logo

Telefone: (11) 3024-9500

Sigiriya: a cidade perdida e reencontrada do Sri Lanka | Qual Viagem Logo

Bird over mountain of Sigiriya in Sri Lanka

Sigiriya: a cidade perdida e reencontrada do Sri Lanka

7 de março de 2019

Localizado no Oceano Índico, o Sri Lanka é um pequenino país insular, considerado um dos mais exóticos destinos do continente asiático. A ilha tropical é repleta de paisagens intocadas e possui uma incrível herança cultural, contando com 8 Patrimônios Mundiais da Unesco, entre eles, a antiga cidade de Sigiriya.

No meio das cidades de Dambulla e Habarame, cercada por uma floresta, ergue-se a deslumbrante e imponente rocha de Sigiriya. Formada a partir do magma de um vulcão extinto, a aproximadamente 370 metros acima do nível do mar, o planalto rochoso foi um mosteiro budista até a segunda metade do século V, quando o então rei Kasyapa decidiu transferir para aquele local a sede de seu poder.

Foto via iStock por Jane1e

Foto via iStock por Jane1e

O palácio residencial foi erguido em cima da enorme pedra, exigência feita pelo rei para que pudesse avistar qualquer inimigo chegando dali de cima. Para chegar até o topo, hoje é necessário subir mais de 750 escadas que gira em torno da rocha. Elas dão acesso a diferentes níveis do castelo, no qual o turista pode ir vendo por partes enquanto descansa da caminhada.

Dentro do palácio é possível ver como sua construção foi muito bem-feita e cheia de detalhes minuciosos. Ele possuía avançados sistemas hidráulicos e cisternas – estas funcionam até hoje – passagens secretas, muitas esculturas, piscinas, jardins e cavernas repletas de pinturas que retratam pessoas e rituais da época. Mesmo após tanto tempo, hoje é possível encontrar dezoito afrescos que sobreviveram ao longo dos tempos.

Foto via iStock por Marina113

Foto via iStock por Marina113

Outra característica marcante de Sigiriya é a parede de espelho. Segundo as lendas, a parede era tão bem polida que o rei Kasyapa conseguia enxergar seu próprio reflexo. Com o passar dos tempos, muitos poemas e nomes foram escritos na rocha, que mostra o quão visitado era o palácio mesmo em outras eras. Hoje é proibido que os visitantes escrevam na parede, pois os grafites antigos podem ser perdidos.

Sigiriya também é chamada de a “Rocha do Leão” devido ao enorme rei da selva que foi esculpido em uma das entradas no palácio. Hoje, só restaram as patas do animal, mas que dão a ideia de como poderia ter sido antigamente.

Foto via iStock por pius99

Foto via iStock por pius99

Após a morte de Kasyapa, o palácio foi abandonado e a sede do governo transferida para Anuradapura. Os monges voltaram a habitar o local, mas não se sabe o que aconteceu, pois foi novamente deixada para trás. Só no ano de 1831 que foi redescoberta, mas apenas em 1907 que o mundo ocidental ficou sabendo da existência de tal lugar.

Todo o complexo do palácio é reconhecido como uma das construções e planejamento urbano mais importantes do mundo antigo. Devido a isso, em 1982, Sigiriya juntou-se a lista de Patrimônio Mundial da UNESCO.

Foto via iStock por pavel_klimenko

Foto via iStock por pavel_klimenko

Os moradores amam o local e o apelidaram de “Oitava Maravilha do Mundo”, além disso, Sigiriya é um dos monumentos mais visitados no Sri Lanka, atraindo milhares de turistas anualmente.

Texto por Carolina Berlato

Imagem Destacada via iStock por Givaga

Comentários