logo

Telefone: (11) 3024-9500

Paris, mesmo mais cautelosa, não perde a majestade Logo

Paris via Flickr Joe deSousa

Paris, mesmo mais cautelosa, não perde a majestade

26 de novembro de 2015

Em menos de um ano, Paris – um dos mais visitados destinos turísticos do mundo, sonho de viagem de muitos brasileiros – foi alvo de dois agressivos ataques terroristas. Segundo dados da OMT – Organização Mundial de Turismo, o cancelamento de viagens para esse importante destino europeu registrou quase 30% de aumento nos últimos 10 dias.

O primeiro atentado foi contra o jornal Charlie Hebdo, atacado brutalmente com 12 pessoas mortas.  O segundo foi na Boate Bataclan, além de dois homens bomba que lançaram os explosivos na parte externa do Stade de France, vitimando 129 pessoas. Embora os alvos dos atentados tenham sido planejados para atingir mais os moradores locais, os principais pontos turísticos e históricos da capital francesa foram poupados e portanto tiveram poucos riscos aos turistas.

Quem viajar para Paris depois dos atentados pode esperar por uma segurança mais reforçada em todos os lugares, filas intermináveis, bastante demora para entrar em museus, igrejas e prédios históricos. Desde a semana passada dezenas de militares equipados com metralhadoras e cachorros entram no metrô, vigiam de maneira ostensiva os pontos de ônibus e ficam rodeando as filas para as principais atrações da cidade da luz.

Foto via Flickr Pug Girl

Foto via Flickr Pug Girl

A maioria das atrações turísticas e o comércio de Paris estão sob rígida vigilância; de maneira aleatória, os guardas revistam bolsas e malas dos turistas que visitam a Torre Eiffel, o Museu do Louvre, o Arco do Triunfo e que realizam os passeios de barco. Outros atrativos importantes na capital francesa têm um forte aparato de segurança, como igrejas, cafés e restaurantes. A vida noturna em Paris, que é sempre muito procurada, foi a que mais sofreu e está tendo uma queda enorme de visita por parte dos turistas. A maioria dos turistas prefere fazer uma refeição leve e já se recolher pra descansar no hotel.

Quem depende do transporte público deve evitar pegar o metrô no horário de pico. Já os trens de passageiros para as regiões dos arredores de Paris, chamados (RER) aumentaram os intervalos dos horários das composições. É recomendável evitar a estação Chatelêt- les Halles, onde 5 linhas de metrô e 3 de RER se cruzam. Lugares com muita aglomeração de pessoas devem ser evitados. Outra mudança importante e substancial é em relação ao controle das fronteiras que está mais reforçado e criterioso. As filas de imigração estão maiores e mais demoradas. Mesmo assim a vida em Paris começa a voltar ao normal. Os espetáculos de teatros, a iluminação de natal, as lojas e as principais atrações funcionam normalmente.

Quem tem viagem planejada deve apenas tomar mais cuidado com o que leva nas malas, evitar sair para as áreas mais periféricas da cidade e planejar com antecedência o projeto de seu roteiro. Antes da viagem, consulte a sua cia aérea, o seu agente de viagem e os hotéis onde ficará hospedado. Tenha certeza de que mesmo a cidade estando um pouco mais triste, Paris não perdeu a majestade e merece a sua visita!

Texto por: Cláudio Lacerda Oliva

Foto destaque via Flickr Joe deSousa

Comentários