logo

Telefone: (11) 3024-9500

Seis dicas imperdíveis para planejar uma road trip pela América do Sul | Qual Viagem Logo

Foto por IStock/ Kuntalee Rangnoi

Seis dicas imperdíveis para planejar uma road trip pela América do Sul

27 de junho de 2019

Viajar de carro pela América do Sul é um sonho de muitas pessoas, assim como era o do casal Adriano e Sílvia Bolzani, que resolveu tirar esse projeto do papel e torná-lo realidade.

Recentemente, encararam mais de 20mil km a bordo de um Pajero 4×4 com a proposta de percorrerem essa distância em 60 dias. A viagem começou em São Paulo e foi até o Ushuaia, extremo sul do continente, passando por cidades e pontos turísticos do Chile, Paraguai, Bolívia e Argentina.

Todas as etapas e experiências estão sendo contadas no blog Suas Próximas Viagens. Agora que a viagem terminou, o casal está reunindo as dicas em posts sobre cada região visitada, com ampla riqueza de detalhes e ótimas sugestões. Mais informações em https://suasproximasviagens. com.br.

Confira algumas dicas para aqueles que querem planejar uma viagem de carro pela América do Sul:

Condição e preparação do veículo

Foto por Istock/ rakratchada

Foto por Istock/ rakratchada

Além da importância de garantir que o carro esteja com a revisão em dia antes de sair, pode haver a necessidade de se fazer revisões menores durante a viagem. Alguns pontos de atenção são checagem de pneus, freios, fluído e troca de óleo, dependendo da distância percorrida. Como muitas cidades no trajeto são pequenas, recomenda-se calcular a quilometragem aproximada e se informar quanto à localização de concessionárias e postos de serviços pelo caminho.

Há algumas exigências e restrições nos países vizinhos. Na Argentina, por exemplo, há alguns requerimentos que os carros brasileiros não atendem, como possuir dois triângulos de sinalização e extintor de incêndio. Há também restrições quanto ao uso de películas de proteção e escurecimento de vidros. Alguns acessórios também não são permitidos, como é o caso dos ganchos de carreta, muito comuns aqui no Brasil.

Documentação do veículo e dos viajantes

Foto por IStock/ AlexRaths

Foto por IStock/ AlexRaths

Há requerimentos específicos de seguros para transitar com um carro estrangeiro em alguns países, como a Carta Verde na Argentina e no Paraguai e o SOAPEX no Chile. Para os viajantes, é preciso somente um RG emitido há menos de 10 anos ou passaporte. Ao motorista, é imprescindível portar a CNH válida.

Moedas

Foto por Istock/ swisshippo

Foto por Istock/ swisshippo

É importante se planejar para ter dinheiro em espécie para arcar com despesas durante a viagem. Informe-se antecipadamente sobre pagamentos de pedágios, ingressos em áreas de conservação, lanches e até combustível para o carro, pois poderão ser requeridos em moeda local.

Um bom exemplo desta necessidade é a atual situação econômica da Argentina. Em função da crise, muitos estabelecimentos não aceitam cartão de crédito. Quando recebem por este meio, é comum aplicarem uma sobretaxa de 10% a 15% sobre o valor do bem ou serviço.  Neste aspecto, tenha ciência que irá gastar um pouco a mais, uma vez que andar com uma alta quantia de pesos argentinos não é seguro.

Pedágios

Foto por Istock/ monkeybusinessimages

Foto por Istock/ monkeybusinessimages

Há uma grande quantidade de pedágios em alguns trajetos e, na maioria das vezes, nenhuma cabine aceita cartão de crédito, débito ou moeda de outro país.

Além das estradas, há pedágios urbanos em Santiago e Buenos Aires. Nesta última você precisa pagar em espécie. Já em Santiago, a cobrança é realizada através da leitura da placa do carro, totalmente eletrônica, para tanto é necessário contratar os passes diários nos postos de combustível Copec.

Seguro Saúde

Foto por IStock/ humonia

Foto por IStock/ humonia

O seguro saúde é outra importante precaução a se tomar, pois, além da altitude em algumas regiões, o calor e frio podem ser extremos. Alguns itens da culinária local e o tratamento da água utilizada nestes países também podem causar problemas gastrointestinais. Como em qualquer outro local, consultas e intervenções médicas podem custar muito caro.

Planejar os pernoites

Foto por IStock/ FlairImages

Foto por IStock/ FlairImages

Nosso roteiro previa alguns trajetos longos entre os destinos. Por este motivo, alternamos o volante e parávamos com frequência para permitir uma melhor circulação do sangue pelo corpo.

Reservar o hotel com antecedência geralmente equivale a ter mais opções e tarifas melhores. Entretanto, como queríamos ter flexibilidade, evitamos reservar hospedagens com muita antecedência. Entretanto, fizemos um levantamento prévio e monitoramos nossas opções para evitar surpresas ao longo da viagem. Por isso, é importante que seja definida quais são as prioridades antes de fazer as reservas.

Texto por: Agência com edição Eliria Buso

Foto destaque por IStock/ Kuntalee Rangnoi

Comentários