logo

Telefone: (11) 3024-9500

Conheça o Sesc Serra Azul, no Mato Grosso, e mergulhe na natureza | Qual Viagem Logo

file-635816526228816444

Conheça o Sesc Serra Azul, no Mato Grosso, e mergulhe na natureza

25 de abril de 2016

A vista se perde entre o intenso azul do céu e o verde da serra, ainda habitada pela intacta fauna e flora do cerrado. É neste miniparaíso do Estado de Mato Grosso, mais precisamente no município Rosário Oeste, que está instalado o Sesc Serra Azul, um empreendimento turístico que ocupa 5.700 hectares, uma extensa área que anteriormente abrigava uma fazenda. Embora ainda esteja em fase de implantação, a unidade funciona e está aberta diariamente ao público, das 9 h às 17 h.

Para o turista, sobretudo para aqueles que são apaixonados pela natureza e para os amantes de emoções fortes, a visita não é em vão. Ali fica uma lindíssima cachoeira, que também é um posto de observação natural das memoráveis paisagens do lugar. Depois de chegar lá, já aos pés da soberana cachoeira, os mais afoitos podem mergulhar e fazer flutuação nas azuis águas que deslizam do alto da serra.

Foto por Sílvio Vince Esgalha via sescpantanal.com.br

Foto por Sílvio Vince Esgalha via sescpantanal.com.br

Antes disso, porém, será preciso escalar mais de 460 degraus para chegar à cachoeira. Na hora de voltar, o trajeto será o mesmo, exceto para aqueles que curtem aventuras mais radicais. Estes podem embarcar a bordo de uma emocionante tirolesa de 50 m de altura, percorrendo os seus 700 m de extensão. A adrenalina é garantida.

Por enquanto, o passeio com cerca de duas horas de duração somente pode ser agendado nas agências locais. São disponibilizados quatro horários: 9 h, 10 h, 14 h e 15 h. Como o empreendimento é uma reserva ecológica e seu foco está essencialmente baseado na sustentabilidade e na preservação ambiental, cada grupo é limitado a até 25 pessoas. Custa para adultos R$ 50 (visita à cachoeira) e R$ 80 (cachoeira mais tirolesa). Crianças de 6 a 10 anos pagam meia-entrada. O pacote é gratuito para os pequenos de até 5 anos. Futuramente, comerciários terão descontos.

“Ainda estamos em processo de mapeamento e de análise para conhecer o potencial desta área e suas características geográficas, geológicas, biológicas e paisagísticas para a implementação de novas atividades, pois apenas faremos intervenções e disponibilizaremos produtos que causem o mínimo de impacto à reserva”, explica Anderson Florêncio, chefe de Núcleo de Turismo da unidade.

O Sesc Serra Azul, segundo Florêncio, tem potencial para explorar o espeleoturismo – atualmente, técnicos já catalogaram 13 cavernas, cinco das quais poderão ser abertas ao público. Também faz parte dos planos da unidade para um futuro não tão distante, a implantação de outras atividades direcionadas ao ecoturismo e turismo de aventura. Entre elas, boia-cross, cavalgada, balonismo, off-road 4 x 4, trilhas educacionais para crianças e fazendinha.

Foto por Sílvio Vince Esgalha via sescpantanal.com.br

Foto por Sílvio Vince Esgalha via sescpantanal.com.br

Diversas espécies, por sinal, vivem no empreendimento. Tamanduás-bandeira e cinzas, onças-pardas e negras, porcos queixada (javali brasileiro), macacos-prego e bugios, lobetes, antas, capivaras, jacarés e tatus-peba, galinhas e canastras são apenas alguns dos animais que convivem no interior da reserva.

Também aves e cobras dividem o espaço do amplo território. São araras-azuis, canindés e vermelhas, tucanos, urubus-rei, pica-paus, emas, seriemas e tuiuiús (imigram para unidade, sobretudo, na época de seca no Pantanal), além de jararacas, boipevas, corais e cascáveis, entre outras espécies de cobras.

Quanto à flora, Florêncio assinala que, ao lado do Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais da Ezalq de Piracicaba (SP), o empreendimento vem desenvolvendo estudos para efetuar o reflorestamento das áreas devastadas pela ocupação e atividades praticadas na antiga fazenda. “Nossa ideia é fazer de tudo isso aqui um jardim botânico do cerrado”, antecipa.

Enquanto isso não acontece, o Sesc Serra Azul, em um prazo de 90 dias, deverá oferecer aos visitantes um imperdível day use, com atividades como o arco e flecha, o arborismo, o canoanismo e o cicloturismo. “Já até janeiro, fevereiro do ano que vem, o empreendimento deverá abrigar um restaurante e quiosques, oferecendo melhor infraestrutura aos turistas”, conta Marcelo Oliveira, um dos 11 funcionários que atualmente trabalham no Sesc Serra Azul. É aguardar e conferir!

Para mais informações, acesse sescpantanal.com.br

Texto por: Fabíola Musarra, enviada especial ao Mato Grosso

Foto destaque por Haroldo Palo Jr via sescpantanal.com.br

Comentários