logo

Telefone: (11) 3024-9500

Conheça a vocação artística de Nice, na França Logo

Foto por Istock/ Leonid Andronov

Conheça a vocação artística de Nice, na França

11 de maio de 2016

A vocação artística de Nice garante um extenso roteiro cultural para quem não pensa apenas em pegar praia. O pintor Henri Matisse, por exemplo, foi um dos mais ilustres moradores de Nice e tem um museu em sua homenagem. Quem aprecia artes não pode deixar de visitar o MAMAC, o museu de Arte Moderna e Contemporânea. Uma dica importante: quase todos os museus são gratuitos.

Difícil saber por onde começar o passeio pelo destino. O perigo maior é se deixar hipnotizar pela cor e beleza das águas do mar e esquecer do tempo na praia. Mas, apesar do lindo tom azul, as águas do Mediterrâneo são bem geladas e não existe areia na praia, apenas pedras, o que torna a caminhada bem desconfortável.

Comece o passeio pela Vieux-Nice, a parte velha da cidade e aprecie a arquitetura dos casarões, as praças com fontes e jardins floridos e o charmoso calçadão da Promenade des Anglais (Passeio dos Ingleses), que os locais chamam carinhosamente de “ La Prom”. Sua origem remonta ao século 19, quando o lugar já era um point popular de verão entre os ingleses. São cerca de cinco quilômetros à beira mar com bonitos palacetes em estilo neoclássico francês e hotéis luxuosos. Quando cansar, sente em um bar com mesinhas na calçada e tome uma cerveja ou café tranquilamente.

Foto por IStock/ Elenathewise

Foto por IStock/ Elenathewise

Nas redondezas está o famoso Hotel Negresco, que tem 102 anos e uma arquitetura exterior muito charmosa. O edifício tem uma cúpula rosada projetada por Gustave Eifel, o mesmo que assina a torre mais famosa do mundo na capital francesa. Situado em frente à Baie des Anges, foi construído por Henri Negresco para atrair a nata da sociedade europeia. Inaugurado em 1913, tinha requintes luxuosos como um candelabro com mais de 16 mil cristais, cedido pelo czar Nicolau II. Após as guerras que assolaram a Europa na primeira metade do século passado, o hotel foi vendido e atravessou períodos de muita dificuldade. Em 1957, reencontrou o caminho de prosperidade e voltou a ser frequentado por celebridades. Em 2003, o governo francês outorgou ao prédio o status de Monumento Histórico Nacional. Infelizmente não é permitida a visita de quem não esteja hospedado, mas vale à pena conhece- lo por fora. A iluminação deixa o edifício ainda mais interessante à noite.

O centro de Nice foi totalmente remodelado em 2007, quando a Place Masséna recebeu piso preto e branco e luzes coloridas durante a noite. Sempre lotada de turistas, a praça é circundada por prédios elegantes de cor salmão e ornamentada com estátuas e uma fonte – a Fontaine du Soleil. Próximo dela estão o grande Teatro Nacional, o Museu de História Natural e a principal avenida da cidade, a Jean Médicin. Se pensar em compras estará no lugar certo. Ao longo dela há muitas lojas e shopping, os trams – uma versão moderna e estendida dos antigos bondes – e a Igreja Notre Dame de Nice. Inspirada na igreja de mesmo nome de Paris, foi construída em 1860 e tem uma linda fachada gótica. Não confundir com outra, a Notre Dame du Port, igreja que protege os navegantes localizada no primeiro porto da cidade.

Seguindo a avenida até o final chegará à Colline du Chateau e de onde se tem a melhor vista da região. No local havia um antigo castelo que foi destruído por um incêndio há muito tempo. Hoje somente restam suas ruínas. Mas chegar até o alto da colina não é muito fácil. A subida passa por trilhas em meio a áreas verdes com cascatas, fontes e até um pequeno cemitério, além de duas centenas de degraus. O esforço vale à pena. Se preferir há outras alternativas para a subida. Uma delas é usar o elevador (“ascenseur”) que parte da Quai des Etats-Unis, próximo à Rue des Ponchettes. A outra é pegar o trenzinho na Promenade des Anglais, em frente ao Jardim Albert I, que circula pela cidade e passa no alto da colina. Aproveite para conhecer a histórica torre redonda Tour Bellanda, construída em 1826 exatamente no mesmo local onde estavam a antiga Tour Saint Elme e o castelo antes de serem consumidos pelo fogo. Lá em cima há, também, um parque para crianças, lojinhas, lanchonete e mirantes.

Foto por IStock/ venakr

Foto por IStock/ venakr

Quando voltar ao nível do mar não deixe de conhecer outros importantes atrativos turísticos e históricos de Nice. Entre eles, o Cours Saleya, local onde ocorre o famoso mercado de flores durante as manhãs e tem vários restaurantes com mesinhas para fora; a Ópera e o Palácio de Justiça; o centro de eventos Acropolis, próximo à Baía dos Anjos, e a catedral russa, a única igreja ortodoxa russa construída fora daquele país.

Como chegar

O aeroporto de Nice é o segundo maior da França, depois de Paris. Há ônibus (shuttle) até o centro da cidade. Guarde o ticket, pois ele vale o dia inteiro para qualquer ônibus ou tram. O caminho mais curto para chegar à cidade francesa é de avião partindo de Paris (1h20) e Barcelona (1h15). Há voos diretos da maioria das capitais europeias. Em toda a Europa há opções de trem, ônibus, etc. Se estiver no norte da Itália, pode ir de carro costeando o litoral. A estrada é boa, cheia de túneis enormes e com uma vista do mar Mediterrâneo de tirar o fôlego.

Texto por: Tino Simões

Foto destaque por IStock/ Leonid Andronov

Comentários