logo

Telefone: (11) 3024-9500

6 destinos mais baratos para aprender inglês | Qual Viagem Logo

Vancouver's modern science world complex situated on False Creek.

6 destinos mais baratos para aprender inglês

11 de maio de 2018

A procura por cursos no exterior está aquecida entre os jovens brasileiros. É o que apontam os números da Experimento Intercâmbio Cultural, maior rede de intercâmbio no país, que aumentou as vendas em 13,3% no primeiro trimestre deste ano. Para muitos, com o dólar cotado a R$ 3,68, estudar no exterior poderia ser algo inviável, mas com planejamento e pesquisa é possível realizar a viagem.

Atenta a demanda de brasileiros que desejam investir na carreira mesmo em tempos de orçamento mais enxuto e de dólar caro, a Experimento fez um levantamento e elencou os 6 destinos mais em conta para aprender inglês no exterior. A pesquisa mostra que o Canadá, a África do Sul, a Ilha de Malta e a Austrália têm se tornado bons destinos para aprender o idioma, com ótimo custo x benefício. Além de serem países de língua inglesa, eles contam com ótimas estruturas acadêmicas, oferecendo todo apoio e suporte que o estudante precisa durante o período no exterior.

Para ajudar ainda mais no planejamento financeiro dos viajantes, a Experimento, iniciou essa semana um promoção de câmbio reduzido no pagamento de cursos de idioma. A condição é oferecida para programas em destinos nos Estados Unidos para compras efetuadas até 9 de maio. O valor é 3% inferior da cotação atual do dólar turismo do dia e o estudante ainda pode parcelas as viagens em até 12x sem juros.

Confira abaixo os 6 destinos mais baratos para aprender inglês, segundo levantamento realizado pela Experimento:

CANADÁ (VANCOUVER) 

Foto via iStock/ jamesvancouver

Foto via iStock/ jamesvancouver

Que o Canadá está em alta entre os brasileiros, não é nenhuma novidade. No entanto, Vancouver, 2° cidade mais populosa do país, vem se destacando como uma tendência de destino, entre os estudantes brasileiros. Além de ser uma alternativa mais econômica frente ao real desvalorizado, o Canadá é reconhecido mundialmente por sua receptividade – apesar do frio – e pelos vultosos investimentos em educação. Com saída no dia 4 de julho, um curso de idiomas na ILSC Vancouver, com passagem aérea e hospedagem em casa de família, com meia pensão, sai por a partir de 10x sem juros R$ 1.050.

MALTA (SLIEMA)

Foto via iStock/ KavalenkavaVolha

Foto via iStock/ KavalenkavaVolha

A cidade de Sliema, na Ilha de Malta, oferece um custo de vida local bastante baixo se comparado a destinos na Europa de língua inglesa –em torno de 20% menor.Com um mix de nacionalidades surpreendentes, hoje, boa parte dos intercambistas de Malta vem de outras partes do mundo – especialmente, Europa e Ásia, uma ótima chance para o estudante brasileiro soltar a língua. Com duração de 2 semanas, um curso de inglês em Malta, na escola EC, com acomodação em Csaa de família com café da manhã sai entrada mais 12 parcelas de R$219,00 sem juros.

ÁFRICA DO SUL (CIDADE DO CABO) 

Foto via iStock/ michaeljung

Foto via iStock/ michaeljung

A África do Sul é um dos destinos mais econômicos para quem quer estudar inglês no exterior. A moeda local, chamada rand, equivale a 28 centavos de real. Com isso, serviços como alimentação e hospedagem ficam ainda mais em conta. Além disso, o país oferece uma série de atrações turísticas de cair o queixo. No destino há também opções de trabalho voluntários que podem ser conciliados com os programas de idioma. Desta forma, o estudante volta para o país com duas experiências inesquecíveis. A Experimento oferece uma opção de curso de inglês de 2 semanas, na escola Good Hope, com 20 aulas por semana, a partir de entrada mais 12 parcelas de R$215,00 sem juros.

AUSTRÁLIA (ADELAIDE) 

Foto via iStock/ moisseyev

Foto via iStock/ moisseyev

Localizada na costa sul da Austrália, Adelaide atrai, anualmente, estudantes que desejam aprender ou aperfeiçoar o idioma longe das grandes cidades, principalmente por ser uma das cidades australianas mais em conta para se viver. Apesar do aéreo para o destino não ser tão em conta, vale destacar que, diferentemente de muitos outros países, como Estados Unidos e Inglaterra, é possível para brasileiros trabalhar legalmente no país desde que estejam matriculados em um curso acima de 90 dias Com duração de 14 semanas, um curso de idiomas na Kaplan, com 28 aulas por semana sai por a partir entrada mais 12 parcelas de R$843,00 sem juros.

IRLANDA (GALWAY) 

Foto via iStock/ rihardzz

Foto via iStock/ rihardzz

Galway, é a 3° maior cidade da República da Irlanda, com um pouco mais de 70 mil habitantes. Uma das cidades mais tranquilas da Europa, o destino é uma ótima alternativa para os estudantes que desejam estudar inglês no velho continente, fugindo dos grandes centros lotados de brasileiros, como a cidade de Dublin. De maneira geral, a Irlanda como um todo oferece um ótimo custo x benefício ao bolso do estudante, mesmo em tempo de euro um pouco mais salgado já que, dependendo da duração do curso, é possível conseguir a permissão para trabalhar durante 20 horas semanais durante o período de estudo. Com 25 semanas de duração, um curso de inglês de 20 horas semanais sai por a partir de entrada mais 12 parcelas sem juros de R$ 1.138,00.

NOVA ZELÂNDIA (AUCKLAND)

Foto via iStock/ mrcmos

Foto via iStock/ mrcmos

Em um primeiro momento, o investimento de se estudar na Nova Zelândia pode até parecer alta. No entanto, assim como na Austrália, o estudante brasileiro pode trabalhar por 20 horas semanais ao estudar no país por mais de 14 semanas, o que ajuda a diminuir os gastos com a viagem. Além disso, o dólar neozelandês é uma das moedas mais baratas entre os países de língua inglesa. Atualmente, um dólar neozelandês equivale a R$ 2,48 – 30% mais barato que a cotação do dólar americano. Com duração de 14 semanas, um curso de idiomas na LSI sai por 12 parcelas de R$ 690,00 mais entrada.

Texto por: Agência com edição de Carolina Berlato

Imagem Destacada via iStock/ SteveRosset

 

 

Comentários