logo

Telefone: (11) 3024-9500

Florianópolis, uma experiência de sonhos | Qual Viagem Logo

Foto por IStock/ Cristhian_K_Santos

Florianópolis, uma experiência de sonhos

6 de junho de 2017

Quem conhece Florianópolis, imediata­mente se apaixona. Afinal, a capital catarinense é um incessante desfile de hipnotizantes praias e de belíssimas paisagens urbanas e rurais ao mesmo tempo em que vive, transpira e exibe os fortes traços cultu­rais herdados dos açorianos que ali chegaram em meados dos séculos 17 e 18, colonizando aquelas mágicas terras. Situada a Leste do Es­tado, a pulsante metrópole é ainda uma das pioneiras no País a implantar uma tendência em alta no mundo: o turismo de experiência.

Foto por IStock

Foto por IStock

A prática de proporcionar experiências é a base do turismo de incentivo, segmento com foco em viagens e programas turísticos oferecidos por empresas a seus colaboradores, fornecedo­res, parceiros ou clientes como prêmio por cum­primento de metas ou por algum desempenho de destaque. A modalidade é uma das que mais cresce no mundo nos últimos anos. No Bra­sil, está presente desde meados da década de 1970, e tem como objetivo encantar o turista, proporcionando-lhe experiências únicas e ines­quecíveis de sua viagem. Para isso, alia vivência e emoções, fazendo com que ele deixe de ser ape­nas um observador dos cenários paradisíacos do destino e passe a ser o seu principal protagonista.

Para alcançar o objetivo, requer obrigatoria­mente a participação e a interação do via­jante com as comunidades locais, motivando o seu envolvimento em atividades como a produção de artesanato e o aprendizado de práticas gastronômicas, esportivas e de tradi­ções religiosas e folclóricas. Palco que abriga essas e muitas outras atrações, Florianópolis todas as condições de proporcionar resulta­dos positivos nessa maneira de viajar.

Foto por Eliria Buso

Foto por Eliria Buso

Desenvolvida em parceria pela prefeitura e pelo Convention & Visitors Bureau da cidade, a iniciativa conta ainda com a participação de agências de viagem, órgãos turísticos, empre­sários do setor de hotelaria e proprietários de bares e restaurantes. Juntos, eles estão dispo­nibilizando passeios e aventuras que jamais serão esquecidos por quem deles participa.

As opções oferecidas aos turistas e também a empresas que desejem premiar seus me­lhores profissionais, parceiros e fornecedores são muitas. Incluem desde visitar fazendas de cultivo de ostras em pleno mar e conhecer graciosas vilas de pescadores até testemu­nhar o artista plástico Luciano Martins pin­tando uma tela enquanto o participante sa­boreia uma refeição, ao som de Dazaranha, uma banda musical de Santa Catarina.

Não há barreiras nem limites no universo do turismo de experiência. Nem para vivenciá-lo em solo catarinense. Não é à toa. Florianópolis é uma das três ilhas-capitais do País – as ou­tras são Vitória (ES) e São Luís (MA). É banhada pelo Oceano Atlântico e abriga quase 50 praias de águas azul-esverdeadas. Tem 52% do seu território em área de preservação ambiental, exibindo irretocáveis cenários povoados pelos múltiplos tons de verde da Mata Atlântica.

Foto por Istock/leonardospencer

Foto por Istock/leonardospencer

Com efervescentes points e baladas notur­nas, conta também com bares e restaurantes que primam pela excelente culinária – desde 2014, é uma das cidades detentoras do título de Cidade Criativa da Gastronomia, concedi­do pela Unesco. Tem quatro vias gastronômi­cas que oferecem desde pratos típicos elabo­rados à base de peixes e frutos do mar até os da cozinha internacional.

Quanto à infraestrutura de hospedagem, Florianópolis concentra sofisticados resorts, pousadas de luxo e conceituados empreendi­mentos pertencentes a bandeiras internacio­nais. Também disponibiliza opções mais eco­nômicas, como albergues e hotéis simples, porém aconchegantes. Em seu aeroporto, o maior do Estado, diariamente, aterrizam e decolam aviões, num total de 140 voos.

A maioria de seus atrativos fica na parte insu­lar, e outros, em bem menor quantidade, no continente. O motivo? Grande parte da cidade, o equivalente a 97,23% de seu território, está situada na Ilha de Santa Catarina (a área total do município, compreendendo a porção insu­lar e a continental, é de 675.410 km²). Assim, nada é mais natural que as suas principais ve­detes estejam espalhadas pela ilha.

E não são poucas. Em apenas uma hora e em um raio de 100 km de distância da ca­pital, o turista encontra propriedades rurais, estâncias termais e praias onde pode obser­var as baleias-francas que visitam o litoral catarinense todos os anos, de julho a no­vembro. “Temos natureza, história, cultura, esportes e entretenimento para as quatro estações do ano”, diz Marco Aurélio Floriani, presidente do C&VB Florianópolis e Região.

Florianópolis, de fato, possui quase 50 pon­tos históricos, entre fortalezas erguidas nos tempos do Brasil colonial, sítios arqueológi­cos, museus e igrejas. É o lar ainda da Lagoa da Conceição, de charmosos redutos aço­rianos e do Parque Municipal da Lagoa do Peri, onde está o principal manancial de água doce que abastece o Sul da ilha.

Foto por Eliria Buso

Foto por Eliria Buso

Sem esquecer os tesouros que guarda em seu centro histórico, a Avenida Beira-Mar Norte e o principal postal da cidade: a Ponte Hercílio Luz, com 821 m de extensão. Entre 1926 e 1975, a antiga ponte pênsil era o úni­co meio de fazer a travessia rodoviária sobre o Atlântico. Desde 1991, está em obras e inter­ditada ao tráfego de pedestres e automóveis.

CONTO DE FADAS

Ao Norte de Florianópolis, o Costão do San­tinho Resort é um dos empreendimentos que oferece pacotes de turismo de incentivo, cons­tituindo-se em um bom endereço para viven­ciar uma experiência de sonhos. Eleito sete vezes como o melhor resort de praia do Brasil pela revista “Viagem & Turismo”, está localiza­do na Praia do Santinho, uma das mais bonitas da ilha e distante 40 km do centro da cidade.

Foto Divulgação

Foto Divulgação

Com 2,2 km de extensão, a praia é perfeita para quem gosta de surfar, além de possuir dunas branquinhas, feitas sob medida para os adeptos da prática de sandboard, o surfe em prancha sobre as areias. A praia divide o exu­berante espaço que ocupa com o Morro das Aranhas, onde o hotel está inserido e onde trilhas bem sinalizadas levam o hóspede a co­nhecer a flora e fauna preservadas do lugar.

No cantinho direito da praia, uma passare­la de madeira conduz o visitante a inscrições rupestres pré-históricas. Identificado por pla­cas explicativas, esse sítio arqueológico ao ar livre é mantido pelo resort. No local também são encontrados relevos circulares em rochas que foram usadas pelos povos ancestrais da ilha para confeccionar e afiar instrumentos e artefatos, como pontas de lanças, machados e pesos para redes de pesca.

No inverno, a praia é colorida por pescado­res. É que nesta estação do ano, quando as águas do mar são mais frias, que milhares de tainhas por ali aparecem. O espetáculo se re­pete todos os anos, sobretudo a partir de 1º de maio até o dia 30 de julho, período em que acontece a safra da tainha e os pescado­res fazem a pesca artesanal dos peixes, uma das mais antigas tradições catarinenses.

Durante esses meses, os hóspedes podem participar do cotidiano dos pescadores, aju­dando-os a puxar a rede nos arrastões feitos à beira-mar. O resort compra boa parte das tainhas pescadas. Mais tarde, os seus res­taurantes servem pratos preparados com o peixe fresquinho – ao todo, possui 7 restau­rantes e 13 bares.

Quando se fala em números e em atrativos, tudo é superlativo no Costão do Santinho.

Com 750 mil m2, possui 14 vilas com 695 apar­tamentos, além do Hotel Internacional, cujas acomodações têm varanda com vista para o mar. Na área social, piscinas, salas de jogos, brinquedos, cinema, boate, butiques e qua­dras poliesportivas fazem a festa dos hóspedes.

Foto por Divulgação

Foto por Divulgação

A programação de lazer é outro de seus pontos fortes. Com atividades divididas por dia e por faixa etária, abrangem desde arco e flecha a parede de escalada e tirolesa.

Florianópolis, porém, não se resume apenas às atrações do Costão do Santinho. Nem se traduz em seus expressivos números. A vibrante capital de Santa Catarina não sai do ranking das melhores cidades do Brasil. Reú­ne em seu solo exuberante natureza, praias de águas caribenhas e cantinhos ricos em costumes e tradições culturais.

Seu encantamento está presente em qual­quer dia do ano em suas comidas e bebidas típicas, na sua excelente infraestrutura de hospedagem e de serviços, em sua história e no carinho de sua gente. Não é só! Em Floria­nópolis, tudo fascina, enfeitiça e seduz. Em outras palavras, na pequena ilha do Sul do País tudo é mágico e pura magia.

TENTAÇÕES GASTRONÔMICAS

Não faltam opções para comer bem em Florianó­polis. Maior produtora de ostras do País, a ilha pos­sui ainda muitas fazendas de produção do molus­co. Em um passeio de barco, é possível conhecer a cultura de cultivo das ostras e, depois, degustá-las nos bares e restaurantes que integram as quatro rotas gastronômicas da cidade. Confira:

Foto por Eliria Buso

Foto por Eliria Buso

Rota do Sol Poente – Santo Antônio de Lisboa é uma das mais antigas colô­nias de pescadores da ilha e tem como ponto alto a gastro­nomia e a cultura. Suas ruas guardam joias herdadas dos açorianos. Santo Antônio de Lisboa, por exemplo, rece­beu os primeiros colonizadores no final do século 17 e cresceu no mes­mo molde das vilas portuguesas, com duas ruas princi­pais em paralelo ao mar e poucas ruas transversais.

Em uma caminha­da pelas suas rua­zinhas é possível desvendar o seu inestimável patri­mônio arquitetônico, impresso nas casas coloniais, na primeira rua calçada do Estado e na Igreja Nossa Se­nhora das Necessidades, edificada entre 1750 e 1756.

Como a região abriga muitas fazendas de ostras, a maioria dos barzinhos e restaurantes desta rota serve o molusco. Caso do Villa do Porto Gastronomia & Bar. Com vista para o mar, neste lindo casarão da época co­lonial as ostras surgem gratinadas, ao bafo e in natura, temperadas com sal, limão, cachaça ou alho e óleo.

Ao lado do vizinho bairro Cacupé, Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui integram essa rota gastronômica, assim batizada por proporcionar no final das tardes um memorável pôr de sol. À noite, o visual do mar com as fazendas de ostras e os barquinhos na praia, tendo ao fundo as luzes do continente, da Ponte Hercílio Luz e da Avenida Beira-Mar Norte, é indescritível.

Rota das Ostras – Fundada em 1760, Ribeirão da Ilha também preserva as raízes culturais dos aço­rianos que a colonizaram, ostentando construções que exibem a arquitetura do Brasil Colônia. A pesca, por mais de dois séculos, foi a sua principal atividade eco­nômica. Agora, porém, a economia local baseia-se no cultivo de ostras.

Os moluscos vêm de fazendas marinhas que estão a poucos metros dos restaurantes da rota. O Rancho Açoriano é um deles. Com impecável gastronomia e de­que no mar, as ostras são coletadas na baía em frente à casa instantes antes de serem servidas em diferen­tes versões, como no espaguete com leite de coco.

Foto por Eliria Buso

Foto por Eliria Buso

Rota da Lagoa da Conceição – A lagoa é pon­to de encontro de gente bonita e palco da noite mais descolada da ilha. Tem magnetizantes praias, dunas e montanhas, casinhas da época colonial e é famosa por suas rendeiras. Seu centrinho e a Avenida das Rendei­ras concentram pubs, restaurantes e cafés com música ao vivo. É considerada uma das mais ricas vias gastro­nômicas da ilha – foi aqui que nasceu a Sequência de Camarão, onde o crustáceo é servido de pelo menos de três modos: empanado, alho e óleo e ao bafo.

Rota de Coqueiros – Com vista para a Baía de Florianópolis, é conhecida pela sua diversidade gastro­nômica, com bares, bistrôs e restaurantes que ofere­cem o melhor da gastronomia regional e internacional. Ao atravessar a Ponte Colombo Machado Salles e se­guir cerca de 1 km a oeste já aparecem as primeiras opções de lugares para comer. Bom apetite!

Como chegar

O Aeroporto Hercílio Luz recebe voos nacionais e internacionais na ilha. Fazem o trecho São Paulo-Florianópolis:
LATAM – latam.com.br
GOL – voegol.com.br
AVIANCA – avianca.com.br
AZUL – voeazul.com.br

Onde ficar

Costão do Santinho Resort, Golf e SPA – Seus pacotes de turismo de incentivo incluem visitas às fazendas marinhas e a restaurantes
das rotas gastronômicas, festas temáticas à beira-mar e fazer esportes radicais ao luar.
Informações: costão.com.br

Onde comer

Villa do Porto Gastronomia & Bar – Rua 15 de Novembro, 123 – Santo Antônio de Lisboa. Tel. (48) 3334-1000
Rancho Açoriano – Rod. Baldicero Filomeno, 5.634 Ribeirão da Ilha. Tel. (48) 3337-0848
Rancho da Ilha – Serve bolinhos de bacalhau, pastéis de camarão e petiscos, além de cervejas e cachaças produzidas no Estado, no Mercado Municipal – Rua Jerônimo Coelho, 60 – Centro.

Texto por: Fabíola Musarra

Foto destaque por IStock/ Cristhian_K_Santos

Comentários