África do Sul: Emoção, conforto e luxo nos safáris | Qual Viagem
logo

Telefone: (11) 3024-9500

África do Sul: Emoção, conforto e luxo nos safáris | Qual Viagem Logo

Foto por Istock/ Byelikova_Oksana

África do Sul: Emoção, conforto e luxo nos safáris

27 de novembro de 2017

Um dos principais destinos turísticos do conti­nente africano, a África do Sul é uma das boas opções para um safári fotográfico – chamado de game drive – que levam os visitantes a emocio­nantes passeios através do hábitat dos maiores e mais ferozes exemplares do reino animal.

O país tem várias reservas públicas e privadas. Para ajudar a bancar o trabalho de preservação do ecossistema, todos os turistas estrangeiros pagam uma taxa de conservação para entrar nas reservas. No caso do Kruger Park, por exemplo, o valor diário por pessoa é de R304 (cerca de R$ 76). Mas esse é um dinheiro gasto com gosto, pois certamente ninguém vai reclamar do desembolso após avistar o primeiro animal.

Foto por Istock/ Utopia_88

Foto por Istock/ Utopia_88

O destino mais comum dos visitantes na África do Sul é o famoso – e muito grande – Kruger National Park, distante cerca de 390 quilômetros da capital sul-africana. Com quase 2 milhões de hectares, o parque criado em 1989 abriga mais de 140 espécies de mamíferos, mais de 500 de pássaros, répteis, an­fíbios, peixes e uma rica flora. A infraestrutura é boa com estradas asfaltadas bem conservadas e opções de hospedagem que vão de áreas de camping até lodges confortáveis. Nele os visitantes podem seguir em seus próprios carros por áreas e rotas determi­nadas, nos chamados self drive safari. Podem tam­bém contratar tours acompanhados por um ranger – profissionais com muito conhecimento da fauna e flora da região e que atuam simultaneamente como motorista e guia – e um tracker – aquele cara que vai sentado na cadeirinha sobre o capô na frente dos carros e que conhece como ninguém os animais.

Mas quem procura as emoções de um safári sem abrir mão do conforto é melhor optar por uma das reservas privadas e vizinhas do Kruger. São várias as vantagens, entre elas a possibilidade de esco­lher o tipo de hospedagem que mais se enquadra ao seu estilo e gosto. Outro importante diferencial é que no parque nacional os veículos com tração nas quatro rodas não podem sair das estradas de­marcadas, enquanto que nas áreas particulares eles entram literalmente na mata em busca dos animais. Os carros também são menores e transportam um número menor de pessoas, deixando a experiência mais personalizada.

Kapama Private Game Reserve

Foto por ISTOCK / IPGGUTENBERGUKLTD

Foto por ISTOCK / IPGGUTENBERGUKLTD

Uma boa sugestão está situada em Hoedspruit, cidade localizada no nordeste da África do Sul, pró­ximo da fronteira com Moçambique. Distante cerca de 600 quilômetros de Johanesburgo, o percurso pode ser coberto em apenas 50 minutos a bordo de um turboélice da South African Airways (SAA) com capacidade para 50 pessoas. Quando a aerona­ve começa a perder altitude, momentos antes da aterrissagem, os passageiros mais atentos e senta­dos ao lado das janelas podem até avistar grandes animais como elefantes e girafas. O pouso aconte­ce no Eastgate Airport, pequeno e completamente integrado ao lugar. Suas pistas são grandes, sinali­zadas e seguras, mas as instalações são pequenas e decoradas como uma grande cabana na selva. E se engana quem pensa que realizar um safári impli­ca em ficar privado de conforto. Na Kapama Private Game Reserve, por exemplo, os turistas encontram grande variedade de animais e pássaros, revelando a verdadeira essência do continente africano. Loca­lizada na província de Limpopo entre as montanhas de Drakensberg e o Kruger Park, a reserva de 13 mil hectares abriga mais de 40 espécies de mamíferos e cerca de 350 de aves.

O nome Kapama vem de um rei Swazi, cuja tribo habitava a região na década de 1880. Na enorme área de terras preservadas e cuidadas com esmero pelos proprietários e funcionários, os visitantes en­contram quatro diferentes tipos de acomodações de luxo: Buffalo Camp, Southern Camp, River Lodge e Kapama Karula. Elas complementam-se perfeita­mente e oferecem uma variedade de acomodações confortáveis e sofisticadas, juntamente com trata­mentos de spas africanos de luxo.

Buffalo Camp – Grandes barracas de camping dotadas de completa infraestrutura e montadas so­bre estruturas de madeira elevadas do solo;

Foto por CORTESIA / KAPAMA.COM

Foto por CORTESIA / KAPAMA.COM

Kapama Southern Camp – Vinte e cinco confortáveis quartos equipados com ar condiciona­do, telefone, internet, ducha quente (interna e ex­terna), jacuzzi e até lareira;

Kapama River Lodge – Com 64 quartos é o mais acessível e conta com piscina comunitária e uma exclusiva aos clientes do spa;

Kapama Karula – Que significa “lugar de paz”, tem dez suítes e duas confortáveis tendas com luxo padrão 5 estrelas. Está às margens do Rio Klaserie, possibilitando aos hóspedes desfrutarem de um ce­nário ideal para observar os animais selvagens que saem da mata para beber água.

Foto por DIVULAGAÇÃO / KAPAMASAFARILODGES.CO.ZA

Foto por DIVULAGAÇÃO / KAPAMASAFARILODGES.CO.ZA

Os lodges da reserva Kapana agradam desde famí­lias até casais em lua de mel, que podem desfrutar de noites românticas em cama de dossel iluminada por lanternas instaladas no topo de uma platafor­ma, com belas vistas, drinques e jantar íntimo. O River Lodge, em particular, atende bem os grupos familiares com crianças.

Em busca dos Big Five

Os safáris na região possibilitam avistar os cinco famosos animais selvagens chamados de Big Five – leão, búfalo, elefante, rinoceronte e leopardo. E eles iniciam sempre muito cedo, por volta das seis da manhã, horário ideal para se avistar animais, além de conseguir a melhor luz do dia para as fotos. O grupo de turistas é dividido em turmas de seis a oito pessoas em jipes Land Rover. Caso a sorte esteja ao lado do grupo, logo nos primeiros minutos é possível perceber a presença de grandes animais. As emoções se sucedem a cada momento com a visão de exemplares de diversas espécies. E são muitas as fotos e vídeos a cada novo grupo de desengonçadas girafas, búfalos, zebras, rinocerontes, hipopótamos, elefantes e leões entre outros. O encontro com os leões é o mais esperado e emocionante. O veículo 4×4 chega a poucos metros de distância dos ferozes felinos. Dá um pouco de medo, mas a experiência é bem segura. Os rangers e os trakers conhecem os hábitos dos animais e os limites de cada contato.

A tensão e emoção aumentam ainda mais nos safáris noturnos. É à noite que os leopardos costumam apa­recer. Animal de hábitos noturnos, é difícil visualizá-los sem a ajuda dos trackers. Mas, saber que eles estão ali nos observando faz o coração bater mais forte.

Foto por IStock/ Hajakely

Foto por IStock/ Hajakely

Na volta ao lodge, cansados, mas satisfeitos, o grupo é normalmente recepcionado com cham­panhe e coquetéis de frutas típicas. Tempo ape­nas para um rápido banho antes de se reunir no­vamente para o jantar com comidas exóticas servidas ao ar livre em mesas sob as árvores. O lugar é protegido apenas por uma cerca de bam­bu e no centro do terreiro uma grande fogueira completa o cenário. Animais e insetos garantem o fundo musical. Esse é o clima de um jantar inesquecível onde predominam as carnes de caça, pre­sentes até em uma lasanha de avestruz inesquecível!

Na manhã seguinte, às 5 horas, um funcionário irá chama-lo para um novo safári. Desta vez para ob­servação de aves e pássaros. Um espetáculo incrível!

Safári montado em um elefante

Tem muita gente que é contra, porém há também a opção de realizar um safári onde os participantes são transportados por elefantes. Os animais treinados che­garam à reserva em 2002, trazidos do Zimbabwe, onde corriam o risco de serem mortos por caçadores. Após montarem nos animais e sentarem nas confortáveis selas instaladas logo atrás dos experientes condutores dos elefantes, o passeio tem início. Os grandes paqui­dermes caminham lenta e silenciosamente pela savana proporcionando uma experiência única e memorável.

Além dos safáris, os hóspedes dispõem de outras atividades como caminhadas por trilhas na reserva natural, passeios de balão, campismo ao ar livre, la­zer nas piscinas e tratamentos nos spas.

OUTRAS BOAS OPÇÕES

Sabi Sabi Private Game Reserve – Localizada na re­gião de Sabi Sands, é uma das reservas privadas mais luxuosas da África do Sul. Oferece quatro luxuosos ho­téis padrão 5 estrelas: Selati Camp, Bush Lodge, Little Bush Camp e Earth Lodge. A caça foi proibida por lá há mais de 50 anos, o que fez aumentar a concentração de animais selvagens.

Foto por DIVULAGAÇÃO / SABI-SANDS.COM

Foto por DIVULAGAÇÃO / SABI-SANDS.COM

Royal Malewane – No Thornybush Private Game Re­serve, ao lado do Parque Nacional Kruger, é um retiro de luxo isolado que dispõe de um centro de spa, aca­demia e piscinas privativas. As suítes apresentam uma decoração elegante e contam com ar condicionado e um deck de madeira com piscina privativa. Passarelas conectam as suítes ao chalé principal. O spa inclui uma academia totalmente equipada, piscina aquecida, sala de vapor e banheira de hidromassagem.

Thornybush Game Lodge – Com categoria 5 estrelas e localizado ao lado do Parque Nacional Greater Kru­ger, tem 14 mil hectares de savana africana preservada. Oferece vista para o rio sazonal Monwana a partir de seu deck de visualização privativo. As elegantes suítes apresentam decoração africana e dispõem de ar condi­cionado, mosquiteiro estendido sobre a cama, frigobar e entrada privativa, além de luxuoso banheiro. Para re­laxar, o Spa Africano Amani oferece uma variedade de tratamentos de bem-estar.

The River Lodge At Thornybush – Situado ao lon­go das margens do Rio Timbavati, oferece vista para as montanhas Drakenberg. Tem piscina ao ar livre e suítes com decoração elegante, área de estar e cozinha com­pacta, além de um deck com piscina de imersão e vista para o Rio Monwana (sazonal). Há, também, um spa, bi­blioteca e loja de presentes.

Foto por DIVULAGAÇÃO / LODGESHOTS.COM

Foto por DIVULAGAÇÃO / LODGESHOTS.COM

Camp Jabulani – Reserva particular com 16 mil hecta­res (próxima de Hoedspruit e do Kruger), foi idealizada para manter 12 elefantes resgatados e oferece experi­ência verdadeiramente personalizada. As acomodações – 6 suítes de luxo e a vila privativa Zindoga Villa – aten­dem apenas 18 hóspedes. As instalações incluem sala de jantar, sala de estar, spa ao ar livre (Therapy Lapa), fitness center com sauna e um amplo deck de madeira à sombra de uma enorme árvore – cenário perfeito para as refeições servidas ao ar livre.

Nthambo Tree Camp – Esse acampamento intimista localizado na Reserva Natural Privativa de Klaserie, pos­sui área com lounge de palha, bar e piscina. Os chalés foram construídos em palafitas de madeira e possuem deck, mosquiteiro e banheiro privativo.

Como chegar

A South African Airways tem voos diários e diretos entre São Paulo e Joanesburgo. O tempo de voo é de aproximadamente 9h30.

Onde ficar

KRUGER NATIONAL PARK

KAPAMA PRIVATE GAME RESERVE (Buffalo Camp, Southern, River Lodge e Karula)

ROYAL MALEWANE

THORNYBUSH GAME LODGE

THE RIVER LODGE AT THORNY­BUSH

CAMP JABULANI

NTHAMBO TREE CAMP

SABI SABI PRIVATE GAME RESERVE

O que comer

O gastronomia sul-africana é bastante aromática, saborosa e apimentada. En­tre os pratos disponíveis nos cardápios irá encontrar as samosas, um tipo de pastelzinho com casquinha crocante; sopa de abóbora com gengibre; cordei­ro com molho de tomate; frango com abóbora; e lentilhas com curry. E, na sobremesa, o tradicional pudim malva. Na Cidade do Cabo não deixe de almoçar em um dos restaurantes das vinícolas – todos são excelentes. Entre os pratos, peça peixes – experimente pedir o Kingklip – e frutos do mar. Se preferir carnes, há exóticas como aves­truz, búfalo e antílope (kudo).

Texto por: Roberto Maia

Foto destaque por Istock/ Byelikova_Oksana

Comentários