logo

Telefone: (11) 3024-9500

Caldas Novas: pode vir quente que estou fervendo! | Qual Viagem Logo

Foto por Julio Gonçalves

Caldas Novas: pode vir quente que estou fervendo!

16 de janeiro de 2018

Caldas Novas é uma cidade que desponta na­cionalmente como destino para turismo fami­liar não por acaso. Com a chegada das férias, a busca por destinos que ofereçam hospedagem de qualidade, lazer para as crianças e atividades para pessoas de todas as idades aumenta. A cidade das águas termais reúne esses e outros atrativos, preser­vando o estilo interiorano, sem ficar devendo a ou­tros locais reconhecidamente turísticos no Brasil.

A origem das águas de Caldas Novas remonta a 600 milhões de anos quando um vulcão, hoje extinto, ainda expelia lavas incandescentes, cinzas e gases. Esteve em atividade por milhares de anos até se extinguir com­pletamente. Com o passar do tempo, a erosão provo­cada pelas fortes chuvas e pelo vento, foi corroendo as bordas de cratera até aterrá-la completamente.

Foto por Adilson Zavarize

Foto por Adilson Zavarize

O calor e a grande pressão interna dos gases acumu­lados abriram rachaduras na base da montanha e por elas eram expelidos vapor d’água formando “geisers”. Com a diminuição da atividade vulcânica e da pressão dos gases internos, os jatos de vapor também dimi­nuíram e finalmente passaram apenas a jorrar água quente pelas trincas nas rochas em três locais distin­tos, distantes alguns quilômetros uns dos outros: Cal­das Velhas, Pirapitinga e Caldas Novas.

Somente em 1722 é que estas águas quentes foram descobertas. Quem as encontrou foi o sertanista Bar­tolomeu Bueno da Silva, filho do bandeirante Anhan­guera, que procurava ouro e pedras preciosas. Não encontrou os tesouros desejados, mas descobriu as fontes termais de maior vazão em todo o mundo!

Como se formam as águas quentes?

O maior estudo sobre o termalismo de Caldas No­vas foi realizado pela empresa estatal Furnas Centrais Elétricas, em função da possível influência da barra­gem da Usina Hidrelétrica Corumbá I sobre o lençol termal da região, que estaria sob o risco de esfriar. De acordo com Furnas, o fenômeno das águas quen­tes decorre de características geológicas e topográficas peculiares. As águas são aquecidas com o calor prove­niente do interior da Terra, em camadas profundas da crosta terrestre.

O subsolo da região é constituído por camadas de xisto e quartzito, ambos impermeáveis. Entretanto, es­tas rochas têm consistências diferentes: o xisto é uma formação rochosa mais plástica é mais moldável pelas forças exteriores; já o quartzito é uma rocha mais rí­gida, sob pressão, permitindo a formação de grandes conjuntos de fraturas. É nesta camada de quartzito onde se encontram os reservatórios de águas termais.

O processo de formação do aquífero termal se inicia com a infiltração da água da chuva no topo das Ser­ras de Caldas e da Matinha, que estão a cerca de mil metros de altura em relação ao nível do mar. A água quente, confinada sob as camadas de xisto e quartzito, está submetida a uma pressão muito grande, equiva­lente à pressão de uma coluna d’água de mais de 600 metros de altura (desde onde se encontra confinada até o topo das Serra).

Muita diversão e atração

Se essa é sua primeira ida a Caldas Novas com a família, indicamos algumas coisas típicas da cidade e atrações imperdíveis: Pode vir quente que eu estou fervendo!

Foto por Adilson Zavarize

Foto por Adilson Zavarize

Caldas Novas é um dos mais importantes polos turís­ticos do estado de Goiás e talvez seja o Top 10 no Bra­sil. Sua infraestrutura hoteleira conta hoje com mais de 120 hotéis, das mais diversas categorias, desde os mais sofisticados até os mais simples, todos dotados de piscinas termais para uso de seus hóspedes. Além das águas quentes, principal atração da cidade, exis­tem outros pontos turísticos que merecem destaque:

Parque Estadual da Serra de Caldas Novas

O Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (PES­CAN) está localizado entre os municípios de Caldas Novas e Rio Quente, no sudeste goiano e distante so­mente 5 km do centro de Caldas Novas e a 174 km de Goiânia. Possui uma área de 123 km2 em formato elipse, sendo o topo constituído de um grande platô, as laterais com encostas que formam muralhas natu­rais, e o sopé da serra que faz divisão com fazendas e loteamentos urbanos.

Foi criado no ano de 1970, com o objetivo maior de proteger a área de captação da chuva que abastece o lençol termal, principal agente no desenvolvimento do complexo turístico e de lazer que se estabeleceu na região, fazendo dos municípios de Caldas Novas e Rio Quente, o maior complexo hoteleiro do mundo a uti­lizar estes recursos termais em associação ao turismo.

Foto por Adilson Zavarize

Foto por Adilson Zavarize

Considerado pequeno em termos de proteção do bioma o Cerrado, possui, contudo, uma amostra bem conservada deste ecossistema. Sua proximidade urbana facilita o acesso da comunidade e dos turistas, o que consequentemente obriga a um controle da visitação, de forma que o parque cumpra sua missão de preser­vador do Cerrado e do manancial hidrotermal, pois a Serra de Caldas é importante ponto de recarga deste manancial. Ao mesmo tempo em que promove a visita­ção, sem causar impacto negativo ao ambiente, o Par­que é um agente ativo em Educação Ambiental junto à comunidade e espaço destinado à pesquisa do Cerrado.

Jardim Japonês para contemplar e refletir

O Jardim Japonês de Caldas Novas foi construído pelo japonês Toshiyuki Murai. É um lugar de grande significado espiritualista e que deve ser visitado na companhia de um guia local treinado, que fará a in­terpretação dos vários componentes do local. O Jar­dim Japonês tem sua origem no século XIV, quando os monges da seita Zen-Budista saíram da China para o Japão e começaram a se instalar junto aos imperado­res e comandantes militares, os shoguns.

Foto por Júlio Gonçalves

Foto por Júlio Gonçalves

Sua forma é assimétrica, permitindo visões diferen­tes, dependendo do ângulo em que se estiver. Os monges precisavam de espaços especiais para fazer suas orações e meditações. Por isto, usaram elemen­tos da natureza, como as pedras, as plantas e a água, fazendo arranjos os mais diversos.

Localização: Estrada para Goiânia ao lado do Hotel Império Romano com horários de visitação das 08:00 às 11:00s e das 13:00 às 17:00s todos os dias.

Turismo náutico também tem vez

O Lago Corumbá é um dos melhores locais para pra­ticar esportes náuticos, também é um local com natu­reza abundante proporcionando um passeio ecológico maravilhoso de barco, lancha ou Jet-Ski. O Lago que abastece a Usina Hidroelétrica Corumbá I, de Furnas Centrais Elétricas, começou a ser formado em setem­bro de 1996. O lago pode atingir até 595 metros em relação ao nível do mar. O perímetro do Lago de Co­rumbá é bastante recortado. Para circular todo o lago, uma pessoa teria de andar mais de 100 quilômetros. A parte mais profunda do lago está próxima à barragem e atinge 90m de profundidade. Há lagos que demo­ram até três anos para voltarem a encher. Espera-se que o Lago Corumbá sofra alterações de no máximo 15m, na seca mais severa, ao passo que outros reser­vatórios chegam a perder até 25m.

Lagoa Quente – Onde tudo começou

A Lagoa de Piratininga, também chamado de “Lagoa Quente”, é um dos pontos turísticos mais bonitos de Caldas Novas, oferece toda infraestrutura de camping, hospedagem, piscinas termais com nascente natu­ral, quadras de areia e sauna. A temperatura de suas águas pode chegar até 50 graus e está localizada à 6 Km do centro de Caldas Novas, às margens da estrada que liga Caldas Novas a Pires do Rio.Um lugar onde desfruta-se dos prazeres das águas quentes estando em contato direto com a natureza. Alguns guias de­monstram como se pode cozinhar um ovo, em menos de três minutos.

Parques para todos os gostos e idades

Acqua Park: agito e diversão no centro da cidade

O Acqua Park é um dos principais parques da cidade. O que mais atrai visitantes é a variedade de atrações para todas as idades. Entre as mais famosas estão os tobogãs que simulam queda livre a 90° e a alturas de prédios de quase 8 andares, a maior piscina de ondas da cidade, os enormes Navio do Descobrimento e a Gruta [ideais para curtir com as crianças menores], o Rio Lento, a Rampa e os toboáguas caracol espalhados pelas grandes piscinas. Para hóspedes dos hotéis diRo­ma as entradas para o Acqua Park são gratuitas. diRoma Acqua Park: R. São Cristóvão, 805 – Solar de Caldas.

Foto por Adilson Zavarize

Foto por Adilson Zavarize

Hot Park: o mais bem estruturado da região

Localizada na cidade vizinha de Rio Quente, que abri­ga vários hotéis, a principal atração é o Hot Park. Lá há diversas opções para adrenalina, descanso e parque aquático com águas quentes. A diversão é separada por gosto e estilo de cada visitante, como a modalida­de aventureiro. Proporcionando o frio na barriga nas alturas pela descida de um tobogã de 110 metros ou half pipe, uma rampa que desce de boias e foi inspira­da nas pistas de skate.

Existem aventuras para os pequenos também, prin­cipalmente no hotibum, um parque do cerrado, que proporciona muita diversão com escorregadores – um parquinho dentro da piscina. As outras modalidades são esportistas, família e criançada, assim, todos po­dem curtir e viver momentos inesquecíveis.

Passar apenas um dia em lugar tão incrível como o Hot Park é muito pouco; Compre o pacote para dois dias para um melhor aproveitamento.

Ilha do Kaká é a nova a tração do Prive Diversão

O Prive Diversão inaugurou recentemente o complexo infantil Ilha do Kaká, no Náutico Praia Clube, empreendi­mento localizado às margens do Lago Corumbá. A Ilha do Kaká é um espaço temático exclusivo para os pe­quenos e possui três mil metros quadrados repletos de atrações. Logo na entrada, um portal com o nome do espaço dá as boas vindas aos visitantes, que também se deparam com uma torre com balde de 1,7 metros.

A nova e diferenciada opção do Paraíso aprimora o con­ceito de diversão oferecida aos visitantes e reforça a pro­posta de relax com irreverência apresentada às crianças.

Foto por DIVULGAÇÃO/PALAVRACOM.COM

Foto por DIVULGAÇÃO/PALAVRACOM.COM

A Ilha do Kaká oferece dois escorregadores infantis com queda para a piscina e muitas duchas temáti­cas e aquáticas aguardam a petizada, que até janeiro de 2018 terá a seu dispor um bar infantil e um novo restaurante com cardápio diversificado voltado para o paladar dos pequenos. O complexo se chama Ilha do Kaká em referência a um dos personagens infantis mais populares e carismáticos da Turminha do Náu­tico, composta por mais seis figuras que simbolizam o empreendimento. A Ilha é a casa do Kaká. Na cidade o Grupo Privê oferece ainda mais 4 grandes e diverti­dos parques para a garotada se divertir plenamente.

Informações: privediversao.com.br

Monumento das Águas retrata principal atração da cidade

Foto por Adilson Zavarize

Foto por Adilson Zavarize

O Monumento das Águas é o cartão postal e as boas vindas da cidade. A primeira atração vista ao pisar em Caldas Novas é um lindo monumento que proporciona paz ao som das águas que caem. Um barulho tão tran­quilizador como o som das cachoeiras. Não deixe de tirar uma selfie no Monumento das Águas.

Esse marcante símbolo da cidade é uma das atrações mais fotografadas da região. As águas que brotam da enorme escultura emitem um som que relaxa e, ao mes­mo tempo, revigora. As cascatas espalhadas pela estru­tura fazem sucesso nas fotos. Visita imperdível e fácil de fazer, o Monumento das Águas fica na região da entrada da cidade. Rua São Cristóvão – Privê das Caldas

Casarão dos Gonzaga

Já o Casarão dos Gonzaga é a antiga propriedade da família de mesmo nome que se tornou ponto turístico tradicional, fazendo o visitante vivenciar, conhecer e sentir um pouco a história e momentos que já foram vividos e passados naquele local.

Além de oferecer uma grande história, o local tam­bém abriga um acervo de peças antigas e é o centro de apoio ao artesanato goiano. O Casarão foi construído em 1920 fez parte da história de Caldas Novas, e hoje é um patrimônio cultural.

Foto Adilson Zavarize

Foto Adilson Zavarize

Trenzinho garante a diversão da criançada

A forma mais divertida e calma de conhecer os pontos turísticos de Caldas Novas é realizar o passeio de tren­zinho. O passeio pode ser feito durante a tarde que é mais vazio, ou se preferir durante a noite, além de ficar mais cheio, o trem fica todo iluminado chamando a atenção de todos. Um dos lugares que o trem percorre é o Parque Primavera, onde fica o Parque de Diversões e a Feira do Luar. O passeio custa R$15,00 por pessoa.

Cachaçaria Vale das Águas Quentes

Outro lugar famoso em Caldas Novas é o centro de produção, degustação e armazenamento de cachaças e licores artesanais. A Cachaçaria Vale das Águas Quen­tes mostra o envelhecimento da cachaça em barris por mais de 13 anos, como era feito antigamente. Cachaças que são produzidas exclusivamente com caldo de cana.

Av. Coronel Bento Godoy, 2000 – Estância Itanhangá. Abre de segunda e sábado e feriados, das 9h às 18h30.

Prove os doces regionais

Os doces de Caldas Novas têm o sabor, aroma e a tex­tura do que é carinhosamente feito em casa. Lojas como Doces Caseiros Dona Ana, por exemplo, são abasteci­das com produções feitas à ‘moda antiga’, em tachos e usando produtos frescos. Doces em calda, goiabada, doce de leite e de outros ingredientes, as compotas de pequi e os doces de queijo fazem sucesso. Outro doce imperdível na cidade é feito com um ingrediente típi­co da região. O surpreendente sorvete de pequi é uma iguaria, mas encontrada com facilidade, inclusive na Ca­chaçaria Vale das Águas Quentes, produtora e loja de cachaça e licores 100% artesanais. Duas dicas de com­pras para levar um pouco da cidade para casa.Doces Ca­seiros Dona Ana. Av. Santo Amaro, 9 – Privê das Caldas

Comer empadão goiano

A receita do empadão goiano ganha pequenas varia­ções de cidade em cidade, mas é em Caldas Novas que o Empadão Goiano da Tânia tem a mistura de carne de porco, frango, queijo, pequi e guariroba mais famosa da região. O restaurante oferece outros recheios tão elogiados quanto o tradicional. Empadão Goiano da Tânia. Rua Antônio Coelho de Godói, 58 – Centro

Como chegar

A GOL  tem três frequências de voos regulares para Caldas Novas saindo de Congonhas. Já a AZUL operara três voos semanais saindo do aeroporto de Viracopos, em Campinas.

Onde ficar

Le Jardin 
Privê
Thermas di Roma
Pousada do Ipê

Onde comer

Nonna Mia
Empadão Goiano da Tânia – (64) 3453-7895
Chicago Steakhouse
Casa de Caldo Panela Grande

Texto por: Cláudio Lacerda Oliva

Foto destaque por Julio Gonçalves

Comentários