logo

Telefone: (11) 3024-9500

República Tcheca: da cerveja à arquitetura | Qual Viagem Logo

Abre

República Tcheca: da cerveja à arquitetura

7 de janeiro de 2015

República Tcheca

Às margens do Rio Vltava, ou Moldava, está a mais importante cidade da República Tcheca – Praga. Com sua longa história e uma localização especial entre oriente e ocidente, a capital do país desenvolveu um caráter único, que mistura culturas e tradições com uma harmonia especial e um cenário difícil de encontrar em outra cidade do mundo. E apesar dos muitos meios de transporte que servem a cidade, o encanto de suas ruas e praças convida os turistas a um passeio a pé, cheio de descobertas.

República Tcheca

Por Cláudio Lacerda Oliva e Eliria Buso


Andar por Praga é um passeio por tesouros arquitetônicos que vão da Idade Média, passam pelo Renascimento e chegam até a modernidade. Absolutamente imperdível, com seus 650 anos, é a Ponte Carlos ou arlova Most, adornada por trinta magníficas estátuas e uma torre em cada lado, um dos mais célebres cartões postais da capital tcheca. Seu nome homenageia Carlos IV, o imperador que, em 1357, iniciou as obras desta ponte que liga a cidade velha ao bairro pequeno, substituindo outra ainda mais antiga.

A maioria das atrações de Praga está concentrada no centro da cidade, entre o Castelo, a oeste, e no entorno da Cidade Velha, Staré Mesto. E apesar de
sua arquitetura que chama atenção, curiosamente, as ruas, praças, pontes, o casario – que transita entre o barroco, o rococó, o neoclássico e o gótico – encantam ainda mais os turistas.

República Tcheca

A Ponte Carlos é um dos principais cartões postais da cidade. FOTO: THINKSTOCK/F9PHOTOS

As estátuas, que se distribuem por seus 515 metros de comprimento formam uma verdadeira galeria de arte ao ar livre, visitada diariamente por milhares de turistas e onde ficam ainda músicos, vendedores ambulantes, pintores e artistas. Cruzá-la é passeio obrigatório e a visão do Castelo de Praga, a partir da ponte é absolutamente inesquecível.

Vista de muitos ângulos, Praga encanta com seus telhados e o tom ocre-avermelhado das construções, seja vista do rio, da ponte ou do castelo. De repente, surpreende os desavisados com o seu moderníssimo Ginger e Fred, apelido do edifício batizado como Dancing House, na Cidade Nova, em meio a prédios neobarrocos, neogóticos e art nouveau. Concebido pelo gênio de Frank Gehry e pelo tcheco Vlado Milunic, tem na cobertura um restaurante com uma magnífica vista da cidade.

Em contraste com o país onde 70% da população é composta de ateus, igrejas e sinagogas são pontos imperdíveis a quem visita Praga, seja pela beleza ou por sua importância histórica. Começando pela Catedral de São Vito, no Castelo de Praga e nela, em especial, a Capela de São Venceslau. Católicos têm parada obrigatória na Igreja de Nossa Senhora da Glória, datada do início do Barroco. É lá que fica a imagem do Menino Jesus de Praga, visitado por milhares de peregrinos, anualmente, que desde 1628 se encontra no altar lateral direito e, desde o ano passado, tem uma réplica de Nossa Senhora Aparecida ao seu lado, presenteada pelo Brasil.

República Checa

O Castelo de Praga era uma cidadela do século IX.

A Sinagoga Velha Nova, construída em meados do século 13, em estilo neogótico, originalmente recebeu o nome de “Nova” ou “Grande” Sinagoga, em oposição ao velho templo, que não foi conservado. Na mesma área fica o Velho Cemitério Judaico, com mais de 12 mil lápides que correspondem a cerca de 100 mil pessoas ali sepultadas desde o século 13 até o final do século 18.

Já o Castelo, onde começou a história da cidade, era uma cidadela no século 9. Dentro de suas muralhas, existem palácios, como o Real, do Arcebispo, Lobkowicz, Martinic, um belvedere de onde se tem uma das mais belas visões de Praga, igrejas e mosteiros, incluindo a catedral de São Vito e a igreja de São Jorge, ruas históricas, como a Rua do Ouro ou Viela Dourada, com construções do século 16 absolutamente preservadas, além dos parques e jardins reais.

República Checa

O relógio astronômico enfeita a fachada da prefeitura de Praga. FOTO: THINKSTOCK/DAVID PEREIRAS VILLAGRÁ

Atração destaque da cidade junto com o castelo, o famoso relógio astronômico (Orloj) fica no topo da torre da antiga prefeitura. O relógio tem uma história curiosa: conta-se que o artista responsável pela construção teve os olhos perfurados a mando do rei, para evitar que outro relógio similar fosse construído. Ele mostra, além das horas, hora do pôr do sol, aurora, tempo sideral, entre outras informações. Tudo isso em uma construção de geometria complexa com figuras de apóstolos e caveiras em movimento que anunciam a nova hora.

Mas além das construções tradicionais, há também um que de modernidade que chama atenção. O grafite inspirado em John Lennon, por exemplo, é hoje um símbolo da queda do comunismo na República Tcheca e recebe diversos turistas por sua criatividade. Os visitantes, além de conhecerem o lugar, podem deixar a sua marca nesse famoso muro de arte.

Algumas coisas são únicas em Praga. Como o Teatro Negro, com espetáculos que impressionam pela técnica. Em um palco escuro, atores vestidos de preto da cabeça aos pés manipulam objetos pintados com luz fluorescente, contando histórias, geralmente cômicas. É uma criação tcheca datada de 1961. Há muitos espetáculos desses na cidade. Basta conferir na programação de turismo ou nos hotéis. Também único é o que, fazendo jus ao autor de A Metamorfose, tem toques kafkianos com muitas instalações e interatividade, nas salas que falam do escritor e de sua obra.

Também única é a oferta musical da cidade. Durante todo o ano há concertos em muitas salas, mas é entre maio e junho que acontece o festival chamado de Primavera de Praga, uma série de concertos diários que levam à cidade favorita de Mozart músicos e turistas de todo o mundo.

E por falar em música, o jazz faz parte integrante da vida de Praga, com inúmeros clubes e casas noturnas onde é possível apreciar o estilo com músicos da melhor qualidade como no Agharta Jazz Club, U Maleho Glena Jazz Club, Ungelt Jazz & Blues Club. É na região da Praça da Cidade Velha e da Praça Venceslau que ficam também muitos dos clubes e casas noturnas da cidade, onde a noite – ainda que em dias frios – é sempre agitada e brindada com absinto, consumido legalmente na República Tcheca.

rest

Luxuoso e requintado, o Obecni Dum Café é perfeito para um café ao final da tarde. FOTO: DIVULGAÇÃO

A gastronomia conta com diversas opções de restaurantes, seja da cozinha tcheca ou internacional. Svicková, um dos pratos característicos do destino é composto por fatias de carne assada servida com molho espesso, cremoso, mais creme de leite e uma porção de geleia de amora e acompanhado de pão especial, o houskové kinedly. A especialidade é encontrada em diversos endereços da capital, como o Café Imperial – que nos remete à Praga boêmia e art deco. Outra parada obrigatória por lá é o Hanovsky Pavilon, restaurante em meio a um parque, com vista panorâmica é uma deliciosa culinária moderna.

Quem busca alta gastronomia tem um endereço certo em Praga: o restaurante Allegro, no Hotel Four Seasons, comandado pelo chef italiano Andréa Accordi, foi o primeiro restaurante na República Tcheca a merecer uma estrela no Guia Michelin. Além disso, quem visita Praga e não prova da cerveja tcheca comete quase que um pecado mortal. Orgulho nacional e bebida favorita do país – são 175 litros per capita – conta com inúmeras cervejarias que produzem sua própria pivo. Vale a pena uma visita a U Fleku, cervejaria que produz sua peculiar cerveja escura desde 1499 ou a U Pinkasú, antiga e popular desde 1843.

Checa

A casa municipal: uma beleza de art nouveau. FOTO: CZECH TOURISM

CAFÉS, UM ESTILO DE VIDA

Os habitantes e turistas têm nos cafés de Praga um ponto de encontro social e cultural. Hábito começou no século 18.

Célebres desde então, os muitos cafés de Praga fazem parte da vida da cidade e continuam atraindo visitantes. Neles, que artistas e intelectuais como Franz Kafka, Rainer Maria Rilke, Albert Einstein ou compositores como Bedřich Smetana, Antonín Dvořák se encontravam para discutir não somente a arte, mas também os destinos da República Tcheca. Degustando um café forte e fumegante, esses intelectuais tornaram famosas essas casas que são pontos de atração imperdível na cidade e que merecem uma visita. Hoje, os cafés contam com ares de modernidade, mas sem perder a áurea cultural dos anos passados. Confira alguns deles:

Café Savoy – Às margens do rio Moldava, próximo à ilha de Kampa, este café fica no térreo de um edifício Art Nouveau com um magnífico interior, pé direito de sete metros e um monumental candelabro, uma verdadeira joia neorrenascentista. Aberto em 1893, ele foi um café decadente, mas depois da Revolução de Veludo tornou-se popular e atraente ponto de encontro. É famoso por sobremesas de dar água na boca e também serve almoços leves.

Grand Café Orient – Este é o único café cubista no mundo e está no “Black Madonna House”, edifício projetado em 1912 pelo mestre da moderna arquitetura Josef Gočár, o pai do cubismo tcheco. Mas não é apenas na fachada que ele é cubista e que faz deste lugar único. O interior do primeiro andar, onde está o café, é igualmente cubista e Gočár foi também quem criou o balcão assim como a mobília, incluindo lustres e arandelas
cubistas. No Grand Café Orient são famosos o strudel de maçã servido com calda de caramelo e sorvete de baunilha, milkshakes e capuccino.

Café Slavia – Um dos mais antigos e visitados cafés da capital fica no lado oposto ao Teatro Nacional; inaugurado em 1863 tornou-se ponto de encontro de artistas e intelectuais. Totalmente decorado em Art Deco, de suas amplas janelas avista-se o Castelo de Praga, o Teatro Nacional, a Ponte Carlos. Além do café, o Slavia também é famoso por suas panquecas doces e salgadas, chocolate quente e bebida quente feita com rum.

República TchecaPLZEN É A CAPITAL EUROPEIA DA CERVEJA

Ainda falando em cerveja, esse pode ser o tema que faz os viajantes saírem de Praga em busca de um roteiro que percorre o país. Isso porque, além das muitas cervejarias da capital tcheca, a cidade de Plzen que é internacionalmente conhecida por sua cerveja vermelha, a Pilsner Urquell, vale uma visita. Plzen fica a menos de 100 quilômetros de Praga e se orgulha de ter produzido a primeira cerveja tipo pilsen do mundo, nos idos de 1842, cuja fábrica ainda está lá, em plena produção. É lá que é feita a Pilsner Urquell e também a Plznské pivo. A cidade, fundada em 1295 por Venceslau II, abriga, naturalmente, o Museu da Cerveja e muitas casas de arquitetura gótica, renascentista e barroca, que lhe conferem ar todo especial.

Plzen, começará, esse mês, oficialmente, a ser capital europeia da cultura com mais de 50 grandes shows e mais de 600 eventos programados. Mais ao sul de Praga fica a cidade de Ceske Budèjovice, igualmente famosa pela cerveja que produz a levemente adocicada Budweiser Budvar. Chamada pivo, a cerveja é um dos orgulhos nacionais sejam claras, escuras, avermelhadas, artesanais ou industriais.

Apenas nas regiões da Moravia e da Bohemia, antigos reinos, há mais de cem fábricas de cerveja. No que diz respeito à degustação da cerveja, a melhor rota fica mesmo por conta das pivovar, as cervejarias geralmente abastecidas, cada uma delas, por uma única marca de cerveja em seus vários tipos. Entre as marcas mais populares estão as pilsens Plzenké e a Gambrinus, a Staropramen, a Velkopopovické, além das cervejas de fabricação própria servidas em bares tradicionais como o U Flecku, em Praga, que, segundo consta, já fabricava, em 1459, sua própria cerveja, escura e forte, conhecida como tmáve.

No roteiro pelas cervejarias é importante saber que, diferentemente de outros países, você não precisa pedir a próxima cerveja; na grande maioria delas você vai sendo servido continuamente, até quando quiser parar.

CIDADES PITORESCAS E CENÁRIOS DE CINEMA

Ao sul da República Tcheca, quase na fronteira com a Áustria fica a pitoresca cidade de Cesky Krumlov na região conhecida como Bohemia do Sul, em um profundo vale do sinuoso rio Vltava (Moldava). Apenas 175 quilômetros separam esta joia arquitetônica da capital. Tours regulares levam o turista para passeios de um dia, mas um pernoite por lá vale a pena. Mistura de estilo barroco e renascentista, Cesky Krumlov teve a sorte de ficar adormecida durante dezenas de anos mantendo sua arquitetura perfeitamente intacta, um espetacular conjunto urbano com mais de trezentos edifícios históricos  formando um núcleo urbano de extremo interesse onde vivem pouco mais de 14 mil habitantes e que vale a pena visitar.

República Tcheca

Cesky Krumlov é repleta de lendas e histórias. FOTO: THINKSTOCK/RUDYBALASKO

No alto, o castelo, e abaixo, ruelas pitorescas onde estão instaladas inúmeras lojinhas de artesanato tcheco sejam joias, brinquedos educativos, cristais ou artesanato em cerâmica. Assim como vale a pena simplesmente contemplar a beleza desta cidade que, por sorte, não foi cenário de grandes batalhas e nem sofreu bombardeios, durante a II Guerra Mundial, conservando-se intacta até que foi libertada pelas forças aliadas em 1945. Desde 1960 a preservação de sua riqueza histórica, artística e cultural tem sido objeto de atenção especial, até ser incluída, em 1992, entre os lugares protegidos como Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade pela Unesco.

Quem visitar Cesky Krumlov vai ouvir, com certeza, algumas das lendas e histórias de fantasmas que fazem parte do folclore da cidade. Que pode ser a história do mordomo que guardava os vinhos no castelo – e ainda andaria por lá- vigiando a preciosa bebida e ensinando seus sucessores a escolher o exemplar correto. Ou então a história da casa mal assombrada onde – dizem – ainda se ouvem vozes e ruídos da luta dos dois homens que resultou em morte. Ou ainda a história da Dama Branca, a infeliz esposa do rei e muitos outros fantasmas, personagens da vida de Cesky Krumlov que dão, com certeza, um ar ainda mais pitoresco à cidade e até inspiraram algumas casas noturnas.

h777

Mlýnská Kolonáda é uma das principais atrações para observar a arquitetura de Karlovy Vary. FOTO: CZECH TOURISM

Cesky Krumlov tem uma variada programação de festas e espetáculos, desde o Festival de Música de Câmara, o Teatro de Verão da Bohemia do Sul, até o Festival Internacional de Música, celebrado em agosto nas imediações do Castelo. Mas a maior atração é, sem dúvida, a festa da Rosa de 5 Pétalas, que acontece no verão, quando se relembra a época mais florescente da cidade, o reinado os Rosenbergs. Durante três dias toda cidade recria a atmosfera de alguns séculos atrás, com centenas de pessoas vestindo trajes antigos, acompanhados de espetáculos de rua. Malabaristas, músicos e mercadores ocupam as ruas e praças e Cesky Krumlov em um autêntico espetáculo ao ar livre.

Muito próximo a Cesky Krumlov fica a pitoresca České Budějovice, cidade datada de 1265 e inteiramente planejada em xadrez e que tem, em sua imensa praça quadrada, com chafariz de proporções igualmente enormes, sua atração arquitetônica. Além de admirar esta obra e outras como o Convento dos Dominicanos, do século 13, com a igreja dos Sacrifícios da Virgem Maria e seus afrescos góticos, o turista vai a České Budějovice também atraido por outra preciosidade: a cerveja Budějovické Budvar, orgulho local e nacional.

Já a cidade de Karlovy Vary teve sua história iniciada de modo diferente. Foram suas fontes termais com poderes curativos e temperaturas que variam de 9 a 73 graus que atraíram Carlos IV, em 1350, para esta região, fundando Carlsbad, o balneário favorito das cortes europeias, durante séculos. Carlsbad tornou-se Karlovy Vary e as águas continuam atraindo turistas, mas sua beleza acabou por atrair também produtores de cinema e a cidade tornou-se uma superstar. O duelo de pôquer, um dos pontos altos do filme “Cassino Royale”, de James Bond, acontece, ficticiamente numa cidade de Monte Negro que, na verdade, é Karlovy Vary. Já o Hotel Splendide, onde o herói se hospeda, é o 5 estrelas Grand Hotel Pupp, um dos mais antigos e luxuosos da República Tcheca. Para filmar a entrada e a sala de jogos do Cassino Royale foram usadas as instalações do edifício dos Balneários Imperiais enquanto a estação de trem de Monte Negro é a Colunata de Molino, no centro histórico de Karlovy Vary. Outro filme rodado por lá foi “As Férias de Minha Vida” que mostra a cidade sob vários aspectos.

Mas a vocação de Karlovy Vary para o cinema levou para lá a sede do Festival de Cinema que atrai milhares de visitantes todos os anos no mês de julho. E além do Festival de Cinema, por lá também ocorre, todos os anos, o Festival Internacional de Jazz, em maio, o Festival Mozart y Karlovy Vary, o Festival de Música Clássica, concertos em que se utilizam instrumentos tradicionais, o Festival Mladé, para jovens instrumentistas, em agosto e a Competição Internacional de Canto Antonín Dvorák, em novembro.

Passear pelas alamedas desta bela cidade, observando sua arquitetura, especialmente a Mlýnská Kolonáda, a colunata corintia de Molino do século 19 e em Trziste, a Praça do Mercado é uma experiência especial. Praticamente fechada ao tráfego, a região central da cidade se estende pelas margens do rio Teplá. Nas ruas louka e Nová louka, nas duas margens do rio encontram-se produtos típicos da cidade: as famosas fábricas de cristais da Bohemia da marca Moser ou a porcelana Dvory y Stará Role.

Mas a cidade ficou famosa especialmente por duas delícias para o paladar: o licor Becherovka, cuja fórmula secreta foi elaborada por Josef Becher em 1807 e os famosos waffles. Enormes, super finos, de sabor delicadíssimo, esses waffles são servidos quentes, nas termas da cidade e deixam uma inesquecível lembrança no paladar do turista.


Para quando você for a República Tcheca

Castelo de Praga – Caminhar pelo Castelo, conhecer seus pátios e a Catedral de San Vito (a entrada é gratuita, mas tem uma área restrita que necessita ingresso). Do Castelo há uma das mais belas vistas panorâmicas de Praga. No Castelo também é possível visitar os jardins onde estão edifícios como o Belvedere e o Jogo de Bolas. Todos os dias, às 12 horas pode-se assistir a troca da guarda no primeiro pátio do Castelo.

Igreja do Menino Jesus de Praga – No bairro de Mala Strana (missa em espanhol às 17hs, aos sábados). Em Praga há muitas igrejas que podem ser visitadas sem custo como a de São Nicolau, de Nossa Senhora de Tyn, entre outras.

Jardins – Visita aos jardins dos palácios de Praga como o Palácio de Valdstejn, sede do Senado da República Tcheca.

Cafés – Fazer um tour pelos emblemáticos cafés de Praga: Café Orient, Café Slavia, Café Louvre, Café Imperial e Café da Casa Municipal.

Tour Grátis – Essas visitas guiadas começam na Praça da Cidade Velhas. No final, quem gostou do tour, dá uma gorjeta ao guia.

Relógio Astronômico – Observar o show proporcionado pelo monumento, na Praça da Cidade Velha, a cada hora.

Morro Petrin – Observar Praga do alto da sua Torre de Observação. Um grande parque rodeia o mirante que é considerado um lugar para os apaixonados. Pode-se subir caminhando desde o Castelo. Para subir à torre, paga-se ingresso.

Muro de John Lennon – Famoso muro grafitado na Ilha de Kampa.

conjunto1


ONDE FICAR

Praga

Plzen


 

COMO CHEGAR


 

PACOTES TURÍSTICOS


 

IDIOMA

Tcheco e eslovaco.


 

MOEDA

Coroa checa (koruna)


 

FUSO HORÁRIO

Quatro horas a mais em relação ao horário de Brasília.


 

VISTO

Cidadãos brasileiros são isentos de visto para entrada na República Tcheca em viagens de turismo por até 90 dias.


INFORMAÇÕES TURÍSTICAS

www.czechtourism.com

Comentários