logo

Telefone: (11) 3024-9500

Costa Rica: a natureza em plenitude | Qual Viagem Logo

Aerial panorama of a beach located in the Manuel Antonio National Park, Costa Rica

Costa Rica: a natureza em plenitude

21 de maio de 2021

Exemplo em ecoturismo, com um povo acolhedor, clima diversificado e a pureza das águas e das serras. Estamos falando da Costa Rica, que há muito tempo lidera a preferência dos amantes do turismo natural e, nesses tempos de pandemia, se firma como um dos principais destinos ligados ao turismo sustentável e de experiência.

A Costa Rica apresenta ao mundo enormes parques, lagoas e praias paradisíacas, além de cidades repletas de história, tradição e música. Caminhar e desbravar os vulcões, deslizar em tirolesas, nadar com baleias e golfinhos ou simplesmente praticar yoga e aproveitar os fantásticos spas são algumas das opções turísticas desse diversificado país da América Central.

Foto por iStock / Simon Dannhauer

Foto por iStock / Simon Dannhauer

As oportunidades para uma imersão total na natureza são infinitas: basta escolher entre floresta, praia ou montanha, e você será recompensado com animais selvagens, plantas exóticas e endêmicas e vistas espetaculares. Aliás, mais de 99% da energia gerada na Costa Rica é proveniente de fontes renováveis e o país tem aproximadamente 6% da biodiversidade do mundo. Há um legado também importante: o país resolveu abdicar das forças armadas, e se mantém assim desde a década de 1950.

A Costa Rica foi descoberta por Cristóvão Colombo no ano de 1502, em sua quarta viagem, mas a primeira expedição ao interior ocorreu apenas em 1563, quando J. Vásquez de Coronado conquistou o país e fundou a cidade de Cartago, capital do país até 1823. Há outro ponto muito interessante em sua história: em 1986, Escar Arias Sanchez foi eleito presidente e lançou um plano de paz centro-americano. Por esta razão, recebeu o Prêmio Nobel da Paz.

Foto por iStock / Wittayayut

Foto por iStock / Wittayayut

O portão de entrada do país é a sua capital, San José – um centro agrícola que se tornou próspero nos idos dos anos 50. Localizado no planalto fértil do Vale Central, a cerca de 1.100 metros acima do nível do mar, San José está localizada no centro geográfico do país e desempenha o papel de coração político e comercial da Costa Rica, depois de um longo passado que a mantinha em segundo plano em comparação com as cidades costeiras.

Uma maneira de entender a cidade é visitar os mercados locais, sendo o mais importante o Mercado Central e o Mercado Artesanal, onde você pode entrar em contato com o lado mais autêntico da cidade e seus habitantes. Neles você terá contato com uma verdadeira explosão de cores e aromas e poderá saborear as deliciosas bananas-da-terra fritas, prato típico da culinária local.

Foto por iStock / Bogdan Lazar

Foto por iStock / Bogdan Lazar

A cidade de San José oferece passeios por alguns museus interessantes, sendo um deles o Museu de Ouro Pré-Colombiano, que reúne uma imensa quantidade de artefatos de ouro feitos por civilizações pré-colombianas e uma riquíssima coleção de moedas recuperadas dos galeões espanhóis afundados ao longo da costa. Outro passeio interessante é conhecer o Museu Nacional de História, que fica na antiga Fortaleza Espanhola Bellavista.

Cartago, a velha metrópole

Cartago foi a capital da Costa Rica até o ano de 1823, quando decidiram mudar a capital para San José. Essa é a região mais importante do país no que se refere à arte colonial: talvez o melhor exemplo seja o Templo de Orosí (1743), uma joia histórica que testemunha o nascimento de uma nação. Cartago tem um clima tropical úmido e seu sistema montanhoso inclui duas cordilheiras: a central, onde estão localizados os vulcões Irazú e Turrialba, e a talamanca, a outra grande formação montanhosa na província.

Foto por iStock / Bogdan Lazar

Foto por iStock / Bogdan Lazar

Nela ergue-se a imponente montanha Cerro Chirripó, o ponto mais alto da Costa Rica, que atinge os 3.600 metros acima do nível do mar. Cartago é uma terra de tradição e religiosidade. A peregrinação à Basílica de Nossa Senhora dos Anjos, no centro da cidade, é a atividade religiosa mais importante. É celebrada em 2 de agosto e reúne milhões de pessoas de todo o país. Eles prestam sua homenagem respeitosa e colocam seus pedidos em uma estatueta de cerca de oito centímetros de pedra preta da Virgem, que é carinhosamente chamada de La Negrita. Vale ainda uma visita ao Jardim Botânico de Lankester para conferir as espetaculares bromélias, as verdíssimas samambaias e as variadas opções de cactos.

Foto por iStock / Simon Dannhauer

Foto por iStock / Simon Dannhauer

Outra atração imperdível é o Parque Nacional do Vulcão Irazú, localizado no cantão de Oreamuno, 32 km a nordeste da cidade de Cartago. Ele é o vulcão ativo mais alto do país, com seus 3.432 metros de altura. O nome vem de uma aldeia indígena construída em 1569 em suas encostas, cujo nome significa “o pico do trovão e do terremoto”. O vulcão cobre um território de mais de 500 quilômetros quadrados e tem pelo menos 10 cones vulcânicos no lado sul. Mas a grande atração do parque é a subida à Cratera Deigo Haya que se transformou ao longo dos anos em um lago de cor verde. Em dias claros, é possível ver tanto o Oceano Atlântico quanto o Oceano Pacífico do seu cume.

Foto por iStock / alexeys

Foto por iStock / alexeys

Localizada nas encostas do vulcão de mesmo nome, Turrialba é o lar de duas universidades. É famosa especialmente entre os entusiastas do rafting, que apreciam os cânions e cachoeiras do Pacuare. O rio foi classificado por especialistas como um dos 10 melhores raftings do mundo. Durante a descida, você pode ver numerosos pássaros e macacos ao longo do caminho. Na área, é produzido há mais de 100 anos um queijo macio, cor de creme, feito de leite cru com métodos artesanais. O vulcão Turrialba, o segundo mais alto do país, com 3.340 metros, em 2016 voltou a entrar em erupção após um século de inatividade.

Vale ainda uma rápida visita ao Monumento Nacional Guayabo, com uma extensão de 218 hectares que está localizado a 84 km de San José. É a maior e mais interessante área arqueológica da Costa Rica. Foi parcialmente descoberta (apenas 10%) nos anos 60 pelo explorador Anastasio Alfaro. Em 1973, foi declarada monumento nacional. As pessoas que construíram essa cidade com amplas ruas de paralelepípedos, centros cerimoniais, aquedutos, viveram ali entre 1000 a.C. e 1400 d.C. As estruturas mais importantes da cidade foram construídas entre 300 e 700 d.C., quando cerca de 10.000 pessoas viviam nessa região. As rochas usadas para as construções foram trazidas para cá, por alguns quilômetros, do Rio Reventamon.

Parque Nacional Manuel Antonio

Foto por iStock / SimonDannhauer

Foto por iStock / SimonDannhauer

Mas as belezas do país não se limitam à capital e seus arredores. Em Quepos, província de Puntarenas, o Parque Nacional Manuel Antonio abriga mais de 350 espécies de aves, 109 mamíferos e 346 plantas. Suas trilhas são uma ode à fauna e flora e levam a magníficas praias que estão localizadas dentro do parque e que são acessíveis apenas para aqueles que o visitam.

Foto por iStock / HonestTraveller

Foto por iStock / HonestTraveller

A Praia de Manuel Antônio é bastante selvagem, com quase um quilômetro de comprimento, e delineada por palmeiras, onde você pode se deparar com preguiças e macacos bugios, com vegetação exuberante de um lado e uma baía romântica do outro. O parque, que fica a 130 km da capital, tem praias brancas e exuberante floresta, onde você pode admirar ângulos encantadores que encerram piscinas e cachoeiras, selva e trilhas imersas na vegetação tropical e repleta de muitos animais nativos que a povoam.

Foto por iStock / carlosdiazgar

Foto por iStock / carlosdiazgar

Olhos para cima para ver as lindas preguiças agarradas aos galhos das árvores altas. Em caminhadas revigorantes você pode fotografar tucanos, camaleões, rãs, sapos e as famosas rãs-de-olhos-vermelhos. O parque também inclui 12 ilhotas e, muitas vezes ao nadar nas águas, você pode acariciar golfinhos ou admirar baleias de longe.

Tortuguero é a pequena Amazônia local

Foto por iStock / Francesco Ricca Iacomino

Foto por iStock / Francesco Ricca Iacomino

No Parque Nacional de Tortuguero, localizado na região nordeste, milhares de tartarugas-marinhas constroem ninhos e põem seus ovos em praias de areia preta. No mesmo parque vivem mais de 400 espécies de aves, 60 espécies de rãs, 40  de peixes e 3 de macacos. Uma “pequena Amazônia” para visitar ao longo dos rios que a atravessam. As margens se estreitam gradualmente e o barco fica envolto por uma vegetação mais densa. Uma catedral natural onde os visitantes permanecem silenciosos e fascinados.

Parque Nacional Marinho de Ballena

Foto por iStock / Eisenlohr

Foto por iStock / Eisenlohr

Esse parque marinho foi criado para conservar corais e os recifes de coral que cercam várias ilhas ao longo da costa. Seu nome se deve não apenas às baleias jubarte que vêm aqui para procriar, mas também à “Cauda de Baleia” de Punta Uvita, uma faixa de areia característica que se estende dentro de uma barreira rochosa que, na maré baixa, se parece com a cauda de uma baleia.

Foto por iStock / Simon Dannhauer

Foto por iStock / Simon Dannhauer

O Parque Nacional Marino Ballena, localizado a apenas 16 km ao sul de Dominical e 180 km a sudoeste de San José, protege mais de 13.000 hectares de mar e 9 milhas de litoral. Apesar de seu tamanho limitado, a reserva é de grande importância, especialmente porque protege baleias em trânsito pelas rotas migratórias, além das colônias de golfinhos e tartarugas marinhas que chegam para nidificar, bem como colônias de aves marinhas e diferentes espécies de répteis. Há quatro praias no parque.

Talamanca e suas enormes selvas

Na província de Limón, bem no canto esquerdo, essa área é um paraíso natural, formado por um combinação de selvas fechadas, montanhas impressionantes e praias celestiais. Limón tem a maior porcentagem de terras protegidas da Costa Rica e tem uma extensa variedade de flora e fauna. A vegetação é exuberante, bem como as culturas que convergem por toda a província.

Cerro Chirripó: a montanha mais alta

Cerro Chirripó é a montanha mais alta da Costa Rica, com 3.820 metros. A partir do cume, em dias claros você pode ver todo o continente, desde o Oceano Pacífico até o Mar do Caribe. O Parque Nacional de Chirripó é uma das áreas mais selvagens e protegidas para promover o seu desenvolvimento. Em 1982, o parque foi declarado Reserva da Biosfera e, em 1983, Patrimônio Mundial da Unesco.

Foto por iStock / coddy

Foto por iStock / coddy

É o lar de um número extraordinário de habitats devido a diferenças de altitude, solo e clima. Aqui você pode encontrar mais de 260 espécies de anfíbios e répteis, 400 espécies de aves, onças, macacos e a maior população de antas do país. Está localizado a 83 km a sudeste da capital e a cerca de 30 km a nordeste da cidade de San Isidro del General, no coração da cordilheira talamanca. É o destino ideal para quem gosta de fazer trilhas e entrar em contato direto e emocionante com a natureza costa-riquenha.

Foto por iStock / CStorz

Foto por iStock / CStorz

Vale ainda visitar o Vulcão Poás, que está a 30 quilômetros da capital. É famoso pela lagoa quente de sua cratera, caracterizada por enxofre e ácidos, em um diâmetro de 350 metros que muitas vezes emite fumaças claramente visíveis. Sua cratera é uma das maiores do mundo e tem mais de 2 km de diâmetro. Na área há um lago com cachoeiras e cones que emitem gases. Além de Poás, com seus 2.108 metros de altura, há uma segunda cratera mais antiga onde está localizada a Lagoa Botos, de origem pluvial e, portanto, fria. Para quem busca o miradouro, é possível parar em Poasito para fazer uma refeição à base de suco de morango, que são especialmente doces e famosos na região.

Monteverde e suas pontes suspensas

Foto por iStock / Désirée Russeau

Foto por iStock / Désirée Russeau

Localizada entre as províncias de Alajuela e Puntarenas, e ao lado da cidade vizinha de Monteverde que leva o seu nome, esta reserva de mais de 100 quilômetros quadrados permite que você mergulhe em uma atmosfera quase mágica. A reserva, dividida em seis zonas ecológicas específicas, 90% das quais são florestas virgens, é visitada por milhares de pessoas todos os anos. As névoas espessas, que atravessam toda a área, criam um ambiente evocativo e verdadeiramente único. O visitante é catapultado para um habitat cheio de sugestões. Através dos caminhos que vão para a vegetação é possível entrar em contato com uma natureza única e primordial.

Foto por iStock / mihtiander

Foto por iStock / mihtiander

A Reserva Monteverde pode ser visitada em pontes suspensas ou, protegidos por capacetes, luvas e arreios, os turistas se lançam de cais fixados em árvores penduradas em cordas, deslizando em velocidade sobre bosques, cachoeiras e clareiras. Uma maneira alternativa de ver um lugar especial de cima. Há uma enorme biodiversidade na área. A reserva é o lar de mais de 161 espécies de anfíbios e répteis e é conhecida por ser o único habitat no mundo dos sapos dourados. Há outra curiosidade, aqui vive o quetzal, pássaro símbolo dos maias, reconhecível graças à sua plumagem berrante com reflexos verdes e o tufo de penas na cabeça.

O imperdível Vulcão Arenal

Foto por iStock / Sorin_Va

Foto por iStock / Sorin_Va

Amantes da natureza, vocês estão no lugar certo: o Vulcão Arenal, 120 km a noroeste de San José, na Cordilheira de Tilaran, é uma das principais atrações do país e do parque de mesmo nome. Cuidado, no entanto, pois ninguém pode passear ao longo das encostas do vulcão: é extremamente perigoso. É possível assistir à descida da lava quente, mas também simples explosões de gás e cinzas. Um lugar de biodiversidade extraordinária, possui metade das espécies de aves conhecidas, mamíferos e répteis do país.

Penhascos e cachoeiras na Isla del Coco

A Isla del Coco, localizada a 532 km da costa do Pacífico da Costa Rica, no meio do caminho entre o continente americano e as Ilhas Galápagos, é um dos símbolos da beleza singular do país e foi decretado parque nacional em 1978. Apesar de sua área de cerca de 24 km², a pequena ilha, coberta inteiramente pela floresta tropical espessa, é um importante laboratório natural graças às muitas espécies endêmicas que vivem nela e sua notável biodiversidade, a tal ponto que, em 1997, foi declarada Patrimônio Mundial da Unesco.

Foto por iStock / Divepic

Foto por iStock / Divepic

Sua costa é muito curvilínea, com cavernas subaquáticas e penhascos altos que dão vida a cachoeiras encantadoras. É um paraíso para mergulhadores e para os amantes da natureza, apelidada de Shark Island. Não é de surpreender: aqui você pode mergulhar com centenas de tubarões-martelo ou tubarões-barbatana, nadar com o majestoso tubarão-baleia ou conhecer tubarões-de-ponta-branca.

Foto por iStock / Matt_Potenski

Foto por iStock / Matt_Potenski

Mas a natureza e a biodiversidade dessa ilha, a maior ilha desabitada do mundo, não são os únicos tesouros. Outras riquezas parecem estar escondidas entre as curvas cobertas pela vegetação exuberante e muitas enseadas da ilha: os tesouros dos piratas. Durante os séculos XVII e XVIII, bucaneiros e piratas navegaram por essas águas e, segundo a lenda, o famoso tesouro de Lima, um saque precioso composto de ouro, prata e uma estátua em ouro e pedras preciosas da Virgem com Jesus em seus braços, nunca foi encontrado.

La Fortuna é uma pequena cidade localizada nas colinas do noroeste da Costa Rica, na região de San Carlos. Nos últimos 30 anos, passou de uma comunidade agrícola tranquila para um centro turístico dinâmico, onde você pode encontrar muitos vilarejos, restaurantes e spas. A cidade desenvolveu-se em torno de um belo parque com jardins de flores e uma grande igreja. Para torná-la um cenário magnífico e para trazer muitos turistas, há o vulcão Arenal. Visite também as fantásticas cavernas de Venado, habitat de morcegos e as esculturas naturais das estalactites e estalagmites.

Fantásticos mergulhos no Parque Nacional de Cahuita

Foto por iStock / nicolasboivin

Foto por iStock / nicolasboivin

Localizado na bela costa sul-caribenha da Costa Rica, o Parque Nacional de Cahuita é um dos mais bonitos e importantes do país e é formado por uma área marinha de 22.400 hectares. Criado em 1970 para proteger o recife de coral, o Parque Cahuita está localizado na província de Limón, 42 km ao sul da cidade de Puerto Limón. O mar, que tem uma biodiversidade única, é a sua maior riqueza.

Foto por iStock / travelview

Foto por iStock / travelview

O fundo do mar é extraordinário por causa do recife de coral de beleza incrível, formado por 27 espécies de corais diferentes espalhadas por uma área de mais de 600 hectares entre o rio Perezoso e Porto Vargas. As praias do parque são famosas por serem de areia branca e fina com coqueiros imponentes que às vezes parecem ser beijados pelas águas do Oceano Atlântico, transparentes e tranquilas. Snorkeling e mergulho são quase uma obrigação para turistas que querem admirar a rica vida subaquática. Ouriços do mar, polvos, peixes papagaio, peixes-anjo, arraias-manta, barracudas, tubarões, moreias, camarões, lagostas, esponjas e tartarugas são os habitantes desse mundo mágico.

Montezuma: autêntica vila de pescadores

Foto por iStock / travelview

Foto por iStock / travelview

A cidade de Montezuma foi um porto que mais tarde se tornou uma vila de pescadores. Hoje também é famosa por três outros detalhes: suas espetaculares cachoeiras, as praias de cartão-postal e a sua vibração um tanto hippie. A pequena cidade é de fato conhecida por ser um local de encontro para os amantes de naturopatia, nutrição orgânica, yoga, vida ao ar livre, surfe, natureza e arte. Sua tradição “alternativa” tem raízes distantes, e a Playa Montezuma sempre foi um ponto de encontro para aqueles que queriam proteger a natureza e para os artistas de rua.

Santa Teresa

Foto por iStock / lenawurm

Foto por iStock / lenawurm

A Playa Santa Teresa é uma pequena aldeia com vista para a praia, localizada na parte sul da Península de Nicoya. Ela está localizada ao norte da aldeia de Mal Pais. Mas o que esse pequeno vilarejo não tem em tamanho, certamente não falta em termos de cultura e individualidade. O que antes era uma pequena cidade dedicada exclusivamente ao surfe é agora um caldeirão eclético. Hoje, a pequena aldeia ainda é frequentada por surfistas e jovens que se juntaram a artistas, ricos e famosos. O esforço da viagem é compensado na chegada quando você encontra a beleza e a natureza dessa região. Com vento constante ao longo do ano, a bela praia de Santa Teresa é uma das melhores da Costa Rica em termos de ondas. Como resultado, o surfe é o esporte mais popular. A revista Forbes certificou-a entre as mais belas praias do mundo.

Quepos

Foto por iStock / storkalex

Foto por iStock / storkalex

Quepos é um animado balneário ao sul de San José, na província de Puntaneras, usado como base para explorar o Parque Nacional Manuel Antonio, que fica nas proximidades. A cidade tem o nome da população local dos Quepoas, pertencente ao grupo étnico Borucas, que habitava o local desde o século X. É famosa pelo surfe e pela pesca. Em suas belas praias, você pode relaxar ou mergulhar. Há muitos lugares e restaurantes onde você pode experimentar os pratos típicos da cozinha local, incluindo o galo pinto, um prato à base de arroz e feijão.

Visitar esse país fantástico é vivenciar cultura, natureza, montanhas, vulcões, rios, fauna e flora abundantes num cenário completamente natural e repleto de atrações únicas. Natureza plena e pura vida são os maiores tesouros da Costa Rica.

SERVIÇOS

Como chegar

Voos entre o Brasil e a capital da Costa Rica, San José, são operados pela Copa Airlines via Cidade do Panamá e pela American Airlines via Miami.

Onde comer

Café Rojo – facebook.com/elcaferojo

La Criollita – facebook.com/restlacriollita

Restaurante Ram Luna – restauranteramluna.com

Onde ficar

Hotel Presidente – hotel-presidente.com

Pranamar Villas and Yoga Retreat – pranamarvillas.com

Santa Juana Lodge & Nature Reserve – santajuanalodge.com

Hotel Riu Guanacaste – riu.com

Hotel Riu Palace Costa Rica – riu.com

Mais informações em: visitcostarica.com

 

Texto por: Cláudio Lacerda Oliva

Foto destaque por: iStock / miroslav_1

 

Comentários