logo

Telefone: (11) 3024-9500

5 templos para se maravilhar com a arquitetura do Japão | Qual Viagem Logo

Kyoto, Japan - April 5, 2016: Kiyomizu-dera stage with cherry blossom in Kyoto, Japan during spring season. The temple was founded in 778 by Sakanoue no Tamuramaro, and its present buildings were constructed in 1633, ordered by the Tokugawa Iemitsu

5 templos para se maravilhar com a arquitetura do Japão

23 de agosto de 2021

Depois do incomparável Monte Fuji, soberano no posto de cartão-postal oficial do Japão, os templos e santuários budistas e xintoístas assumem o protagonismo ao representar a imagem do “Império do Sol” para o mundo. Suas curvas, cores e formas se destacam não só pela sua singular beleza arquitetônica, mas por todo o contexto histórico e cultural envolvido em cada uma dessas edificações sagradas. Segundo estimativas, são mais de 177 mil espalhados por todo o país. Alguns, a propósito, foram erguidos há mais de 1.200 anos e com o uso de técnicas surpreendentes até mesmo para os padrões modernos da construção civil.

Diante de tantas opções igualmente charmosas, eleger apenas alguns dos mais belos e badalados templos e santuários de todo o Japão para visitar pode até parecer difícil, mas não para a Quickly Travel, agência de viagens do Grupo JTB. Confira as dicas:

Kiyomizu-dera – Kyoto

Foto por iStock / lkunl

Foto por iStock / lkunl

Considerado por muitos como um dos templos budistas mais famosos e visitados do Japão, o milenar Kiyomizu-dera (Templo da Água Pura), erguido em Kyoto em 798, se destaca não só pela sua idade elevada, cerca de 1.200 anos, mas por ter sido construído sem o uso de pregos em seu pavilhão principal, que é feito totalmente de madeira. Isso mesmo: nenhum prego. O local foi reconhecido, em 1994, como Patrimônio Mundial da UNESCO. O espaço oferece uma vista genuinamente única para a cidade de Kyoto, especialmente durante a primavera, quando as cerejeiras ficam em evidência, e durante o outono, com a mudança de coloração da vegetação.

Kinkaku-ji – Kyoto

Foto por iStock / tang90246

Foto por iStock / tang90246

Não é preciso ir muito longe para descobrir o real significado do nome Kinkaku-ji, que em português seria algo como o Templo do Pavilhão Dourado. Construído em 1397, o espaço foi projetado para ilustrar a harmonia entre o céu e a terra ao ser revestido com ouro nos dois últimos andares da edificação. Apenas o térreo não foi agraciado com a cobertura dourada, que em contato com o sol impressiona pela singular beleza. O espetacular jardim japonês no entorno, bem como o reflexo do templo no lago, elevam ainda mais os níveis de encantamento.

Todai-ji – Nara

Foto por iStock / orpheus26

Foto por iStock / orpheus26

Lar da maior estátua de bronze de Buda do mundo, o imponente e belo Todai-ji (Grande Templo Oriental), na cidade de Nara, figura como um dos mais importantes complexos budistas de todo o Japão. Reconhecido como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, o espaço, que foi construído por volta do ano 752, passou por uma série de reformas ao longo dos séculos após sofrer com terremotos e incêndios. O Grande Buda de Bronze, chamado de Daibutsu em japonês, possui aproximadamente 16 metros de altura.

Sensoji – Tóquio

Foto por iStock / CHENG FENG CHIANG

Foto por iStock / CHENG FENG CHIANG

Na capital, um dos destaques é o templo de Asakusa (Sensoji), que é considerado um dos mais antigos de Tóquio. Seus imponentes portões de entrada, repletos de lanternas vermelhas, contrastam quase que instantaneamente com o charmoso Pagoda Gojunoto, construído em 1648. Listado como tesouro nacional, o Pagoda das Cinco Histórias foi reconstruído em 1973 após ser destruído em 1945.

Ruriko-ji – Yamaguchi

Foto por iStock / Snowdrop

Foto por iStock / Snowdrop

Designado como tesouro nacional do Japão, este charmoso e magnífico pagoda, situado no templo Ruriko-ji, em Kozan Park, é outra edificação reconhecida como tesouro nacional do Japão. São 31 metros de altura divididos em cinco andares distintos. Seu tamanho, aliás, o alçou ao posto de um dos três maiores pagodas de todo o país.

Texto por: Agência com edição de Patrícia Chemin

Foto destaque por: iStock / Jui-Chi Chan

Comentários