logo

Telefone: (11) 3024-9500

Um roteiro de viagem tirado do livro que inspirou algumas histórias de James Bond | Qual Viagem Logo

James Bond via Facebook

Um roteiro de viagem tirado do livro que inspirou algumas histórias de James Bond

23 de janeiro de 2019

O escritor e jornalista Ian Fleming ficou famoso mundialmente por criar o personagem James Bond. No entanto, ele também é responsável por escrever o livro Thrilling Cities, que é um relato sobre duas viagens que realizou por diferentes países ao redor do mundo. Essas experiências foram essenciais, segundo ele conta, para a criação de algumas histórias e personagens do agente secreto britânico.

No final dos anos 50, Fleming recebeu uma proposta para realizar uma longa viagem e, após o retorno, escrever algumas reportagens especiais sobre as experiências que teve durante o período. Na época, ele era escritor do jornal The Sunday Times, de Londres.

A viagem e as histórias no jornal foram um sucesso e, por isso, uma segunda viagem foi realizada logo depois, com novas cidades. Após reunir os relatos das duas experiências, em 1963, foi lançado o livro Thrilling Cities. Fleming detalha alguns dos locais onde esteve na Ásia, na América e também na Europa.

O Qual Viagem decidiu pegar o livro como inspiração e criar um roteiro de viagem alternativo, e ao melhor estilo James Bond. Vamos dar uma olhada quais foram as cidades que fizeram algumas das histórias do principal agente secreto do cinema.

O início no continente asiático

A primeira parada de Fleming foi na China, mais especificamente em Hong Kong. Essa escolha parece ser uma opção comum para os turistas, já que a cidade foi o local mais visitado nos últimos anos, segundo pesquisa da empresa Euromonitor International. Apenas em 2018, a cidade recebeu quase 30 milhões de visitantes, um número que bate grandes capitais da Europa, como a própria Londres.

Com mais de 7 milhões de habitantes, Hong Kong é uma cidade onde é possível encontrar prédios e shoppings lotados, mas também diversas reservas e parques naturais protegidos. Cerca de 40% do território da cidade é um local de natureza e que não pode sofrer qualquer tipo de exploração. Em um desses pontos é possível encontrar o Buda Gigante, que fica em uma região de montanhas, na Ilha de Lantau, e só pode ser acessado pelo teleférico Ngong Ping 360.

Logo depois de conhecer a China, o autor decidiu passar por outro país asiático: o Japão. Ele ficou alguns dias em Tóquio, mas não quis passar por nenhum ponto turístico, como museus ou galerias. Ele visitou apenas algumas academias de judô, inclusive o histórico Instituto Kodokan de Judô, criado em 1882. Apesar da boa dica, Fleming deixou de conhecer os mais de 50 museus que a cidade tem, além da vida noturna e as milhares de lojas nos bairros de Shinjuku, Shibuya e Akihabara. Tóquio, atualmente, recebe mais de 10 milhões de turistas por ano.

O fim da primeira viagem nos Estados Unidos

Após deixar o Japão, a próxima parada era o outro lado do mundo, mais precisamente os Estados Unidos. Após passar por problemas no avião, ele precisou parar em Honolulu, capital do Havaí. Por lá, teve a oportunidade de conhecer algumas das 132 ilhas do país, além de visitar a montanha mais alta do mundo, a Mauna Kea, que possui 10.105 metros do sopé até o pico. O país, assim como a capital, sempre foi um local forte no turismo, recebendo mais de 8 milhões de turistas a cada ano.

Fleming deixou a ilha em direção ao continente americano. Por lá, ele visitou três cidades famosas entre os turistas. Los Angeles, Chicago e Nova York, todas no Estados Unidos. Temos roteiros interessantes para algumas dessas cidades, com a qualidade e boas dicas de sempre. Destaque para a Big Apple, que continua sendo a cidade mais visitada dos Estados Unidos, com mais de 13 milhões de visitas, apenas em 2018.

A segunda viagem só na Europa

Segundo dados da Eurostat, em 2016, a Alemanha foi o sétimo país da Europa a receber mais turistas, com mais de 50 milhões de quartos ocupados por viajantes. Um número que representa 6% do total de pessoas que viajam pela Europa. Ian Fleming começou a segunda etapa da viagem, após o retorno a Londres, em Hamburgo, importante cidade e que conta com quase 2 milhões de habitantes.

A segunda maior cidade alemã é conhecida pela vida noturna, considerada uma das mais agitadas do mundo. Porém, Fleming não ficou muito tempo na cidade e foi conhecer a capital Berlim. A principal cidade da Alemanha é uma história em forma de lugar, já que conta com parte do antigo Muro de Berlim, o Memorial do Holocausto e outros tantos lugares para relembrar a Segunda Guerra Mundial. Porém, a cidade também possui diversas atividades, seja no verão ou no inverno.

Na reta final da viagem, e do livro, o autor passou por locais que tiveram forte inspiração para os filmes de James Bond. Um destes locais foi a famosa cidade de Monte Carlo, em Mônaco. Por lá, o autor passou a maior parte do tempo no famoso Casino de Monte Carlo jogando cartas e roleta. Inclusive, foi por lá que ele criou a famosa Estratégia James Bond, que já foi explicada pela Betway Casino. Fleming diz que essa parte da viagem foi essencial para a história do filme Casino Royale. Ian Fleming ainda passou por Nápoles, na Itália, e também na pequena vila de Les Avants, na Suíça, onde conheceu Charles Chaplin.

Com essas dicas, conhecer várias partes do mundo, e ainda ao melhor estilo de James Bond, é uma excelente oportunidade para uma viagem completamente diferente. Então, se a ideia é essa, vale a pena pegar nossas dicas, uma edição de Thrilling Cities e viajar por esses países todos de terno e gravata borboleta. Boa viagem, Bond!

Foto: James Bond via Facebook

Comentários