logo

Telefone: (11) 3024-9500

Insetos são destaque gastronômico no México | Qual Viagem Logo

chapulines

Insetos são destaque gastronômico no México

14 de dezembro de 2016

Tem que ter estômago para comer uma larva na manteiga ou um gafanhoto frito, como se fosse um salgadinho. Mas essa estranheza toda é para nós brasileiros. No México, a prática é bastante comum, tanto que os insetos já invadiram o menu de premiados restaurantes do país, como o Pujol. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, o país conta com o maior número de insetos comestíveis do mundo, cerca de 500 espécies.

Você pode olhar para esses insetos com um certo receio, mas a verdade é que, superada a sensação de nojo, os insetos podem ter um gosto agradável sim, além de serem boa fonte de vitaminas, lipídeos de qualidade, fibras, minerais e proteínas.

Um dos insetos mais consumidos no México são os chapulines (gafanhotos), que são vendidos na rua em saquinhos, como se fossem um salgadinho. Há quem diga que o gosto lembra o de camarão, só que um pouco mais forte. Os chapulines são populares em Oaxaca, em áreas próximas à Cidade do México como Tepoztlán, Cuernavaca e Puebla.

Roasted grasshopper

Foto por iStock / dinhngochung

Outra opção bastante representativa do México são os gusanos (larvas de agave). Essas larvas se desenvolvem em meio às plantações de agave – matéria prima do mezcal, uma das bebidas símbolos do país. Quem adquirir uma garrafa legítima da bebida encontrará no fundo o verme vermelho ou branco dando um toque especial ao sabor. Alguns garantem que a larva tem poder afrodisíaco. Dá para comer também os gusanos fritos na manteiga, acompanhados com guacamole, ou como tempero para salgar a carne.

Prove também as escamoles (ovas de formiga). Entre o fim de fevereiro e o começo de março, dá-se início à safra de escamoles. Assim como o caviar é tido como uma fina iguaria em muitos países, em Puebla as ovas de peixe dão lugar às ovas de formiga. Os habitantes locais criaram um taco em que as ovas são misturadas à guacamole picante, mas comumente são preparados na manteiga e refogados com alho e cebola. As ovas macias de formiga chegam a parecer um risoto se vista de longe e têm uma textura de queijo cottage na boca.

Sugestões de onde provar:

A Gruta: Este restaurante fica dentro de uma caverna perto da zona arqueológica de Teotihuacan. Em seu menu o visitante encontra caracóis e larvas extraídos da base das folhas de agave. Você pode provar os escamoles preparados com panquecas e arroz branco.

Fonda El Refugio: A forma mais tradicional para comer larvas brancas ou vermelhas de agave é frito em banha de porco, manteiga ou azeite e servido com guacamole. Nesse restaurante de Cuauhtemoc, também é possível provar ovas de formiga douradas na manteiga e servidas para comer como aperitivo.

Sabor de Luna: Nesse restaurante na Cidade do México, escamoles são preparados com pimenta, manteiga e um toque de mezcal. Gafanhotos e cebolas são dourados no azeite ou na manteiga. Ambos são servidos com guacamole de acompanhamento. Um prato de gusanos sai por 350 pesos e o de chapulines por 150.

Mercado de San Juan: No coração do Centro Histórico da Cidade do México, o visitante encontrará no terceiro corredor desse mercado inúmeros tipos de insetos para comer. O quilo de escamole sai por 150 pesos e o saco dos gafanhotos por cerca de 50 pesos.

Pujol: Aqui é para provar uma versão super gourmet. Tente o feijão com erva, clara em neve e molho de chapulin, ou o prato de milho com maionese de formiga chicatana, toque de café e chile consteño (pimenta). Fica na Cidade do México.

Mais informações em: visitmexico.com

Texto por: Agência com edição de Cláudio Lacerda Oliva

Foto destaque por: Divulgação

Comentários