logo

Telefone: (11) 3024-9500

México de braços abertos | Qual Viagem Logo

Zocalo Square and Mexico City Cathedral - Mexico City, Mexico

México de braços abertos

20 de maio de 2021

Da maior metrópole das Américas aos povoados mágicos, das civilizações maia e asteca aos cenários da independência, do Caribe à costa do Pacífico: embarque em uma viagem por alguns dos destinos mais surpreendentes do México, país que está aberto aos brasileiros.

CIDADE DO MÉXICO

O centro da lua dos astecas

Começamos o roteiro pela Cidade do México. Alegre, vibrante e colorida, a capital mexicana é um dos destinos culturalmente mais ricos e interessantes do mundo. Com uma mistura singular de construções primitivas e contemporâneas, é uma das maiores metrópoles do planeta.

Foto por iStock / UlrikeStein

Foto por iStock / UlrikeStein

A palavra México quer dizer “o centro da lua”, pois “metztli” é lua, “xictli” é centro e “co” é lugar, de acordo com o idioma dos astecas. Cidade mais populosa da América do Norte, a capital mexicana é cheia de cores, sabores, histórias e belezas. Antiga sede do Império Asteca, é hoje uma metrópole que guarda o melhor do passado entre arranha-céus e muitas avenidas.

São várias atrações para conhecer, lugares para visitar e comidas deliciosas para provar. Como a cidade é realmente enorme, é necessário fazer um roteiro com o que é mais atraente e interessante.

O centro histórico

Não tem como começar uma viagem à Cidade do México sem primeiro conhecer seu centro histórico. O ponto central é o Zócalo ou Praça da Constituición, a terceira maior do mundo. É ali que se concentram as sedes dos poderes econômicos, políticos e religiosos do país, além de ser o ponto de encontro para a maioria das celebrações e manifestações na capital. Também era no Zócalo que se concentrava o centro político e religioso de Tenochtitlán, a capital do Império Asteca, que hoje é a Cidade do México.

Foto por iStock / bpperry

Foto por iStock / bpperry

A área histórica engloba ainda importantes edificações, como a Catedral Metropolitana, o Palácio Nacional do México, o Palácio dos Correios, o Templo Mayor e o Palácio de Belas Artes.

Descoberto em 1978, durante os trabalhos de escavação do metrô, o Templo Mayor é um autêntico templo asteca no meio da cidade. Fácil de chegar, na região do Zócalo, ele fez parte da antiga cidade de Tenochtitlán. Ao lado do templo é possível visitar também o Museu del Templo Mayor, que guarda diversas relíquias encontradas durante as escavações.

Foto por iStock / Elijah-Lovkoff

Foto por iStock / Elijah-Lovkoff

O Palácio de Belas Artes, majestoso edifício de estilo art nouveau em mármore branco de Carrara, é a maior casa de ópera do país. Construído inicialmente para comemorar o centenário da independência mexicana, o Palácio de Belas Artes antes da pandemia tinha uma agenda cultural intensa, com apresentações de ópera, teatro e dança. É bom informar-se sobre a programação atual. O espaço abriga o Museo del Palacio de Bellas Artes, localizado no segundo e terceiro andares, com obras de artistas nacionais e exposições temporárias, e o Museu Nacional de Arquitetura.

Bem próximo ao Palácio está a Torre Latinoamericana, que data de meados do século XX, sendo o primeiro arranha-céu da Cidade do México. Com mais de 180 metros de altura, a construção está em uma zona sísmica com alta atividade.

A Catedral da capital é uma das mais antigas do continente, sendo um dos símbolos do domínio espanhol, construído para sobrepujar-se em relação aos templos astecas. Foram mais de 200 anos para que a igreja ficasse pronta, então é possível encontrar diversos estilos arquitetônicos, como barroco, renascentista e neoclássico.

Foto por iStock / AlbertoLoyo

Foto por iStock / AlbertoLoyo

O santuário de Nossa Senhora de Guadalupe é considerado um dos maiores templos católicos do mundo. O local abriga diversas igrejas e capelas, incluindo a antiga basílica, finalizada no ano de 1709, e a nova, da década de 1970. Há também um museu, com um grande acervo de relíquias culturais e artísticas da Virgem de Guadalupe.

Outras atrações

Foto por iStock / Edgar Machado

Foto por iStock / Edgar Machado

Localizados no sul da capital, os canais de Xochimilco reúnem, aos finais de semana e feriados, uma grande quantidade de turistas e mexicanos que levam suas famílias para confraternizar ou aproveitar o dia. Para começar o passeio é só alugar uma das “trajineras”, espécie de barquinhos coloridos e adornados com capacidade para cerca de 20 pessoas. Ao longo do percurso, que pode ter duração de uma hora ou o dia inteiro, o viajante pode experimentar a culinária local, comprar souvenirs e flores dos vendedores flutuantes. Para o passeio ficar ainda mais divertido, é possível contratar uma apresentação de mariachis ou contação de histórias. Xochimilco foi declarado, em 1987, Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO.

Foto por iStock / Elijah-Lovkoff

Foto por iStock / Elijah-Lovkoff

Conhecido popularmente como “Casa Azul”, o Museu Frida Kahlo é um dos museus mais populares da Cidade do México. Localizado em Coyocán, um dos mais belos e antigos bairros da cidade, o museu foi a casa onde nasceu, viveu e morreu Frida Kahlo, a mais importante artista plástica do país. O museu-casa revela todo o universo íntimo e a personalidade de Frida, por meio de um completo acervo de fotos, obras, autorretratos e objetos pessoais.

Foto por iStock / DarrenTierney

Foto por iStock / DarrenTierney

Na Avenida Presidente Masarik ficam as principais lojas de grife da cidade, como Gucci, Louis Vuitton e Cartier. Perto dali, está o edifício futurista do Museu Soumaya, que possui um acervo de mais de 60 mil peças, que vão desde o século XV até os dias de hoje.

Foto por iStock / bpperry

Foto por iStock / bpperry

Já as pirâmides do sítio arqueológico de Teotihuacan são uma boa atração nos arredores da cidade. A uma distância de 50 km da capital, foi um dos epicentros cerimoniais mais importantes da América pré-colombiana. Prepare o condicionamento físico: o viajante está autorizado a subir os sofríveis degraus das pirâmides do Sol e da Lua, no lado oposto. Lá de cima, é possível tirar incríveis fotos panorâmicas de todo o sítio arqueológico. Para chegar a Teotihuacan você pode contratar um tour ou ir por conta própria, pegando o metrô até a estação Autobuses del Norte, onde funciona um terminal rodoviário. Lá dentro, procure o setor 8, onde são vendidas as passagens de ônibus para as pirâmides.

O maravilhoso parque de Chapultepec

Foto por iStock / diegograndi

Foto por iStock / diegograndi

O bosque de Chapultepec é o maior e mais antigo parque urbano das Américas e chega a receber 16 milhões de visitantes por ano. Com lagos, jardins, monumentos e caminhos arborizados, é um dos lugares mais encantadores e tranquilos da metrópole.

No centro do bosque, bem no alto, está o Castelo de Chapultepec. Dele, é possível admirar toda a beleza da vista do horizonte da Cidade do México. Nas instalações do castelo, encontra-se o Museu Nacional de História, que exibe um acervo com mais de 65 mil peças de grande valor histórico e cultural.

Foto por iStock / R.M. Nunes

Foto por iStock / R.M. Nunes

Já no bosque, ainda é possível visitar o zoológico, o Jardim Botânico e outros museus, como o de Arte Moderna e o Rufino Tamayo, um dos grandes artistas mexicanos. A maioria das atrações encontra-se na primeira parte do bosque, bem próximo ao Paseo de la Reforma, uma das principais avenidas da capital. Do outro lado da via, não deixe de visitar o Museu Nacional de Antropologia, com obras arqueológicas e antropológicas das ricas culturas pré-colombianas do México – os maias e os astecas são apenas dois desses povos.

Gastronomia vai além de tacos e burritos

Um país cheio de cultura e história reflete isso em sua gastronomia. Tudo é muito temperado, colorido e saboroso. Grande parte dos alimentos são feitos à base de milho, feijão e chili, a pimentinha que dá um toque diferente aos pratos.

Entre tortilhas, tacos e guacamole, é possível encontrar cazón, tamales e outras iguarias tradicionais e deliciosas. As barraquinhas de comida de rua oferecem desde tripas a insetos – para aqueles que têm coragem e vontade, vale a pena experimentar. É claro, o visitante também vai encontrar muitos tacos sendo vendidos, com diversos tipos de recheios para complementar a refeição, aí vai do gosto de cada um.

No centro histórico, principalmente na região de Zócalo, é onde se tem a maior concentração de restaurantes da cidade, que oferecem um cardápio variado de opções e preços. O Balcón del Zócalo, além de proporcionar uma belíssima visão para a Plaza de la Constitución, possui um cardápio que mistura o melhor da comida tradicional com um pouquinho da cozinha contemporânea. Em Polanco, que é sem dúvida um dos bairros mais sofisticados e exclusivos da capital mexicana, o visitante vai encontrar o restaurante Pujol, que figura entre os melhores do mundo.

 

CANCÚN E RIVIERA MAIA

O Caribe para todos os gostos

O estado de Quintana Roo, na Península de Yucatán, guarda um dos litorais mais desejados de todo o Caribe. São cerca de 130 km entre a badalação de Cancún e a tranquilidade de Tulum, junto à Reserva de Sian Ka’an. Entre esses dois extremos estão resorts all inclusive, hotéis boutique de luxo, praias de areia branquinha, sítios arqueológicos e muito mais, além, é claro, do mar turquesa e cristalino do Caribe.

Cancún: paraíso dos turistas

Foto por iStock / Jonathan Ross

Foto por iStock / Jonathan Ross

É fácil entender a popularidade de Cancún: o destino reúne tudo que um turista pode querer. Resorts completos, shoppings, vida noturna, praias de cartão-postal e passeios imperdíveis. A zona hoteleira é separada do continente por uma lagoa e seu formato é semelhante a um “7”, todo pontuado por resorts de alto padrão das principais bandeiras da hotelaria internacional.

Foto por iStock / Elijah-Lovkoff

Foto por iStock / Elijah-Lovkoff

Na mesma área estão os shoppings – destaque aqui para o La Isla Shopping Village, o Kukulcan Plaza e o Forum by The Sea, que mais parecem pedaços dos Estados Unidos em pleno México. Em Cancún há uma infinidade de lojas de marcas famosas e restaurantes de grandes redes, que fazem deste um destino mais americanizado. Por ali, você vai se deparar com nomes bem conhecidos, como o bar Señor Frog’s e o Hard Rock Café. À noite, o agito se concentra nas baladas, em clubes como o Coco Bongo e o Dady’O.

Foto por iStock / shakzu

Foto por iStock / shakzu

Na hora de escolher a hospedagem, vá de acordo com o seu perfil. Se a ideia é descansar na praia e aproveitar toda a estrutura de um resort, optar por uma estadia all inclusive é a melhor opção, com ótimo custo-benefício. Vale destacar que na parte norte da zona hoteleira o mar é mais calmo. Porém, se você prefere fazer passeios diferentes todos os dias e conhecer a boa oferta de restaurantes e shoppings fora dos hotéis, há resorts sem o pacote all inclusive. Se esse for o seu caso, vale a pena também alugar um carro.

Foto por iStock / eddygaleotti

Foto por iStock / eddygaleotti

Um dos principais passeios para quem visita Cancún é a Isla Mujeres. Cercada pelo mar caribenho, essa pequena ilha abriga praias paradisíacas, lojas e restaurantes e surpreende pela calmaria de suas águas, vida marinha abundante e recifes de corais. É um local perfeito para mergulho e snorkeling. Também imperdível é o Museu Subaquático de Arte (MUSA), que guarda 500 esculturas submersas e é a maior atração do tipo no mundo.

Agito latino em Playa del Carmen

Playa del Carmen é o centro da Riviera Maia, como é chamado o trecho litorâneo ao sul de Cancún. Pouco menos de 70 km separam Playa Del Carmen de seu vizinho mais famoso – apesar de próximos, os dois destinos têm personalidades bem diferentes.

Foto por iStock / posztos

Foto por iStock / posztos

Ainda com a atmosfera do povoado de pescadores que existia ali até meados da década de 1980, Playa del Carmen tem um charme mais latino. A badalação está no centro, na área entre a Quinta Avenida e a Calle 12, com muitos restaurantes, bares, clubes de praia e lojinhas.

Foto por iStock / ronniechua

Foto por iStock / ronniechua

A praia central é mais movimentada, com muitos barcos pela orla. As praias mais tranquilas ficam ao norte e ao sul, áreas que receberam grandes investimentos nos últimos anos e se tornaram destinos de luxo, com grandes resorts à beira-mar, campos de golfe e condomínios fechados.

Foto por iStock / LisaStrachan

Foto por iStock / LisaStrachan

Uma das vantagens de se hospedar em Playa del Carmen é a localização: a cidade é uma ótima base para fazer passeios pela Riviera Maia ou até Cozumel. Em curtos trajetos de carro é possível chegar a Tulum, aos cenotes da região e aos parques ecológicos Xcaret, Xel-Há e Xplor. Com experiências focadas no turismo sustentável, os parques do Grupo Xcaret combinam belíssimos cenários naturais com atrações de ecoturismo e aventura.

Cozumel e as belezas subaquáticas

De Playa del Carmen saem as balsas com destino à ilha de Cozumel, uma das mais paradisíacas do Caribe. Por ser um tradicional ponto de parada de cruzeiros, a maior parte dos turistas por ali são visitantes de um dia. Mas também há ótimos resorts por toda a costa oeste de Cozumel, além de beach clubs.

Foto por iStock / elciodjr

Foto por iStock / elciodjr

A cidade é pequena, com alguns centros comerciais, restaurantes de grandes redes e bares. Mas a verdadeira beleza de Cozumel não está em terra firme. Com águas cristalinas e quentes, uma vida marinha exuberante e uma grande concentração de corais, a ilha é reconhecida internacionalmente como um dos melhores destinos de mergulho do mundo. Entre as melhores praias para essas atividades estão a Palancar e a El Cielo.

Foto por iStock / Profundo no Mundo

Foto por iStock / Profundo no Mundo

Junto aos recifes está o Parque Chankanaab, onde é possível mergulhar com cilindro ou snorkel, nadar com golfinhos e muito mais. Administrado pelo mesmo grupo, o Punta Sur Eco Beach Park, em torno do Farol Celarain, é uma reserva natural com flora, fauna e lagoas preservadas, além da praia com áreas para snorkeling e caiaque. Cozumel tem ainda o sítio arqueológico de San Gervasio, com ruínas da civilização maia.

Tulum: rústico e exclusivo

Foto por iStock / Iren_Key

Foto por iStock / Iren_Key

Se Cancún e Playa del Carmen são lugares mais agitados, Tulum é para quem busca férias sossegadas e hospedagens mais exclusivas. Quem vai a Tulum em um passeio bate e volta geralmente visita apenas o sítio arqueológico que tornou esse destino famoso. Essa popularidade não é à toa: o cenário de cartão-postal revela templos maias erguidos sobre rochedos de frente para o mar azul turquesa. É a única zona arqueológica do México com esse visual.

Foto por iStock / LUNAMARINA

Foto por iStock / LUNAMARINA

Mas quem opta por ficar hospedado em Tulum se surpreende com um lado totalmente diferente do destino. A zona hoteleira fica a alguns quilômetros ao sul do sítio arqueológico. Sem grandes redes de resorts e restaurantes, dominam a área as pousadas e os hotéis boutique, que seguem um estilo rústico, chique e ecológico.

Também não há uma vida noturna agitada, o que significa muito sossego, e tudo é pé na areia – dos hotéis aos bares e restaurantes. As praias seguem a regra: areia branquinha e mar azul turquesa.

Tesouros da civilização maia

Foto por iStock / javarman3

Foto por iStock / javarman3

Os maias foram uma das civilizações pré-colombianas mais fascinantes, despertando a curiosidade das pessoas até os dias atuais. Os povos maias habitaram o território que hoje forma a Guatemala, Belize e a Península de Yucatán, deixando por toda essa área vestígios de sua história e cultura.

Entre Tulum, Playa del Carmen e Puerto Morelos, é possível conhecer os cenotes, poços de água formados por rios subterrâneos, típicos de Yucatán. Cercados por um clima místico, os cenotes eram considerados espaços sagrados pelos maias. Muitos deles (há milhares por toda a península) são abertos para nado, mergulho e até passeios de caiaque em suas águas cristalinas. 

Foto por iStock / Seckin Ozturk

Foto por iStock / Seckin Ozturk

Algumas dessas piscinas naturais são parcialmente escondidas por cavernas, enquanto outras são mais abertas, como lagoas. Entre os cenotes mais conhecidos da região estão o Dos Ojos, o Gran Cenote – ambos próximos a Tulum –, e o Ik Kil, no caminho para Chichén Itzá.

Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO e uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno, o sítio arqueológico de Chichén Itzá data do século VI e conta com monumentos bem preservados, que mostram como os maias eram uma sociedade dinâmica, com conhecimentos extensos de matemática, arquitetura e astronomia.

Foto por iStock / ronniechua

Foto por iStock / ronniechua

O local fica a 180 km de Playa del Carmen e é imperdível para quem viaja para a Riviera Maia ou Cancún. É possível contratar o passeio a partir de uma dessas cidades ou ir por conta própria, de carro ou de ônibus.

O destaque de Chichén Itzá é El Castillo, como é mais conhecida a Pirâmide de Kukulkán, com seus 365 degraus – um para cada dia do ano. Outra característica surpreendente da pirâmide pode ser vista duas vezes por ano, nos equinócios de primavera e de outono, quando a sombra dos degraus faz surgir a silhueta de uma serpente que parece descer a pirâmide.

Menos conhecidas, vale também conhecer as ruínas de Cobá, com uma das pirâmides maias mais altas do México, Nohoch Mul. Fica a cerca de 50 km de Tulum.

 

GUANAJUATO

As cores da independência mexicana

A história do México vive em Guanajuato, estado localizado no centro do país, a noroeste da Cidade do México. O destino abriga um rico patrimônio cultural, da arquitetura do período colonial aos cenários da independência do país em algumas das cidades mais bonitas do México.

As cidades de Guanajuato, capital homônima do estado, e de San Miguel de Allende encantam pela beleza de suas construções coloridas do período colonial e ruas calçadas de pedras. Ambas estão na lista de Patrimônios da Humanidade da UNESCO.

Encantos de Guanajuato

Foto por iStock / SL_Photography

Foto por iStock / SL_Photography

Guanajuato é paixão à primeira vista. Suas ruas estreitas e tranquilas são repletas de sobrados das mais diversas cores, com todo o charme do estilo colonial. A cada esquina você vai se deparar com visuais incríveis. Antiga cidade mineira do século XVIII, é cercada por altas montanhas e está situada a 2.000 metros de altitude. O panorama da cidade pode ser admirado do alto do Mirante do Pípila, onde a vista é de tirar o fôlego. Há um funicular para chegar até lá e esse pode ser um bom ponto para começar seu passeio.

Foto por iStock / Elijah-Lovkoff

Foto por iStock / Elijah-Lovkoff

Com muitas ladeiras, escadarias e algumas ruas apenas para pedestres, o centro de Guanajuato é para conhecer a pé. Vá sem pressa, para conseguir admirar cada cantinho. Guanajuato tem uma grande população universitária e, por isso, sua vida noturna é animada, com muitos bares e tavernas. Mesmo à noite, é uma cidade muito segura, onde os turistas podem caminhar sem preocupações.

Foto por iStock / Roberto Michel

Foto por iStock / Roberto Michel

O Teatro Juárez é uma das construções mais bonitas de Guanajuato, tanto por sua fachada quanto por sua sala de espetáculos. Não deixe de conferir também o prédio da Universidade de Guanajuato e a Basílica da cidade. Para comprar artesanatos típicos da região, vale incluir o Mercado Hidalgo no roteiro.

Há restaurantes e cafés por todo o centro e a culinária é deliciosa e barata – uma boa refeição pode sair por menos de R$ 40. Prove as tradicionais enchiladas mineras, as pimentas recheadas e os saborosos moles (molhos encorpados feitos com vários ingredientes aromáticos).

Foto por Patrícia Chemin

Foto por Patrícia Chemin

Um dos cantos mais fotogênicos de Guanajuato é o Callejón del Beso, ou “beco do beijo” – um beco tão estreito que as sacadas de duas casas vizinhas quase se tocam. É o cenário do amor trágico de Ana e Carlos – uma lenda da cidade à la Romeu e Julieta. A tradição diz que os apaixonados devem se beijar ali, um em cada sacada.

Foto por Patrícia Chemin

Foto por Patrícia Chemin

Essa e outras histórias da cidade são contadas nas “callejoneadas” com uma “estudiantina”. Tradição de Guanajuato, trata-se de uma caminhada bem animada pelas ladeiras e becos da cidade, liderada por um conjunto musical de universitários vestidos em trajes de época. Ao longo do percurso, tocam canções populares mexicanas e contam lendas e curiosidades de Guanajuato. Não é preciso ser fluente em espanhol para entender e se divertir.

Ainda no centro histórico, é possível conhecer um dos cenários da luta pela independência do México, o Alhóndiga de Granaditas, que hoje é um interessante museu de história regional. Vale também uma visita à Casa Museu de Diego Rivera, já que Guanajuato é a cidade natal do famoso artista.

Já no Museu das Múmias de Guanajuato está exposta mais de uma centena de corpos mumificados, encontrados por acaso na região. O curioso é que são múmias naturais, preservadas graças às características únicas do solo de Guanajuato. É a maior coleção do tipo no mundo.

Foto por Patrícia Chemin

Foto por Patrícia Chemin

E mais uma característica singular de Guanajuato: pelas ruas há uma série de monumentos em homenagem a Dom Quixote e Miguel de Cervantes. O motivo: Guanajuato é considerada a “capital cervantina da América”, pois, desde os anos 1950, realiza muitos estudos e espetáculos em homenagem ao escritor espanhol. Dentro desse tema, há o Museu Iconográfico de Quixote e o renomado Festival Internacional Cervantino, que acontece anualmente.

As belezas de San Miguel de Allende

Foto por iStock / bpperry

Foto por iStock / bpperry

Foi só a partir dos anos 2000 que a pequena San Miguel de Allende caiu nas graças dos estrangeiros e chamou a atenção das publicações de viagens norte-americanas e europeias, sempre figurando entre os melhores destinos do México e até do mundo.

A cidade é puro charme autêntico mexicano. Fundada em 1542, San Miguel tem muitas construções que datam do século XVIII e estão em ótimo estado de conservação, proporcionando uma viagem no tempo. É uma rua mais bonita do que a outra. Com as fachadas em tons de vermelho, amarelo e laranja no estilo do barroco mexicano, essas antigas casas hoje abrigam uma infinidade de restaurantes, cafés, boutiques, lojinhas de souvenirs e casas de cultura.

Foto por Patrícia Chemin

Foto por Patrícia Chemin

Vale destacar a limpeza e a organização da cidade, além da segurança. Para aproveitar o agradável clima noturno, há vários restaurantes instalados na cobertura de sobrados históricos, como o La Posadita. Já nos mais tradicionais, como o Los Milagros e o María Xoconostle, prove a típica culinária mexicana, com muitos temperos, aromas e, é claro, uma boa dose de pimenta.

O molcajete é uma ótima pedida – carnes variadas servidas em uma pedra vulcânica quente, para comer com tortillas, guacamole e frijoles (pasta de feijão). Os aventureiros podem experimentar os chapulines (pequenos gafanhotos fritos) e os escamoles (ovos de formiga refogados). Para beber, peça uma horchata (bebida gelada à base de arroz) ou uma água de jamaica (refresco de hibisco).

Foto por iStock / Elijah-Lovkoff

Foto por iStock / Elijah-Lovkoff

No roteiro, inclua uma visita à Igreja de San Miguel Arcángel. Inspirada nas catedrais góticas da Europa, tem uma enorme fachada em tons rosados e cheia de detalhes. Ao lado está o Museu Casa de Allende, onde viveu um dos heróis da independência do México, o general Ignacio Allende. Aliás, a cidade foi renomeada em sua homenagem.

A partir desse ponto, sinta-se livre para caminhar sem rumo pelas ruas repletas de agradáveis surpresas a serem descobertas, de galerias de arte a bibliotecas públicas. Escolhida como a Capital Americana da Cultura de 2019, San Miguel tem uma série de centros culturais, como a Casa del Mayorazgo de la Canal e o Centro Cultural Ignacio Ramírez “El Nigromante” – ambos instalados em antigas mansões. Perto da Plaza Cívica, siga para o Templo de San Felipe Neri e o mercado de artesanato da cidade.

História em Dolores Hidalgo

Na pequena cidade de Dolores começou o movimento de independência do México, liderado por Miguel Hidalgo, padre da paróquia local. Ali, em 1810, foi dado o Grito de Dolores, que marcou o início da luta contra o domínio espanhol. Além de ser o berço da independência mexicana, Dolores Hidalgo é um dos Pueblos Mágicos do país – conjunto de povoados reconhecidos pela riqueza cultural.

Foto por iStock / Roberto Galan

Foto por iStock / Roberto Galan

A partir da praça central, visite a Igreja de Nossa Senhora das Dores, padroeira da cidade. Com uma atmosfera pacata de cidade do interior, o centro de Dolores Hidalgo é composto por ruas com calçamento de pedra e construções baixas em tons terrosos.

Foto por iStock / Roberto Galan

Foto por iStock / Roberto Galan

O Museu Casa de Hidalgo conta sobre a vida de Miguel Hidalgo e a luta pela independência. Ali eram realizados os encontros que instigaram a população local contra os espanhóis. Outros pontos de interesse são o Museu do Vinho de Guanajuato e o Museu Casa de José Alfredo Jiménez, que foi o maior compositor da música tradicional mexicana.

Depois de uma boa caminhada, não deixe de provar os sorvetes de Dolores, uma tradição na cidade desde o início do século passado. Há sorveterias, como a La Flor de Dolores, e barraquinhas de sorvete por todos os lados, que vendem de sabores tradicionais a outros bem exóticos. Outros produtos típicos da cidade são os artigos feitos de cerâmica.

Muito além da tequila e do mezcal, o estado de Guanajuato surpreende ao abrigar mais de uma dezena de vinícolas e uma rota do vinho. Como a produção ainda é bem recente e artesanal, são vinícolas boutique, que oferecem uma experiência mais personalizada. Localizada em Dolores Hidalgo, a vinícola Cuna de Tierra foi pioneira na região e oferece tours guiados, degustações e refeições harmonizadas.

 

RIVIERA NAYARIT E PUERTO VALLARTA

Os tesouros do Pacífico

Com 320 quilômetros de costa do Pacífico imaculado, cidades mágicas, santuários naturais e luxuosas acomodações em hotel resort, Riviera Nayarit e Puerto Vallarta formam um roteiro dos sonhos pelo México. Os estados de Nayarit e Jalisco, na costa oeste do país, são terras de muito contraste, mas que se complementam criando uma atmosfera única por lá.

A paisagem vai de praias a montanhas, a gastronomia, dos típicos nachos e guacamole a uma infinidade de pratos com frutos do mar; e, na hotelaria, pousadas de charme e hotéis Five Diamonds surgem como opção para todos os gostos e bolsos.

Vallarta, por exemplo, famosa desde os anos 1960, graças a uma visita hollywoodiana de Elizabeth Taylor, é um destino com atrativos naturais e culturais que atendem a variados públicos.

Foto por iStock / Elijah-Lovkoff

Foto por iStock / Elijah-Lovkoff

A começar pelo seu Malecon, que é point desde as primeiras horas da manhã até a noite. Com lojas, restaurantes e casas noturnas, a orla da cidade é parada obrigatória dos turistas. Ali também se encontram esculturas em bronze de artistas locais que contam a história da região. Uma das mais famosas é o cavalo marinho, símbolo local.

Outra parada obrigatória por Puerto Vallarta é a Cidade Antiga, região do centro histórico que reúne atrativos como a Praça das Armas, a Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe e os Arcos, onde acontecem as principais apresentações culturais do destino.

Foto por iStock / rolfe_tessem

Foto por iStock / rolfe_tessem

Conhecido por ser um dos lugares mais amigáveis do mundo, Vallarta abriga também a Zona Romântica, com bares, restaurantes, lojas, beach clubs e pousadas charmosas. Essa região é uma das mais badaladas da cidade e oferece, além de tudo, atrações e serviços exclusivamente pensados para o público LGBT+.

E é ali também que fica a Praia dos Mortos, uma das mais famosas do lugar, que tem boa estrutura de guarda-sóis, espreguiçadeiras e até descolados beach clubs. Além de curtir os bons serviços locais, vale a pena praticar esportes aquáticos como windsurfe ou jet-ski. Cartão-postal da praia, o Píer dos Mortos é um dos melhores lugares para admirar o belo entardecer da cidade.

Foto por iStock / Hugo de Jesus Hernandez Rivera

Foto por iStock / Hugo de Jesus Hernandez Rivera

Falando em praias, as mais bonitas da cidade só podem ser acessadas por mar, portanto, vale a pena apostar em um passeio de barco para desfrutar desses pedaços do paraíso mexicano.

O destaque fica por conta de Las Caletas e Majauhuitas. A primeira é uma pequena ilha tem atividades como mergulho, caiaque e stand up paddle, além de um espetáculo noturno – o Ritmos de la Noche – que mescla teatro com Cirque du Soleil integrando elementos da natureza a um show de música, dança e folclore.

Enquanto Majauhuitas, mais sossegada, conta com atrativos naturais e estrutura para a prática de snorkel, sky diving, stand up paddle e mais esportes aquáticos.

Além-praias, Vallarta conta ainda com um espaço recheado de atrações para deixar a adrenalina nas alturas. É o Canopy River Park, que reúne tirolesas, trilhas de quadriciclo e racers (rzr), rafting, passeios de mula, tour de tequila e muito mais.

Cercado por uma rica natureza, o local abriga, ainda, um super cartão-postal, a ponte Jorullo. Com 470 metros de comprimento e 150 de altura acima do rio Cuale, a ponte pênsil rende boa dose de adrenalina para ser ultrapassada, seja de quadriciclo, racer ou a pé. A vista de lá de cima também é única e incrível!

Santuário de animais

Graças a sua disposição geográfica, Vallarta é considerada um santuário de animais, reunindo diversas espécies de pássaros, além de golfinhos, baleias jubarte – que anualmente procuram as águas do Pacífico para procriarem – e tartarugas oliva.

Essas últimas, inclusive, fazem parte de um dos espetáculos naturais mais encantadores da região: a soltura dos filhotes ao mar. De agosto a dezembro, os turistas que visitam essa zona mexicana podem observar – e até participar – da desova das tartaruguinhas filhote na praia.

E além disso, toda essa diversidade permite atividades de ecoturismo como birdwatching, ou observação de pássaros. Puerto Vallarta e, em geral, a Baía Banderas tem aproximadamente 350 espécies de aves na área, incluindo aves aquáticas, terrestres e marinhas.

A queridinha Nayarit

Encravada entre a imponente Serra Madre Ocidental e as águas do Pacífico, Riviera Nayarit é um conglomerado de pueblos vizinhos de Puerto Vallarta. O destino chama a atenção por suas belas paisagens de areias branquinhas, mar azul, peixes coloridos e tudo que um verdadeiro paraíso tem direito. Mas também é um reduto de luxo e da autêntica cultura mexicana.

Foto por iStock / Isabellaphoto

Foto por iStock / Isabellaphoto

Badalado e tranquilo ao mesmo tempo, o lugar encanta o turista com seu clima autêntico.

Seus principais pueblos são: Bucerías, com longa praia e ruas empredadas; Destileras, reduto de surfistas; Sayulita e seu ambiente jovem; e Flamingos, onde se encontram três belos lagos.

E, neste momento, além das ofertas naturais, o destino mexicano lançou um Guia de Boas Práticas e Bem-Estar Riviera Nayarit, um extenso plano de protocolos e medidas de higiene para o setor de turismo do destino, incluindo a utilização de máscaras, o distanciamento social e aumento na frequência de limpeza de todas as áreas públicas e fechadas.

Além disso, Riviera Nayarit se tornou um dos primeiros destinos a receber o Selo de Viagem Segura concedido pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), um reconhecimento altamente respeitado dado a destinos e hotéis que adotaram protocolos padronizados de saúde e higiene em todo o mundo.

Foto por iStock / InStock

Foto por iStock / InStock

Com toda essa extensão de litoral, é claro que as praias são o grande chamariz local. Entre as faixas de areia semi-desertas com mar transparente destacam-se Punta Mita, exclusiva e com acesso por um luxuoso condomínio, a de San Pancho, mais rústica e democrática, e a deserta La Lancha.

Agora, se a ideia é encontrar um refúgio escondido e selvagem, as Ilhas Marietas são o destino certo. O lugar, que representa a imagem mais famosa dessa região, é na verdade uma reserva natural protegida pelo governo federal que só pode ser acessada por empresas turísticas autorizadas.

Foto por iStock / CassielMx

Foto por iStock / CassielMx

Em uma das ilhas está a famosa Praia Escondida, que lembra uma caverna gigante com uma abertura no centro da rocha pelo qual entra luminosidade. Suas águas são cristalinas e formam uma enorme piscina natural nos mais belos e variados tons de azul e verde.

Acessível apenas por meio de passeios de barco particulares, o lugar conta ainda com restrição de acesso a apenas 117 pessoas por dia.

De volta à terra firme, o povoado de Sayulita é um descolado bairro que atrai principalmente o público jovem com suas atividades e serviços.

Foto por iStock / zstockphotos

Foto por iStock / zstockphotos

Grande conhecido dos surfistas, o lugar também oferece aulas e equipamentos de stand up paddle, mergulho e canoagem, além de lojas de souvenirs – que contam com uma infinidade de caveirinhas coloridas em alusão ao Dia dos Mortos –, restaurantes e bares de praia.

A Riviera Nayarit oferece ainda férias de golfe exclusivas com vistas deslumbrantes do Oceano Pacífico como plano de fundo. Uma das opções mais populares entre os golfistas é o campo de golfe Litibú, um campo de 18 buracos criado por um dos designers mais renomados do mundo, Greg Norman. Situado em frente ao luxuoso Conrad Punta de Mita, este campo de golfe combina beleza natural com design moderno, prometendo um jogo desafiador para golfistas de todos os níveis e habilidades.

Cultura Huichol

A Riviera Nayarit permite o visitante se conecte com a cultura nativa mexicana de várias maneiras. Entre as mais intrigantes estão a cerimônia Huichol, disponível nos rituais Grand Velas Riviera Nayarit e Temazcal no Imanta Resorts Punta de Mita. As duas propriedades incluem essas experiências em pacotes que as tornam facilmente acessíveis.

A cerimônia de casamento à beira-mar de Huichol é parte da cultura única dessa tribo, que ainda vive nas montanhas de Sierra Madre. A noiva usa o traje branco tradicional adornado com flores ou bordado de veado, enquanto o noivo veste um chapéu de palmeira adornado com sementes de árvores ou penas.

O ritual de Temazcal em Imanta é uma forma de experiência em estufa, uma limpeza espiritual realizada dentro de uma estrutura de cúpula de rocha vulcânica, conectando seus praticantes a antigos rituais realizados ao longo dos séculos em toda a Mesoamérica.

Além disso, os Estados de Nayarit e Jalisco, assim como Durango e Zacatecas contam, até hoje, com moradores desse povo, que hoje vive principalmente de sua arte.

Foto por Eliria Buso

Foto por Eliria Buso

Criando peças como bijuterias, roupas e objetos de decoração que representam deuses do sol e da chuva, os huicholes são conhecidos pela utilização de miçangas coloridas. Os produtos estão disponíveis em praças, lojas de souvenirs e até hotéis da região.

Turismo sustentável

Iniciado em 2019 por decreto presidencial, o Projeto Integral da Reserva da Biosfera Islas Marías, no destino mexicano de Riviera Nayarit, visa transformar o centro penitenciário localizado nas ilhas em um centro de preservação ambiental com caráter de reserva da biosfera e que promova o turismo sustentável.

As Ilhas Marías, hoje sede do Centro de Educação Ambiental e Cultural ‘Muros de Agua – José Revueltas, são um paraíso natural pouco explorado, declarado Reserva da Biosfera pela UNESCO em 2010, e composto por quatro ilhas. Isla Madre, a maior e única ilha habitada, seguida de María Magdalena, María Cleofas e o ilhéu de San Juanito.

Devido à sua localização no Oceano Pacífico, o destino possui grande riqueza natural: sua fauna é composta por 21 espécies de tubarões, 10 de raias, 3 de tartarugas marinhas, entre outras. Também podem ser encontrados recifes de coral e 24 subespécies endêmicas de pássaros, além de vários mamíferos, como coelhos e guaxinins.

A apresentação do Projeto Integral da Reserva da Biosfera Islas Marías representa a oportunidade de endossar seu compromisso de promover práticas sustentáveis no turismo e permitir o desenvolvimento econômico e social de suas populações.

Como parte dos esforços de conservação, estão contempladas obras de reabilitação de ruas, limpeza de estradas, renovação de habitações, entre outras. Prevê-se que não existam hotéis ou qualquer outra opção de alojamento para os turistas com o intuito de preservar o ecossistema. Portanto, espera-se que as visitas à ilha durem um dia para que os visitantes aproveitem ao máximo as atividades de baixo impacto ambiental, como a observação de pássaros ou esportes aquáticos como como o surfe.

Foto por Eliria Buso

Foto por Eliria Buso

Novos hotéis

A região vem ampliando sua lista de hotéis com a inauguração do Conrad Punta de Mita, primeiro resort da marca no México e o segundo no país, e o One & Only Mandarina, um dos primeiros a ter residências One & Only no mundo.

Em 2021, estão previstas aberturas do Dreams Punta de Mita Resort & Spa e do Secrets Punta de Mita Resort & Spa, ainda neste semestre. Enquanto o Auberge Resorts Collection inaugurará o ultra-luxuoso Susurros del Corazón, no próximo ano.

 

LOS CABOS

Entre o luxo e a vida marinha

No extremo sul da Península da Baja California, com o Mar de Cortez de um lado e o Oceano Pacífico do outro, Los Cabos é a combinação entre o luxo e uma natureza sem paralelos no mundo – tudo isso com uma ótima relação de custo-benefício. O destino compreende as cidades de San José del Cabo e Cabo San Lucas, ligadas por um corredor turístico de 30 km repleto de resorts cinco estrelas, Spas, restaurantes refinados e campos de golfe à beira-mar.

Foto por iStock / Daniel Conde

Foto por iStock / Daniel Conde

Bem diferente de Cancún e da Riviera Maia, Los Cabos tem um cenário marcado por enormes rochedos, paisagens desérticas e o mar de um azul profundo. Tanto que seu mais famoso cartão-postal é “El Arco”, uma formação rochosa singular no extremo da península, marcando o encontro do Pacífico com o Mar de Cortez (ou Golfo da Califórnia).

Cabo San Lucas

O monumento natural “El Arco” é uma das atrações de Cabo San Lucas. Antes uma vila de pescadores, hoje é um destino badalado e conhecido pela vida noturna vibrante. Por ser geograficamente isolado, atrai desde a década de 1950 celebridades norte-americanas em busca de um pouco de privacidade. Aliás, o destino é muito visitado por turistas dos Estados Unidos, tanto que o inglês é um dos idiomas mais falados em Los Cabos.

Foto por iStock / MattGush

Foto por iStock / MattGush

Os grandes resorts pontuam toda a área costeira, principalmente no entorno da Marina, onde atracam lanchas e iates luxuosos. Com fortes influências norte-americanas, por ali também é possível encontrar uma boa variedade de restaurantes e lojas de grifes internacionais.

A lista de praias de areia clara e fofa e mar cristalino é extensa, como a Playa El Médano, ótima para nadar, e a Playa del Amor, que curiosamente tem como vizinha a Playa del Divorcio.

San José del Cabo

Os grandes resorts e campos de golfe também marcam presença em San José del Cabo. Porém, a cidade tem uma personalidade completamente diferente de Cabo San Lucas, sendo bem mais tranquila e com um toque da cultura mexicana. O centro de San José preserva um estilo arquitetônico tipicamente colonial, com construções térreas e coloridas e algumas ruas de paralelepípedos.

Foto por iStock / rand22

Foto por iStock / rand22

O agito acontece em torno da Plaza Mijares, área com uma grande concentração de restaurantes mexicanos, cafés, bares, lojinhas charmosas e galerias de arte. Em frente à praça está a bela Igreja da Missão de San José del Cabo “Añuití”, que data dos anos 1730. Essa parte do centro histórico é conhecida como o “Distrito del Arte”, por ser o polo cultural da cidade.

Entre as praias mais famosas em San José del Cabo estão a Playa Acapulquito, a Playa Costa Azul – ambas perfeitas para o surfe – e a Playa Palmilla. No caminho para Cabo San Lucas, o corredor turístico de Los Cabos também reserva belas praias, como as da Baía de Santa Maria e da Baía El Chileno, além, é claro, de uma infinidade de resorts de luxo.

Passeios e vida marinha

As atividades ao ar livre em Los Cabos vão muito além de apenas relaxar à beira-mar e curtir o sol do México. Atividades diferentes podem ser contratadas com agências especializadas em torno da Marina de Cabo San Lucas ou então diretamente nos hotéis e resorts.

Foto por iStock / toddtaulman

Foto por iStock / toddtaulman

Em tours privados, embarque em um veleiro ou um catamarã pelo Mar de Cortez para observar o pôr do sol ou passar o dia. Os barcos têm tripulação própria e, geralmente, serviços de comidas e bebidas já inclusos nos pacotes. Também são populares os passeios de caiaque e de jet ski.

Por todo o Mar de Cortez, fazer mergulho ou snorkeling é uma experiência memorável e uma ótima oportunidade de nadar ao lado de peixes, tartarugas marinhas e os simpáticos tubarões-baleia. O mar em Los Cabos tem ótima visibilidade e temperaturas agradáveis praticamente o ano todo. A costa é marcada por várias baías de águas rasas e calmas, protegidas por rochedos – entre elas, as já mencionadas Santa Maria e El Chileno.

Foto por iStock / rand22

Foto por iStock / rand22

Uma boa dica é fazer uma excursão para mergulhar em Cabo Pulmo, parque nacional marinho localizado a cerca de duas horas de San José del Cabo. O local abriga um dos maiores recifes de corais da América do Norte, onde vivem mais de 800 espécies de animais.

Atividades aquáticas em Los Cabos também incluem cruzeiros para observação de baleias e colônias de leões-marinhos. Apelidado de “aquário do mundo” por ninguém menos que Jacques Cousteau, o Mar de Cortez abriga 4.500 espécies de criaturas marinhas, incluindo 39% de todas as espécies de mamíferos marinhos que existem no mundo. Não à toa, integra a lista de patrimônios naturais mundiais da UNESCO.

Foto por iStock / ANDREYGUDKOV

Foto por iStock / ANDREYGUDKOV

Entre os meses de dezembro e março acontece a temporada de observação de baleias em Los Cabos. Cerca de nove espécies chegam todos os anos do Alasca e do Ártico para procriar nas águas quentes do Mar de Cortez, como as baleias cinzentas e as baleias jubarte.

 

SERVIÇOS

Como chegar

A Aeroméxico e a Latam oferecem voos diretos para a Cidade do México a partir de São Paulo. Para chegar aos outros destinos, opte por voos internos.

 

Onde comer

CIDADE DO MÉXICO

Balcón del Zócalo – balcondelzocalo.com

El Cardenal – restauranteelcardenal.com

Pujol – pujol.com.mx

CANCÚN E RIVIERA MAIA

Hacienda Sisal – haciendasisal.com

Loco Tulum – locotulum.com

Porfirio’s – porfirios.com.mx

GUANAJUATO

Casa Valadez – casavaladez.com

Los Milagros – restaurantlosmilagros.com

María Xoconostle – mariaxoconostle.mx

PUERTO VALLARTA

Maria Baja – facebook.com/mariabajapv

La Leche – lalecherestaurant.com

RIVIERA NAYARIT

Spice Market – marriott.com

Insu Sky Bar – marivaldistinct.com/restaurants/insu-sky-lounge

LOS CABOS

7 Seas Seafood Grille – 7seasrestaurant.com

Hacienda Cocina y Cantina – haciendacocina.mx

Lorenzillo’s – lorenzillos.com.mx

 

Onde ficar

CIDADE DO MÉXICO

InterContinental Presidente Mexico City – ihg.com

Four Seasons Hotel Mexico City – fourseasons.com

Hilton Mexico City Reforma – hiltonhotels.com

CANCÚN E RIVIERA MAIA

RIU Hotels & Resorts – riu.com

Hotel Xcaret México – hotelxcaret.com

Temptation Cancun Resort – temptation-experience.com

GUANAJUATO

Hotel Boutique 1850 – hotel1850.com

La Puertecita Boutique Hotel – lapuertecita.com

Casaluna Hotel Boutique – casaluna.mx

PUERTO VALLARTA

Casa Velas – velasresorts.com

Hotel Playa Fiesta – playafiesta.com

Hard Rock Hotel Vallarta – rcdhotels.com

RIVIERA NAYARIT

Hotel Sayulinda – sayulindahotel.com

Mar al Cielo – maralcielo.com

St. Regis Punta Mita – marriott.com

LOS CABOS

Hard Rock Hotel Los Cabos – hardrockhotels.com

JW Marriott Los Cabos Beach Resort & Spa – marriott.com

Nobu Hotel Los Cabos – loscabos.nobuhotels.com

 

Mais informações em: visitmexico.com

 

Texto por: Cláudio Lacerda Oliva, Eliria Buso e Patrícia Chemin

Foto destaque por: iStock / diegograndi

Comentários