logo

Telefone: (11) 3024-9500

Conexão com a natureza: banho de floresta é terapia no Japão | Qual Viagem Logo

Foto por iStock / Sean Pavone

Conexão com a natureza: banho de floresta é terapia no Japão

1 de abril de 2021

Entrar em uma floresta, sentir o ar puro, ouvir os sons e contemplar a natureza fazem parte do shinrin-yoku, ou banho de floresta. A prática é uma terapia reconhecida no Japão desde a década de 1980 e tem como benefícios relaxar, reduzir o estresse e melhorar a saúde física e mental.

O shinrin-yoku é muito popular no Japão e, além de fazer parte das políticas públicas de saúde, é uma experiência especial para quem visita o país. É uma oportunidade de conhecer mais sobre a cultura tradicional japonesa e relaxar durante a viagem. O país possui incontáveis locais para tomar banho de floresta, já que cerca de 80% do território é constituído de áreas verdes e montanhas.

A Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO) dá dicas de como praticar o banho de floresta e sugere os locais mais legais para aproveitar os benefícios da prática para se desconectar da vida agitada no meio da natureza. Confira:

Como e onde praticar o shinrin-yoku

Foto por iStock / yuruphoto

Foto por iStock / yuruphoto

O banho de floresta une os benefícios de duas práticas japonesas, a meditação Zen e a atenção plena. A terapia é uma imersão na natureza e consiste em aproveitar o momento para aguçar os sentidos e dar atenção total ao que o ambiente tem a oferecer. E, ao mesmo tempo, deixar as preocupações em segundo plano e aproveitar o momento de quietude.

Durante o banho, é ideal se desconectar do mundo digital, desligar o celular e respirar fundo para sentir o ar puro, observar o silêncio que contrasta com o som das folhas das árvores mexendo e os pássaros cantando, sentir o solo ao caminhar e contemplar a beleza do local e o komorebi (a luz do sol que irradia por entre as árvores). Não há regras a serem seguidas, o importante é aproveitar o momento.

A melhor característica do banho de floresta está em sua acessibilidade. Ele pode ser praticado em parques nacionais, florestas ou em áreas verdes mais isoladas nas cidades. Pode ser feito a qualquer momento, sozinho ou acompanhado. Inclusive, existem rotas específicas para isso e centros especializados nessa prática, que oferecem passeios organizados de acordo com as necessidades de cada pessoa. Com a ajuda de um guia ou terapeuta, os visitantes aprendem a parar e apreciar o meio ambiente à sua volta. O profissional indica como olhar e ouvir a natureza e estimula a tocar nas árvores e a inalar os diferentes cheiros presentes.

Floresta de Okutama

Foto por iStock / Christopher Tamcke

Foto por iStock / Christopher Tamcke

Okutama é uma cidade localizada no distrito de Nishitama, a oeste da capital, Tóquio. O local compreende uma vasta floresta pertencente ao Parque Nacional Chichibu Tama Kai, uma imensa área verde, com montanhas exuberantes, belos lagos e uma caverna de calcário. A região oferece atividades ao ar livre e um ambiente relaxante para viajantes em busca de um momento de tranquilidade. Sua proximidade com o centro de Tóquio faz com que ela seja uma escolha bastante procurada para passeios de um dia.

Em Okutama, não faltam opções para o shinrin-yoku. Na central de terapia de floresta da cidade, é fácil encontrar terapeutas florestais certificados que ajudam o visitante a escolher um dos cinco caminhos de terapia disponíveis. É possível também praticar yoga na floresta ou ter aulas relaxantes para aprender a fazer cerâmica ou preparar o famoso macarrão soba.

Para os que desejam aproveitar a região e conduzir seu próprio banho de floresta, existem diversas opções de trilhas e locais ao ar livre para adentrar, relaxar e aproveitar a natureza exuberante. Na região se encontra o Monte Mitake, ideal para fazer caminhadas, a Rock Garden, uma famosa área da floresta coberta de musgo e a Trilha Mukashi Michi, que parte da Estação Okutama e leva ao Lago Okutama.

Na região há ainda a Caverna de Calcário de Nippara com as formações rochosas naturais que datam de milhões de anos. A área principal é iluminada com luzes coloridas e há figuras budistas e objetos de adoração em partes da caverna. Acredita-se que um deles concede orações relacionadas ao amor.

Okutama está a 90 minutos de Tóquio, pegando um trem no centro da capital. Há opções de hospedagem na cidade e um camping. Mas o fácil acesso de Tóquio permite uma viagem bate e volta.

Região de Kumano

Foto por iStock / SeanPavonePhoto

Foto por iStock / SeanPavonePhoto

Localizada em uma área entre as províncias de Wakayama, Nara, Osaka e Mie, a região de Kumano é muito conhecida no Japão e uma excelente opção para os viajantes que procuram contato com a natureza e experienciar o shinrin-yoku. Isso se deve à densa floresta que recobre a área montanhosa e a famosa Kumano Kodo, uma rede de antigas rotas de peregrinação que entremeiam a região e conectam o Kumona Sanzan, três importantes santuários xintoístas (Hongu Taisha, Nachi Taisha e Hayatama Taisha) e o templo budista Seiganto-ji.

A região é considerada patrimônio mundial e oferece sete opções de caminhos para o shinrin-yoku e o visitante tem a flexibilidade de escolher a rota juntamente com os terapeutas especializados que atendem o local. Uma boa opção é o Caminho de Kumano Kodo Magose, uma trilha relativamente fácil com aproximadamente cinco quilômetros com paisagens naturais deslumbrantes e estátuas de pedra de Jizo, divindade budista guardiã de crianças e protetora dos viajantes.

É fácil acessar a região de Kumodo. Os principais centros de transporte para a região partem de Osaka, Quioto e Nagoia.

Mais informações em: japan.travel

Texto por: Agência com edição de Patrícia Chemin

Foto destaque por: iStock / Sean Pavone

Comentários