logo

Telefone: (11) 3024-9500

Cinco trilhas para se aventurar no Alentejo, em Portugal | Qual Viagem Logo

Foto por Turismo do Alentejo via Divulgação

Cinco trilhas para se aventurar no Alentejo, em Portugal

31 de janeiro de 2020

Na região do Alentejo, em Portugal, a natureza é incontornável. Ao visitar as suas cidades históricas, provar os premiados vinhos ou subir no topo de um castelo medieval, você vai se deparar com paisagens inesquecíveis de colinas e campos verdejantes pelo caminho.

Por isso, uma excelente ideia é explorar o destino tendo todas essas belezas naturais não apenas como parte do cenário, mas como estrelas principais. Há diversas trilhas para caminhadas que podem garantir essa experiência. Confira cinco delas!

Castelo de Vide a Marvão

Foto via iStock por Tiago_Fernandez

Foto via iStock por Tiago_Fernandez

Com mais de nove quilômetros de extensão, o percurso de dificuldade média conecta duas das mais charmosas vilas de todo o Alentejo: Castelo de Vide e Marvão. Passando por paisagens rurais e naturais, caminhos murados e até calçadas medievais, é marcado por quintas e olivais. Parte do projeto Alentejo Feel Nature, tem como seu maior desafio os três quilômetros finais na subida até Marvão. Em geral, leva-se três horas e meia no trajeto.

De Amieira a Alqueva com o lago a seus pés

Foto via iStock por inaquim

Foto via iStock por inaquim


São necessárias cerca de seis horas para percorrer os 17 quilômetros desta trilha, e a experiência vale totalmente a pena, já que o caminho margeia o Alqueva, maior lago artificial da Europa e um deslumbrante cartão postal do Alentejo. Além disso, garante a oportunidade perfeita para conhecer Amieira e Alqueva, suas mais importantes aldeias ribeirinhas.

À volta do montado

Foto via iStock por Tiago_Fernandez

Foto via iStock por Tiago_Fernandez


Esta trilha exige um pouco mais de tempo, já que possui 14,5 quilômetros. Pode ser feita em quatro ou cinco horas, mas ainda possui um grau de dificuldade baixo. Ela fica próxima a Mértola, na Mina de São Domingos, e oferece contrastes da aridez da área mineira com uma paisagem verdejante e relaxante, com montes e campos suaves de cereais e flores. Além da mina, é possível ver inúmeras plantações de alfarrobeiras, as ruínas do Monte do Vale Travesso e a barragem da Tapada Grande.

Vila Nova de Milfontes a Almograve

Foto por Turismo do Alentejo via Divulgação

Foto por Turismo do Alentejo via Divulgação


Aproveite a oportunidade para caminhar pelo litoral em um dos Trilhos dos Pescadores da Rota Vicentina. São 15 quilômetros entre Vila Nova de Milfontes e Almograve, num percurso que passa sobre o rio Mira e oferece vistas deslumbrantes de seu encontro com o mar, das encostas e da adorável vila. Dura cerca de cinco horas e é um pouco mais difícil que as trilhas anteriores. Essa trilha não é recomendada para aqueles que sofrem de vertigens.

Santiago do Cacém ao Vale Seco

Foto por Rota Vicentina via Divulgação

Foto por Rota Vicentina via Divulgação


A apenas 150 quilômetros de Lisboa, Santiago do Cacém fica em uma colina e tem atrações excelentes. De lá ao Vale Seco, são 18 quilômetros, que podem ser percorridos em cerca de seis horas. O caminho é fácil, começando na Igreja Matriz de Santiago do Cacém, um bonito templo gótico, com influências românicas. Parte do Trilho Histórico da Rota Vicentina, passa por muitos sobreiros, a árvore da cortiça. Os campos com sobreiros são repletos de vida, sendo usados muitas vezes para a criação de animais.

Mais Informações:  www.turismodoalentejo.com.br

Texto por Agência com edição de Carolina Berlato

Imagem Destacada por Turismo do Alentejo via Divulgação

Comentários