970, com o início do Festival de Inverno de música clássica, a cidade passou a investir cada vez mais no turismo, com atrações culturais, gastronômicas e ecológicas, além de uma boa oferta hoteleira, com opções para todos os bolsos e perfis.

Foto por Marco Ankosqui - MTUR

Foto por Marco Ankosqui – MTUR

Entre plátanos e araucárias, as ruas de Campos do Jordão são tranquilas e um convite para passear a pé. O centro do agito é o bairro do Capivari, onde imperam as construções charmosas em estilo europeu inspiradas nos chalés dos Alpes suíços. Repletas de restaurantes, bares e lojas de chocolate, as ruas exclusivas para pedestres são tomadas por turistas, principalmente no inverno. Fazem sucesso os rodízios de fondue, além dos restaurantes de culinária típica de montanha e os de influência alemã. De sobremesa, vale um chocolate quente cremoso e um crepe suíço. Mesas ao ar livre são muito populares, acompanhadas por aquecedores quando a temperatura está mais baixa.

Foto por iStock / Gilberto_Mesquita

Foto por iStock / Gilberto_Mesquita

Há ainda algumas surpresas, como o Iceland, bar feito inteiramente de gelo, das paredes aos copos. Fica dentro do Mercado São Bento. O Capivari também é cheio de centros de compras, dos mais chiques às feiras de artesanato, onde o destaque são as malhas, os tricôs e os artigos em couro. Os diversos hotéis e pousadas do bairro são ideais para quem não quer depender tanto do carro para aproveitar o centro de Campos do Jordão e a vida noturna do Capivari.

Foto por Divulgação

Foto por Divulgação

Um dos passeios mais clássicos da cidade, o Parque Capivari passou por uma grande revitalização e conta agora com novo centro comercial e novas atrações. O famoso teleférico, o primeiro do tipo a funcionar no Brasil, continua em operação e leva os visitantes ao mirante do Morro do Elefante, a 1.500 metros de altitude. No parque também fica a Estação Emílio Ribas, que abriga o Centro de Memória Ferroviária e faz parte da Estrada de Ferro Campos do Jordão, o bondinho turístico da cidade – um passeio divertido e cheio de história, já que a ferrovia data de 1914.

Foto por Marco Ankosqui - MTUR

Foto por Marco Ankosqui – MTUR

O roteiro cultural contempla ainda o Mosteiro de São João, em meio a um bosque de ciprestes e belos jardins, e o Palácio Boa Vista, residência de inverno do governador de São Paulo e que funciona hoje como museu, com amplo acervo de obras de arte e mobiliário de época. Há ainda o Museu Felícia Leirner, que reúne esculturas da artista que dá nome ao lugar, polonesa radicada no Brasil. As obras estão dispostas ao ar livre em um amplo gramado repleto de araucárias. No mesmo espaço está o Auditório Cláudio Santoro, sede do Festival de Inverno de Campos do Jordão, maior evento de música erudita da América Latina.

Foto por Divulgação

Foto por Divulgação

Parques e cervejas

Para aproveitar ainda mais a natureza privilegiada de Campos, há muitos parques que podem ser visitados. Mais conhecido como Horto Florestal, o Parque Estadual de Campos do Jordão ocupa uma área de mais de 8.000 hectares (o que equivale a cerca de 30% do município), protegendo trechos remanescentes de Mata Atlântica, araucárias e pinheiros, além de uma fauna riquíssima, com centenas de espécies de aves. É um ótimo lugar para trilhas ou um piquenique sob as árvores.

Foto por Marco Ankosqui - MTUR

Foto por Marco Ankosqui – MTUR

Pertinho do Capivari, o Bosque do Silêncio tem 180 mil m² de muito verde, entre araucárias, hortênsias, bromélias e orquídeas. Há trilhas e passarelas para caminhadas, circuitos de arvorismo, paintball e outras atividades. Já o Amantikir é um parque que reúne mais de 700 espécies de plantas em belíssimos jardins, inspirados em diferentes partes do Brasil e do mundo.

Foto por Marco Ankosqui - MTUR

Foto por Marco Ankosqui – MTUR

Apesar de fazer parte de Pindamonhangaba, o Pico do Itapeva é acessado a partir de Campos do Jordão. A 2.030 metros de altitude, oferece uma vista deslumbrante para o Vale do Paraíba. O Parque da Cerveja também tem seu próprio mirante, com vista em 180º e um novo bar, que oferece os rótulos da Cerveja Campos do Jordão, fabricados no local. O parque conta ainda com um restaurante especializado na culinária cervejeira e espaços para piquenique.

Foto por Divulgação

Foto por Divulgação

A cultura cervejeira da cidade também está presente na Caras de Malte, microcervejaria que funciona como um brewpub e apresenta um cardápio harmonizado com as cervejas da casa, e a tradicional Baden Baden, uma das primeiras cervejarias artesanais do país, com tours guiados e degustação.

Foto por Divulgação

Foto por Divulgação

Crianças e adolescentes também têm diversão garantida em Campos do Jordão. Vale conferir o Tarundu, parque com dezenas de atrações de lazer, muitas delas ao ar livre, como tirolesas, passeio a cavalo, escalada e muito mais, e o Aventoriba, programa de experiências, ecoturismo e aventuras do Hotel Toriba. Já a Fazendinha Toriba vai encantar os pequenos, que podem interagir com diversos animais do campo. Quem estiver em busca de adrenalina vai curtir o Aventura no Rancho, com destaque para o circuito de arvorismo, e o Zoom Bike Park, com trilhas para mountain bike em diferentes graus de dificuldade.

SÃO BENTO DO SAPUCAÍ

Foto por iStock / Julio Ricco

Foto por iStock / Julio Ricco

Na divisa com Minas Gerais e ainda do lado paulista da serra, a pequena São Bento do Sapucaí é bem diferente de Campos do Jordão, sua vizinha mais badalada. Por ali, a natureza é ainda mais presente e concentra grande parte dos atrativos da cidade.

Foto por iStock / klausbalzano

Foto por iStock / klausbalzano

A começar por um dos grandes cartões-postais da Mantiqueira, a Pedra do Baú, cujo paredão rochoso característico é facilmente avistado a partir de Campos do Jordão e outros pontos da região. O cume da Pedra do Baú atinge 1.950 metros de altitude e o complexo guarda três formações rochosas – Baú, Bauzinho e Ana Chata.

Há dezenas de trilhas e vias de escalada, com diferentes graus de complexidade. O acesso ao Bauzinho é a opção mais tranquila (caminhada de 470 metros ida e volta a partir do estacionamento) e já rende ótimas vistas para São Bento do Sapucaí e parte da Pedra do Baú.

Foto por iStock / Leonidas Santana

Foto por iStock / Leonidas Santana

Para as atividades mais complexas, principalmente as escaladas e trilhas de via ferrata (com degraus de ferro presos na rocha) que levam ao topo do Baú, vale contratar uma agência ou guia especializado. A Pedra do Baú conta ainda com uma rampa de voo livre, próxima à portaria do MONA (Monumento Natural Estadual).

Ainda na área rural da cidade, há muitas opções para o ciclismo e mountain biking, em trilhas e estradas pouco acessadas por carros. Outros atrativos naturais são as cachoeiras de São Bento: a dos Amores e a do Tobogã, onde é possível se refrescar em águas límpidas, além da Cachoeira do Toldi, a mais alta da cidade, com uma queda de mais de 200 metros.

Foto por Aniello de Vita - expressão studio

Foto por Aniello de Vita – expressão studio

Já no centro do município, bem compacto e repleto de ruas e praças tranquilas – o agito é maior durante o Carnaval –, vale conhecer a Igreja Matriz de São Bento, construção em taipa de pilão do século XIX, com sua fachada em azul, e o Mirante do Cruzeiro. Há ainda a Capelinha de Mosaico e a Santa Cruz de Mosaico. Ambas são totalmente revestidas por mosaicos coloridos, por dentro e por fora, sob a direção de artistas plásticos da cidade.

Foto por Aniello de Vita - expressão studio

Foto por Aniello de Vita – expressão studio

Seja no centro ou pela zona rural, São Bento do Sapucaí tem uma boa oferta de ateliês e lojas de artesanato, que comercializam peças em madeira, cerâmica, palha e outros materiais, além de restaurantes que investem na culinária de montanha, com foco em ingredientes como truta e pinhão, e charmosas pousadas cercadas por araucárias, para curtir o friozinho típico da montanha.

Outra dica é a OLIQ, fazenda de oliveiras e produtora de azeites de alta qualidade. O local é aberto a visitação e oferece tour guiado. É possível conhecer o pomar, saber mais sobre todos os processos de produção e fazer uma degustação de azeites.

SANTO ANTÔNIO DO PINHAL

Foto por acervo Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Pinhal

Foto por acervo Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Pinhal

Parte do roteiro paulista da Serra da Mantiqueira, Santo Antônio do Pinhal é uma cidade bucólica e encantadora. Oferece de atrações radicais para os mais aventureiros a cenários para o romance – aliás, a cidade leva o nome do santo casamenteiro.

Foto por acervo Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Pinhal

Foto por acervo Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Pinhal

O roteiro pelo pacato centro inclui a Igreja Matriz de Santo Antônio de Pádua, o Mirante do Cruzeiro, a Praça do Artesão e a Fonte de Santo Antônio, com água fresca que desce das montanhas. Restaurantes e lojas diversas de artesanato, roupas e lembrancinhas completam a oferta turística nessa área.

Foto por acervo Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Pinhal

Foto por acervo Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Pinhal

A poucos quilômetros está a Estação Ferroviária Eugênio Lefèvre, local repleto de história, e o Mirante de Nossa Senhora Auxiliadora. Vale conferir também o Jardim dos Pinhais Ecco Parque, considerado o primeiro parque de jardins temáticos do Brasil. São 82 mil m² de paisagismo e as mais variadas plantas e cores, com cenários perfeitos para muitas fotos. O local ainda oferece o Restaurante Jardins, especializado em gastronomia da montanha.

Pelos bairros e estradas rurais estão as joias de Santo Antônio do Pinhal. Descubra restaurantes com a culinária da região, ateliês de móveis e peças decorativas, cervejarias artesanais e armazéns de vinhos, cachaças e outros produtos típicos da fazenda, como queijos, doces e geleias, além de pousadas aconchegantes com vistas deslumbrantes para a mata nativa ou a serra.

Foto por acervo Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Pinhal

Foto por acervo Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Pinhal

Com um clima agradável o ano todo, Santo Antônio do Pinhal guarda muitas atrações na natureza, como a cachoeira do Lageado, com poço para banho, e o Pico Agudo, cartão-postal da cidade e acessível de carro por uma estrada de terra.

Foto por acervo Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Pinhal

Foto por acervo Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Pinhal

Este é, inclusive, um dos melhores pontos de voo livre do país, com uma altitude de 1.700 metros. Muitas agências locais oferecem voos com instrutores. O panorama é de tirar o fôlego, com vista para um mar de montanhas e até a Pedra do Baú no horizonte, enquanto parapentes coloridos povoam os céus.

SÃO FRANCISCO XAVIER

Foto por Adenir de Britto (PMSJC)

Foto por Adenir de Britto (PMSJC)

A pouco mais de 150 quilômetros da capital paulista, São Francisco Xavier – sub-distrito de São José dos Campos – apresenta gastronomia e hospedagem de qualidade. O pequeno vilarejo convive harmoniosamente com a exuberante mata atlântica, belas cachoeiras, montanhas, ar puro e animais silvestres, alguns em risco de extinção. E, mesmo com toda a simplicidade, se destaca pelo verde e pela paz que o transformam em um oásis natural para os visitantes das grandes cidades.

Essa porção da Mantiqueira, que em tupi-guarani significa montanha que chora, tem na tradição o cultivo do milho, feijão, arroz e café, agricultores que cuidam do gado, tiram leite e mantêm a tradição dos bons caipiras – aqueles com chapéu na mão e modas de viola na praça. O progresso chegou com o turismo que hoje apresenta charmosas pousadas, mesmo na roça.

Foto por Claudio Vieira/PMSJC

Foto por Claudio Vieira/PMSJC

Considerado um paraíso para o descanso em meio à natureza, o distrito é uma APA – área de proteção ambiental, principalmente pela presença dos macacos muriquis que habitam uma importante área remanescente de Mata Atlântica. O ilustre Muriqui – símbolo da vila – é o maior primata das Américas, espécie ameaçada de extinção, e pode ser visto em alguns passeios pelas trilhas que levam aos pontos culminantes da Serra.

O ecoturismo, que está em alta em todo o país, é um dos grandes atrativos de São Francisco Xavier. Cachoeiras e trilhas ecológicas promovem a interação do turista com uma exuberante paisagem natural.

Entre os pontos mais famosos está o Pico do Selado, na divisa com Camanducaia, com 2.082 metros de altitude. De lá, é possível, inclusive, avistar o distrito de Monte Verde e os montes da região.

E, se a ideia é ter as melhores vistas da Mantiqueira, vale a pena visitar também o Mirante Pedra São Francisco, que oferece visual 180 graus da serra e seus arredores.

O bairro de Santa Bárbara, um dos pontos mais alto da região, apresenta, entre outras atrações, várias cachoeiras de altitude cercadas de mata nativa, onde os visitantes mais aventureiros podem praticar tirolesa, nadar em piscinas naturais ou pescar.

Foto por Claudio Vieira/PMSJC

Foto por Claudio Vieira/PMSJC

Outra atração é a cachoeira Pedro Davi, de 15 m de altura e trilhas em meio à natureza, apenas a 3km do centro. Há também trilhas que levam o turista ao Pico do Mirante, ao Pico do Queixo d’Anta, e outras atrações no alto da serra.

Já a cachoeira do Roncador, com quedas d’água em paredões de pedra e passeios em caiaques, lagos para pesca e piscina natural, apresenta uma das belas vistas da região.

MONTE VERDE

Foto por Demetrio Cesar Xavier

Foto por Demetrio Cesar Xavier

Distrito de Camanducaia, no sul de Minas Gerais, Monte Verde é um dos destinos mais famosos da Mantiqueira, principalmente pelos casais apaixonados. Mas isso não significa que é lugar de um público só. Graças à sua rica natureza, que inclui montanhas e bosques de araucárias, também é parada ideal para os amantes do ecoturismo e turismo de aventura, assim como famílias em busca de lazer e diversão em meio à serra.

Localizado a mais de 1,6 mil metros de altitude, o destino chama a atenção por suas temperaturas amenas e, com a chegada da temporada de outono-inverno, isso fica ainda mais destacado, já que facilmente podem ser observadas geadas e termômetros chegando a temperaturas negativas.

Foto por Eliria Buso

Foto por Eliria Buso

É a época perfeita para se deliciar com uma das muitas sequências de fondue oferecidas nos restaurantes da avenida principal e, depois, relaxar à frente da lareira em alguma pousada de charme, acompanhado de um bom vinho.

Essa é a programação típica de casais que buscam refúgio nesse cantinho da Serra da Mantiqueira, mas não significa que é só o que se tem para fazer por lá.

Durante o dia, dá para explorar a paisagem típica de montanha em um passeio de 4×4 ou quadriciclo, além de conhecer as atividades da Fazenda Radical, tais como falcoaria, tirolesa e arco e flecha, ou ainda se aventurar em uma cavalgada pelo cenário montanhoso.

Foto por Eliria Buso

Foto por Eliria Buso

Outra opção que atende tanto casais, quanto famílias, é o Parque Oschin. O local é uma reserva florestal particular que conta com diversos atrativos como trilhas por gigantes araucárias, grutas e cascatas, playgrounds com brinquedões para a criançada e a presença de animais como as exóticas lhamas.

Foto por Eliria Buso

Foto por Eliria Buso

Vale também caminhar pela Avenida Monte Verde desbravando as inúmeras lojinhas de delícias regionais, artesanato e artigos de inverno, assim como as fábricas de chocolate que rendem, além de uma degustação pra lá de agradável, a compra de muitos presentinhos para a família toda.

Foto por Eliria Buso

Foto por Eliria Buso

Para quem gosta de curtir o frio sem moderação, outras duas paradas são obrigatórias: o IceBar e o rinque de patinação no gelo. O primeiro, todo feito em gelo, oferece a oportunidade de tomar um drink a -15ºC; enquanto o segundo funciona durante o ano inteiro e é a única pista de patinação no gelo fixa e permanente do Brasil.

Com o anoitecer, principalmente nesse período, o vilarejo mineiro ganha outra possibilidade de espetáculo: o lugar é ponto notável de céu limpo, o que significa uma experiência única de observação de estrelas e outros corpos celestes.

Arte bauer

Foto por Camila Karam

Foto por Camila Karam

Monte Verde é refúgio de artistas que adotaram a arte Bauernmalerei, uma técnica de pintura muito utilizada em regiões campestres de países europeus como Áustria, Alemanha, Hungria e Suiça, que traz traços próprios e coloridos, retratando flores e a natureza em geral, que alegra as casas durante os rígidos períodos de inverno com muita neve. Nada mais apropriado para esse vilarejo com ar tipicamente de montanha.

Mesmo com ares de cidade europeia e com início de sua formação por letões e germânicos, a arte que caracteriza hoje o local chegou pelas mãos de uma nordestina vinda de Fortaleza há mais de quarenta anos: Maria Carmen Osterne. A artista plástica e pesquisadora, desde que chegou ao distrito, começou a difundir e ensinar a pintar o Bauernmalerei para suas alunas.

Foto por Eliria Buso

Foto por Eliria Buso

A aceitação foi imediata e peças coloridas começaram a enfeitar os jardins e ruas, tornando o lugar ainda mais acolhedor e diferenciado. Vendo a propagação da arte Bauer, a artista entendeu que essa poderia ser a “marca” de Monte Verde e, em 2009, registrou o estilo de pintura como Patrimônio Histórico e Cultural local.

Hoje, a Associação Comercial de Monte Verde planeja a criação do “Roteiro dos Ateliês”, que vai percorrer os principais espaços dessa arte na região.

Inverno agitado

Entre 11 de junho e 15 de agosto, a vila promoverá três eventos simultâneos: Amor nas Montanhas, Inverno nas Montanhas e o Festival de Gastronomia, todos organizados pela MOVE (Agência de Desenvolvimento de Monte Verde e Região), em parceria com a Prefeitura Municipal.

A programação cultural inclui apresentações de cortejo na Avenida Monte Verde, espetáculos no Pátio da Galeria Suíça, gaita de fole, contação de história, entre outras ações.

GONÇALVES

Foto por Maurício Gabrieli Neto

Foto por Maurício Gabrieli Neto

Também ao sul de Minas Gerais, a cidade de Gonçalves é conhecida por seu clima pacato, típico de interior, assim como suas belezas naturais que encantam. Com atrativos naturais que ultrapassam 1400 metros de altitude, a cidade é reduto de atividades como trilhas, aquatrekking e cachoeirismo, além de passeios off road em veículos 4×4, mountain bike e observação de pássaros.

Distante cerca de 200 quilômetros de São Paulo, o destino faz parte da Área de Proteção Ambiental Fernão Dias e abriga cachoeiras, riachos e picos que formam um cenário bucólico em meio à Serra da Mantiqueira.

Foto por Fernando Costa

Foto por Fernando Costa

Entre as quedas d’água, as mais imperdíveis são: Sete Quedas, do Retiro, do Simão, dos Henriques e das Andorinhas, sendo que algumas são indicadas para banhos e outras apenas para contemplação.

Os picos também são pontos famosos na cidade e alguns são paradas obrigatórias, como o da Pedra do Forno, Pedra Bonita, Chanfrado, do Cruzeiro e do Barnabé.

Foto por Fernando Costa

Foto por Fernando Costa

Para quem não dispensa uma boa trilha, a das Cachoeiras das Bromélias é diversão garantida. Percorrendo 2,7 quilômetros, o roteiro passa por rio, riachos e, claro, cachoeiras, assim como bromélias e araucárias centenárias. No trajeto, além das belezas naturais, é possível encontrar animais como esquilos, quatis, macacos bugios e, com sorte, lobos-guará.

À noite, além de apreciar o centrinho da cidade com sua Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores e as principais opções de lojas, cafés, bares e restaurantes, também é possível fazer atividades alternativas para continuar contemplando a natureza do lugar.

Foto por Lucas Takano Fotografia

Foto por Lucas Takano Fotografia

Exemplo disso é o Roteiro da Via Láctea, uma espécie de caminhada guiada que segue até um local privilegiado, localizado a 1.700 metros de altitude, e isolado de qualquer iluminação urbana, onde é possível desfrutar todo o esplendor das estrelas, constelações, o caminho da Via Láctea, planetas e muitas beleza e mistérios que transformam este roteiro inesquecível. O passeio dura cerca de três horas.

Ou, então, a Trilha para o Vale da Lua, que passa pelo vale de Gonçalves em noites de lua cheia explorando os melhores visuais noturnos sob a luz do luar.

Gonçalves conta com uma boa estrutura de pousadas de charme e uma gastronomia de dar inveja a muitos destinos grandes. Ou seja, o que não faltam são serviços de qualidade para atender casais e famílias que buscam um refúgio hospitaleiro e cheio de simpatia na Mantiqueira mineira.

E antes de retornar de viagem, vale a pena dar uma passada nos ateliês de decoração e artesanato locais, onde são encontradas peças em madeira, ferro, fibras naturais, bambu, pachtwork, tear, bordado e cerâmica de utilitários, assim como doces, compotas, queijos e cachaça artesanal.

SERVIÇOS

Como chegar

A partir de São Paulo, siga pela Dutra ou pelo sistema Ayrton Senna-Carvalho Pinto até Taubaté e, depois, pela Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro, que leva até Campos do Jordão e Santo Antônio do Pinhal. Rodovias locais seguem até São Bento do Sapucaí. Para chegar a São Francisco Xavier, também siga pela Dutra, desta vez até São José dos Campos, e continue pela Rodovia Monteiro Lobato e Estrada Vereador Pedro David.

De São Paulo a Monte Verde, o caminho é pela Fernão Dias até Camanducaia, com sequência pela Rod. Dep. Agostinho Patrus (Estrada para Monte Verde). Se for a Gonçalves, siga mais além pela Fernão Dias até Cambuí e continue pela Rod. Dep. Cristóvão Chiaradia.

Onde comer

CAMPOS DO JORDÃO

Caras de Malte – carasdemalte.com.br

Esquina do Djalma – facebook.com/esquinadodjalma

Restaurante Cozinha Vivaah – cozinhavivaah.com.br

SÃO BENTO DO SAPUCAÍ

Restaurante Trincheira – pousadadoquilombo.com.br/restaurante

Restaurante Pedra do Baú – restaurantepedradobau.com.br

Restaurante Oliq – oliq.com.br/restaurante

SANTO ANTÔNIO DO PINHAL

Restaurante Jardins – jardimdospinhais.com.br

Donna Pinha – donnapinha.com.br

Restaurante Arco Íris – restaurantearcoiris.com.br

SÃO FRANCISCO XAVIER

A Soberana Cozinha Caipira – facebook.com/asoberanacozinhacaipira

Neo Armazém & Restô – facebook.com/neoarmazem

Caboclo Pizzaria – facebook.com/CabocloPizzariaSFX

MONTE VERDE

O Alquimista Restaurante – oalquimistarestaurante.com.br

Wine Not? Wine Bar – facebook.com/winebarMonteVerde

Nápoles Restaurante e Pizzaria – Av. Monte Verde, 790

GONÇALVES

Sabores da Mantiqueira – saboresdamantiqueira.com.br

Restaurante Sauá – restaurantesaua.com.br

Janelas com Tramela – facebook.com/janelascomtramela

Onde ficar

CAMPOS DO JORDÃO

Hotel Toriba – toriba.com.br

Pousada Caminho das Pedras – pousadacaminhodaspedras.com.br

Six Senses Botanique – botanique.com.br

Summit Suítes Hotel Campos do Jordão – summithotels.com.br

SÃO BENTO DO SAPUCAÍ

Pousada do Quilombo – pousadadoquilombo.com.br

Pousada Caminho da Mata – pousadacaminhodamata.com.br

Pousada Refúgio Mantiqueira – refugiomantiqueira.com.br

SANTO ANTÔNIO DO PINHAL

Pousada Alemã – pousadaalema.com.br

Rancho Zig Zag – ranchozigzag.com.br

Pousada Quatro Estações – pousada4estacoesdepinhal.com.br

SÃO FRANCISCO XAVIER

Pousada Morena SFX – pousadamorenasfx.com.br

Pousada Muriqui – pousadamuriqui.com.br

Portal do Equilibrium – portaldoequilibrium.com.br

MONTE VERDE

Pousada Jardim da Mantiqueira – pousadajardimdamantiqueira.com.br

Pousada Pedras e Sonhos – pedrasesonhos.com.br

Villa Coração Guest House – villacoracao.com.br

GONÇALVES

Pousada Riacho das Pedras – pousadariachodaspedras.com.br

Pousada Cabanas no Mundo – cabanasnomundo.com.br

Pousada Lua de Pedra – luadepedra.com.br

 

Texto por: Eliria Buso e Patrícia Chemin

Foto destaque por: iStock / paulobaqueta

Comentários