logo

Telefone: (11) 3024-9500

Foz do Iguaçu: onde as forças da natureza e as criações do homem se conversam | Qual Viagem Logo

Foto por Istock/ RICARDO STUCKERT

Foz do Iguaçu: onde as forças da natureza e as criações do homem se conversam

23 de dezembro de 2020

A cidade forma um dos destinos mais bem estruturados do Brasil. Não a toa, recebe quase dois milhões de turistas anualmente e sempre figura entre os mais desejados pelos visitantes estrangeiros.

Além de abrigar um dos Patrimônios Naturais da Humanidade, o destino paranaense se reinven­tou nos últimos anos, desenvolvendo diversos atrativos turísticos como museus e parques temáticos, assim como uma boa gama de hotéis e resorts de grande porte, que recebem seus hóspedes com todo o conforto e lazer.

Desde julho, a cidade vem reabrindo seus meios de hospedagem e atrativos de forma gradual para rece­ber os turistas que buscam, principalmente, destinos de natureza e de proximidade.

Seja para viajar ainda em 2020, ou para se progra­mar para o próximo ano, Foz do Iguaçu é um destino que não pode ser deixado de lado. A seguir, elenca­mos algumas de suas principais atrações. Confira:

Parque Nacional

O Parque Nacional do Iguaçu, que abriga as Cata­ratas do Iguaçu, reabriu a visitação pública no último dia 4 de agosto, seguindo todos os protocolos da Or­ganização Mundial da Saúde, do Ministério da Saú­de e, em especial, do Decreto Municipal 28.337, de 22/7/2020, que estabelece todos os procedimentos de controle sanitário. Além disso, o Parque recebeu o Certificado de Responsabilidade Sanitária e o Selo de Ambiente Protegido. A princípio, o atrativo funciona de terça a domingo, das 9h às 16h.

Patrimônio Natural da Humanidade, o parque tem 185 hectares e é considerada a maior área de prote­ção da Mata Atlântica do Brasil. Parada obrigatória na cidade, proporciona uma das experiências mais enriquecedoras do território nacional, com uma imer­são em um mundo de águas e verde. O lugar tam­bém é porta de entrada para descobrir as Cataratas do Iguaçu pelo lado brasileiro.

Foto por Istock/ R.M. Nunes

Foto por Istock/ R.M. Nunes

O conjunto de 275 quedas d’águas que chegam a até 80 metros de altura é um verdadeiro espetáculo da natureza. Com vazão média de 1,5 milhão de li­tros de água por segundo, a imensidão da natureza na atração mais famosa do destino pode ser explora­da por caminhadas entre as passarelas, plataformas e mirantes do parque.

O grande destaque fica por conta da Garganta do Diabo, a queda principal, com 700 metros de compri­mento e um volume de água impressionante. Vale a pena tirar a tradicional foto com a catarata de fundo, onde geralmente se forma um arco-íris.

Além disso, as trilhas do lugar permitem o avis­tamento de fauna e flora locais, incluindo animais como quatis e borboletas. Completam o passeio no parque atividades como arvorismo, trilhas do Poço Preto e das Bananeiras, rapel e passeios de barco.

Quem estiver com tempo deve, também, conhecer o lado argentino das Cataratas, que oferece uma vis­ta completamente diferente desse mundo das águas.

Macuco Safari  

Ainda dentro do parque Nacional do Iguaçu, o Ma­cuco Safari é um passeio que oferece uma interação diferente com as cataratas. Atuando há mais de 30 anos, o atrativo leva os visitantes em um roteiro de barco até bem pertinho das quedas d’água.

Foto por IStock/ Christian Edelmann

Foto por IStock/ Christian Edelmann

Além de oferecer um novo ângulo para admirar essa força da natureza, o Macuco Safari é conside­rado uma verdadeira aventura pelas águas do rio Iguaçu, podendo, inclusive, passar por debaixo de algumas cachoeiras. Prepare-se para voltar molhado!

Iguassu Secret Falls  

Por falar em aventura, outro roteiro local que cha­ma a atenção dos apaixonados por adrenalina é o Iguassu Secret Falls. O roteiro é ideal para conhecer algumas das cachoeiras “escondidas” de Foz do Igua­çu, além das icônicas quedas d’água.

Durante o tour, são exploradas 11 cachoeiras. Um espetáculo à parte são as hidromassagens naturais. O passeio inclui quatro trilhas que, ao total, têm quatro quilômetros, e passam por três rios: Carimã, Taman­duá e Remanso, cada um com sua característica única.

Marco das Três Fronteiras  

Ponto de encontro de moradores e turistas, o Marco das 3 Fronteiras reabriu no início de agosto, atendendo ao público de terça-feira a domingo, das 15h às 21h.

Foto Divulgação

Foto Divulgação

Com 117 anos de história recém-completados, o obelisco, que foi inaugurado no dia 20 de julho de 1903, marca o ponto onde se encontram Brasil, Ar­gentina e Paraguai. Além disso, ali também se unem os rios Paraná e Iguaçu e é reconhecido como um pa­trimônio histórico e cultural da região. Os três totens, igualmente pintados com as cores nacionais, formam um triângulo que fixa o limite territorial e a soberania dos três países.

Com opções de lazer para toda a família, o Marco é um atrativo imperdível de se visitar em Foz do Iguaçu. Se durante o dia o visitante tem a magia do encontro dos rios e a tranquilidade da natureza, no fim da tar­de há o pôr do sol; e à noite, a vivência das atrações culturais, a iluminação e todo o encanto da fronteira.

Itaipu Binacional

O Complexo Turístico Itaipu, administrado pela bi­nacional de energia, já se consolidou como uma bem sucedida iniciativa turística dentro da área da usina situada entre Brasil e Paraguai. Nessa temporada, o atrativo foi um dos primeiros a reabrir aos turistas, seguindo os devidos protocolos de capacidade e dis­tanciamento social.

À princípio, foi reaberta apenas a Visita Panorâmi­ca, que possibilita aos turistas uma visão privilegiada da usina. O passeio ocorre de hora em hora, das 9h às 16h. No roteiro, é possível observar a grandiosida­de da usina e da barragem com oito quilômetros de extensão e 196 metro de altura por meio de miran­tes. Além disso, o passeio inclui visitas ao reservatório do Lago de Itaipu e os condutos forçados, por onde flui a água que gera energia para os dois países.

Mas o complexo conta, ainda, com diversos ro­teiros que apresentam, de perto, o funcionamento da hidrelétrica, como o Circuito Especial, que passa pelas majestosas catedrais de concreto, os condutos forçados e a sala de comando central, até chegar ao eixo de uma turbina em funcionamento, proporcio­nando uma experiência técnica e turística única.

Foto por Istock/ diegograndi

Foto por Istock/ diegograndi

E abriga ainda espaços incríveis como o Refúgio Biológico Bela Vista, que oferece passeio pelas áreas de conservação ambiental de Itaipu em uma cami­nhada pela floresta nativa do Refúgio Biológico, onde podem ser avistadas mais de 960 espécies distintas de plantas e de animais protegidos.

Assim como o Ecomuseu, um passeio virtual pela história da região e do início da construção de Itai­pu. O museu expõe objetos de época, fotos, apre­sentações multimídia e réplicas de equipamentos uti­lizados. O visitante pode ainda caminhar sobre uma grande maquete da região da Bacia do Rio Paraná.

No Porto Kattamaram, é possível embarcar em uma viagem pelo Lago de Itaipu em embarcação com con­vés aberto, bar americano, restaurante e solário, para contemplar a exuberante paisagem do reservatório da maior hidrelétrica do mundo em geração de energia.

Para o próximo ano, está sendo projetado um ro­teiro histórico pelas vilas antigas de Itaipu. O city tour temático e tecnológico vai passar pelas vilas erguidas durante a construção da maior produtora de energia do mundo e terá um percurso de 16 quilômetros.

Dreams Parks & Show

Assim com em outros destinos já consa­grados – como Gramado, na Serra Gaúcha – os parques e museus temáticos vem fa­zendo grande sucesso em Foz do Iguaçu. E garantindo a diversão da família toda.

Na cidade paranaense, são seis os atra­tivos da Dreams Parks & Show: Museu de Cera, Vale dos Dinossauros, Maravilhas do Mundo, Super Carros, Dino Adventure e Dreams Ice Bar. Sendo que, por conta da pandemia, foram reabertos, por enquan­to, apenas os três primeiros, funcionando de terça-feira a domingo das 10h às 18h.

Foto por ISTOCK / JAN-SCHNECKENHAUS

Foto por ISTOCK / JAN-SCHNECKENHAUS

Museu de Cera 

Com mais de cem estátuas, o museu é o maior da América Latina e oferece a opor­tunidade de conhecer – e tirar fotos – pe­ças de diversos artistas nacionais e interna­cionais. O espaço conta com 17 cenários integrados por réplicas de famosos como Madonna, Lady Gaga, Michael Jackson e Marilyn Monroe, além de personagens como Shrek, Homem de Ferro, Harry Pot­ter e James Bond.

Foto por VISITEFOZ.COM.BR / REPRODUÇÃO

Foto por VISITEFOZ.COM.BR / REPRODUÇÃO

Vale dos Dinossauros 

Maior parque de dinossauros do Brasil, o lugar abri­ga mais de 30 réplicas animatrônicas, que emitem sons e se movimentam. O passeio, ambientando den­tro de uma floresta, transporta os visitantes para o período jurássico.

Entre as espécies representadas destacam-se: Tira­nossauro-Rex, Velociraptor e Giganotossauro – esse último com cerca de 90 mil quilos.

Maravilhas do Mundo 

Nesse museu, é possível conhecer miniaturas das principais obras criadas pelo homem ao redor do mundo. As réplicas, com mínimos detalhes, apre­sentam construções históricas e monumentos como: Cristo Redentor, Pirâmides do Egito, Palácio de Buc­kingham, Coliseu e Torre de Pisa.

Parque das Aves

Com mais de 25 anos de atuação, o Parque das Aves é a única instituição do mundo focada na con­servação de aves da Mata Atlântica. O espaço possui 16 hectares de mata restaurada, 1.400 aves de 140 espécies diferentes, além de três viveiros de imersão e um borboletário.

Segundo atrativo mais visitado da cidade, o parque visa criar um impacto positivo para as aves da Mata Atlântica, principalmente as 120 espécies e subespé­cies em risco de extinção.

Foto por Istock/ BeteMarques

Foto por Istock/ BeteMarques

O Parque das Aves possui o maior viveiro para voo livre de araras do mundo e, com isso, oferece aos visi­tantes a oportunidade de ficar em meio a elas, em seu habitat natural. O turista fica cercado por araras de todos os lados e pode observá-las enquanto as aves o observam. Outro destaque fica por conta do tour Backstage Experience, onde o visitante pode viven­ciar todo o trabalho de recuperação e conservação dos animais em um roteiro de 1h30. A experiência inclui acesso a algumas áreas restritas e proporciona o contato com tucanos e flamingos, entre outros. O parque reabriu para visitações no início de setembro.

Templo Budista

Para quem gosta de reservar um tempo para descobrir lugares tranquilos em meio à natureza, o Templo Budista Chen Tien é uma dica de passeio em Foz do Iguaçu. Lo­calizado no norte da cidade, com bela vista do centro e de parte da Ciudad del Este, no Paraguai, o templo cha­ma a atenção tanto por seu entorno verde, quanto por suas mais de 120 estátuas dispostas no jardim. Em uma caminhada pelo local, é possível observar reproduções de divindades. O destaque fica por conta de uma estátua de Buda com sete metros de altura.

Foto por Istock/ Andree_Nery

Foto por Istock/ Andree_Nery

Aventura nos ares

Sabia que é possível saltar de paraquedas tendo como pano de fundo os cenários exuberantes de Foz do Iguaçu? A SkydiveFoz é uma escola de paraquedismo que promove saltos duplos, ou seja, com instrutor, para os aventureiros de plantão.

A uma altura de 10 mil pés, é feito o salto em queda livre de cerca de 30 segundos, até a abertura do paraque­das. Durante o passeio, é possível observar alguns pontos importantes como a Represa de Itaipu, a Tríplice Frontei­ra, Cataratas e a Ponte da Amizade.

Feirinha da JK

Próximo à Praça da Paz, no centro de Foz, é possí­vel aproveitar uma legitima feira de domingo, com direito a produtos rurais e artesanais. Formada por 40 pontos de venda, a Feirinha da JK reúne produtos como queijos e verduras, além de souvenirs e artigos de artesanato. A feira também funciona como espa­ço cultural popular.

Compras

Foz do Iguaçu investe na atração de lojas francas (free shops), estabelecimentos que vendem produtos nacionais e importados livres de impostos, para a re­tomada do turismo nacional.

A instalação de lojas francas em cidades gêmeas de fronteira, na divisa terrestre com outros municípios de países vizinhos, é autorizada pela Receita Federal, que estipulou a cota de compras em 300 dólares por mês e por CPF, para moradores e turistas. A autoriza­ção está baseada na Lei Federal nº 12.723, de 9 de outubro de 2012, e nas instruções normativas e por­tarias da Receita Federal, além de legislação estadual e municipal correlatas.

Além da cota de compras de 300 dólares nos free shops locais, turistas e moradores de Foz do Iguaçu e região terão direito a outra cota complementar no valor de 500 dólares quando atravessarem a fronteira com a Argentina e o Paraguai.

Até dezembro, há previsão de inauguração de uma loja de dois mil metros quadrados no Shopping Catuaí Palladium, na Avenida das Cataratas, principal corredor turístico de Foz do Iguaçu. Outro investimento já con­firmado é uma loja de 600 metros quadrados, do Duty Free Liberty, no Shopping Cataratas JL, com inaugura­ção prevista para a primeira quinzena de novembro.

Paraguai e Argentina

Graças a sua localização na fronteira com Argentina e Paraguai, Foz do Iguaçu é um destino que, geral­mente, leva os visitantes aos países vizinhos. Seja para experimentar uma das famosas parrillas argentinas de Puerto Iguazú – com direito a apresentação de tango -, ou atravessar a Ponte da Amizade para desbravar a paraguaia Ciudad del Este, incluindo uma parada nas cataratas de Saltos del Monday, separar um ou dois dias do roteiro para “sair do Brasil” é uma boa dica.

FOTO: COMMONS.WIKIMEDIA.ORG HERR STAHLHOEFER / PUBLIC DOMAIN

FOTO: COMMONS.WIKIMEDIA.ORG HERR STAHLHOEFER / PUBLIC DOMAIN

No lado argentino, vale a pena conhecer ainda a La Aripuca, uma espécie de armadilha gigante com cerca de 500 mil quilos e 17 metros de altura feita em madeira. O lugar, além de funcionar como um centro de cultura, ensinando sobre as tradições lo­cais, conta com bar, restaurante, loja de artesanato e de produtos regionais.

Texto por: Eliria Buso

Foto destaque por Istock/ RICARDO STUCKERT

Comentários