logo

Telefone: (11) 3024-9500

5 destinos de natureza imperdíveis no Chile | Qual Viagem Logo

Alpaca's (Vicugna pacos) grazing on the shore of Lake Chungara at the base of Parinacota Volcano, in the Altiplano of northern Chile.

5 destinos de natureza imperdíveis no Chile

16 de janeiro de 2020

A diversidade da natureza do Chile é hoje, mais do que nunca, a principal força do turismo no país. Os extremos da natureza chilena criam grandes contrastes de norte a sul, muito bem delimitados em seu longo território de mais de 4 mil quilômetros de extensão. Não à toa o país foi eleito pelo terceiro ano consecutivo como o “melhor destino de aventura do mundo” no World Travel Awards, considerado o “Oscar” do turismo mundial.

No norte, dominam as paisagens desérticas, onde a paleta de cores vai do laranja-avermelhado das pedras e dunas ao azul cristalino de seus lagos. Já no sul, predominam o azul dos rios, o branco da neve e dos glaciares e o verde de imensas florestas, além do cinza imponente dos picos de granito da Patagônia Chilena. Confira cinco cenários imperdíveis no país:

Parque Nacional Lauca

Foto por SERNATUR Chile / Divulgação

Foto por SERNATUR Chile / Divulgação

No extremo do norte do Chile, próximo à Arica, o Parque Nacional Lauca é uma joia ainda a ser descoberta pelos brasileiros. São 138 mil hectares de área de preservação que faz fronteira com a Bolívia, repleta de lagoas cristalinas e imponentes vulcões, além de longos planaltos repletos de flamingos, alpacas, lhamas e vicuñas (parentes das alpacas e das lhamas).

Os destaques são os vulcões “gêmeos” Parinacota, com 6.342 metros de altitude, e Pomerape, com 6.282 metros. Para conseguir uma vista perfeita, a dica é fazer o tour que leva até o lago Chungará, o mais alto do mundo (mais de 4,5 mil metros de altitude), onde se pode ver os dois gigantes refletidos em suas águas cristalinas.

Deserto do Atacama

Foto por iStock / xeni4ka

Foto por iStock / xeni4ka

Febre dos últimos anos entre os brasileiros, o Deserto do Atacama é um dos principais exemplos da diversidade geográfica que faz do Chile um país tão rico na oferta de turismo de aventura e natureza. As clássicas paisagens “marcianas” do Valle de La Luna e Valle de La Muerte, passeio mais tradicional e com visuais de tirar o fôlego com seu terreno rochoso laranja-avermelhado, são alguns dos pontos que fazem do deserto mais árido do mundo um dos destinos mais imperdíveis do Chile.

Vale oferecer ainda os curiosos passeios da Laguna Cejar e Piedras, tão salgadas que é impossível afundar, e dos Gêiseres del Tatio, que desde o começo da manhã soltam poderosas rajadas de vapor vindas do interior da Terra. Em alta nos últimos anos, se destaca também o tour para Piedras Rojas e Lagunas Altiplânicas, com lagos de um azul tão cristalino que formam verdadeiros espelhos d’água.

Huilo Huilo

Foto por iStock / Alexis Gonzalez

Foto por iStock / Alexis Gonzalez

Para os amantes de florestas, rios e cachoeiras, uma ótima pedida é Huilo Huilo, reserva ambiental localizada a pouco mais de 120 km de Pucón. O ponto alto do destino são suas trilhas, com destaque para o trajeto de 90 minutos que leva para as cachoeiras Salto Huilo Huilo, com uma queda de 40 metros em um belo lago encravado na floresta, e Salto El Puma, de 30 metros – o mirante de lá oferece ainda uma vista privilegiada do Rio Fuy, que corta a mata fechada da reserva.

Para os mais aventureiros, vale fazer o trekking do vulcão Mocho-Choshuenco, a 2.430 metros de altura e de onde você terá a melhor vista dos bosques e demais montanhas ao redor. Cavalgadas, mountain biking e até rafting e caiaque no Rio Fuy são outras opções para quem curte atividades esportivas ao ar livre.

Glaciares

Foto por iStock / SteveAllenPhoto

Foto por iStock / SteveAllenPhoto

Que tal navegar de caiaque em frente a enorme paredões de gelo de 70 metros de altura? A aventura pode ser feita tanto no Glaciar San Rafael, em Aisén, na parte norte da Patagônia, quanto no Glaciar Grey, este dentro do Parque Torres del Paine e parte do terceiro maior campo de gelo continental do planeta, na Patagônia Sul.

Para o Glaciar San Rafael, deve-se voar para Balmaceda, a poucas horas do destino final. Já para Torres del Paine, onde fica o Glaciar Grey, os voos devem ser para Punta Arenas ou para Puerto Natales – o segundo só recebe voos na alta temporada de verão.

Torres del Paine

Foto por iStock / MBPROJEKT_Maciej_Bledowski

Foto por iStock / MBPROJEKT_Maciej_Bledowski

Dono de uma beleza única (não à toa foi eleita a Oitava Maravilha do Mundo no início desta década), Torres del Paine, na Patagônia Chilena, é um dos destinos mais imponentes e fotogênicos do país e do planeta.

Chegar a elas é, porém, desafiador: é necessário encarar uma trilha de quatro horas, com subidas e descidas. Mas não se engane: a vista final, certamente, compensa. São três enormes torres naturais de granito de frente a um lago verde, um cenário belo, majestoso, impactante e inesquecível para qualquer viajante, não importa o quão experiente seja.

Mais informações em: chile.travel

Texto por: Agência com edição de Patrícia Chemin

Foto destaque por: iStock / jarcosa

Comentários