logo

Telefone: (11) 3024-9500

Zurique: cultura e noite agitadas na capital suíça | Qual Viagem Logo

Foto por IStock/ bluejayphoto

Zurique: cultura e noite agitadas na capital suíça

27 de setembro de 2016

Zurique, a capital da Suíça, está situada no coração da Europa e no centro do país. Às margens do rio de mesmo nome, a cidade oferece uma enorme variedade de atrações culturais – são mais de 50 museus e 100 galerias de arte -, vida noturna agitada – já que concentra o maior número de casas noturnas de todo o país – e lazer para todos os gostos.

Foto por Istock/  RnDmS

Foto por Istock/ RnDmS

Com uma exuberante vista para os Alpes cobertos de neve no horizonte, Zurique conta com a mais famosa “Estação Rodoviária” do mundo, a Bahnhofstrasse. O lugar, que na verdade é a rua comercial da cidade, reúne exclusivas lojas de grife, boutiques, bancos e cafés de rua. No entanto, este é apenas um dos locais onde é possível encontrar marcas urbanas de Zurique; seja nos bairros de Zurich West ou Aussersihl, é normal se deparar com marcas locais onde menos se espera. São elas que inspiram aqueles que atentam para a moda e causam novas sensações muito além das fronteiras da Suíça – como, por exemplo, a grife cult Freitag, com seu singular estilo de bolsas e acessórios.

Para os amantes da arte, a cidade é como um paraíso. Dos 50 museus, 15 são de arte. Destacam-se o Museu de Belas Artes, o Kunsthaus Zürich, que ostenta um importante acervo de pinturas, esculturas, fotografias e vídeos. Além disso, possui uma extensa coleção de obras de Alberto Giacometti. Outro museu importante é o Rietberg, um dos principais centros de arte não-europeia do mundo. A apenas poucos passos da principal estação de Zurique, o Museu Nacional Suíço – alojado num edifício de mais de 100 anos, que mais parece um castelo de conto de fadas – contém a mais completa coleção, de todo o país, de objetos relativos à história cultural do país.

As casas medievais de Zurique, as vielas estreitas e contorcidas, as corporações e os edifícios públicos do período Renascentista oferecem um atraente pano de fundo para o entretenimento de nível mundial. Um passeio pelo centro histórico permite aos visitantes conhecer o passado multifacetado de da capital suíça.

As torres duplas de Grossmünster são o ponto de referência do destino. Segundo a lenda, Charlemagne construiu as torres no local onde os túmulos dos santos da cidade, Felix e Regula, foram encontrados.

Outro ponto turístico que vale a pena conhecer é Peterskirche (Igreja de Pedro), que tem o maior relógio da Europa, bem como Fraumünster, conhecido pelos vitrais de Giacometti and Chagall.

À noite, a cidade se agita em festas para todos os públicos, de house music no lendário Kaufleuten aos Maiores Sucessos dos anos 80 na casa mais antiga da cidade, a Mascotte, ou um encontro gay no Labor Bar. As festas começam depois das 11 da noite e seguem madrugada adentro. No verão, a vida noturna se estende para além das boates e toma os espaços ao ar livre; os locais onde os visitantes se banham e relaxam durante o dia são o lugar ideal para paquerar e dançar durante a noite.

Foto por IStock/ Roman Babakin

Foto por IStock/ Roman Babakin

Estando em Zurique, não deixe de provar o famoso – e delicioso – chocolate suíço. Você pode até fazer um roteiro só para curtir a iguaria. O ponto de partida deve ser a Confiserie Sprüngli, mais antiga chocolateria do país (1836) e um paraíso das tortas, pralinés, trufas e os famosos macarons suíços, que são vendidos por peso. Na Paradeplatz, você pode apreciar um bom chocolate quente. Saindo da capital, Kilchberg, a cerca de 20 minutos de trem, é uma parada que vale a pena. O lugar é a casa da Lindt, e por lá é possível fazer visitas guiadas à fábrica, conhecer o museu de chocolate e comprar chocolates até cansar – se é que isso acontece.

Como chegar

Saindo de São Paulo, há um voo diário da Swiss com destino a Zurique, na Suíça. O trajeto dura cerca de 11 horas.

Onde ficar

The Dolder Grand

Baur au Lac

Baur au Lac

Texto por: Eliria Buso

Foto destaque por IStock/ bluejayphoto

Comentários