logo

Telefone: (11) 3024-9500

Conheça as melhores cidades da Itália para explorar de bicicleta | Qual Viagem Logo

unnamed-2021-04-12t125939-065

Conheça as melhores cidades da Itália para explorar de bicicleta

12 de abril de 2021

Nas cidades de relevo plano, a bicicleta sempre foi o meio de transporte mais comum e ainda é hoje graças às ciclovias, aos sistemas de compartilhamento de bicicletas e a uma conscientização ecológica. Andar de bicicleta não só é a melhor forma de se locomover na cidade, mas também de curtir a cidade como turista: que tal sentir a brisa nos cabelos e a sensação de liberdade? Não tem comparação!

Além disso, de bicicleta você pode cobrir longas distâncias rapidamente e com pouco esforço, é barato e você não precisa se preocupar com estacionamento. Se você gosta de andar de bicicleta, essas oito cidades repletas de arte são perfeitas para explorar sobre duas rodas.

Ferrara

Ferrara, a cidade da família Este, possui um centro histórico incrível que é patrimônio mundial da Unesco, rico em praças e edifícios renascentistas – o Castelo dos Este, a Câmara Municipal, o Palácio do Diamante, a Catedral – e que sempre teve um caráter amigável para bicicletas: a primeira ciclovia foi concluída em 1908. Um terço de seus habitantes circula de bicicleta e há muitos eventos e roteiros para ciclistas em qualquer lugar da região. Se quiser pedalar em meio à natureza, basta ir um pouco ao sul de Ferrara no Parque Delta do Pó: há muitos itinerários fáceis entre a terra e a água, onde você pode desfrutar de um verdadeiro safari de bicicleta entre cormorões, veados e cavalos selvagens.

Mântuaunnamed-2021-04-12t125959-102

A bicicleta é perfeita para visitar o centro de Mântua, a joia da família Gonzaga: você pode se deslocar facilmente ao Palácio Ducal, ao Palazzo Te, à Piazza delle Erbe e à Basílica. Explorar os arredores da cidade em duas rodas também é conveniente e repleto de itinerários interessantes: as margens dos lagos, Bosco Fontana e Bosco della Carpaneta, a Reserva Natural do Rio Mincio, o Parque Arqueológico Forcello e a Ciclovia da Unesco de Mântua a Sabbioneta, que é um Patrimônio da Humanidade da UNESCO junto com Mântua e a Ciclovia Mincio, do centro de Mântua a Peschiera, no Lago de Garda (43,5 km de extensão).

Lucca

O centro histórico de Lucca é uma enorme área para ciclistas e pedestres e longe de carros. A bicicleta é a melhor forma de visitar a Piazza dell’Anfiteatro, o Palácio Ducal, a Torre do Relógio, a Piazza San Michele e a Catedral e, principalmente, fazer um passeio completo pelas antigas muralhas da cidade: o percurso das muralhas tem cerca de 4,5 km de comprimento com vários pontos onde você pode alugar uma bicicleta. A rota oferece muitas pistas convenientes para acessar o centro da cidade. De bicicleta, você também pode chegar às vilas e igrejas nos arredores, como Villa Oliva e Villa Grabau.

Vicenza

Andando de bicicleta, você pode facilmente visitar o centro da cidade de Vicenza – da Basílica Palladiana ao Palazzo del Capitanio, do Teatro Olímpico à Catedral – e os maravilhosos edifícios renascentistas que deram à cidade o título de patrimônio mundial da UNESCO: o Palladian Villas, obra-prima do arquiteto Palladio.unnamed-2021-04-12t130002-094

Ao longo de rotas no sopé das Colinas Berici, existem ciclovias como a Ciclovia Riviera Berica (36 km), uma antiga linha ferroviária em que você deixa Vicenza flanqueando Villa La Rotonda por Palladio até Noventa Vicentina, onde a Villa Barbarigo -Loredan-Rezzonico é uma parada obrigatória, ou pode seguir ao longo da Ciclovia Bacchiglione Ceresone (31 km) que liga Vicenza a Pádua.

Parma

Uma pequena cidade amiga do ciclismo e nomeada a capital italiana da cultura em 2020, Parma é perfeita para ser explorada sobre duas rodas. Paradas imperdíveis são o Palácio Ducal e o Parque Ducal, o complexo de museus do Palazzo della Pilotta e o coração da cidade, a Piazza Duomo com a Catedral e o Batistério. Uma excursão fácil e tranquila de bicicleta saindo de Parma é o Castelo Torrechiara, do final do período medieval, que consiste em um caminho plano de 36 km de extensão.

Ao longo do caminho, o povoado de Vigatto, com a Igreja de São Pedro e a Villa Meli Lupi, também merece uma visita. Um passeio interessante é a volta pelas terras de Giuseppe Verdi por ciclovias nos bairros de Soragna, San Secondo, Roccabianca, Zibello e Busseto, onde nasceu o famoso compositor Giuseppe Verdi.

Pesaro e a “Bicipolitana”

A mobilidade eco sustentável é uma característica especial de Pesaro que criou um projeto ímpar: a Bicipolitana, uma rede de ciclovias divididas em diferentes linhas organizadas como uma rede de metrô. A linha azul liga o Porto a Fosso Sejore, a linha verde Baia Flaminia a Borgo Santa Maria ao longo do rio Foglia, a linha amarela o centro da cidade a Pantano, num total de doze linhas com novas em construção. A linha 1, em vez disso, cruza o coração do centro histórico, passando pela Piazza del Popolo, a casa de nascimento do conhecido compositor Gioacchino Rossini e o Parque Miralfiore.

Ciclovia Spoleto-Norcia-Assisi

Na Umbria, você pode fazer uma viagem incrível em duas rodas ao longo da ciclovia entre Spoleto, Norcia e Assis, conhecendo as principais belezas históricas e artísticas da região. Em sua maioria plana, esta rota se desenrola em um cenário pitoresco pontilhado de colinas suaves, geralmente ao longo de canais.

O trecho de Spoleto a Assis tem cerca de 50 km ao qual se acrescenta o itinerário de 50 km da antiga linha ferroviária Spoleto – Norcia, com declives suaves e uma trilha acidentada. Paradas impressionantes ao longo da ciclovia incluem Trevi, presente na associação das mais belas aldeias da Itália, Bevagna, uma cidade velha com uma adorável praça medieval e o Castelo Pissignano.

Trento e Rovereto

Trento possui um centro histórico milenar que pode ser facilmente visitado de bicicleta: partindo da Piazza Duomo com a Catedral e os edifícios com afrescos, o Palazzo Pretorio e a Torre Cívica, passando então ao Castelo Buonconsiglio e o MUSE (museu de ciências). A bela ciclovia Vallagarina segue para o sul ladeando as margens do rio Adige e chega a Rovereto (30 km), com seu centro com atmosfera veneziana, sede do imperdível MART (museu de arte contemporânea e moderna).

A ciclovia continua para o sul por mais 20 quilômetros, entre vinhedos e vistas panorâmicas, até Avio, onde fica o Castelo de Sabbionara; em alternativa, em Rovereto pode percorrer a ciclovia Adige-Garda, desde a bonita aldeia de Mori até Torbole, de onde pedala ao longo do lago até Riva del Garda.

Texto por: Agência com edição Eliria Buso

Fotos: RTEMagic

Comentários