logo

Telefone: (11) 3024-9500

As belas surpresas da Riviera Francesa | Qual Viagem Logo

Villefranche sur mer between Nice and Monaco

As belas surpresas da Riviera Francesa

11 de outubro de 2018

Selecionamos cidades menos conhecidas – porém, não menos deslumbrantes – para incluir no seu roteiro pela elegante Côte d’Azur e deixá-lo ainda mais exclusivo.

Cidades charmosas, muito glamour e vistas de tirar o fôlego de qualquer turista. A Riviera Francesa, conhecida também como Côte d’Azur, tem a fama de ser um dos trechos mais exclusivos e luxuosos do litoral europeu desde o final do século XIX. O destino sempre atraiu visitantes ilustres, como Renoir e Picasso, além, claro, de estrelas do cinema.

Foto por iStock / clodio

Foto por iStock / clodio

Nessa faixa litorânea de quase 200 km no sudeste da França, o Mar Mediterrâneo exibe um marcante tom de azul. Praias badaladas e vilas encravadas em rochedos completam o visual. Cannes, Nice e o Principado de Mônaco não podem faltar em um roteiro pela Riviera Francesa, mas, para quem quiser estender a estadia, há outras dezenas de pequenas cidades que valem a visita.

Foto por iStock / Siempreverde22

Foto por iStock / Siempreverde22

Ao percorrer curtas distâncias de carro ou de trem à beira-mar, não é difícil encontrar verdadeiras joias pelo caminho – muitos desses vilarejos são quase desconhecidos pelo grande público, mas prometem encantar com muita beleza e a autenticidade do “savoir-vivre” francês.

Antibes

Foto por iStock / venakr

Foto por iStock / venakr

Localizada entre Cannes e Nice, Antibes respira arte e cultura. Seu ambiente elegante e as paisagens banhadas pelo azul do Mediterrâneo têm inspirado artistas há décadas. Um deles foi Picasso, que viveu ali em 1946. Seu estúdio estava instalado no antigo Castelo Grimaldi, que data do século XIV. Junto às muralhas, tornou-se depois o Museu Picasso, com uma extensa coleção de obras que ele produziu durante seu tempo em Antibes.

Foto por iStock / gianliguori

Foto por iStock / gianliguori

Perto dali, o Port Vauban é um dos maiores portos de iates particulares da Europa. Antes de chegar ao Quai des Milliardaires (ou “Cais dos Milionários”), veja de perto a fantástica escultura “Le Nomade”. No sul da pequena península, está Cap d’Antibes, local pontuado por pequenas baías isoladas e mansões de cair o queixo.

Èze

Foto por iStock / andrzej63

Foto por iStock / andrzej63

Pertinho de Mônaco, Èze tem charmosas construções em estilo provençal e guarda uma das vistas mais privilegiadas para o Mar Mediterrâneo na região. Na parte mais alta do vilarejo, você vai encontrar restaurantes premiados, a igreja da cidade, o Jardin Exotique (jardim botânico) e as tradicionais perfumarias Galimard e Fragonard, além das ruínas de um castelo medieval.

Foto por iStock / CCeliaPhoto

Foto por iStock / CCeliaPhoto

Caminhe pelo labirinto de ruelas estreitas, entre ladeiras e escadarias. Em Èze, o filósofo alemão Nietzsche escreveu parte de uma de suas mais famosas obras. Por isso, a trilha que liga a parte alta da cidade à área à beira-mar foi nomeada em sua homenagem: Chemin de Nietzsche. É uma caminhada de quase 2 km de extensão, mas as paisagens recompensam todo o esforço.

Villefranche-sur-Mer

Foto por iStock / nito100

Foto por iStock / nito100

Com um estilo arquitetônico que lembra a Costa Amalfitana, na Itália, a pequena Villefranche-sur-Mer contorna a baía de mesmo nome, que costuma exibir ali águas de um estonteante tom azul turquesa. Bem ao lado de Nice, guarda ruas charmosas calçadas de pedras e alguns tesouros históricos – já que foi fundada no final do século XIII.

Foto por iStock / Elenathewise

Foto por iStock / Elenathewise

Entre eles estão a Cidadela de Saint-Elme, uma fortaleza medieval debruçada sobre o mar, e o Forte do Monte Alban. Outro lugar curioso é a Rue Obscure, uma estreita passagem que foi transformada em túnel ainda no século XVI.

Perto do porto dos iates, há vários cafés e restaurantes de frutos do mar e culinária francesa – muitos têm mesinhas ao ar livre, a dois passos das águas cristalinas da baía. Se o dia estiver quente, vale um mergulho na Plage des Marinières.

Menton

Foto por iStock / Xantana

Foto por iStock / Xantana

Menton é a cidade mais a leste da Riviera Francesa, já na fronteira com a Itália. Seu inconfundível panorama é formado pela infinidade de casas coloridas em tons de amarelo, rosa e laranja, em um belo contraste com o mar azul. A cidade possui uma série de semelhanças com o país vizinho – a começar pela arquitetura.

Foto por iStock / rglinsky

Foto por iStock / rglinsky

A atmosfera é de uma típica cidade balneário italiana. A avenida à beira-mar é ladeada por palmeiras, um calçadão e uma série de restaurantes, cafés, bistrôs e sorveterias com mesas ao ar livre. Também há boas praias de águas cristalinas com alguns trechos de areia.

Um passeio a pé pelo centro de Menton também rende boas surpresas. Por ali não faltam restaurantes e boutiques. Não deixe de conhecer a Igreja de Saint-Michel e a Chapelle des Pénitents Blancs, cujos campanários marcam o cartão-postal da cidade.

Cagnes-sur-Mer

Foto por iStock / curtoicurto

Foto por iStock / curtoicurto

A poucos quilômetros a oeste de Nice, Cagnes-sur-Mer deve muito de sua fama a Pierre-Auguste Renoir. O grande pintor impressionista passou os últimos anos de sua vida nesse vilarejo, por motivos de saúde. A casa onde ele morou, cercada por muitas árvores e com vista para a cidade, é agora um museu. Essa linda propriedade foi retratada em vários quadros de Renoir. Além de obras originais, o Musée Renoir guarda móveis e objetos que pertenceram ao artista.

Foto por iStock / Celli07

Foto por iStock / Celli07

O charmoso centro histórico de Cagnes-sur-Mer fica sobre uma colina com vista para o Mediterrâneo. Ali ficam ruas estreitas, antigas casinhas de pedra em estilo provençal e o Château Grimaldi, que funciona como um museu e está no ponto mais alto da vila.

Cagnes-sur-Mer também tem um dos melhores lugares para compras na região: trata-se do Polygone Riviera, um moderno shopping aberto com marcas de roupas com preços bem acessíveis.

Saint-Paul-de-Vence

Foto por iStock / Celli07

Foto por iStock / Celli07

A pequena Saint-Paul-de-Vence prova que os charmes da Côte d’Azur não se resumem ao litoral. A região engloba alguns vilarejos que não estão à beira-mar, como é o caso de Saint-Paul-de-Vence, pertinho de Nice e de Cagnes-sur-Mer. Seu compacto centro histórico é delimitado por muralhas medievais e localizado sobre um rochedo.

Foto por iStock / trabantos

Foto por iStock / trabantos

Ruas estreitas e casas de pedra garantem lindos cenários a cada esquina – isso sem contar as vistas para as mansões e montanhas ao redor. Outro destaque de Saint-Paul-de-Vence é seu lado artístico, já que abriga várias galerias de arte e a Fondation Maeght – um museu de arte moderna que reúne obras de Chagall, Miró e Giacometti, entre muitos outros mestres.

Como chegar

Bem localizado, o Aeroporto Interna­cional de Nice serve à região e recebe voos das principais cidades europeias, como Paris, Lisboa, Amsterdã, Zurique e Frankfurt. Voar com a AIR FRANCE é uma das melhores opções para chegar até a Côte d’Azur a partir do Brasil. A companhia tem voos para Nice com uma escala em Paris partindo de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro Uma opção interessante é a Royal Air Maroc, que conta com voos de São Paulo ou Rio de Janeiro para Casablanca e, de lá para Nice. Não há voos diretos a par­tir do Brasil. A partir de Paris, também é possível chegar a Nice de TGV (trem de alta velocidade).

Onde ficar

Por ser a maior cidade da região e por ter uma localização central, Nice é a melhor opção para estabelecer como base. Há hotéis de todos os tipos, dos luxuosos aos econômicos.

Hôtel Le Negresco

ibis Styles Nice Centre Gare

Hôtel Villa Rivoli

Hôtel Ellington Nice Centre

Texto por: Patrícia Chemin

Foto destaque por: iStock / manjik

Comentários