logo

Telefone: (11) 3024-9500

Monte Roraima: trekking e natureza singular | Qual Viagem Logo

Roraima plateau. Venezuela

Monte Roraima: trekking e natureza singular

17 de outubro de 2016

Um dos dez picos mais altos do Brasil, o Monte Roraima está na tríplice fronteira entre a Guiana e a Venezuela, no extremo norte do estado de Roraima. Área protegida por parques nacionais, o visual é um dos mais surpreendentes do país, com mais de 2.700 metros de altitude.

View from the Roraima tepui on Kukenan tepui at the mist - Venezuela, South America

Foto por iStock / mariusz_prusaczyk

Além da altura, o que mais impressiona é o tipo de formação geológica, que data de milhões de anos atrás. O Monte Roraima é na verdade um tepui, uma montanha com o topo plano e escarpas com um declive vertical ao solo, formando uma espécie de mesa. Esse tipo de formação é típico dessa região, o Planalto das Guianas.

Canaima National Park, Venezuela - April 3, 2015: Panorama of group of hikers at the natural rock formations on the top of Mount Roraima which serves as natural swimming pools. Tourists use it mainly as a bathroom. Gran Sabana. Venezuela 2015.

Foto por iStock / piccaya

Com rochas de arenito, o monte foi esculpido pela natureza aos poucos, e ganhou assim cavernas, fendas, desfiladeiros, cachoeiras e até pequenas piscinas naturais. Tanto no topo e quanto aos pés das encostas, há uma forte presença de espécies endêmicas de fauna e flora, como bromélias e pequenos anfíbios.

View from the Roraima tepui on Kukenan tepui at the fog - Venezuela, Latin America

Foto por iStock / mariusz_prusaczyk

Nas proximidades, existem outros tepuis, como o Kukenán e o Yuruaní, na Venezuela. A paisagem encanta os homens há muito tempo, desde antes da chegada dos europeus nesse território. Há todo um misticismo em torno do Monte Roraima, que inspirou desde lendas indígenas a livros e filmes.

Nas últimas décadas, o monte tornou-se um importante destino de trekking no Brasil. Muitas agências da região organizam passeios até o cume do monte. O ideal é visitar o local na época seca, pois as trilhas ficam menos desafiadoras.

Texto por: Patrícia Chemin

Foto destaque por: iStock / Petr Sobolev

Comentários