logo

Telefone: (11) 3024-9500

Höfn: capital da lagosta e do ecoturismo na Islândia | Qual Viagem Logo

Diamond Beach in Iceland with blue icebergs melting on the black sand and ice glistening with sunrise sun light, tourist looking at beautiful arctic nature scenery, Icelandic South coast, Jokulsarlon

Höfn: capital da lagosta e do ecoturismo na Islândia

15 de agosto de 2019

Höfn é um pequeno município de pescadores situado no sudeste da Islândia, sendo uma das poucas regiões de porto natural da costa sul do país. Repleta de cultura escandinava, sabores exóticos e paisagens naturais, a cidade é um destino de tirar o fôlego.

Com pouco mais de 2.200 habitantes, Höfn teve um súbito crescimento em meados do século XX, quando os moradores resolveram investir na produção de variados frutos do mar, em especial, o lagostim, que hoje possui sua própria festa no calendário islandês e figura como o principal personagem da região. Durante o mês de junho, o vilarejo vira palco de diversas apresentações culturais e artísticas, enquanto celebra a importância dos pescadores e da vida marinha.

Foto via iStock por Cristin736

Foto via iStock por Cristin736

Além da pesca, a região tem investido no turismo ecológico, já que também é porta de entrada para reservas naturais onde podem ser encontrados fiordes, geleiras, praias de areia preta e vida selvagem.

Foto via iStock por NanoStockk

Foto via iStock por NanoStockk

O principal ponto de parada é a Reserva Natural Skaftafell, um oásis de cenários deslumbrantes. Situada dentro do Parque Nacional Vatnajökul, Skaftafell é o acampamento-base dos amantes de trekking e dos aventureiros que desejam escalar o pico mais alto da Islândia, a montanha de Hvannadalshnúkur.

Foto via iStock por Anna_Om

Foto via iStock por Anna_Om

Por estar fora das rotas turísticas mais tradicionais, Höfn não conta com aglomerações de visitantes. Para quem deseja conhecer geleiras com tranquilidade, a cidade é uma das melhores opções, principalmente por contar com impressionantes formações de gelo, como Mýrdalsjökull e Eyjafjallajökull. Ainda há a lagoa da geleira de Jökulsárlón, que está repleta de enormes icebergs que se soltam de uma língua glacial e vagarosamente flutuam para o mar.

Foto via iStock por Leamus

Foto via iStock por Leamus

Alguns desses icebergs boiam até chegar nas praias de areia preta que circulam toda a região. Quando alcançam a terra, formam um incrível cenário que inspirou o nome de “Praia do Diamante”, devido as formações do gelo branco que se parecem com pedras preciosas.

Foto via iStock por Devilkae

Foto via iStock por Devilkae

Quase na fronteira com a aldeia de Vik, estão as imponentes falésias de Dyrhólaey e Reynisdrangar. Dyrhólaey é a atração mais chamativa entre todas, graças ao seu arco de pedra que se encontra na lista de “lugares instagramavéis” e figura como cenário exótico na Islândia. Aproveite para fazer um passeio de barco e passar por debaixo da enorme curvatura de rocha.

Foto via iStock por leonid_tit

Foto via iStock por leonid_tit

Conhecida por ser lar de trolls, Reynisdrangar é um dos destinos mais míticos da Islândia. Os pilares de basalto são o principal atrativo do lugar, já que o folclore da região gira em torno deles. Segundo as lendas locais, um casal de trolls esqueceu que a luz do sol podia transformá-los em pedra e saíram no meio do dia para caminhar pela praia, os deuses os puniram e os deixaram como lembrete no meio do oceano, para que isso não se repetisse.

Foto via iStock por LuigiMorbidelli

Foto via iStock por LuigiMorbidelli

Lendas a parte, Reynisdrangar ainda é um dos principais pontos de observação de vida marinha na Islândia. Ali é possível encontrar focas, golfinhos e até mesmo uma das vinte espécies de baleias que circulam pelo mar.

Texto por Carolina Berlato

Imagem Destacada via iStock por NicoElNino

Comentários