logo

Telefone: (11) 3024-9500

Um lugar mágico chamado Veneza | Qual Viagem Logo

Venice - Rainbow over Grand Canal

Um lugar mágico chamado Veneza

4 de fevereiro de 2016

Foto: iStock/TomasSereda

As férias vêm se aproximando e já bate aquela ansiedade de querer aproveitá-las ao máximo. Fica agora a difícil missão de decidir para onde ir. Algum lugar que agrade seu stress, sua alma e é claro o seu orçamento. Você quer fugir da “mesmisse”, cansou da agitação das praias, do trânsito e da bagunça. Que tal conhecer um lugar que vai lhe trazer paz, cultura e que vai ficar marcado para sempre na sua memória?

Veneza (ou Venice em inglês), situa-se no nordeste da Itália, na região do Veneto. É considerada uma das cidades mais bonitas, românticas, culturais e interessantes do mundo. Talvez sejam os 177 canais, 400 pontes e 118 pequenas ilhas que deem o charme a esta comuna italiana. Ela é dividida em 6 bairros: Cannaregio, Castello, Dorsoduro, San Marco, San Polo e Santa Croce.

VENEZA

Ah…Veneza – Fonte: Pixabay.com

A cidade é toda cercada por água, trazendo um contraste entre a esplêndida arquitetura de seus prédios centenários com as gôndolas e outras embarcações que servem como meio de transporte. As ruas labirínticas despertam a curiosidade do turista de explorar cada beco em busca do melhor ponto para tirar aquela foto que ficará para sempre no porta-retratos da sala.

Veja abaixo as informações e notará que não é tão difícil de realizar este sonho!

 

Chegando e Circulando

Se todos os caminhos levam a Roma, por que não a Veneza que é ali perto ?! Quando se trata de Europa, existem várias companhias aéreas que podem lhe levar. Entretanto, se quiser voos diretos, sem escalas, o ideal é que procure as companhias italianas. O voo com ida e volta sai em média 1000 Euros e não é raro encontrar boas promoções por aí.

Do aeroporto de Veneza, o Marco Polo, pode-se pegar um trem diretamente à estação Venice Santa Lucia, localizada no centro histórico.

Se você está de carro, pode atravessar a ponte que liga Veneza ao continente e estacionar em um dos prédios que são estacionamentos.

Já dentro da cidade, poderão tomar a difícil decisão de fazer todo o trajeto a pé (que dura mais ou menos 30 min de caminhada) ou pegar o transporte aquático. Os Vaporettos fazem rotas determinadas com paradas específicas nos pontos turísticos da cidade. A principal linha é a N1 que passa pelo Grand Canal (digamos a via expressa). Há outras linhas que levam a outros bairros mais afastados. Pode-se compra bilhetes com duração de 12, 24, 48 e 72 horas diretamente nas embarcações. As tarifas começam a partir de 1,50 Euros. Não esqueça de validar o seu tíquete na máquina ao embarcar e ao desembarcar!

Pode-se ainda contratar os serviços dos gondoleiros. Apesar de ser uma pequena fortuna (por volta de 80 Euros, por 40 min de passeio), faz parte do passeio.

GONDOLAS

Gondolas – Fonte: Pixabay.com

 

Atrações

O ideal é reservar 2 ou 3 dias para conhecer a cidade e seus entornos. É claro, tudo depende dos seus interesses e do que lhe atrai mais.

A própria cidade já é uma é uma atração a parte. Andar a pé e se deixar perder pelas inúmeras ruelas, pontes, mini-praças e lojinhas é um programa para aqueles que gostam de se ambientar, respirar e fazer parte da cidade.

Das principais atrações que chamamos de “must do” (devem ser feitas) podemos citar:

A Igreja Santa Maria della Salute – um dos cartões postais de Veneza, foi erguida no século 17 pelo arquiteto Baldassare Longhena. Dentro, estão joias do barroco e quadros de Tintoretto e Ticiano.

igreja

Igreja Santa Maria della Salute – Fonte: Pixabay.com

A Piazza San Marco, outro cartão postal, recebeu o apelido de “Grande Salão” por Napoleão. Lá estão a Torre do relógio (dell’orologio) com o seu relógio astronômico, o belo edifício da Basílica de San Marco, o Palazzo Ducale (ou palácio Doges) com seu magnífico salão e telas de Tintoretto e a Torre Campanário de onde se tem uma vista panorâmica da cidade.

piazzasanmarco

Piazza San Marco – Fonte: Pixabay.com

Não se pode deixar de tirar uma foto da Ponte dos Suspiros, que ao contrário do que muitas pessoas pensam, a ponte recebeu o nome pelos presos que ali passavam e suspiravam de pesar.

ponte dos suspiros

Ponte dos Suspiros – Fonte: Pixabay.com

Depois, encaixar na sua rota a ponte Rialto, a principal ponte de Veneza que atravessa o Grand Canal. Ela já foi cenário para inúmeros filmes. Na ponte e na região concentram-se lojinhas de joias e outros artigos, com preços geralmente não atrativos.

ponte rialto

Ponte Rialto – Fonte: Pixabay.com

Existem duas outras ilhas satélites de Veneza que merecem ser visistadas: Murano e Burano. Em Murano estão concentrados desde 1291 os produtores de vidros e cristais (os famosos cristais de Murano). Além da cidade ser bem pitoresca, pode-se fazer um tour nas fábricas e conhecer a produção. Mas prepare-se pois certamente vão fazer uma certa pressão para que comprem algo deles. Mas não se preocupe, se não quiser comprar nada, apenas agradeça a visita e diga “até logo”. Já em Burano, o charme fica por conta das casas, cada uma pintada de uma cor. As cores são definidas pelo governo que mantém uma tradição desde o século 16.

burano

Casas coloridas em Burano – Fonte: Pixabay.com

cristaisdemurano

Cristais de Murano – Fonte: Pixabay.com

 

Onde se hospedar

Quanto mais ao centro da ilha melhor (e obviamente) mais caro, como por exemplo em hotéis próximos à Piazza San Marco. Outras opções menos caras, são os hotéis próximos à estação de trem, ou ainda, pode-se pernoitar em alguma das cidades vizinhas, como Verona (cerca de 1h) ou Pádua (cerca de 30min) que costumam ter preços mais atrativos. De lá pode-se pegar um trem (cerca de 1h) até Veneza. Por sinal, são cidades que também merecem uma visita (vou comentar sobre elas em um próximo post!)

 

Onde Comer

Existem diversos restaurantes na ilha que servem dos mais variados pratos. Prepare-se pois costumam ter preços bem elevados. Alguns lugares famosos como os cafés Harry´s Bar e o Caffè Florian oferecem pratos e bebidas característicos como carpaccio, bellini e alguns doces. A gastronomia também gira em volta dos antipastos com os frutos do mar, anchovas marinadas, e o caranguejo granceola. Os pratos saem em torno de 15 a 30 Euros.

 

Veneza, Itália informações gerais:

  • Idioma: Italiano, mas as pessoas se esforçam para entender o Inglês.
  • Moeda: Euro
  • Visto: Não é necessário para uma permanência menor do que 3 meses.
  • Melhor época para ir: De Março a Outubro, aproveitando o bom tempo (temperaturas de 18 ºC a 25 ºC). No inverno, por a cidade ser aberta e próxima ao mar, faz muito frio por conta do vento (temperaturas entre 5ºC a 15ºC).
  • Roupas: Levar roupas leves no verão e roupas térmicas que protegem do vento no inverno.

 

Gostaria de receber um roteiro personalizado para a sua viagem? Contrate o serviço de Personal Travel Consultant do The Explorer, e tenha em mãos um conteúdo exclusivo de acordo com o seu perfil! Programação, Atrações, Passeios, Entretenimento, Restaurantes, Mapas com rotas e até mesmo uma planilha com o Budget de sua viagem.
Entre em contato!

E-mail: [email protected]

Siga-nos no Facebook!  facebook /theexploreroficial/

the_explorer_CMYK_end

 

Natan Zekcer

Natan Zekcer

Natan deixou seu trabalho na indústria automobilística para estudar MBA em Londres, onde morou por 2 anos. Sua paixão sempre foi viajar e conhecer o que o mundo pode proporcionar de experiências de vida. Conhecer lugares inusitados; pessoas; outras culturas e as respectivas gastronomias, são os prazeres que lhe enriquecem a alma. Já viajou pelos 5 continentes e desde que voltou ao Brasil, fundou o site The Explorer que tem ajudado viajantes de todo o mundo com roteiros personalizados e dicas de viagem.
Natan Zekcer

Últimos posts por Natan Zekcer (exibir todos)

Comentários