logo

Telefone: (11) 3024-9500

Viagem aromática num jardim medieval | Qual Viagem Logo

media_file_91

Viagem aromática num jardim medieval

8 de novembro de 2016

As questões ambientais fazem parte da nossa mesa e da nossa vida. Se quisermos continuar degustando o mundo, temos que ter consciência das nossas ações face ao planeta Terra. Por isso, em plena COP 22, minha dica de viagem de hoje é a Abadia de Daoulas que fica na Bretanha, França.

O estilo romântico/medieval do parque, casou perfeitamente com a ideia de preservação das plantas tradicionais, muitas ameaçadas de extinção.

O estilo romântico/medieval do parque, casou perfeitamente com a ideia de preservação das plantas tradicionais, muitas ameaçadas de extinção.

 

O local tem o raro privilégio de concentrar em um só lugar centros de interesses múltiplos: diversidade botânica e patrimônio histórico. Uma oportunidade única para experimentar culturas distantes através de cânforas, mandrakes, linho da Nova Zelândia … são mais de 350 plantas e arbustos aromáticos, medicinais e condimentares, oriundos dos cincos continentes.

 

media_file_101

 

O mosteiro regido no Século XII por cânones da ordem de Santo Agostinho, testemunha, com esplendor, as diversas fases da nossa Historia: além da Igreja Paroquial medieval e da Capela do Século XVI, os parques possuem fontes e terraços da Renascença. Os jardins claustros, com o label “Jardim notável”, simbolizam a espiritualidade do local.

 

media_file_142

Esse patrimônio vem mudando conforme as estações do ano e com o decorrer dos séculos. Em 2015, uma grande remodelação do parque deu luz a um novo jardim de árvores medicinais. Único na França, reúne espécies diferentes de todo o planeta. A diversidade das plantas ilustra a farmacopeia feita pelo Homem e sua relação com o corpo e com a doença, conforme suas crenças, conhecimento e recursos disponíveis em seu ambiente. O estilo romântico/medieval do parque, casou perfeitamente com a ideia de preservação das plantas tradicionais, muitas ameaçadas de extinção. Uma síntese perfeita entre a natureza e o espiritual.

 

media_file_112

Os parques e jardins da Abadia de Daoulas tornam-se ainda mais excepcionais, quando sabemos que, em apenas 100 anos, 75% das variedades de frutas, legumes e cereais cultivados no mudo desapareceram! Segundo a Food and Agriculture Organization das Nações Unidas (FAO), a culpa é do modelo agrícola que promove a padronização das culturas e mecanização ao extremo de trabalho nos campos. Tudo isso para atender aos consumidores “exigentes” a procura do mais colorido, mais brilhante e maior.

 

E foi assim que as frutas e legumes padrão substituíram as antigas frutas e legumes menos coloridos, menos rentáveis. Que tristeza constatar que, hoje, existem apenas 150 variedades de plantas alimentares no mundo, contra dezenas de milhares cultivadas desde o nascimento da agricultura.

 

Para degustar o mundo de outrora e fazer uma viagem de descobertas das plantas mais inusitadas, uma passagem pela Abadia de Daoulas é indispensável.

Informações úteis no blog Degustar o Mundo

Para não perder nenhuma novidade, siga-nos nas redes sociais!

Facebook: Degustar o Mundo
Instagram: @blog_degustaromundo
Twitter: @degustaromundo

Copyright fotos: © CDP29 & © Bernard Galeron

Raice Cabral-Lesellier

Raice Cabral-Lesellier

Jornalista, empresária e caçadora de tendências em Degustar o Mundo
Franco-brasileira, Raice adora viajar, comer e beber bem. Uma gourmande de carteirinha! Nasceu em Natal, morou em Brasília, Luanda (Angola), Pointe Noire (Congo) e Cidade do Cabo (Africa do Sul), mas é Paris a sua cidade luz, onde fixou residência desde 2005.  

Caçadora de tendências de viagens e gastronomia nata. A cada vez que ela faz as malas, procura fazer novas descobertas que passam pelas culturas locais e sobretudo pela cozinha específica a cada país visitado. O seu pecado capital está nos prazeres da mesa, sejam eles num prato caseiro ou de um chef estrelado, na condição que seja em boa companhia!

Apaixonada por literatura, fotografia e cinema, nas suas horas vagas, quando não está num aeroporto ou estação de trem, ela flana nos cafés, museus, galerias pelo mundo afora e escreve para o Degustar o Mundo.

Raice Cabral-Lesellier é graduada em jornalismo e cinema, mestre em Ciências da Informação e da Comunicação pela Sorbonne (CELSA) e autora do livro Presse sur le Divan (edições Publibook-Paris). Também colabora com o jornalista Gilberto Amaral, no Jornal de Brasília.
Raice Cabral-Lesellier

Últimos posts por Raice Cabral-Lesellier (exibir todos)

Comentários