logo

Telefone: (11) 3024-9500

Novo Airão: praias fluviais, botos e arte na madeira pertinho de Manaus | Qual Viagem Logo

Foto por Ana Claudia Jatahy - MTUR

Novo Airão: praias fluviais, botos e arte na madeira pertinho de Manaus

4 de junho de 2019

Situada a pouco menos de 200 quilômetros de Manaus, Novo Airão já entrou no radar dos turistas que visitam a região, principalmente por conta da abundante presença dos botos vermelhos. Mas não só os típicos animais chamam a atenção na cidade. É lá também que estão dois dos principais Parques Nacionais do Brasil: Anavilhanas, onde está o segundo mais arquipélago fluvial do mundo com mais de 400 ilhas, e Jaú, o segundo maior parque do país.

Isso rende ao lugar uma riqueza sem tamanho em patrimônio natural. São praias de água doce, cachoeiras, corredeiras e muito verde em meio à Floresta Amazônica.

De setembro a janeiro, quando ocorre o período de seca, é quando as praias fluviais ficam mais visíveis e formam um verdadeiro paraíso de águas doces. As principais se localizam no Parna Anavilhanas e são: do Camaleão, do Meio, Baranoá, Aracari, Jauari e Mirapinima.

Foto por Ana Claudia Jatahy - MTUR

Foto por Ana Claudia Jatahy – MTUR

Já no Parna de Jaú, o destaque fica por conta das trilhas que levam à belas cachoeiras como as do Igarapé Preto, as piscinas naturais de águas vermelha e as corredeiras do Rio Carabiani.

Ainda entre os atrativos naturais de Novo Airão estão as Grutas do Madadá, dois conjuntos de blocos de arenito equilibrados em meio à vegetação que se formaram há mais de 700 milhões de anos, e a Pedra do Sanduíche, curiosa formação de pedras empilhadas em meio ao Rio Negro.

Foto por Ana Claudia Jatahy - MTUR

Foto por Ana Claudia Jatahy – MTUR

E por falar em curiosidade, talvez o lugar mais misterioso da região seja a antiga vila de Velho Airão, que foi abandonada por seus moradores na década de 1950 e, desde então, vive às ruínas. Além de algumas obras rupestres de milhares de anos, há ali alguns resquícios do que formara, há mais de 60 anos, um importante entreposto comercial do ciclo da borracha. Hoje, o que eram casas coloniais, escolas e igrejas, foi integrado à mata e forma um cenário de filme.

Foto por Ana Claudia Jatahy - MTUR

Foto por Ana Claudia Jatahy – MTUR

Novo Airão é conhecida, ainda, por sua produção de barcos – é a maior do Estado, inclusive. E é na madeira que encontra sua principal fonte para o artesanato.

Foto por Ana Claudia Jatahy - MTUR

Foto por Ana Claudia Jatahy – MTUR

São objetos como caixas, utensílios e acessórios, além do famoso sapo cantor, que tem origem indonésia, mas hoje já é conhecido em todo o país como artesanato local.

Foto por Ana Claudia Jatahy - MTUR

Foto por Ana Claudia Jatahy – MTUR

A cidade tem fácil acesso partindo de Manaus, graças à Ponte Rio Negro. O roteiro tem duração de aproximadamente três horas. Para observar os botos, a dica é visitar o flutuante Dona Marilda.

Texto por: Eliria Buso

Foto destaque por Ana Claudia Jatahy – MTUR

Comentários